Estudantes do IFC Araquari conquistam troféu na Jornada Brasileira de Foguetes

Temos dois viajantes espaciais estudando no Instituto Federal Catarinense Campus Araquari… ou “quase” isso. Estamos falando dos dois projetistas com ótimos resultados em seu foguete experimental da 12ª Mostra Brasileira de Foguetes (MOBFOG) que aconteceu entre as atividades de Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA).

A MOBFOG foi realizada entre os dias 22 e 26 de outubro de 2018, na cidade de Barra do Piraí, no estado do Rio de Janeiro. De acordo com a dinâmica do evento todas as equipes classificadas são divididas em cinco diferentes turmas, com a participação de estudantes desde o primeiro ano do ensino fundamental e até o último ano do ensino médio, tanto de escolas públicas, quanto de instituições privadas, divididos em quatro níveis distintos.

No último ano foram mais de 94 mil inscritos para a mostra. Seguindo a mesma tendência em 2018, com esta grande quantidade de concorrentes, os alunos Brenon Paul e João Pedro Aguiar da Conceição, do Curso Técnico em Informática integrado ao Ensino Médio, conquistaram o vice-campeonato brasileiro em sua categoria, com um foguete construído com uma base de canos de PVC.

Apenas os foguetes que atingiram mais de 100 metros foram convidados para o evento no Rio de Janeiro, do qual participaram outras 45 equipes na turma em que os estudantes do IFC Araquari estiveram. Na Mostra aconteceram os lançamentos de foguetes, sendo verificados os melhores e como as equipes fizeram para obter aquele resultado. Durante os quatro dias de evento todas as equipes apresentam sua base e estrutura do foguete, análise da reação química  que usou, entre outras particularidades.

A construção e o lançamento do foguete

A Mostra Brasileira de Foguetes (MOBFOG) é uma olimpíada experimental que consiste em construir e lançar foguetes, a partir de uma base de lançamento, o mais distante possível – com a metragem contada horizontalmente. O melhor lançamento do foguete de Brenon e João, durante o evento, alcançou 119,70 metros.

A construção do foguete dos estudantes teve uma base de canos PVC. Eram misturados água com bicarbonato de sódio e então colocado na base; já no foguete – construído a partir do estudo de aerodinâmica dos próprios alunos, era colocado vinagre. Brenon e João criaram um sistema em que a reação realizada pela água e o bicarbonato, complementada pelo vinagre, só acontecia depois que a base fosse agitada. A partir disso a pressão era monitorada por um manômetro, até o momento certo para lançar.

“Para nos prepararmos para o evento, realizamos teste e mais testes, sempre corrigindo os defeitos ou melhorando o que podia ser melhorado” relata Brenon, que iniciou em 2017 no IFC Araquari e sempre teve interesse por áreas como astronomia e física. Depois de meses de trabalho e um excelente resultado o aluno mantém-se otimista e motivado, explicando que “Neste ano ficamos como vice-campeões da MOBFOG, porém pretendemos retornar no próximo ano e ganhar a medalha de campeão, pois queremos sempre melhorar e dar orgulho ao nosso colégio”.

A experiência dos estudantes

O orgulho, que já voa alto, é compartilhado com a antiga professora de física, Taline Kruger, que apresentou o evento aos alunos. Porém, o grande apoiador e orientador deste projeto foi o professor Emerson Luiz Lapolli, hoje docente no IFC campus de Abelardo Luz, que organizou e participou de todo o processo, tanto de construção como da apresentação do foguete.

Desde que a antiga professora falou sobre o evento, os alunos se empenharam em estudos e pesquisas sobre foguetes e toda a área da astronáutica. “Achamos que representar o IFC Araquari em uma competição de nível nacional seria uma oportunidade irrecusável, de fato o desafio e a dificuldade envolvidas nos estimularam a buscar o conhecimento”, contou Brenon.

O estudante reflete que eventos como este são espaços para mostrar que as instituições de ensino estão dando bons frutos e extrapolando os muros da escola, do estado e, quem sabe, futuramente do país. Brenon e João ainda comentam que “Esta premiação representa que o IFC Araquari pode ganhar espaço no cenário nacional, pois existem alunos que só esperam oportunidades como essa para poder demonstrar todo o seu potencial. Para nós mesmos foi um incentivo para toda a vida, pois vimos que nosso estudo foi recompensado, deu-nos algo concreto e que um novo fôlego na vida acadêmica”.

O evento contou com grandes nomes da astronáutica e astronomia em palestras e minicursos. Os participantes da mostra foram estimulados e ambientados ao mundo da astronáutica, ampliando a visão de toda a área da física e mergulhando de cabeça em um mundo que, para Brenon “antes parecia muito distante”.

A todos que se sentirem inspirados pela história dos estudantes Brenon e João, mais informações sobre a Mostra Brasileira de Foguetes, mais informações estão disponíveis no site: http://www.oba.org.br/site/


Texto: CECOM/Araquari – Raquel Rybandt
Imagens: CECOM/Araquari e Divulgação

IFC São Bento do Sul recebeu cerca de mil pessoas durante três dias da Micti e IF Cultura

Cerca de mil pessoas participaram das atividades da XI Mostra Nacional de Iniciação Científica e Tecnológica Interdisciplinar (Micti) e IV IF Cultura, no IFC São Bento do Sul, de 6 a 8 de novembro. Durante estes dias, na Micti foram apresentados 248 produções. Entre elas, 29 projetos de extensão e 27 de pesquisa na modalidade ampla concorrência. Outros 83 projetos de pesquisa subsidiados pelo CNPq, além de 51 trabalhos de extensão e 58 de pesquisa, indicados pelos campi. No IF Cultura foram apresentadas 50 produções artísticas: sete de dança, quatro peças de teatro, 16 números musicais, dez poesias e 13 peças de artes visuais.

Ranúzy Borges Neves, coordenadora do evento, conta que sediar a XI Micti e IV IF Cultura foi extremamente desafiador para o campus. “Apesar de reduzida, a equipe que compôs a comissão organizadora foi muito comprometida e dessa forma conseguimos superar diversas limitações. Depois de tanto empenho e trabalho e de tudo que experimentamos nesses três dias de evento, só podemos agradecer à equipe, composta por servidores e alunos, aos grupos e artistas que se apresentaram na abertura e aos palestrantes que reforçaram a mensagem que o campus quis passar durante esses três dias: de que o caminho para as mudanças e melhorias na condição de vida no Brasil passa pela valorização da educação, da ciência e da cultura. Nosso maior desejo é que como instituição sejamos cada vez mais fomentadores de projetos de ensino, pesquisa, extensão e cultura, comprometidos com a ética e respeito, no intuito de sermos pessoas melhores para a sociedade em que vivemos”, declarou a coordenadora.

Confira como foram as atividades:

IFC São Bento do Sul recebeu cerca de mil pessoas durante três dias da Micti e IF Cultura

Apresentações dos trabalhos dos estudantes na Micti foram feitas em banner e comunicação oral

Estudantes de todo o IFC mostram seus talentos artísticos no IV IFCultura

Abertura da Micti e do IFCultura é marcada por apresentações culturais e palestra de professora com pós-doutorado pela Harvard

Textos: Cecom/Reitoria – Rosiane Magalhães e Thomás Müller
Fotos: Cecom/Reitoria – Paôla F Dahlke, Rosiane Magalhães e Thomás Müller

Reitoria promove reuniões com os campi para debater Planejamento Estratégico e outras demandas

A partir desta segunda-feira (12), a Reitoria do IFC realiza uma série de reuniões e a gestão dos campi. A pauta principal é o Planejamento Estratégico do Instituto; no entanto, outros assuntos trazidos pelos campi serão debatidos nos encontros – que serão promovidos durante todo o mês de novembro.

As conferências dão continuidade ao ciclo de Visitas Técnicas realizado entre maio e setembro deste ano, durante o qual a equipe gestora percorreu todos os campi do IFC com o objetivo de prestar contas à comunidade acadêmica sobre suas atividades e promover o diálogo com os alunos e servidores.

O cronograma dos encontros é o seguinte:

12/11

  • Ibirama – 13h30min às 16h
  • Rio do Sul – 16h30min às 19h

13/11

  • Brusque: 9h às 11h30min
  • Videira: 13h30min às 16h
  • Fraiburgo: 16h30min às 19h

14/11

  • Blumenau: 9h às 11h30min
  • São Bento do Sul: 13h30min às 16h

19/11

  • Concórdia e Abelardo Luz: 13h30min às 16h e 16h30min às 19h

20/11

  • Luzerna: 13h30min às 16h

23/11

  • Camboriú: 9h às 11h30min

26/11

  • Sombrio e Santa Rosa do Sul: 13h30min às 16h e 16h30min às 19h

27/11

  • Araquari: 9h às 11h30min
  • São Francisco do Sul: 13h30min às 16h

Texto e Imagem: Cecom/Reitoria/Thomás Müller

IFC inicia pesquisas para a Política de Comunicação

O IFC está elaborando a sua Política de Comunicação, documento que estabelecerá as diretrizes de relacionamento do Instituto com os seus públicos estratégicos.

Na Política, serão definidos os valores, os objetivos, as diretrizes e as normas que orientarão o trabalho de Comunicação realizado pela instituição. Nesse processo, serão realizadas pesquisas que têm como objetivo conhecer melhor os públicos que se relacionam com o IFC, auxiliando no diagnóstico institucional.

A metodologia para o levantamento dos dados acontecerá em algumas etapas. A primeira delas será realizada de 12 a 23 de novembro de 2018, período em que estudantes, servidores, profissionais terceirizados e estagiários poderão responder às questões de um questionário. Tal levantamento é de suma importância, pois, por meio das considerações apresentadas pela comunidade interna, será possível melhorar o atendimento do IFC e potencializar a sua divulgação na sociedade.

Política de Comunicação: o que é?

Uma política de comunicação se constitui como um conjunto de princípios, diretrizes e posturas a serem adotadas pelos profissionais da área em uma determinada instituição e seu discurso deve estar alinhado ao processo de gestão e à cultura organizacional. A política terá sempre um vínculo com a história e a trajetória de uma organização, portanto. É desejável que esse conteúdo se consolide em um documento-síntese que seja de conhecimento de todos os membros da entidade. Além disso, a efetiva participação de todas as unidades e o apoio da gestão no processo são imprescindíveis para sua implementação.

No IFC, esse será o documento basilar para as atividades dos comunicadores e agentes de comunicação nos campi e na Reitoria, do qual decorrerá todo o detalhamento de ações contempladas pelos planos de comunicação, periodicamente elaborados, e nos manuais diretivos, alguns dos quais já podem ser consultados na página da Coordenação-Geral de Comunicação. Ademais, será um documento orientador para todas os servidores em suas atividades cotidianas, na medida em que abordará vários aspectos da comunicação, em sentido amplo, que se materializam nos relacionamentos estabelecidos entre os profissionais da instituição e seus públicos.

Para a coordenadora-geral de Comunicação, Rafaela Zorzetto de Camargo, a Política de Comunicação do IFC representará a revisão do paradigma da mera transmissão da informação em âmbito institucional. “Não se trata somente de construir um documento de caráter funcional, operacional, voltado apenas para os resultados. É necessária a compreensão de todo o processo comunicacional, considerando-se o contexto atual que experienciamos, dos novos veículos, da globalização, da sociedade em rede e do empoderamento dos públicos, para que seja possível, a partir dessas reflexões, rever o modelo padrão de veiculação de conteúdo e sua efetividade”, explica Rafaela.

Saiba mais

Mais informações sobre a Política de Comunicação do IFC podem ser consultadas em http://politicadecomunicacao.ifc.edu.br, e eventuais dúvidas podem ser esclarecidas pelo e-mail politicadecomunicacao@ifc.edu.br.

Estudantes, servidores, profissionais terceirizados e estagiários da instituição podem participar, até o dia 23 de novembro, da etapa de levantamento de dados, respondendo ao questionário disponível em: http://bit.ly/Pesquisas_IFC

Texto e artes gráficas: Cecom/Reitoria.

GPTER visita Laboratório de Biomecânica da UFSC

No dia 22 de outubro,  o Grupo de Pesquisa em Tecnologia, Esporte e Reabilitação – GPTER, ligado à Fábrica de Software do IFC Araquari, visitou o Laboratório de Biomecânica (Biomec) do Centro de Desportos da Universidade Federal de Santa Catarina. O GPTER possui uma relação de parceria com o laboratório para o desenvolvimento de pesquisas.

Durante a visita foram feitas demonstrações dos equipamentos mais utilizados no laboratório para análise do movimento humano, como o sistema de cinemetria 3D e a plataforma de forças, com os quais os estudantes bolsistas puderam interagir (conforme imagens abaixo).

O GPTER (dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/1334867012779659) tem interesse em desenvolver soluções tecnológicas no âmbito esportivo e da reabilitação, a fim de atingir tanto os pesquisadores destas áreas, quanto atletas e treinadores.

As linhas de pesquisa que o grupo do IFC Araquari trabalha são:
  • Soluções tecnológicas voltadas ao desempenho esportivo; e
  • Tecnologia Assistiva Paradesporto e Reabilitação.

O grupo é formado pelos servidores Jonathan Ache Dias (Líder), Joelmir José Lopes (Líder) e Nilton dos Santos Neto, além de dois alunos do Bacharelado em Sistemas de Informação – BSI.

Após a visita ao laboratório, os bolsistas do grupo, Gustavo Pires (Bolsa Interna do Campus) e Gabriel Silveira (Bolsa PIBITI-CNPQ), apresentaram seus projetos aos integrantes do Biomec. Os projetos apresentados pelos estudantes foram: “Desenvolvimento de um novo aplicativo android para avaliação do salto vertical” e “Raspbody: um protótipo de sistema para análise cinemática do movimento humano utilizando Raspberry Pi e câmeras de infravermelho”.

Após estas apresentações, o professor Jonathan ministrou, como docente convidado, a aula “Instrumentação e análise cinética para biomecânica“, durante a disciplina de Biomecânica, assistida por mestrandos e doutorandos do Programa de Pós-Graduação em Educação Física (PPGEF).

Texto e fotos: GPTER/Araquari – Jonathan Ache Dias

IFC Concórdia recebe visita técnica da APL Vale do Taquari do RS

Servidores do IFC Concórdia receberam a visita técnica Arranjo Produtivo Local (APL) de Agroindústria Familiares do Vale do Taquari do Rio Grande do Sul, no dia 23 de outubro. O objetivo da visita consiste na troca de experiências e a vivências em projetos exitosos, sendo na origem vegetal e agroindústria.

A equipe da APL é composta por Eliane Kolchinski, coordenadora do APL e vice-reitora da UERGS; Gilberto Zanatta, presidente da entidade Gestora do APL, a Faterco e presidente do STR de Encantado; Thaís Benincá, auxiliar técnica do APL e Damiani Gabiatti, coordenadora do Projeto Erva-Mate na mesa, saúde para a vida, vinculado a Faterco para acompanhamento das tratativas e 28 produtores que possuem Agroindústria no Vale do Taquari.

Com esta ênfase, o curso de Agronomia no campus, coordenado pelo professor Rudinei Exterckote, aborda os assuntos: Agrofloresta com o professor Jolcemar Ferro; Hidroponia com o professor Agostinho Rebelatto e o técnico Ivonei Shumam; Fruticultura com os professores Juliano Dutra Schmitt e Daniel Spagnol. No curso de Engenharia de Alimentos, coordenado pelo professor Rodrigo Nogueira Giovanni, são ministradas as disciplinas de Agroindústria de Leite com a técnica Fernanda Venturini; Laboratório de Cereais e Vegetais com a professora Cristiane Fagundes.

Texto e fotos: IFC Concórdia / Cristiane Aparecida Lissak
Coordenação Geral de Extensão

Cinco estudante de Araquari apresentam trabalhos em encontro internacional na Colômbia

Cinco representantes do Instituto Federal Catarinense Campus Araquari estiveram, entre os dias 23 e 26 de outubro de 2018, no Latin American & Caribbean Aquaculture 2018 (LACQUA 18), em Bogotá, na Colômbia. Os estudantes tiveram seus trabalhos selecionados para apresentação durante este que é o maior evento da América Latina, organizado pela World Aquaculture Society (WAS). Para esta edição o evento teve como mote “A aquicultura para a construção de redes de paz”.

Os estudantes que participaram do encontro latino americano foram:

Andressa Vieira de Moraes – 1º semestre do Mestrado em Produção e Sanidade Animal
Julio C. B. Rodhermel – 6º semestre do Bacharelado em Medicina Veterinária
Laura Rafaela da Silva – 6º semestre do Bacharelado em Medicina Veterinária
Marina de Oliveira Pereira – 10º semestre do Bacharelado em Medicina Veterinária
Pedro Henrique Ferro – 8º semestre do Bacharelado em Medicina Veterinária

Estes médicos e futuros médicos veterinários foram ao LACQUA representando o Laboratório de Aquicultura do IFC Araquari, bem como seus colegas que também colaboraram para a construção dos trabalhos. Quatro dos projetos contemplados para apresentação foram orientados pelo Prof.  Adolfo Jatobá e a quinta pesquisa pelo Prof. Delano Dias Schleder.

Todas as apresentações orais foram elaboradas pelos alunos, sendo quatro delas feitas em língua portuguesa e a apresentação do estudante Júlio Rodhermel em língua inglesa. Por ser um evento em nível mundial, mas dentro da América Latina, os participantes puderam escolher entre espanhol, português ou inglês. Júlio optou pelo inglês devido à universalidade do idioma, compreendido por grande número de participantes e tão utilizado por pesquisadores no mundo todo.

Segundo o estudante Pedro Ferro “Fazer pesquisa na graduação auxilia a nós, estudantes, para sairmos da zona de conforto e buscar novas soluções para os problemas dos sistemas de produção atuais, contribuindo grandemente para nossa formação pessoal e profissional.” Este foi o primeiro evento internacional que o estudante participou, e o descreveu como “uma experiência incrível e que serviu como estímulo para me empenhar e mostrar mais do IFC, a instituição que me acolheu”.

O Laboratório de Aquicultura já possui a tradição de orientar estudantes de modo a fazê-los evoluir em suas carreiras acadêmicas em eventos como o próprio LACQUA 2016, outros eventos da WAS e do Alltech Young Scientists, por exemplo. Além das carteiras universitárias, incentiva-se também a busca por um mercado de trabalho em constante expansão, como explicou o graduando Pedro, que “No LACQUA tivemos oportunidade de entrar em contato com empresas e também produtores. Ficou nítida a importância do médico veterinário e que é uma área um pouco carente desses profissionais, por serem poucos médicos veterinários a se especializarem em aquicultura”.

Aliando carreiras acadêmicas e profissionais, as pesquisas apresentadas durante o LACQUA 2018, pelos representes do IFC Araquari foram:

  • Andressa Vieira de Moraes, Marina de Oliveira Pereira, Júlio Rodhermel, Carlos Kneipp, Claudio César Ramos, Adolfo Jatobá: SUPLEMENTAÇÃO DIETÉTICA DE  BACILLUS SUBTILIS E B. AMYLOLIQUEFACIENS NA CRIAÇÃO DE ALEVINOS DE TILÁPIA-DO-NILO Oreochronis niloticus
  • Julio Cesar Bailer Rodhermel, Marina de O. Pereira, Andressa V. de Moraes, Luciano Alves, Amanda Chaaban, Adolfo Jatobá: AVALIAÇÕES IMUNOLÓGICAS, ÍNDICES ZOOTÉCNICOS E HEPATOSSOMÁTICOS EM Oreochromis niloticus SUPLEMENTADOS COM DIFERENTES CONCENTRAÇÕES DE HIDROLATO DE Curcuma longa
  • Laura Silva, Julio C. B. Rodhermel, Marina de O. Pereira, Andressa V. de Moraes, Jaqueline I. A. de Andrade, Amanda Chaaban, Adolfo Jatobá: AVALIAÇÃO DE DIFERENTES TEMPOS  E DOSES DE HIDROLATO DE Mentha villosa COMO AGENTE ANTIPARASITÁRIO PARA TILÁPIA DO NILO
  • Marina O. PereiraJulio C. Rodhermel, Andressa V. Moraes, Laura R. Silva, Adolfo Jatobá: SUPLEMENTAÇÃO DIETÁRIA DE HIDROLATO DE  Curcuma longa SOBRE HEMATOLOGIA E SOBREVIVÊNCIA DE  Oreochromis niloticus
  • Pedro Henrique Sousa Ferro, Rafael de Souza Pacheco, Fabiana Moreira, Delano Dias Schleder, Marina De Oliveira Pereira: IMUNOMARCAÇÃO DE LEPTINA E IGF-1 EM ÁCINOS HEPÁTICOS DE TILÁPIAS-DO-NILO Oreochromis niloticus  ALIMENTADAS COM Lactobacillus plantarum

Estes trabalhos representam apenas alguns daqueles que são desenvolvidos no campus Araquari, que contemplam desde estudantes do Ensino Técnico integrado ao Ensino Médio, passando pela graduação, especialização e chegando até os mestrandos da instituição. A formação verticalizada do ensino, fomentando a pesquisa, é um pontos fortes do Laboratório de Aquicultura em Araquari.

Conheça o Latin American & Caribbean Aquaculture 2018

O LACQUA 2018 aconteceu juntamente com o VIII Congresso Colombiano de Aquicultura, no Ágora International Convention Center, entre os dias 23 e 26 de outubro de 2018. O evento possui programas acadêmicos em diferentes áreas da aquicultura e uma exposição comercial com empresas nacionais e internacionais, especializadas na comercialização de insumos e serviços para o setor de aquicultura.

Durante o congresso aconteceram sessões especiais, entre as quais se destacam aquelas sobre Avanços na produção intensiva de tilápia na América do Sul – Genética, mercado, vacinas e vacinas; Protease em alimentos para animais aquáticos: uma solução para melhor economia e meio ambiente; Nutrição e ingredientes; Incubação e Gestão de Saúde. Além disso, houve uma sessão organizada pela Federación Colombiana de Acuicultores – FEDEACUA, e um espaço para a Associação Acadêmica Colombiana de Aquicultura, assim como a Associação Colombiana de Rede de Técnicos, Tecnólogos e Profissionais em Saúde da Aquicultura.

Para mais informações sobre o evento é possível acessar o site do congresso: https://www.was.org/Meetings/Default.aspx?code=LACQUA18

Para informações completas sobre a programação de apresentações de trabalhos: https://www.was.org/meetings/pdf/LacQua18BluePages.pdf

Para ter acesso ao resumo dos trabalhos apresentados no congresso: https://wasblobstorage.blob.core.windows.net/meeting-abstracts/LacQua18AbstractBook.pdf

 

Texto: Cecom/Araquari – Raquel Rybandt
Informações: www.was.org
Imagens: Pedro Ferro e Andressa Vieira

Vivências de alteridade – 2018

A “alteridade” é a capacidade de se colocar no lugar do outro na relação interpessoal, é a concepção que parte do pressuposto de que todo o ser humano social interage e interdepende do outro. Foi trabalhando este conceito, bem como aqueles relativos à Ética, Política e Direitos Humanos que dentro da disciplina de Filosofia foram promovidas atividades diferenciadas com os estudantes.

Considerando também o Dia Nacional de Luta das Pessoas com Deficiência –  em 21 de setembro, no Brasil – aproximadamente 120 estudantes do IFC Campus Araquari vivenciaram atividades relativas à alteridade. Tal atividade foi trabalhada com as turmas dos segundos anos dos Cursos Técnicos em Agropecuária e em Informática Integrados ao Ensino Médio.

As atividades vivenciadas pelos estudantes destas turmas foram as seguintes:

Assistir a um filme curto sem som e tentar identificar a narrativa e as personagens.
Buscar e mostrar documento de identidade, carteira de estudante ou outro, com utilização de apenas uma mão. Para tanto, os destros só puderam utilizar a mão esquerda e os canhotos só puderam utilizar a mão direita.
Colocar a venda nos olhos, sair da sala de aula, descer as escadas e chegar em um ponto determinado do pátio da escola.
Utilizar a venda como amarra para imobilizar as próprias pernas e voltar à sala de aula.
Escrever mensagem curta em papel e, sem usar da fala ou da escrita, utilizar da mímica para fazer com que os demais colegas identifiquem a mensagem.
Acompanhar palestra breve sobre a temática, proferida pela Senhora Carolina Beiro da Silveira,  servidora do IFC Araquari.
Socializar síntese acerca das percepções e sensibilizações provocadas pelas diferentes vivências.

Os participantes das atividades se mostraram motivados e sensibilizados ao vivenciar situações específicas relativas à audição, à visão, à fala e à mobilidade de membros superiores e inferiores. Ao serem questionados sobre as vivências, os estudantes destacaram percepções diversas e que interagem umas com as outras, por exemplo, acerca do novo, da dificuldade, do estranhamento, do diferente, do normal e do especial.

A atividade foi realizada apenas com materiais simples, como uma Smart TV, um notebook e tiras de TNT preto, e ainda assim causou reflexões muito profundas e intensas por parte dos alunos envolvidos na ação, fazendo-os perceber o mundo a sua volta e as relações de uma maneira diferente.

Texto e imagens: Leandro Kingeski Pacheco
Adaptado por: CECOM/Araquari

IFC e Secretaria Municipal de Educação promovem I Congresso Nacional de Educação de Abelardo Luz

O Instituto Federal Catarinense e a Secretaria Municipal de Educação de Abelardo Luz promoveram em setembro o 1º Congresso Nacional de Educação de Abelardo Luz – CNEAL. O evento ocorreu de 24 a 26 daquele mês e foi um marco histórico para o município, contando com 561 participantes (incluindo pessoas que não estavam inscritas, mas participaram de alguns momentos) de Abelardo Luz e outros 19 municípios: Bom Jesus, Chapecó, Clevelândia/PR, Coronel Freitas, Dionísio Cerqueira, Florianópolis, Fraiburgo, Guatambu, Ipuaçu, Ouro Verde, Palmas/PR, Passos Maia, Quilombo, Santa Terezinha, São Lourenço do Oeste, Videira, Xanxerê e Xaxim.

A programação teve início no 24 de setembro, com a cerimônia de abertura oficial. Após apresentações artísticas e pronunciamento de autoridades, foi realizada a mesa-redonda “Interculturalidade e Educação na América Latina”, proferida pela professora Cláudia Battestin (UNOCHAPECÓ – SC) e pelo professor Jorge Santos (UBA – Buenos Aires/ARG).

À tarde, houve a apresentação de trabalhos orais e a noite a apresentação de banners e finalização das apresentações dos trabalhos orais, abordando variadas temáticas do campo educacional. Estes trabalhos foram avaliados por um comitê científico que contou com a participação de 21 avaliadores, os quais são professores e professoras de diversas instituições do Brasil, contemplando os seguintes estados: Mato Grosso do Sul, Paraná, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina e São Paulo.

Ainda no primeiro dia, a noite, houve a apresentação artística da Invernada Artística do CTG Querência Farroupilha, de Abelardo Luz.

No segundo dia de atividades, dia 25/09, o evento teve continuidade com a conferência A Pedagogia Histórico-Crítica e os Movimentos Sociais Populares diante do desafio da transformação social, proferida pelo Prof. Dr. Dermeval Saviani (UNICAMP – SP). Após a conferência, houve a sessão de autógrafos.

Na parte da tarde, o evento contou com três passeios turísticos dentro do município, onde os participantes escolhiam quais dos passeios desejariam realizar. O nome dos caminhos foram: “Caminhos das Águas”, “Caminhos da História” e “Caminhos da Conquista”. Na parte da tarde, o conferencista Dermeval Saviani visitou a sede do IFC Campus Avançado Abelardo Luz.

Na noite, após apresentação cultural, o evento prosseguiu com a conferência “Para muito além dos muros que nos cercam: interdisciplinaridade, um conversar no enatuar das redes de formação”, ministrada pelo professor Tiago Dziekaniak Figueiredo (UFGD – MS). Após a apresentação, Figueiredo concedeu autógrafos e doou livros de sua organização para as escolas federal, estaduais e municipais do município de Abelardo Luz e para alguns participantes.

No último dia de evento, 26/09, Campus Avançado Abelardo Luz), após a programação artística, ocorreu a mesa-redonda “Educação Especial na perspectiva da Educação Inclusiva na Educação Básica”, com os professores Ramon Silva da Cunha (IFC Campus Videira ) Maria Adriela Noronha (IFC Campus Fraiburgo). À tarde, foi realizada a última conferência do evento, intitulada “Gênero e diversidade na escola: uma questão de Direitos Humanos no cotidiano escolar”, proferida pelo professor Everton Bandeira Martins (UFFS Campus Chapecó – SC). Após a conferência, o prefeito municipal Wilamir Cavassini, a Secretária Municipal de Educação e Coordenadora Adjunta do evento Eliane Cantele e o Diretor de Desenvolvimento Educacional e Coordenador do evento, Jorge da Cunha Dutra, realizaram a fala de encerramento do 1º Congresso Nacional de Educação de Abelardo Luz, deixando aberta a perspectiva para a realização do 2º Congresso Nacional de Educação de Abelardo Luz para o ano de 2020.

Ao longo dos três dias de Congresso, os tradutores e intérpretes de LIBRAS Ramon Cunha (IFC Campus Videira), Cristiane Lissak (IFC Campus Concórdia) e Leandra Bolsonello (APAE Abelardo Luz) participaram do evento, permitindo a inclusão e participação ativa de pessoas Surdas no evento.

Clique aqui e acesse os anais do evento.

Texto e Imagem: IFC Campus Abelardo Luz

Três editais estão com inscrições abertas no IFC

Até 25 de novembro estarão abertas as submissões para três editais no IFC. Dois deles são pela Pró-Reitoria de Extensão (Proex) e um integrado pelas Pró-reitorias de Extensão (Proex), Ensino (Proen) e de Pesquisa, Pós-Graduação e Inovação (Propi). Todos estão disponíveis aqui.

Edital nº 130/2018: tem como objetivo selecionar propostas que contribuam para o desenvolvimento e a disseminação de projetos integrados de Ensino, Pesquisa e Extensão que visem à melhoria e ao aperfeiçoamento dos arranjos produtivos, culturais e sociais locais (APLs) do estado de Santa Catarina. O edital prevê aplicação de recursos financeiros, não reembolsáveis, no valor R$ 481.500,00, e pagamento de bolsas. Período de submissão: 18/10/2018 a 25/11/2018.

Edital nº 135/2018: tem como objetivo apoiar propostas de continuidade e renovação de ações de extensão, que estejam inseridas na modalidade Programas, bem como a novas propostas de programas de extensão a serem executadas no exercício de 2019 e 2020, no âmbito da IFC. Período de submissão: 31/10/2018 a 25/11/2018.

Edital n° 136/2018: tem como objetivo apoiar a realização de projetos de promoção e/ou inovação social, realizados nos campi do IFC, a serem executadas no ano de 2019. O apoio se dará por meio de concessão de bolsas a estudantes de ensino médio ou superior, com recursos da Pró-Reitoria de Extensão. Período de submissão: 31/10/2018 a 25/11/2018.

 

 

 

 

 

 

 

Texto e artes : Proex/IFC