Brasil – Governo Federal – Ministério da Educação

1º de dezembro: Dia Internacional de Luta contra a Aids

O dia 1º de dezembro é considerado o Dia Internacional de Luta contra a Aids. Em 1988, a Organização Mundial de Saúde (OMS) instituiu esta data como uma data simbólica de conscientização para todos os povos sobre a doença. O Símbolo dessa campanha é o laço vermelho criado em 1991, escolhido por causa da sua ligação com o sangue e a paixão, e para homenagear as pessoas que haviam morrido ou estavam morrendo por causa da doença. As atividades desenvolvidas nesse dia visam divulgar mensagens de esperança, solidariedade, prevenção e incentivar novos compromissos com essa luta.

De acordo com um relatório feito pelo Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/Aids (Unaids), o número de novos casos de infecção pelo HIV cresceu 11% no Brasil entre 2005 e 2013, quando cerca de 42 000 pessoas contraíram o vírus no país. Em relação às mortes provocadas pela doença, esse aumento foi de 7%, chegando a cerca de 15 000 óbitos em 2013. Segundo estimativas realizadas pelo Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais, aproximadamente 718 mil pessoas vivem com HIV/ Aids no Brasil, e pelo menos um terço dos novos casos da doença ocorre entre jovens de 15 a 24 anos.

Na década de 90, assistiu-se à perda de ícones da música como Cazuza, Renato Russo e Freddie Mercury, em decorrência do vírus da Aids, o que fez com que uma geração conhecesse de perto a letalidade dessa doença, até então em processo de descobertas e com um tratamento escasso. Atualmente, com o tratamento adequado, o paciente leva uma vida normal (desconsiderando as reações adversas), o que não acontecia antigamente, sendo que era visível e altamente sugestivo o reconhecimento do portador do vírus, quando este apresentava os sinais e sintomas da doença. A falta de visibilidade é um dos motivos de a epidemia parecer estar silenciada.

Portanto, neste dia, queremos lembrar você de que o HIV/Aids existe, está presente em nosso meio e, apesar de o portador levar uma vida normal com o tratamento, é uma doença que não tem cura, mas é possível PREVENIR, e só há um meio de se prevenir em se tratando de contágio via sexual: usando camisinha!

Lembre-se: a falsa impressão de que a Aids afeta só o outro mascara a realidade de que somos todos vulneráveis.

* Texto: Ramona Galhotto/Reitoria.

Compartilhar Facebook Compartilhar Twitter

Esta notícia foi editada na quarta-feira, 2 de dezembro de 2015, às 21:13 pela Coordenação-Geral de Comunicação (Cecom).

Últimas notícias: