Brasil – Governo Federal – Ministério da Educação

Acessibilidade no atendimento ao público

O balcão de atendimento normalmente é um dos primeiros lugares a que o visitante tem acesso em edifícios públicos. Podemos considerá-lo como um cartão de visita da acessibilidade do edifício, assim como o atendimento do recepcionista. É ali, no balcão de atendimento, já dentro do ambiente da instituição, que ela demonstra os primeiros sinais do seu comprometimento com a acessibilidade.

Os balcões de atendimento acessíveis devem estar identificados e possibilitar a aproximação de uma cadeira de rodas, permitindo a circulação adjacente desta com um giro de 180° da cadeira. A rota utilizada para se chegar ao balcão de atendimento acessível deve observar as regras de acessibilidade, possibilitando sua utilização.

cadeira1

A superfície de trabalho do balcão de atendimento acessível deve ficar a uma altura entre 75cm e 85cm, e ter uma largura mínima de 90cm. Sob o balcão, a altura livre mínima deve ser de 73cm com um largura livre mínima de 80cm, e, para possibilitar o avanço da cadeira de rodas, uma profundidade mínima de 30cm.

cadeira2

cadeira3

Para facilitar a leitura labial e gestual, a iluminação deve assegurar que a face do atendente seja uniformemente iluminada; e, em balcões de atendimento localizados em ambientes ruidosos, ou em caso de utilização de divisórias de segurança, deve-se fazer uso de um sistema de amplificação de voz.

O atendimento a estes padrões definidos pela norma de acessibilidade busca garantir a utilização, com autonomia, dos espaços e das informações, por pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida.

Texto e imagens: Napne/Reitoria.

Compartilhar Facebook Compartilhar Twitter

Esta notícia foi editada na quarta-feira, 18 de maio de 2016, às 10:20 por Nicole Trevisol.

Últimas notícias: