Brasil – Governo Federal – Ministério da Educação

Luzerna compartilha resultados de projeto de Extensão sobre suicídio

Na noite do dia 17 de agosto de 2017, no Auditório Afonso Dresch, na Unoesc, foi realizada uma mesa-redonda com a temática Uma visão interdisciplinar do suicídio. O evento contou com a participação de cerca de 300 pessoas, sendo o público formado por estudantes dos cursos de Medicina, Psicologia, Enfermagem e egressos de vários cursos da área da saúde da Unoesc, além de alunos e colaboradores do IFC Campus Luzerna.

O coordenador de extensão do Campus Luzerna, Roberto Carlos Rodrigues, comemorou o sucesso da mesa-redonda: “Foi uma grande noite, em que tivemos um encontro multidisciplinar com vários profissionais de diferentes áreas. O IFC Campus Luzerna, através do fomento desse projeto de extensão, demonstra para a sociedade que estamos atentos às diversas necessidades da região em diversas áreas, não somente nas áreas das tecnologias”.

Cavalcante, professor de sociologia do IFC Campus Luzerna, destaca que o evento superou as expectativas de público no espaço da Unoesc. “O projeto sobre o fenômeno suicídio na região meio-oeste catarinense mostrou, por meio de dados estatísticos, a necessidade de se rediscutir, urgentemente, nos municípios pesquisados, uma política pública de prevenção do suicídio”. De acordo com o professor, o projeto foi muito importante para o Instituto, já que mostrou que o foco da instituição não é apenas em tecnologia e automação, fazendo-se ensino, pesquisa e extensão, também, nas áreas de Humanidades. Portanto, o resultado desse trabalho, tanto na mídia, quanto nos eventos regionais (mesa-redonda, encontros, mostra científica, etc) foi extraordinário no sentido da divulgação positiva do Campus regionalmente, enfatizou o professor Cavalcante.

A coordenadora do curso de Psicologia da Unoesc, Scheila Beatriz Sehnem, comemora o sucesso do evento: “A prevenção começa sempre pela desmistificação e esse evento corroborou com esse processo”. A professora Scheila ainda destaca que precisamos aprender a trabalhar de forma multidisciplinar, uma vez que muitos profissionais ainda possuem muita resistência a este tipo de trabalho, dificultando o entrosamento das ciências. Segundo ela, esse tipo de atividade demonstra aos acadêmicos que a multidisciplinaridade é possível e que, dessa forma, a ciência se fortalece. Com relação à temática, comenta que ainda há muito medo de se falar sobre o suicídio e a promoção de atividades como essa, ajuda a combater esses tabus, consequentemente auxiliando na prevenção desse, que é um grave problema de saúde pública.

*Texto: Campus Luzerna, por Roberto Carlos Rodrigues | Assistente de Alunos.

**Imagens: Divulgação/Luzerna.

Compartilhar Facebook Compartilhar Twitter

Esta notícia foi editada na terça-feira, 29 de agosto de 2017, às 13:49 pela Coordenação-Geral de Comunicação (Cecom).

Últimas notícias: