Balneabilidade de SC tem o pior resultado semanal das A?ltimas cinco temporadas

(Por: Leonardo Gorges a�� DiA?rio Catarinense)

O relatA?rio de balneabilidade divulgado pela FundaA�A?o do Meio Ambiente (Fatma), em 19 de janeiro, apontou que 50,7% dos pontos analisados no litoral catarinense estA?o sem condiA�A�es para banho.

Trata-se do pior desempenho de todas as anA?lises semanais feitas nas A?ltimas cinco temporadas de verA?o no estado, segundo as prA?prias anA?lises divulgadas pela Fatma. A�, tambA�m, a primeira vez nesse perA�odo que o nA?mero de locais imprA?prios ultrapassou o de locais prA?prios para banho.

Historicamente, o nA?mero de pontos prA?prios para banho oscila entre 65% e 75%, de acordo com a Fatma. O fator de desequilA�brio nas A?ltimas anA?lises tem sido as constantes chuvas que caem no litoral, que varrem as ruas e galerias subterrA?neas, levando a sujeira para o mar.

AlA�m disso, diz Oscar Vasquez Filho, gerente de balneabilidade da Fatma, contribuem para o resultado negativo a grande populaA�A?o de turistas nesta A�poca do ano, que aumenta a quantidade de esgoto produzida, e o ainda alto A�ndice de residA?ncias que nA?o se conectaram A� rede de esgoto.

Como exemplo, ele cita Canasvieiras, em FlorianA?polis, onde aproximadamente 40% das casas nA?o estA? ligada A� rede da Casan, embora a cobertura seja total no bairro.

how to write a dbq essay, order zithromax.

a��Tem muita gente que, infelizmente, insiste em nA?o fazer a ligaA�A?o a�� diz Vasquez.

Em relaA�A?o A� chuva, o meteorologista Leandro Puchalski, da NSC ComunicaA�A?o, ressalta que o volume estA? trA?s vezes acima do normal. AtA� o dia 22 de janeiro, somente em FlorianA?polis jA? havia chovido mais de 500 mm, enquanto a mA�dia para todo o mA?s costuma ser de entre 190 e 210mm.

a�� Estamos tendo um mA?s extramente chuvoso, como hA? muitos anos nA?o ocorria em janeiro. E isso nA?o A� sA? na quantidade de chuva, mas tambA�m no nA?mero de dias em que estA? chovendo a�� conta Puchalski.

Para VinA�cius Ragghianti, ex-presidente da AssociaA�A?o Catarinense dos Engenheiros Sanitaristas e Ambientais, as chuvas realmente complicam as condiA�A�es de balneabilidade, tambA�m escancarando um problema histA?rico de Santa Catarina, que A� a falta de investimento em saneamento ambiental

a�� Com a infraestrutura que se tem hoje, nA?s somos refA�ns das chuvas. O nA?mero de turistas cresce ano a ano e temos visto problemas especialmente nas praias urbanizadas. O efluente nA?o estA? sendo protegido. Infelizmente, o que se vA? A� que a taxa de investimento no aumento das redes coletoras nA?o estA? acompanhando o crescimento da cidade e do turismo a��diz, lembrando que, na capital, 60% dos pontos estavam imprA?prios na A?ltima anA?lise da Fatma.

O engenheiro diz ainda que jA? passou do momento de o Brasil passar a tratar o saneamento como algo vital. Segundo ele, essa A� uma questA?o tA?o importante quanto energia elA�trica ou deslocamento viA?rio.

a�� Um problema em uma rede elA�trica A� resolvido em minutos ou horas. Um problema com esgoto leva meses ou anos para ter uma soluA�A?o.

Para a Casan, a variaA�A?o da balneabilidade estA? relacionada A� intensidade e A� periodicidade das chuvas.

Mais detalhes na pA?gina do DiA?rio Catarinense.

 

Deixe uma resposta