Conif e Andifes divulgam nota pública conjunta sobre a nomeação de dirigentes eleitos

Em convergência com as comunidades acadêmicas, o Conselho Nacional das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (Conif) e a Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes) vêm a público manifestar apoio à nomeação dos gestores eleitos em processos democráticos. Tal defesa objetiva preservar o equilíbrio e o integral cumprimento de uma das finalidades institucionais: para além da qualificação profissional, produção de ciência, tecnologia e inovação, a formação de cidadãos.

Por respeitar as escolhas das comunidades acadêmicas, cujos pleitos são realizados com transparência e de acordo com os ritos legais, o Conif e a Andifes sustentam a nomeação dos candidatos escolhidos em conformidade com a maioria de votos dos docentes, estudantes e servidores técnico-administrativos da Rede Federal – institutos federais, centros federais de educação tecnológica (Cefets), o Colégio Pedro II e as universidades federais, de modo a mitigar prejuízos e instabilidades e aprimorar governança e governabilidade no funcionamento das instituições.

Em diversas agendas com o Ministério da Educação (MEC), o Conif e a Andifes pleiteiam, reiteradamente, que a nomeação dos primeiros colocados em processos eleitorais seja realizada dentro da menor brevidade possível, respeitando a autonomia institucional e aplicando os valores democráticos historicamente implementados no País. Temos a convicção de que as políticas públicas de interesse da sociedade brasileira são viabilizadas pela legitimidade dos gestores públicos.

O Conif e a Andifes se manifestam contrários à nomeação de gestores externos às instituições, mesmo que de forma pro tempore, como ocorre no Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca (Cefet/RJ), e defendem que seja respeitada a vontade apresentada nas eleições.

Assim sendo, expõem solidariedade à comunidade acadêmica do Cefet/RJ e reforçam a atuação conjunta para que a conclusão do processo em questão ocorra com a celeridade que o caso requer.

Brasília, 19 de agosto de 2019.

Conselho Nacional das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (Conif)

Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes)

Consuper promove 9ª reunião ordinária

O Conselho Superior (Consuper) do IFC – Biênio 2017/2019 promoveu, no dia primeiro de agosto, sua nona reunião ordinária, na Sala dos Conselhos da Reitoria.

O encontro tratou dos seguintes tópicos:

Informe: atual composição do Conselho Superior

O presidente interino do Conselho, professor Cladecir Schenkel, falou brevemente sobre sua a atual composição – que, após alguns pedidos de afastamento temporário e de desligamento, constitui-se hoje de 23 membros aptos – e as consequentes dificuldades de quórum em algumas ocasiões. Alguns setores encontram-se sem representação ou suplência. A formação atualizada do Consuper está disponível na página do Conselho na internet: http://consuper.ifc.edu.br/

Informe: Processo nº 23348.004747/2018-49 – Regulamento para implantação da CISSP (Comissão Interna de Saúde do Servidor Público)

Após avaliação pela Câmara de Desenvolvimento Institucional, a proposta de minuta do regulamento foi devolvida à Comissão para análise das observações levantadas. O Consuper agora aguarda o retorno da comissão para retomar a pauta.

Informe: Portaria nº 1887/2019

Cria comissão para avaliar os impactos das Diretrizes Curriculares do Ensino Médio nos cursos do IFC – em especial, os da área agrícola. Foram dados esclarecimentos sobre os encaminhamentos da secretaria do Consuper para organização dos horários de reunião da comissão e definição de seu coordenador.

Após os informes, foram avaliados os itens da pauta:

Resolução ad referendum nº 008/Consuper/2019 – Projeto Pedagógico de Curso Proeja – Qualificação Profissional Jardineiro – Ensino Médio – Campus Araquari

Atende demanda do Campus Araquari, que firmou parceria com Prefeitura da cidade para ofertar o curso via Proeja. A Administração Municipal solicitou que as aulas começassem já no segundo semestre. A resolução ad referendum acelera a aprovação do Projeto, possibilitando assim que o curso seja ofertado no prazo solicitado.

A matéria foi aprovada por unanimidade.

23348007377/2018-00 – Processo Administrativo; Comissão Permanente de Legislação, Normas e Recursos

O processo trata de um vídeo, postado na rede social Facebook após as eleições de 2018, em que são feitas acusações a respeito de propaganda política e ideológica feita por professores em sala de aula no IFC. A publicação coincide com o episódio em que a deputada Ana Caroline Campagnolo solicitou a estudantes que registrassem em vídeo o que ela classificou como “atitudes ideológicas” em sala de aula e “denunciassem” por meio de um número de telefone.

Diante do entendimento de que o vídeo prejudica a imagem do Instituto, o IFC encaminhou à Procuradoria-Geral da República uma solicitação de auxílio sobre as medidas judiciais cabíveis – bem como notificou o Ministério Público Federal sobre o ocorrido.

Após extensa deliberação e avaliação dos diversos encaminhamentos propostos pelos conselheiros, ficou entendido que houve agravo ao IFC no vídeo. Diante disso, o Instituto vai notificar o Ministério Público de que aguarda o resultado da investigação em curso. Mesmo não tendo identificado materialidade e pessoalidade na denúncia feita, o Conselho irá enviar à Corregedoria para apuração. O Consuper responderá ainda à Procuradoria que aguarde o resultado dessas questões antes de ingressar com qualquer ação legal.

23348008210/2018-58 – Aprovação final do Relatório de Gestão 2018

Após o cumprimento de todos devidos trâmites, o IFC recebeu do Tribunal de Contas da União a declaração de publicação do Relatório, finalizando-se assim o processo com a aprovação do documento. A avaliação final é de que o Instituto cumpriu com suas obrigações institucionais de prestação de contas, produzindo um documento transparente, de fácil leitura e entendimento, no qual são relatadas e publicizadas as ações da instituição no exercício de 2018. Ressaltou-se ainda o trabalho integrado entre todos os campi e a Reitoria para produção do Relatório.

Sobre o Conselho – O Consuper é o órgão máximo do IFC e tem caráter consultivo e deliberativo. As reuniões do órgão são transmitidas ao vivo pela Internet e, depois, disponibilizadas na página do Conselho – permitindo-se, assim, que a comunidade tenha acesso às discussões e decisões tomadas pelos conselheiros.

Assista abaixo à integra da nona reunião ordinária do Consuper:

Texto: Cecom/Reitoria/Thomás Müller
Imagem: Cecom/Reitoria/Carlos Pieri

Campus São Francisco do Sul desenvolve sistema de monitoramento das águas da Baía da Babitonga

O Instituto Federal Catarinense desenvolve, no Campus São Francisco do Sul, um projeto de monitoramento em tempo real da qualidade das águas da Baía da Babitonga. O trabalho, financiado via chamada pública realizada pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente (SMMA), visa desenvolver um protótipo de dispositivo eletrônico para coletar informações sobre o estado da água em diversos pontos da Baía – e que possa, posteriormente, ser replicado para utilização em outros pontos da cidade.

“O sistema vai coletar informações como temperatura, pH e turbidez em diversos pontos da Baía, principalmente em pontos de despejo de efluentes, efetuando um alerta virtual, através de aplicativo, às autoridades competentes – e também aos moradores locais, para que possam auxiliar na fiscalização”, conta o coordenador do projeto, professor Lucas Knebel. “A base de dados norteará ainda os investimentos para a despoluição da Baía da Babitonga em seu aspecto de balneabilidade, contribuindo de forma direta e indireta para a saúde pública, as atividades de pesca, o turismo, o comércio e a qualidade de vida e de lazer da população local e dos turistas no município”.

Knebel explica que a elaboração do projeto atua nos três eixos institucionais – Ensino, Pesquisa e Extensão. “O trabalho envolve estudantes de nível médio e superior – respectivamente, de Automação Industrial e Engenharia Elétrica. Quatro destes alunos são bolsistas e desempenham as atividades em conjunto com professores das área de Engenharia, Biologia e Ciência da Computação”.

O professor ressalta que a parceria com o município começou a ser delineada antes mesmo do lançamento do Edital. “O projeto foi apresentado à SMMA para verificarmos se ele atenderia à comunidade local e regional, seguindo assim um dos princípios norteadores do IFC. O secretário Gabriel Conorath nos deu essa confirmação, uma vez que o projeto poderia contribuir para que as praias do município conquistem a certificação internacional de Bandeira Azul – que tem como um dos critérios a qualidade da água”, diz.

A Bandeira Azul é concedida anualmente pela Fundação para a Educação Ambiental, sediada na Dinamarca, a praias e marinas que cumprem uma série de requisitos de qualidade ambiental, infraestrutura, segurança e conservação.

“Após a consulta inicial à SMMA, o edital de fomento foi lançado, e o projeto ficou classificado entre os que receberam o fomento no valor de R$ 30.000,00. Além disso, este é também o primeiro projeto do IFC a trabalhar com a Fundação de Amparo à Pesquisa e Extensão Universitária – FAPEU/UFSC”, conta o pesquisador.

Segundo Knebel, o monitoramento em tempo real das águas contribui tanto para a preservação do meio ambiente quanto para a proliferação do turismo. “Além integrar o sistema e contribuir para a manutenção da fauna e da flora, parte da população local tira seu sustento a partir do mar – que, por sua vez, tem de estar em boas condições para a proliferação de espécies de vida marinha. Já os turistas querem conhecer as belezas naturais, velejar e mergulhar; imagine então com seria bom se, antes de se banhar na água da baía ou do mar, eles pudessem consultar sua qualidade em tempo real. Esse protótipo também possibilitará isso”, destaca.

O coordenador do projeto ressalta que o trabalho está em sua fase inicial. O primeiro teste oficial de conclusão está previsto para meados de 2020. Após a implementação final, a manutenção dos equipamentos será efetuada pelos estudantes do IFC – estreitando-se assim a relação entre o IFC e o município. “Pode-se ainda dizer que este projeto será vitalício e terá seu status modificado para programa logo que se der a implementação em diversos pontos das praias”, conclui.

Texto: Cecom/Reitoria/Thomás Müller
Imagem : Arquivo pessoal/Lucas Knebel

Candidatos aos cursos técnicos integrados ao ensino médio do IFC podem pedir isenção da taxa de inscrição

Até 10 de setembro, seguem abertas as inscrições para o Exame de Classificação 2020 do Instituto Federal Catarinense (IFC). São oferecidas 2.220 vagas para os cursos técnicos integrados ao ensino médio nos campi da instituição, localizados em 15 cidades. Os interessados devem se inscrever pelo Portal de Ingresso do IFC.

Taxa de inscrição é R$ 25,00 e deve ser paga nas agências do Banco do Brasil, utilizando a Guia de Recolhimento da União (GRU). Para solicitar a isenção do pagamento desta taxa, o candidato deverá preencher o formulário, disponível aqui, e entregá-lo com a documentação comprobatória no campus para o qual o se inscreveu.

Prazo para solicitar a isenção vai até 23 de agosto. Os pedidos serão analisados pela Comissão Central do Processo Seletivo, e os resultados serão publicados, em 30 de agosto, no Portal de Ingresso. Todas as orientações sobre o pedido de isenção estão descritas no item 4 do edital.

Cursos oferecidos

Nesse nível de ensino, o estudante cursa as disciplinas do ensino médio e as do curso técnico de forma integrada. Portanto, pode participar do Exame de Classificação quem já concluiu o ensino fundamental e ainda não terminou o ensino médio.

Para este processo são oferecidas vagas para cursos nas áreas de Administração, Agroecologia, Agropecuária, Alimentos, Automação Industrial, Controle Ambiental, Eletroeletrônica, Eletromecânica, Guia de Turismo, Hospedagem, Informática, Informática para Internet, Mecânica, Química, Segurança do Trabalho, Vestuário.

Atualmente, o IFC possui 15 campi localizados nas cidades de Abelardo Luz, Araquari, Blumenau, Brusque, Camboriú, Concórdia, Fraiburgo, Ibirama, Luzerna, Rio do Sul, Santa Rosa do Sul, São Bento do Sul, São Francisco do Sul, Sombrio e Videira.

Edital do Exame traz todas as informações referentes ao processo, como o cronograma de atividades, os locais e procedimentos de inscrição, a distribuição das vagas em cada modalidade, os detalhes sobre a realização das provas, entre outras. O documento pode ser acessado aqui.

Serviço
Exame de Classificação 2020 IFC
Processo seletivo para os cursos técnicos integrados ao ensino médio
Vagas: 2.220 vagas distribuídas em 15 cidades catarinenses
Inscrições: até 10 de setembro de 2019
Local de inscrição: Portal de Ingresso do IFC
Taxa de inscrição: R$ 25,00 (é possível pedir isenção até o dia 23/08)
Confira todas as informações no Edital disponível em: http://ingresso.ifc.edu.br

Texto: Cecom/Reitoria/Rosiane Magalhães
Arte: Cecom/Reitoria

IFC e IFSC trabalharão em parceria no desenvolvimento de plataforma para egressos

Estudantes e servidores dos Institutos Federais Catarinense (IFC) e de Santa Catarina (IFSC) trabalharão em conjunto no desenvolvimento de uma plataforma de relacionamento de egressos das instituições. A parceria firmou-se durante a realização do Seminário de Ensino, Pesquisa, Extensão e Inovação do IFSC (8º Sepei), realizado em Chapecó de 30 de julho a 1º de agosto.

Entre os eventos do Sepei, ocorreu o 1° Hackathon do IFSC, com objetivo de levar à comunidade acadêmica um desafio de programação para o desenvolvimento de uma plataforma de egressos. Esta atividade partiu da disponibilização de uma versão em desenvolvimento pela Fábrica de Software no IFC Campus Araquari, como resultado do projeto apoiado pela Pró-Reitoria de Extensão do IFC (Proex).

Composta pelos estudantes bolsistas da Fábrica de Software, Christopher Steffens Theilacher e Henrique Luiz Hartmann; pelo coordenador do projeto, professor Ivo Marcos Riegel; pelo coordenador de Sistemas da DTI na Reitoria, Emerson Batista Saldanha; e pelo pró-reitor de Extensão, professor Fernando José Garbuio, a equipe do IFC participou como júri do desafio em conjunto com a equipe do IFSC.

De acordo com Garbuio, a participação neste evento demonstrou a importância da integração das duas instituições no desenvolvimento de soluções em conjunto a partir de uma demanda existente na Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica. “Desde as primeiras turmas que estudaram nas então Escolas de Aprendizes e Artífices, criadas em 1909, até as atuais gerações que participam da rede dos Institutos Federais, existe uma agenda que merece atenção. Os alunos que se formam, ano a ano, vão perdendo vínculo com a instituição, e esse afastamento entre escola e egresso traz prejuízos tanto para o profissional formado quanto para nossos currículos. Sem o acompanhamento e o relacionamento com eles, perdemos informações valiosas que podem, a médio e longo prazo, qualificar ainda mais nosso serviço público”, justifica o pró-reitor do IFC.

A partir do resultado do desafio, que teve como vencedora a equipe XapSoft do IFSC Campus Chapecó, será elaborado um cronograma de atividades para o desenvolvimento da plataforma em conjunto entre as duas instituições. A previsão é de que ela seja concluída ainda no segundo semestre de 2019.

Texto: Cecom/Reitoria/Rosiane Magalhães
Fotos: arquivo pessoal

IFC instala Biblioteca Comunitária na Reitoria

O prédio da Reitoria do IFC conta agora com uma nova opção de entretenimento e cultura: a Biblioteca Comunitária. Localizado na recepção, o local é destinado à apreciação e troca de livros entre estudantes, servidores e comunidade. A ideia é que, além de incentivar a leitura, a estrutura funcione ainda como um espaço de convivência.

A Biblioteca funciona da seguinte forma: os livros podem ser lidos no local ou emprestados para leitura em casa. Todos os volumes vêm de doações; se você quiser contribuir para o aumento da coleção, basta separar os livros que quer doar e entregar na sala da Coordenação-Geral de Comunicação (Cecom), situada no mezanino.

Incentivar a leitura – não só no ambiente de trabalho, mas no cotidiano – é muito importante. Cultivar esse hábito traz diversos benefícios, como melhora da escrita e vocabulário, aumento na capacidade de comunicação e da criatividade, acúmulo de conhecimento e exercício para a memória.

Texto e imagem: Cecom/Reitoria/Thomás Müller

Entenda como funciona o processo de consulta para Reitoria, Direções-Gerais e Consuper do IFC

O período de campanha do processo de consulta à comunidade acadêmica para escolha de candidatos à Reitoria, Direções-Gerais de campus (com exceção dos campi avançados de Abelardo Luz e Sombrio) e Conselho Superior do IFC teve início na última segunda-feira (5) e segue até 2 de setembro. Durante esse prazo, cada um dos participantes pode apresentar suas propostas aos e estudantes e servidores do Instituto – que, assim, poderão embasar melhor suas escolhas.

Cada candidato poderá fazer visitas de campanha aos diversos setores do IFC e também participar de debates entre si. A votação está marcada para o dia 4 de setembro, das 9h às 21h, e será feita por meio de urna eletrônica.

O processo de consulta foi oficialmente deflagrado no dia 24 de junho, com a publicação do Edital que regulamenta o certame. O documento foi publicado pela Comissão Eleitoral Central, instituída um pouco antes, no dia 6 de junho. “A Comissão é responsável por elaborar as normas e conduzir todo o procedimento de escolha”, explica a secretária do órgão, Bárbarah Sorgetz. “Isso inclui disciplinar os procedimentos de inscrição de candidatos, homologar as candidaturas para a Reitoria e o Consuper, determinar as regras de campanha, delinear o processo de votação, definir o cronograma do processo e publicar e encaminhar os resultados da votação ao Conselho Superior, entre outras atribuições”.

Esse trabalho é realizado com o apoio das Comissões Eleitorais Locais, que atuam diretamente nos campi. “São elas que recebem as inscrições de todos os candidatos,  homologam as candidaturas para os cargos de diretores-gerais e designam as mesas receptoras de votos, credenciam os fiscais de votação e operacionalizam toda parte burocrática – além de supervisionar as campanhas e organizar eventuais debates”, conta Bárbarah.

De acordo com a secretária da Comissão Eleitoral, após a votação e o período de recursos, o resultado final é proclamado pelo órgão e enviado ao Consuper para homologação. “Os conselheiros vão, então, apreciar o processo e homologar os eleitos para as Direções-Gerais e para a o próximo mandato do Consuper. A nomeação dos novos diretores-gerais e conselheiros é efetuada por ato do IFC; o nome escolhido para a Reitoria é enviado ao Ministério da Educação. A nomeação fica a cargo do presidente da República”, diz.

Os mandatos da Reitoria e das Direções-Gerais são de 4 anos – ou seja, de janeiro de 2020 a janeiro de 2024. Já os novos membros do Consuper terão mandato mais curto: de janeiro de 2020 a janeiro de 2022.

Todos os documentos relativos ao processo de consulta – incluindo o regulamento completo do certame e o cronograma de visitas dos candidatos ao cargo de reitor(a) – estão disponíveis no site eleicoes.ifc.edu.br.

Texto: Cecom/Reitoria/Thomás Müller
Imagem: Cecom/Reitoria/Amanda Cadore (estagiária)

XII Micti, V IFCultura e I Epromundo: abertas as inscrições de trabalhos

O período de inscrições para a XII edição da Mostra Nacional de Iniciação Científica e Tecnológica Interdisciplinar (Micti) e para o V IFCultura começou no último dia 5 de agosto. Os eventos serão realizados nos dias 13 e 14 de novembro, em Brusque – com atividades no campus do IFC na cidade e no Pavilhão de Eventos Maria Celina Vidotto Imhof.

A Micti é um evento científico multidisciplinar que tem como objetivo divulgar, à comunidade interna e externa, os resultados de projetos de Ensino, Extensão, Pesquisa e Inovação desenvolvidos no IFC. Já o IFCultura é um evento cultural exclusivo para estudantes regularmente matriculados no IFC, que visa incentivar a cultura, o crescimento profissional, científico e tecnológico nas diversas modalidades e linguagens artísticas, com reflexão sobre humanidade e educação, bem como enriquecer os espaços educacionais.

Neste ano, a programação traz ainda dois eventos concomitantes. O I Epromundo, também com inscrições abertas, é voltado para a difusão da cultura da inovação e empreendedorismo e para a apresentação à comunidade de cursos, soluções e tecnologias desenvolvidas no IFC.  O outro novo evento, I IFC.Ação, visa promover e realizar ações socioambientais que atendam as demandas da comunidade local e fortaleçam a formação cidadã dos estudantes do Instituto. As atividades serão desenvolvidas por estudantes e servidores participantes do evento em conjunto com comunidade.

Confira abaixo os prazos e como se inscrever em cada um dos eventos:

Inscrições para a Micti

Podem participar da Micti estudantes do IFC e também de outras instituições, sob a orientação de um servidor. A mostra oferece 263 vagas para apresentações orais de resultados de projetos nas seguintes categorias:

  • Projetos de Ensino: caracterizados pelo conjunto de ações de ensino e aprendizagem, de trabalho educativo e/ou de intervenção, de atualização ou retomada de conteúdos, de dinamização dos componentes curriculares, bem como de prática profissional, voltados aos discentes dos cursos regulares, por meio do desenvolvimento de atividades extracurriculares ou complementares, sob orientação de docente ou técnico administrativo;
  • Projetos de Pesquisa e Inovação: entendidos como atividades indissociáveis do Ensino e da Extensão, visam à produção científica e tecnológica e à formação de pessoas, em todos os níveis e modalidades de ensino oferecidos, para a investigação e a geração de conhecimentos, cujas conquistas devem ser estendidas à comunidade acadêmica e à sociedade em geral;
  • Projetos de Extensão: ações da instituição junto à comunidade que possibilitam o compartilhamento, com o público externo, do conhecimento adquirido por meio do ensino e da pesquisa. Nesta categoria, pressupõe-se que a articulação do conhecimento científico advindo do ensino e da pesquisa com as necessidades da comunidade, na qual a instituição se insere, deve ser fator importante para transformar a realidade social. Uma ação de Extensão envolve de forma ativa os seguintes atores: servidor, discente e comunidade externa.
  • Programas institucionais: são aqueles que integram as atividades de Ensino, Pesquisa e/ou Extensão relacionadas ao PET (Programa de Educação Tutorial), ao Pibid (Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência) e ao RP (Programa de Residência Pedagógica).

As vagas são distribuídas de acordo com o quadro a seguir:

As inscrições de trabalhos vão ser realizadas somente pela internet, no site do evento. O período de inscrição para trabalhos de pesquisa dos programas Pibic, Pibic-AF, Pibic-EM e Pibiti, dos trabalhos de Ensino, Pesquisa e Extensão, indicados pelos campi do IFC, e dos trabalhos de programas institucionais (PET, Pibid e RP) está aberto até o dia 27 de setembro. Já as inscrições para trabalhos de Ensino, Pesquisa e Extensão na categoria ampla concorrência (comunidade interna e externa) serão realizadas até 27 de setembro.

Leia com atenção o Regulamento da Micti para saber mais detalhes sobre o cronograma de atividades, as áreas de conhecimento abordadas, o formato de apresentação dos trabalhos e outras informações importantes.

Inscrições para o IFCultura

O período de inscrições está aberto até o dia 30 de agosto. Podem participar somente estudantes regularmente matriculados do IFC; os interessados devem procurar o servidor responsável pelo procedimento de inscrição em seus campi.

O evento aceita trabalhos nas seguintes modalidades:

  • Dança
  • Música
  • Teatro
  • Artes Visuais (fotografia, pintura, escultura, desenho, gravura ou instalação, arte gráfica, happening)
  • Poesia

De acordo com o regulamento do IFCultura, não serão aceitas propostas de apresentação que incentivem a violência, a promiscuidade e o uso de drogas, que tenham cunho publicitário ou discriminatório, que configurem prática de proselitismo religioso ou que contrariem dispositivos legais estabelecidos pelo Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).

Os detalhes sobre o formato das apresentações, o cronograma de envio de originais e outras informações importantes estão disponíveis no regulamento.

Inscrições para o Epromundo

As inscrições serão realizadas até 27 de setembro, somente pela internet, no site da Micti. O evento conta com 65 vagas para apresentação de trabalhos em estandes, de acordo com o quadro abaixo:

Confira o regulamento da Micti para mais informações sobre o processo, tais como o formato aceito para os trabalhos e o cronograma de atividades.

Inscrições para o IFC.Ação

As inscrições para participação no IFC.Ação serão realizadas de 16 e outubro a 13 de novembro no site do evento. Serão 30 vagas – duas para cada campus do IFC – distribuídas entre os estudantes que tiverem trabalhos aprovados para Micti e/ou IFCultura e se inscreverem para participar. A seleção se dará por ordem cronológica das inscrições; as atividades do IFC.Ação serão disponibilizadas na página da MICTI. Confira o regulamento para mais informações.

Texto: Cecom/Reitoria/Thomás Müller
Arte: Cecom/Reitoria 

Estão abertas duas chamadas públicas para projetos de pesquisa e bolsas do CNPq

Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), agência do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), está com duas chamadas públicas abertas para projetos de pesquisa e bolsas. São elas:

Chamada CNPq/MCTIC nº 09/2019 Semana Nacional de Ciência e Tecnologia – SNCT 2019

Objetivo: apoiar projetos de eventos de divulgação e popularização da ciência, que visem contribuir para o desenvolvimento científico e tecnológico no País, por meio da realização da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia – SNCT 2019. Os eventos, em todas as Unidades Federativas do país, deverão ter abrangência municipal, estadual/distrital e/ou regional e deverão desenvolver o tema “Bioeconomia: Diversidade e Riqueza para Desenvolvimento Sustentável”.

Inscrições: 08/07/2019 a 22/08/2019

Chamada CNPq/MCTIC nº 11/2019 – Feiras de Ciências e Mostras Científicas

Objetivo: apoiar eventos que visem contribuir significativamente para o desenvolvimento científico, tecnológico e de inovação do País, por meio da realização de Feiras de Ciências e Mostras Científicas em âmbito nacional, estadual/distrital e municipal, como instrumentos de popularização da ciência.

Inscrições: 16/07/2019 a 30/08/2019

Para informações sobre estas e outras chamadas, os interessados podem acessar o site do CNPq em http://memoria.cnpq.br/chamadas-publicas 

Texto: Cecom/Reitoria/ Rosiane Magalhães

Conif divulga nota oficial sobre o programa Future-se

O Conselho Nacional das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (Conif) externa sua preocupação com o anúncio, pelo Ministério da Educação (MEC), do programa Future-se, e torna públicos pontos reflexivos sobre essa ação governamental.

Abstraindo seu mérito, a raiz conceptiva da proposta já traz um notório problema de método, que está expresso na inteira exclusão dos agentes públicos, dos corpos dirigentes e das representações coletivas institucionais do debate relativo à sua construção, em razão do que a notícia provocou espanto e surpresa em toda Rede.

Uma formulação de interesse público, que se dispõe inclusive a alterar leis em vigor e a afetar princípios consagrados, como preliminarmente se apresenta, precisa ser amplamente esmiuçada no plano coletivo, não sendo razoável aligeirar seu anúncio, em desfavor do debate.

Este Conselho também entende que nenhuma ação de futuro deve preceder o ato de sanar a grave situação financeiro-orçamentária vivenciada pela Rede, cujo funcionamento se encontra seriamente ameaçado pelos bloqueios então processados. O viés temporal é primordial, pois como podemos cogitar políticas públicas estruturantes de futuro se o nosso tempo presente está comprometido e é inseguro e incerto? Arrumemos, primeiro, nosso tempo presente, dissipemos as inseguranças e as incertezas; e, em paralelo, cuidemos do tempo futuro, com planejamento, organização e nossa ampla participação.

A proposta ainda é incipiente e enseja diversas dúvidas, que precisam ser esclarecidas, e também depende de atos posteriores de regulamentação, o que sugere traços de indefinições e imprecisões. Além do que, note-se a superficialidade com que são tratados conceitos cruciais, como a autonomia da gestão institucional, aduzida no texto preliminar de forma difusa e ambígua, sombreada por organizações sociais e fundos de investimento, elementos estranhos ao nosso universo.

Reafirmamos nosso compromisso com a observância dos postulados consagrados no ordenamento jurídico vigente, cujo cerne é a garantia da educação pública, gratuita, qualificada e socialmente referenciada, como direito inalienável de todos os brasileiros e dever do Estado, o qual figura como vetor, provedor e mantenedor de sua estrutura e de seu funcionamento, conforme preceituam ainda fundamentos constitucionais.

Defendemos, nessa mesma linha, as políticas de inclusão da Rede Federal, que absorvem jovens e adultos em situação de risco social; e de interiorização, que contemplam a população pobre dos pontos remotos do Brasil, atualmente desalentadas e desesperançadas.

São parâmetros basilares desse ordenamento a lei 11.892/2008, que institui a Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica, e a lei 13.005/2014, que aprova o Plano Nacional de Educação, diplomas legais que orientam e regem tais postulados, e se construíram à luz de debates em planos coletivos, perante a sociedade organizada, a academia e o parlamento brasileiros.

Propomos, nessa lógica, a formação de uma mesa de diálogo com o Ministério da Educação, que trabalhe na perspectiva de garantir o papel da União como provedor do direito constitucional à educação, de buscar soluções para a natureza pública de seu financiamento e para consolidar a Rede Federal.

Vislumbrando, portanto, essa educação como um precioso bem de todos, reforçamos que toda ação ou política que lhe diz respeito precisa ser objeto de ampla discussão, desde as bases acadêmicas de nossos espaços, em interlocução com a sociedade organizada e os agentes públicos governamentais, até o parlamento, a quem caberá legislar sobre matéria de tamanho interesse para o futuro da educação em nosso país.

Brasília, 1 de agosto de 2019.

2ª Reunião Extraordinária do Conselho Nacional das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (Conif) em 2019

Clique aqui para acessar a nota em PDF.