Brasil – Governo Federal – Ministério da Educação

Napne informa: implantes cocleares

Pacientes com deficiência auditiva severa e profunda não conseguem ouvir nada ou, se ouvem, são apenas ruídos. Nesses casos, os aparelhos auditivos não funcionam, porém há a alternativa do implante coclear, o qual consiste na colocação de uma prótese dentro da cóclea (parte interna do ouvido), por meio de uma cirurgia, e outra presa ao redor da orelha (composta pela antena e o processador de fala). O aparelho capta os sons e os transfere diretamente para o nervo auditivo, possibilitando que o paciente comece a ouvir, gradativamente.

Por ser um dispositivo de alta complexidade, a cirurgia e a reabilitação do paciente são feitas somente em hospitais credenciados pelo Ministério da Saúde. Segundo o Coordenador do Setor de Implante Coclear do Hospital Universitário de Brasília (HUB), André Luiz Sampaio, depois de todas as avaliações, o paciente recebe o aparelho gratuitamente, pelo SUS.

A cirurgia é apenas uma das etapas do processo de reabilitação auditiva. Depois de 30 e 40 dias da realização da cirurgia, o paciente retorna e faz a ativação do aparelho, momento em que este é ligado, e o paciente passa começa a ouvir os primeiros sons. André Luiz Sampaio relata que o processo de reabilitação é realmente longo e que os pacientes voltam com muita frequência ao hospital onde receberam o implante coclear. Em média, após a ativação, o paciente fica em acompanhamento por três anos, isso porque as habilidades auditivas são essenciais para desenvolver a fala, já que os pacientes que nunca ouviram antes precisam aprender o novo tipo de linguagem.

*Fonte: http://pessoascomdeficiencia.com.br/site/2016/11/03/implantes-cocleares-podem-ser-colocados-gratuitamente-pelo-sus/

**Texto: Napne/Reitoria.

Compartilhar Facebook Compartilhar Twitter

Esta notícia foi editada na terça-feira, 20 de dezembro de 2016, às 16:47 pela Coordenação-Geral de Comunicação (Cecom).

Últimas notícias: