Brasil – Governo Federal – Ministério da Educação

#EspecialEvasão: Alunos abrem workshop com apresentações culturais

mesa-redonda_1“Mesmo que não possamos adivinhar o tempo que virá, temos ao menos o direito de imaginar o que queremos que seja…”. Ao declamar o poema O Direito ao Delírio, de Eduardo Galeano, o aluno Vinícius Rutes Henning abriu o III Workshop Nacional sobre a Evasão na Educação Profissional Técnica e Tecnológica, na manhã de quinta-feira (6/10), no Instituto Federal Catarinense (IFC) – Campus Camboriú. Depois do poema, as alunas Annik e Letícia apresentaram as músicas “América menina”, de Louise e Daniel Lucena; e “Por onde andei”, de Nando Reis.

A pró-reitora de ensino do IFC, Josefa Surek de Souza, elogiou os estudantes pelas apresentações: “Isso é um pouco do reflexo da nossa instituição, que privilegia o espaço para ações culturais, de lazer, pesquisa e extensão, ou seja, a formação integral dos alunos”. Ela ainda desejou um evento rico em conhecimento, estudos e experiências. “Que possamos subsidiar nosso trabalho com vistas à institucionalização de ações, que fomentem a permanência dos nossos estudantes com êxito”.

O professor Rogério de Mesquita Teles, que representou a presidente da Rede de Pesquisa Ibero-americana sobre Educação Profissional e Evasão Escolar (RIMEPES), Rosemary Dore, lembrou como o workshop, que está em sua terceira edição, foi idealizado. “Este evento surgiu da inquietação de servidores, professores e pesquisadores sobre este tema tão complexo que é a evasão escolar. Nosso objetivo é o compartilhamento e a troca de experiências”.

Em seu discurso, o diretor-geral do Campus Camboriú, Rogério Luís Kerber, destacou que o Brasil, depois de escalar três posições no Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), de 2009 a 2014, desceu um degrau em 2015. “Ocupamos, hoje, a 75ª posição mundial, em um índice que, dentre outras coisas, considera o grau de escolaridade da população adulta. Sabemos que diversos fatores contribuem para a permanência e o êxito de um estudante no curso profissionalizante, por isso, momentos como estes são fundamentais para suprirmos e minimizarmos esses porcentuais”, observou.

A reitora do IFC, Sônia Regina de Souza Fernandes, reforçou que, para além do aspecto pedagógico, outros fatores contribuem para a evasão. “Não podemos esquecer a nossa herança desigual: a concentração de renda. Dos nossos jovens que estão no ensino médio, muitos precisam trabalhar. Os nossos alunos de licenciatura também são trabalhadores e estudantes. São aspectos que temos de levar em conta para que possamos contribuir para a permanência e o êxito dos nossos jovens e adultos no contexto da educação”.

O evento foi organizado pela RIMEPES e sediado pelo IFC Campus Camboriú. O workshop reuniu pesquisadores de vários estados do país para discutir a evasão escolar e apresentar pesquisas já realizadas ou em andamento sobre a problemática na Educação Profissional com relação ao acesso, permanência e êxito do estudante.

*Texto e fotos: Gisele Silveira – Jornalista (JP4506/SC)/Cecom Blumenau.

Compartilhar Facebook Compartilhar Twitter

Esta notícia foi editada na terça-feira, 11 de outubro de 2016, às 21:10 pela Coordenação-Geral de Comunicação (Cecom).

Últimas notícias: