Brasil – Governo Federal – Ministério da Educação

IFC Videira realiza fase local da Mostra Brasileira de Foguetes

Mostra-Foguetes1No dia 25 de abril, o lugar onde futuramente será o Parque de Exposições, na cidade catarinense de Iomerê, transformou-se no cenário ideal para o lançamento de foguetes, realizado durante a fase local da Mostra Brasileira de Foguetes. Os protótipos produzidos por alunos do ensino médio integrado do Instituto Federal Catarinense Câmpus Videira eram de garrafas PET. Deixando um lindo rastro de espuma, os foguetes decolavam para chegar o mais longe possível. A subida acontece devido ao gás produzido com a reação química entre vinagre e bicarbonato de sódio, expelindo violentamente o líquido para trás e, consequentemente, o foguete para frente (lei da ação e reação de Isaac Newton). Foram 160 voos dos quais vários ultrapassaram os cem (100) metros, fato que orgulhou estudantes, familiares e espectadores que torciam pelas suas equipes: “Tivemos a satisfação de ver um foguete atingindo 387,1 metros de distância”.
Este ano as equipes superaram as expectativas, pois estavam bastante motivadas em função do 3º lugar conquistado na fase nacional em 2014. Adquiriram experiência no desenvolvimento dos foguetes e, por isto, se sentiram seguras. Até alcançar voo, são inúmeros testes. “O aperfeiçoamento acontece durante as tentativas”, revelou o professor de física do IFC, Jaquiel Fernandes, coordenador da atividade. O destaque deste ano ficou com a equipe Suko de Uva , composta pelos alunos Carlos Vitor Deon, Jean Carlo Olivo Menegatt e Thainan Benetti. Um belo voo do foguete Tucundová atingiu a distância de 387,1 metros, superando o recorde nacional de 333 metros obtido no ano passado pela equipe do Colégio Uirapuru da cidade de Sorocaba-SP. A exemplo do ano passado, após a realização de uma prova, a equipe destaque na fase local de cada instituição participante será convidada para a IV Jornada de Foguetes, na cidade de Barra do Piraí, estado do Rio de Janeiro, onde fará o lançamento de seu foguete perante uma comissão julgadora. Os melhores receberão um troféu e poderão ganhar uma das 70 bolsas de Iniciação Científica Júnior, com duração de um ano.
Os alunos Jean e Thainan participam da competição desde 2013, e nesta edição trouxeram Carlos para a equipe. Os vencedores ressaltaram que foi preciso muito esforço e trabalho em equipe para alcançarem este resultado e que, diante das dificuldades, voltavam o pensamento para a vontade de vencer, e logo estavam novamente trabalhando. Foram três meses de testes que felizmente valeram muita a pena.
Sobre o evento
A iniciativa faz parte da Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA) e da Mostra Brasileira de Foguetes, que são organizadas anualmente pela Sociedade Astronômica Brasileira (SAB) em parceria com a Agência Espacial Brasileira (AEB).
Durante o trabalho, os participantes aprendem e colocam em prática a Lei Física da Ação e Reação, de Isaac Newton. Para isso, é utilizado um combustível feito a partir da mistura de vinagre com bicarbonato de sódio (fermento em pó). Além de elaborarem os foguetes, os estudantes constroem a base de lançamento. Ao final da OBA e da MOBFOG, todos os alunos recebem um certificado de participação impresso com o seu nome e com a informação se ganhou alguma medalha (o tipo dela também consta do certificado). Todos os professores envolvidos no processo e também os diretores escolares recebem os seus certificados.
Mostra-Foguetes6 Mostra-Foguetes5 Mostra-Foguetes4 Mostra-Foguetes3
* Texto e fotos: CECOM/Videira.
Compartilhar Facebook Compartilhar Twitter

Esta notícia foi editada na quinta-feira, 14 de maio de 2015, às 17:06 por Nicole Trevisol.

Últimas notícias: