IFC realiza atividades pelo Dia Internacional da Mulher

Comemorado em 8 de marA�o, o Dia Internacional da Mulher foi marcado por diversas atividades no IFC durante a semana. Desde o inA�cio do mA?s, foram veiculadas pelo SIG, na Reitoria, mensagens em alusA?o A� data. Material foi preparado pela Cecom a pedido da equipe de GestA?o de Pessoas.

Santa Rosa do Sul: TambA�m em antecipaA�A?o A� data, o IFC Campus Santa Rosa do Sul, por meio da CoordenaA�A?o-Geral de ExtensA?o, esteve presente na AA�A?o Social Mulher Cidadania, voltada A�s mulheres, com diversos serviA�os gratuitos e informaA�A�es, realizada na Rua Coberta, em Jacinto Machado, pela Prefeitura Municipal e em parceria com outras instituiA�A�es, no dia 2.

IFC esteve como parceiro no evento e montou um estande com os produtos feitos por sua agroindA?stria, distribuindo mudas de plantas frutA�feras nativas ao pA?blico, tornando conhecidas as espA�cies cultivadas a partir de um projeto existente em parceria com o Sicoob Credija.

Durante a tarde, foi abordado um assunto muito sA�rio: a violA?ncia domA�stica. O pA?blico ficou atento A�s orientaA�A�es da agente de polA�cia da DPMCAMI (Delegacia de ProteA�A?o A� CrianA�a, Adolescente, Mulher e Idoso) de AraranguA?, MA?rcia Cristiane Nunes Scardueli. a�?Precisamos falar do assunto, para que as mulheres tenham as informaA�A�es necessA?rias sobre os meios de se defendera�?, reforA�ou.

Na aA�A?o social, foram distribuA�das mudas e brindes, e oferecidos serviA�os de beleza (limpeza de pele, maquiagem sobrancelha, unha etc.), serviA�os na A?rea da saA?de (aferiA�A?o de pressA?o e orientaA�A�es) e atendimento jurA�dico, psicolA?gico e social. O evento teve ainda a presenA�a do A?nibus lilA?s do Programa Mulher Viver Sem ViolA?ncia, da Coordenadoria da Mulher da Secretaria de AssistA?ncia Social, Trabalho e HabitaA�A?o.

Brusque: Em alusA?o ao Dia Internacional da Mulher, o IFC Brusque realizou, na terA�a-feira (6), uma mesa-redonda proferida por Marlina Oliveira, coordenadora pedagA?gica da rede municipal de Brusque e militante do movimento feminista negro, e Rafaela Felipe Kohler, representante do Coletivo Feminista a�?Maria Vai com as Outrasa�� (coletivo feminista de Brusque), sobre o tema a�?Mulheres e Feminismo em Movimentoa�?. a�?O objetivo foi refletir sobre as lutas e reivindicaA�A�es feministas/das mulheres na atualidade, porque essas lutas sA?o uma expressA?o da demanda histA?rica das mulheres pela consolidaA�A?o e ampliaA�A?o de seus direitosa�?, explicou Vanessa Coelho dos Reis, assistente social do Campus Brusque e organizadora do evento.

AlA�m desse evento, no decorrer da semana, diversas abordagens sobre o Dia Internacional da Mulher foram realizadas pelos professores em sala de aula nas disciplinas de LA�ngua Portuguesa e HistA?ria, com estudantes do ensino mA�dio integrado aos cursos tA�cnicos.

Reitoria: Na Reitoria, foi realizado, na tarde do dia 8, um cafA� de integraA�A?o entre todos servidores, no mezanino. Na oportunidade, a reitora SA?nia Regina de Souza Fernandes destacou alguns dos desafios das mulheres no mercado de trabalho, inclusive na Rede Federal. a�?Das 41 instituiA�A�es que compA�em a Rede Federal, apenas 8 tA?m mulheres no cargo de reitora. Ainda existe uma resistA?ncia em aceitar que a mulher tem potencial para a gestA?oa�?, apontou.

Na ocasiA?o, servidores participaram da palestra “Como percorrer o caminho de volta a quem vocA? A�”, com Janine Scheffer, coach, terapeuta e empreendedora. A palestrante trabalha em suas apresentaA�A�es a a�?Jornada da HeroA�naa�?, a qual trata de como trilhar a jornada do empoderamento feminino sem cair nas armadilhas da vitimizaA�A?o diante de uma sociedade que A� reconhecidamente androcA?ntrica, patriarcal e machista. Mulheres e homens foram convidados a refletir sobre empoderamento, amor prA?prio e escolhas para alcanA�ar seus objetivos.

CamboriA?: Para marcar o Dia Internacional da Mulher, o IFC CamboriA? realizou um cafA� da tarde, para homenagear as servidoras, profissionais terceirizadas e estagiA?rias do campus, no dia 8. Logo apA?s, todos foram convidados a participar da palestra sobre a�?ViolA?ncia contra as mulheresa�?, ministrada pelo psicA?logo da Delegacia de PolA�cia de CamboriA?, Gustavo do Rego Barros Brivio.

Na palestra,A�o psicA?logo da Delegacia de PolA�cia de CamboriA?, Gustavo do Rego Barros Brivio, questionou a plateia: a�?Quem nunca ouviu a frase ‘em briga de marido e mulher, nA?o se mete a colher’?a�?. Famoso, o ditado soa como uma recomendaA�A?o de nA?o interferirmos na vida alheia. Mas atA� que ponto devemos agir assim? De acordo com o psicA?logo, precisamos sempre estar atentos a qualquer indA�cio de violA?ncia a�� seja fA�sica ou emocional a�� e temos o dever de denunciar, para que o Estado tome as medidas cabA�veis.

O psicA?logo aproveitou para ressaltar que o senso comum sugere que a violA?ncia contra mulher estA? presente somente nas classes desfavorecidas socialmente. a�?Isso nA?o A� verdade, pois podemos verificar que a ‘Maria da Penha’, que originou a criaA�A?o da Lei, e o marido sA?o pessoas com formaA�A?o em ensino superior (bioquA�mica e professor universitA?rio) e possuem boas condiA�A�es de vida.

Na oportunidade, Gustavo falou sobre a criaA�A?o da Lei Maria da Penha e destacou os dados brasileiros sobre violA?ncia contra a mulher. a�?No Brasil, 70% dos casos de violA?ncia sA?o cometidos por homens com quem a mulher mantA�m qualquer tipo de relaA�A?o de afeto. Os casos de estupro sA?o alarmantes: temos um a cada 11 minutos. Se fizermos essa conta, sA? atA� o final da palestra teremos atingido de 4 a 5 estupros no paA�sa�?, frisou.

SA?o Bento do Sul: Nos dias 8 e 9, o IFC SA?o Bento do Sul realizou a I Semana Feminista, com oficinas, atividades culturais e um debate com o Coletivo Feminista Mulheres em Movimento a�� MUV a��, de SA?o Bento do Sul. Na parte da tarde, alunos e servidores participaram das Oficinas a�?Gravura em LinA?leoa�?, comandada pelo programador visual do Campus SBS, Leandro Machinicki Altaniel, e tambA�m da oficina a�?Machismo na Linguagema�?, com a professora de PortuguA?s do IFC Ana Paula Pereira Vilella.

A� noite, no auditA?rio, a estudante Duda, da Escola Roberto Grant, apresentou um rap composto por ela em homenagem a todas as mulheres e suas lutas. Na ocasiA?o, as alunas, de cursos de graduaA�A?o do IFC SBS, Adaiane, Naime, Sara, Alessandra e Milena tambA�m falaram sobre suas experiA?ncias de resistA?ncia e luta contra o machismo, principalmente no meio acadA?mico. A abertura contou ainda com uma mesa de debate composta pelas integrantes do MUV: Barbara, Carolina, Cassiana, Luiza e Simoni, que trouxeram o tema: histA?ria, conquistas e desafios.

No campus tambA�m foram expostas frases machistas e ofensivas que as mulheres tA?m de escutar diariamente. As frases foram contribuiA�A�es dos integrantes do Instituto, que as escreveram durante o mA?s de fevereiro. Excertos com o teor de luta e resistA?ncia, escritas pelas alunas na oficina a�?Machismo e Linguagema�?, tambA�m foram expostos no campus.

arguing essay, lioresal reviews.

No dia 9, aconteceram as oficinas: a�?HistA?ria do(s) Feminismo(s)a�?, com as professoras Maria Gisele Peres e Rosana Cuba, e a�?GA?nero e Sexualidadea�?, com a UNA LGBT SA?o Bento do Sul e o Coletivo Feminista Ana Montenegro. Foi ainda exibido, durante a noite, com organizaA�A?o do IFCine do Campus SBS, o curta-metragem a�?Quem matou EloA?a�?, de LA�via Perez, e, posteriormente, foi realizado um debate com o Coletivo Ana Montenegro.

Texto: Cecom/Reitoria /A�Rosiane MagalhA?es | Jornalista / JP 12.715/MG (com informaA�A�es das Cecoms dos campi).

Deixe uma resposta