Brasil – Governo Federal – Ministério da Educação

NAPNE informa: Uso de terapias alternativas para o TDAH

90ed19fa-e37b-44ec-889b-707c90675926De acordo com uma pesquisa realizada por Paiva, Zagonel, Arouck e Silva (2011) sobre o uso da música no tratamento do TDAH, técnicas da musicoterapia têm sido utilizadas como auxiliares nesse transtorno, por prescindirem de palavras.

Tal pesquisa acompanhou 6 (seis) alunos com TDAH, durante 6 meses, para os quais os encontros musicais serviram como terapia alternativa àquelas tradicionais para hiperativos e como meio de sensibilizá-los musicalmente e fazê-los perceber que a disciplina que conseguiram nesses encontros poderia ser utilizada para outras questões da vida, inclusive para potencializar o rendimento escolar.

De acordo com os pesquisadores, após 6 meses, verificou-se uma melhoria na autoestima das crianças decorrente da participação das atividades musicais: “o fato de conseguirem seguir comandos e obedecer a regras foi um fator que lhes deu mais confiança em si mesmas, o que se refletiu em outros campos”.

Para os autores, ao trabalhar com atividades musicoterápicas com crianças com TDAH, o grande ganho para o desenvolvimento escolar se dá à medida que o aluno se interessa pelas atividades, pois começa a seguir comandos, e, a cada acerto, torna-se mais motivado, aumentando sua autoconfiança. De acordo com os resultados da pesquisa, os 6 (seis) alunos acompanhados apresentavam, em no seu histórico escolar, notas baixas, e, em alguns casos, a aprovação ocorria por critérios diferenciados, já que não conseguiam realizar provas como as demais crianças. Após o trabalho musical, apenas 1 (um) aluno foi reprovado; 1 (um) passou para o ano seguinte, ainda por avaliação diferenciada; e os demais foram avaliados normalmente e passaram de ano. Segundo os autores, os pais reiteraram progressos das crianças no convívio social com a família e os amigos.

Desse modo, podemos inferir que o tratamento para este tipo de transtorno não está apenas na medicina alopática, visto que se pode fazer uso de terapias alternativas e de formas não convencionais de ensino e tratamento para a busca de melhores resultados e melhoria na qualidade de vida.

Fonte: http://meloteca.com/pdf/musicoterapia/a-musica-como-recurso-para-a-aprendizagem-do-aluno-hiperativo.pdf

Texto: NAPNE/IFC.

Imagem: Ilustração por Freepik.com

Compartilhar Facebook Compartilhar Twitter

Esta notícia foi editada na terça-feira, 29 de março de 2016, às 17:19 pela Coordenação-Geral de Comunicação (Cecom).

Últimas notícias: