Brasil – Governo Federal – Ministério da Educação

Conif define ações para o fortalecimento da pós-graduação profissional

Até o fim de 2014, o Conselho Nacional das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (Conif) deverá concluir projeto de Programa de Mestrado Profissional para a Rede Federal. Também estão previstas ações para a captação de fomento, o fortalecimento da inovação e a ampliação da internacionalização.

O Programa de Mestrado Profissional será ofertado pela própria Rede e deverá abrir, já de início, duas mil vagas para servidores (professores e técnico-administrativos). O projeto será elaborado pelo Fórum dos Pró-Reitores de Pesquisa e Pós- Graduação (Forpog) e pela Câmara de Pesquisa e Inovação do Conif, em parceria com a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) e a Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica (Setec).

Em recorrentes discussões, o Conif defende que o desenvolvimento dos mestrados profissionais ocorra de maneira articulada aos Polos de Inovação e à internacionalização da Rede. Para isso, o Conselho está propondo uma agenda com a Capes e a Setec, além de trabalhar na perspectiva de fomento à pós-graduação.

Na avaliação do presidente do Conif, Luiz Augusto Caldas Pereira, a inclusão dos institutos federais no Sistema Nacional de Pós-Graduação (SNPG) representa um importante movimento. “O Conselho trabalha para que a pós-graduação tecnológica seja valorizada e reconhecida no contexto de política nacional. Isto contribuirá para a política de inovação do Brasil, com consequências positivas para a geração de trabalho e renda”, disse.

A pós-graduação na Rede Federal está prevista na Lei nº 11.892, de 29 de dezembro de 2008, que inclui nos objetivos dos institutos federais a oferta de “cursos de pós-graduação stricto sensu de mestrado e doutorado, que contribuam para promover o estabelecimento de bases sólidas em educação, ciência e tecnologia, com vistas no processo de geração e inovação tecnológica”.

Para a coordenadora da Câmara de Pesquisa e Inovação, Maria Clara Kaschny Schneider, as características da Rede representam grandes potenciais. “A pesquisa aplicada, a transferência de tecnologia e a interiorização estão presentes na realidade dos institutos federais e tendem a fortalecer a política de pós-graduação, sempre com foco no atendimento a demandas da sociedade e do país”, concluiu.

Seminário – a pós-graduação na Rede Federal foi tema de seminário realizado nessa segunda-feira, 19/5, em Brasília. Os debates tiveram a participação do secretário de Educação Profissional e Tecnológica, Aléssio Trindade de Barros; do diretor de Avaliação da Capes, Lívio Amaral; e dos consultores Francisco César de Sá Barreto (UFMG) e Abílio Baeta Neves (PUC/RS), além de reitores da Rede, membros do Forpog e dirigentes da Setec.

 

* Texto: Assessoria de Comunicação/Conif.

Compartilhar Facebook Compartilhar Twitter

Esta notícia foi editada na quarta-feira, 28 de maio de 2014, às 15:30 pela Coordenação-Geral de Comunicação (Cecom).

Últimas notícias: