Brasil – Governo Federal – Ministério da Educação

ACCB avalia animal do IFC como “excelente”

vacaexcelenteA vaca de propriedade do Instituto Federal Catarinense Câmpus Concórdia, registrada sob o número 372, nascida em março de 2008, é considera pelos classificadores como uma “vaca excelente” Ela recebeu nota 9 na avaliação realizada pela ACCB. Conforme o classificador oficial Ildemar Pereira, o Terrinha, a 372 é um animal com quatro crias – o que demonstra a sua longevidade; com produção de leite acumulada em toda a sua vida de 36.181,48 quilos de leite, 1.241,48 (3.43%) quilos de gordura e 1112,42 (3.07%) de proteína e tem 1263 dias de lactação. “É uma vaca muito correta e com um sistema mamário excelente. É o animal que se deseja, longeva e com boa produção”, diz ele.

Terrinha é um dos classificadores oficiais que realiza a “classificação linear por tipo” através da Associação Catarinense de Criadores de Bovinos – ACCB em Santa Catarina. Essa avaliação visa analisar, entre outros itens, a evolução genética dos rebanhos. A metodologia técnica da classificação para tipo consiste na avaliação comparativa com um modelo ideal, conhecido como “True Type”, observando e mensurando as características morfológicas externas do animal. A finalidade é a seleção de animais que exteriorizam, através das suas características fenotípicas, o potencial produtivo e reprodutivo, vila útil longeva e elevada resistência a problemas no manejo e meio ambiente. Entre essas características estão a altura do talão, a conformação do casco, a inserção dos úberes.

Para determinar a nota de um animal, são avaliadas 23 características fenotípicas, divididas em quatro seções: Garupa: 10% (largura e ângulo de garupa e fôrça de lombo); pernas e pés: 26% (qualidade óssea, pernas vista lateral e posterior, ângulo de casco e profundidade do talão); sistema mamário: 42% (altura e largura do úbere posterior, comprimento e colocação dos tetos anteriores, inserção do úbere anterior, textura do úbere, colocação dos tetos posteriores e ligamento posterior do ubere.); força leiteira: 22% (estatura, profundidade corporal, angulosidade, condição corporal e nivelamento da linha superior).

Dentro de cada característica é dada uma nota que vai de 1 à 9, com graduações diferenciadas para alguns itens. “Cada seção tem um valor percentual, que no final gerará a pontuação final da vaca. Sempre devemos considerar o número de partos da mesma”, explica Terrinha. Ele completa dizendo que a nota máxima possível de alcançar é de 97 pontos. “São poucas as vacas no mundo que atingiram esta nota, isto significa que são vacas extremamente corretas e quase perfeitas. Elas precisam ser avaliadas por dois classificadores oficiais”.

Os classificadores podem ser Médicos Veterinários, Engenheiros Agrônomos ou Zootecnistas treinados e credenciados pelas Associações Nacionais das Raças Jersey e Holandesa. No país, atualmente há 12 classificadores credenciados pela Associação Brasileira dos Criadores de Bovinos da Raça Holandesa e 12 credenciados pela Associação dos Criadores de Gado Jersey no Brasil.

* Texto e foto: CECOM/Concórdia.

Compartilhar Facebook Compartilhar Twitter

Esta notícia foi editada na terça-feira, 4 de novembro de 2014, às 16:53 pela Coordenação-Geral de Comunicação (Cecom).

Últimas notícias: