Brasil – Governo Federal – Ministério da Educação

Educação para todos: IFC firma parceria de atuação em Campo Erê

IMG_8449Campo Erê está localizado no Oeste de Santa Catarina. Faz divisa, ao Norte, com duas cidades paranaenses; ao Sul, com Saltinho e Santa Terezinha do Progresso; ao Leste, com São Lourenço do Oeste e São Bernardino; e, ao Oeste, com Palma Sola e Anchieta. Está localizado cerca de 900 metros acima do nível do mar e faz parte da microrregião do Oeste Catarinense.

A população local (9.370, conforme Censo demográfico de 2010) e os demais 18 municípios que compõem as microrregiões da AMNoroeste (Associação dos Municípios do Noroeste) Amerios (Associação dos Municípios do Entre Rios) e AMEOSC (Associação dos Municípios do Extremo Oeste de Santa Catarina) contarão, a partir do segundo semestre deste ano, com a atuação educacional e tecnológica do Instituto Federal Catarinense (IFC).

Na manhã do dia 29 de junho, a reitora do IFC, Sônia Fernandes, recebeu uma comitiva de Campo Erê para deliberar e assinar o acordo de Cooperação Técnico-Científico entre a instituição e o município. O acordo visa realizar projetos de extensão, pesquisa e desenvolvimento, intercâmbio de informações, atividades de ensino e inovação tecnológica.

As primeiras atividades educacionais serão iniciadas a partir do segundo semestre deste ano, com a oferta do curso de Formação Inicial e Continuada (FIC) na área de Fruticultor: ênfase em Olivicultura. Ao todo, serão 30 vagas destinadas aos agricultores familiares envolvidos na produção de oliveiras.

A inovação deste curso está na forma como a carga horária será conduzida. “O curso é constituído de 208 horas, entretanto está estruturado em quatro módulos, permitindo ao aluno realizar apenas o módulo que lhe interessar, recebendo o certificado desta carga horária”, coloca Fernando Garbuio, pró-reitor de Extensão.

Já para fevereiro de 2017, está prevista a oferta do curso de pós-graduação lato sensu em Olivicultura, voltado para graduados em Ciências Agrárias. Serão ofertadas 35 vagas, e o curso terá duração de 18 meses, totalizando uma carga horária de 420 horas. “O objetivo das ações educacionais é consolidar e fortalecer os arranjos produtivos, sociais e culturais da região. É papel do IFC atuar nestas frentes, principalmente em atividades que contribuam para a implantação do Centro Vocacional Tecnológico (CVT) Regional das Oliveiras”, esclarece Cladecir Schenkel, pró-reitor de Pesquisa, Pós-graduação e Inovação.

O CVT é um projeto que envolve os Ministérios da Ciência e Tecnologia e da Educação – por meio do IFC, da Epagri, da Embrapa, do Sebrae, do Governo do Estado de Santa Catarina e da Prefeitura Municipal -, com o objetivo de alcançar toda a cadeia produtiva da Oliveira, a partir do experimento bem-sucedido desenvolvido pelo Cedup de Campo Erê, iniciado há 10 anos.

Segundo o prefeito Rudimar Borcioni, o CVT pretende envolver desde o plantio da oliveira até a produção do azeite. “Para isso, a parceria com o IFC, que iniciou, em 2015, devido à vocação educacional voltada à área agrícola, é fundamental”, diz ele.

Implantado no Cedup de Campo Erê, o CVT gerará conhecimento, qualificação e retorno econômico, levando em conta as qualidades locais, como a aptidão agroclimática para o cultivo das oliveiras.

Para a reitora do IFC, além de apresentar o curso no formato de um currículo modular, a instituição inova ao utilizar uma estrutura preexistente para ofertar os cursos FIC e de pós-graduação. “Ações como essa fortalecem a Rede Federal de educação profissional científica e tecnológica, fazendo com que o IFC esteja presente onde isso não era possível. Ainda, a união dos poderes públicos federal, estadual e municipal otimiza recursos ao permitir que cada um contribua de maneira conjunta: o IFC ingressa com a qualificação; o Cedup, com o local e possível docência; e o município, com parcerias e recursos”, reforça Sônia.

Outro ponto fundamental destacado pela reitora Sônia Fernandes é o alcance educacional dos cursos ofertados neste primeiro momento pelo IFC. “Estamos atendendo dois públicos: com o FIC, aqueles que não tiveram acesso à escola regular; e, com a pós-graduação, aqueles que buscam aprofundar os conhecimentos”, finaliza ela.

Acompanharam, ainda, a reunião e assinatura do acordo, as seguintes autoridades: Vereador de Campo Erê, Ademar Alberton; presidente da Associação Empresarial de Campo Erê, Cedir Begnini; e Nelson Tressoldi, representante da Assistência Social de Campo Erê.

Municípios atendidos pelo CVT

  1. Campo Erê

  2. Saltinho

  3. Santa Terezinha do Progresso

  4. São Bernardino

  5. São Lourenço do Oeste

  6. Novo Horizonte

  7. Anchieta

  8. Palma Sola

  9. Romelândia

  10. Serra Alta

  11. Bom Jesus do Oeste

  12. Maravilha

  13. São Miguel da Boa Vista

  14. Tigrinhos

  15. Guaraciaba

  16. São José do Cedro

  17. São Miguel do Oeste

  18. Descanso

  19. Barra Bonita

Confira mais informações sobre Campo Erê em http://www.campoere.sc.gov.br/

*Texto e fotos: CECOM/Reitoria.

Compartilhar Facebook Compartilhar Twitter

Esta notícia foi editada na quarta-feira, 29 de junho de 2016, às 15:53 por Nicole Trevisol.

Últimas notícias: