Reitoria promove reuniões com os campi para debater Planejamento Estratégico e outras demandas

A partir desta segunda-feira (12), a Reitoria do IFC realiza uma série de reuniões com a gestão dos campi. A pauta principal é o Planejamento Estratégico do Instituto; no entanto, outros assuntos trazidos pelos campi serão debatidos nos encontros – que serão promovidos durante todo o mês de novembro.

As conferências dão continuidade ao ciclo de Visitas Técnicas realizado entre maio e setembro deste ano, durante o qual a equipe gestora percorreu todos os campi do IFC com o objetivo de prestar contas à comunidade acadêmica sobre suas atividades e promover o diálogo com os alunos e servidores.

O cronograma dos encontros é o seguinte:

12/11

  • Ibirama – 13h30min às 16h
  • Rio do Sul – 16h30min às 19h

13/11

  • Brusque: 9h às 11h30min
  • Videira: 13h30min às 16h
  • Fraiburgo: 16h30min às 19h

14/11

  • Blumenau: 9h às 11h30min
  • São Bento do Sul: 13h30min às 16h

19/11

  • Concórdia e Abelardo Luz: 13h30min às 16h e 16h30min às 19h

20/11

  • Luzerna: 13h30min às 16h

23/11

  • Camboriú: 9h às 11h30min

26/11

  • Sombrio e Santa Rosa do Sul: 13h30min às 16h e 16h30min às 19h

27/11

  • Araquari: 9h às 11h30min
  • São Francisco do Sul: 13h30min às 16h

Texto e Imagem: Cecom/Reitoria/Thomás Müller

IFC inicia pesquisas para a Política de Comunicação

O IFC está elaborando a sua Política de Comunicação, documento que estabelecerá as diretrizes de relacionamento do Instituto com os seus públicos estratégicos.

Na Política, serão definidos os valores, os objetivos, as diretrizes e as normas que orientarão o trabalho de Comunicação realizado pela instituição. Nesse processo, serão realizadas pesquisas que têm como objetivo conhecer melhor os públicos que se relacionam com o IFC, auxiliando no diagnóstico institucional.

A metodologia para o levantamento dos dados acontecerá em algumas etapas. A primeira delas será realizada de 12 a 30 de novembro de 2018, período em que estudantes, servidores, profissionais terceirizados e estagiários poderão responder às questões de um questionário. Tal levantamento é de suma importância, pois, por meio das considerações apresentadas pela comunidade interna, será possível melhorar o atendimento do IFC e potencializar a sua divulgação na sociedade.

Política de Comunicação: o que é?

Uma política de comunicação se constitui como um conjunto de princípios, diretrizes e posturas a serem adotadas pelos profissionais da área em uma determinada instituição e seu discurso deve estar alinhado ao processo de gestão e à cultura organizacional. A política terá sempre um vínculo com a história e a trajetória de uma organização, portanto. É desejável que esse conteúdo se consolide em um documento-síntese que seja de conhecimento de todos os membros da entidade. Além disso, a efetiva participação de todas as unidades e o apoio da gestão no processo são imprescindíveis para sua implementação.

No IFC, esse será o documento basilar para as atividades dos comunicadores e agentes de comunicação nos campi e na Reitoria, do qual decorrerá todo o detalhamento de ações contempladas pelos planos de comunicação, periodicamente elaborados, e nos manuais diretivos, alguns dos quais já podem ser consultados na página da Coordenação-Geral de Comunicação. Ademais, será um documento orientador para todas os servidores em suas atividades cotidianas, na medida em que abordará vários aspectos da comunicação, em sentido amplo, que se materializam nos relacionamentos estabelecidos entre os profissionais da instituição e seus públicos.

Para a coordenadora-geral de Comunicação, Rafaela Zorzetto de Camargo, a Política de Comunicação do IFC representará a revisão do paradigma da mera transmissão da informação em âmbito institucional. “Não se trata somente de construir um documento de caráter funcional, operacional, voltado apenas para os resultados. É necessária a compreensão de todo o processo comunicacional, considerando-se o contexto atual que experienciamos, dos novos veículos, da globalização, da sociedade em rede e do empoderamento dos públicos, para que seja possível, a partir dessas reflexões, rever o modelo padrão de veiculação de conteúdo e sua efetividade”, explica Rafaela.

Saiba mais

Mais informações sobre a Política de Comunicação do IFC podem ser consultadas em http://politicadecomunicacao.ifc.edu.br, e eventuais dúvidas podem ser esclarecidas pelo e-mail politicadecomunicacao@ifc.edu.br.

Estudantes, servidores, profissionais terceirizados e estagiários da instituição podem participar, até o dia 30 de novembro, da etapa de levantamento de dados, respondendo ao questionário disponível em: http://bit.ly/Pesquisas_IFC

Texto: Kamila Caetano Almeida – Cecom/Reitoria

Artes gráficas: Poliana Souza – Cecom/Reitoria.

IFC inicia a certificação do Encceja 2018

A partir desta semana, os participantes aprovados pelo Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos – Encceja 2018, que indicaram alguma unidade do IFC para emissão da certificação, podem procurar a Coordenação de Registros Acadêmicos do campus indicado na inscrição, para solicitação do Certificado ou Declaração Parcial de Proficiência.

Antes de irem até o campus indicado, confira aqui a relação de documentos necessários para solicitar a certificação. Atenção: o IFC terá prazo de 30 dias,  partir da data do requerimento, para expedição dos documentos.

Para confirmar o horário de atendimento na Coordenação de Registros Acadêmicos, os interessados podem ligar no campus indicado. Confira aqui os contatos de todos os campi do IFC.

Serviço
Solicitação de certificação do Encceja 2018
Quando: a partir de 12 de novembro
Onde: Coordenação de Registros Acadêmicos do campus indicado
Informações: acesse aqui

Texto: Cecom/Reitoria / Rosiane Magalhães

IFC promove Concurso de Fotografia “Referências”

A Coordenação-Geral de Comunicação (Cecom/Reitoria) do Instituto Federal Catarinense (IFC) torna público o edital do Concurso de Fotografias “Referências”, que acontece por ocasião da comemoração dos 10 anos de criação dos Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia. Podem participar alunos, servidores e egressos do IFC.

Com o objetivo de estimular e desenvolver, a partir da fotografia, possíveis olhares sobre as realidades diversas e, ao mesmo tempo, singulares, de todas as unidades do IFC (campi e Reitoria), o concurso visa promover, além disso, o engajamento da comunidade interna com os propósitos da instituição por meio de uma ação que contribui para a consolidação do sentimento de pertencimento institucional.

O Instituto foi criado pela Lei Federal nº 11.892, de 29 de dezembro de 2008, esta que completa 10 anos em 2018, e teve origem na integração das escolas agrotécnicas de Concórdia, Rio do Sul e Sombrio e dos colégios agrícolas de Araquari e Camboriú, que eram vinculados à Universidade Federal de Santa Catarina. Hoje, a trajetória formativa o IFC se integra às demandas sociais e aos arranjos produtivas locais/regionais, com a oferta de cursos da educação profissional e tecnológica em diferentes níveis: qualificação profissional, educação profissional técnica de nível médio, graduação e pós-graduação. Sua história se constituiu e tem se constituído, portanto, de muita diversidade e de múltiplos olhares – fundamento em que a chamada proposta se pauta.

O termo escolhido como título do concurso – Referências – faz alusão tanto às especificidades do IFC enquanto instituição de ensino de qualidade socialmente referenciada quanto aos elementos que, na visão dos alunos e servidores, podem ser explorados, através de seus olhares, e explicitados à comunidade externa com vistas a caracterizar o Instituto perante os diversos públicos, fazendo com que a população se aproprie de referências que singularizem a instituição no meio em que esta se insere. Ou seja, as imagens feitas pelos participantes devem reproduzir aquilo que o IFC representa para aquele(a) que conduz o registro fotográfico.

Acesse o edital completo aqui: http://cecom.ifc.edu.br/concurso-de-fotografia/

Serviço

O quê? Concurso de Fotografias “Referências”

Quando? Inscrições de 09 a 20 de novembro de 2018

Onde? Site da Cecom/Reitoria

Texto: Kamila Caetano Almeida – Cecom/Reitoria

Arte gráfica: Poliana Souza – Cecom/Reitoria

GPTER visita Laboratório de Biomecânica da UFSC

No dia 22 de outubro,  o Grupo de Pesquisa em Tecnologia, Esporte e Reabilitação (GPTER), ligado à Fábrica de Software do IFC Araquari, visitou o Laboratório de Biomecânica (Biomec) do Centro de Desportos da Universidade Federal de Santa Catarina. O GPTER possui uma relação de parceria com o laboratório para o desenvolvimento de pesquisas.

Durante a visita, foram feitas demonstrações dos equipamentos mais utilizados no laboratório para análise do movimento humano, como o sistema de cinemetria 3D e a plataforma de forças, com os quais os estudantes bolsistas puderam interagir (conforme imagens abaixo).

O GPTER (dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/1334867012779659) tem interesse em desenvolver soluções tecnológicas no âmbito esportivo e da reabilitação, a fim de atingir tanto os pesquisadores destas áreas quanto atletas e treinadores.

As linhas de pesquisa com que o grupo do IFC Araquari trabalha são:
  • Soluções tecnológicas voltadas ao desempenho esportivo; e
  • Tecnologia Assistiva em Paradesporto e Reabilitação.

O grupo é formado pelos servidores Jonathan Ache Dias (Líder), Joelmir José Lopes (Líder) e Nilton dos Santos Neto, além de dois alunos do Bacharelado em Sistemas de Informação – BSI.

Após a visita ao laboratório, os bolsistas do grupo, Gustavo Pires (Bolsa Interna do Campus) e Gabriel Silveira (Bolsa PIBITI-CNPQ), apresentaram seus projetos aos integrantes do Biomec. Os projetos apresentados pelos estudantes foram: “Desenvolvimento de um novo aplicativo android para avaliação do salto vertical” e “Raspbody: um protótipo de sistema para análise cinemática do movimento humano utilizando Raspberry Pi e câmeras de infravermelho”.

Após estas apresentações, o professor Jonathan ministrou, como docente convidado, a aula “Instrumentação e análise cinética para biomecânica“, durante a disciplina de Biomecânica, assistida por mestrandos e doutorandos do Programa de Pós-Graduação em Educação Física (PPGEF).

Texto e fotos: GPTER/Araquari – Jonathan Ache Dias

IFC Concórdia recebe visita técnica do APL Vale do Taquari

Servidores do IFC Concórdia receberam a visita técnica do Arranjo Produtivo Local (APL) de Agroindústrias Familiares do Vale do Taquari, do Rio Grande do Sul, no dia 23 de outubro. O objetivo da visita consistiu  na troca de experiências e vivências em projetos entre as duas equipes.

A visita foi significativa para o compartilhamento de conhecimentos, pois, no IFC Concórdia, os professores dos cursos de Agronomia e Engenharia de Alimentos trabalham com temas de relevância para os membros do APL, com destaque para as disciplinas relativas a agrofloresta, hidroponia, fruticultura, agroindústria de leite, e uso  de cereais e vegetais.

A equipe do APL foi representada por Eliane Kolchinski, coordenadora do APL e vice-reitora da UERGS; Gilberto Zanatta, presidente da Faterco, que é a entidade gestora do APL; Thaís Benincá, auxiliar técnica do APL; e Damiani Gabiatti, coordenadora do Projeto Erva-Mate na Mesa, Saúde para a Vida, vinculado à Faterco, para acompanhamento das tratativas de 28 produtores que possuem agroindústria no Vale do Taquari.

Texto: Cecom/Reitoria
com informações de Cristiane Aparecida Lissak
Coordenação Geral de Extensão do Campus

Cinco estudantes de Araquari apresentam trabalhos em encontro internacional na Colômbia

Cinco representantes do Instituto Federal Catarinense – Campus Araquari estiveram, entre os dias 23 e 26 de outubro de 2018, no Latin American & Caribbean Aquaculture 2018 (LACQUA 18), em Bogotá, na Colômbia. Os estudantes tiveram seus trabalhos selecionados para apresentação durante este que é o maior evento da América Latina, organizado pela World Aquaculture Society (WAS). Para esta edição, o evento teve como mote “A aquicultura para a construção de redes de paz”.

Os estudantes que participaram do encontro latino americano foram:

Andressa Vieira de Moraes – 1º semestre do Mestrado em Produção e Sanidade Animal;
Julio C. B. Rodhermel – 6º semestre do Bacharelado em Medicina Veterinária;
Laura Rafaela da Silva – 6º semestre do Bacharelado em Medicina Veterinária;
Marina de Oliveira Pereira – 10º semestre do Bacharelado em Medicina Veterinária;
Pedro Henrique Ferro – 8º semestre do Bacharelado em Medicina Veterinária.

Estes médicos e futuros médicos veterinários foram ao LACQUA representando o Laboratório de Aquicultura do IFC Araquari, bem como seus colegas que também colaboraram para a construção dos trabalhos. Quatro dos projetos contemplados para apresentação foram orientados pelo professor Adolfo Jatobá e a quinta pesquisa pelo professor Delano Dias Schleder.

Todas as apresentações orais foram elaboradas pelos alunos, sendo quatro delas feitas em língua portuguesa, e a apresentação do estudante Júlio Rodhermel, em língua inglesa. Por ser um evento em nível mundial, mas dentro da América Latina, os participantes puderam escolher entre espanhol, português ou inglês. Júlio optou pelo inglês devido à universalidade do idioma, compreendido por grande número de participantes e tão utilizado por pesquisadores no mundo todo.

Segundo o estudante Pedro Ferro, “Fazer pesquisa na graduação auxilia a nós, estudantes, para sairmos da zona de conforto e buscar novas soluções para os problemas dos sistemas de produção atuais, contribuindo grandemente para nossa formação pessoal e profissional.” Este foi o primeiro evento internacional de que o estudante participou. Ele o descreveu como uma experiência incrível, que serviu como estímulo para se empenhar e mostrar mais do IFC, a instituição que lhe acolheu.

O Laboratório de Aquicultura já possui a tradição de orientar estudantes de modo a fazê-los evoluir em suas carreiras acadêmicas em eventos como o próprio LACQUA 2016, outros eventos da WAS e do Alltech Young Scientists, por exemplo. Além das carteiras universitárias, incentiva-se também a busca por um mercado de trabalho em constante expansão, como explicou o graduando Pedro: “No LACQUA tivemos oportunidade de entrar em contato com empresas e também produtores. Ficou nítida a importância do médico veterinário, e que se trata de uma área um pouco carente desses profissionais, por serem poucos médicos veterinários a se especializarem em aquicultura”.

Aliando carreiras acadêmicas e profissionais, as pesquisas apresentadas durante o LACQUA 2018, pelos representes do IFC Araquari, foram:

  • Andressa Vieira de Moraes, Marina de Oliveira Pereira, Júlio Rodhermel, Carlos Kneipp, Claudio César Ramos, Adolfo Jatobá: SUPLEMENTAÇÃO DIETÉTICA DE  BACILLUS SUBTILIS E B. AMYLOLIQUEFACIENS NA CRIAÇÃO DE ALEVINOS DE TILÁPIA-DO-NILO Oreochronis niloticus
  • Julio Cesar Bailer Rodhermel, Marina de O. Pereira, Andressa V. de Moraes, Luciano Alves, Amanda Chaaban, Adolfo Jatobá: AVALIAÇÕES IMUNOLÓGICAS, ÍNDICES ZOOTÉCNICOS E HEPATOSSOMÁTICOS EM Oreochromis niloticus SUPLEMENTADOS COM DIFERENTES CONCENTRAÇÕES DE HIDROLATO DE Curcuma longa
  • Laura Silva, Julio C. B. Rodhermel, Marina de O. Pereira, Andressa V. de Moraes, Jaqueline I. A. de Andrade, Amanda Chaaban, Adolfo Jatobá: AVALIAÇÃO DE DIFERENTES TEMPOS  E DOSES DE HIDROLATO DE Mentha villosa COMO AGENTE ANTIPARASITÁRIO PARA TILÁPIA DO NILO
  • Marina O. PereiraJulio C. Rodhermel, Andressa V. Moraes, Laura R. Silva, Adolfo Jatobá: SUPLEMENTAÇÃO DIETÁRIA DE HIDROLATO DE  Curcuma longa SOBRE HEMATOLOGIA E SOBREVIVÊNCIA DE  Oreochromis niloticus
  • Pedro Henrique Sousa Ferro, Rafael de Souza Pacheco, Fabiana Moreira, Delano Dias Schleder, Marina De Oliveira Pereira: IMUNOMARCAÇÃO DE LEPTINA E IGF-1 EM ÁCINOS HEPÁTICOS DE TILÁPIAS-DO-NILO Oreochromis niloticus  ALIMENTADAS COM Lactobacillus plantarum

Estes trabalhos representam apenas alguns daqueles que são desenvolvidos no Campus Araquari, que contemplam desde estudantes do Ensino Técnico Integrado ao Ensino Médio, passando pela graduação, especialização e chegando até os mestrandos da instituição. A formação verticalizada do ensino, fomentando a pesquisa, é um pontos fortes do Laboratório de Aquicultura em Araquari.

Conheça o Latin American & Caribbean Aquaculture 2018

O LACQUA 2018 aconteceu juntamente ao VIII Congresso Colombiano de Aquicultura, no Ágora International Convention Center, entre os dias 23 e 26 de outubro de 2018. O evento possui programas acadêmicos em diferentes áreas da aquicultura e uma exposição comercial com empresas nacionais e internacionais, especializadas na comercialização de insumos e serviços para o setor de aquicultura.

Durante o congresso, aconteceram sessões especiais, dentre as quais se destacam: Avanços na produção intensiva de tilápia na América do Sul – Genética, mercado, vacinas e vacinas; Protease em alimentos para animais aquáticos: uma solução para melhor economia e meio ambiente; Nutrição e Ingredientes; Incubação e Gestão de Saúde. Além disso, houve uma sessão organizada pela Federación Colombiana de Acuicultores – FEDEACUA, e um espaço para a Associação Acadêmica Colombiana de Aquicultura, assim como a Associação Colombiana de Rede de Técnicos, Tecnólogos e Profissionais em Saúde da Aquicultura.

Para mais informações sobre o evento, é possível acessar o site do congresso: https://www.was.org/Meetings/Default.aspx?code=LACQUA18

Informações completas sobre a programação de apresentações de trabalhos: https://www.was.org/meetings/pdf/LacQua18BluePages.pdf

Resumo dos trabalhos apresentados no congresso: https://wasblobstorage.blob.core.windows.net/meeting-abstracts/LacQua18AbstractBook.pdf

 

Texto: Cecom/Araquari – Raquel Rybandt
Informações: www.was.org
Imagens: Pedro Ferro e Andressa Vieira

Campanha Novembro Azul conscientiza os homens sobre os cuidados com a saúde

Neste mês, a saúde do homem é o objeto de diversas ações de conscientização por todo o país. É a campanha Novembro Azul – uma iniciativa que tem como objetivo mudar o paradigma dos homens em relação às visitas ao médico e ao cuidado com a própria saúde. Em especial, o movimento busca conscientizar a sociedade sobre a prevenção contra o câncer de próstata – doença que, segundo dados do Instituto Nacional do Câncer (Inca), deve ser diagnosticada em cerca de 68 mil brasileiros até o fim deste ano.

Durante o Novembro Azul, entidades e instituições de todo o país promovem atividades e eventos de conscientização contra o câncer de próstata e outros males. O desafio é fazer com que os homens percam a vergonha sobre o assunto e passem a cuidar da saúde. O câncer de próstata tem lugar de destaque nesse sentido, já que, devido a tabus antiquados da América Latina, existe entre os brasileiros medo e receio quanto ao exame de toque retal (que é a maneira mais fácil e rápida de se encontrar anormalidades na próstata); por causa disso, a detecção precoce, que aumenta as chances de um tratamento efetivo da doença, fica prejudicada. Isto é ainda mais preocupante quando se leva em conta que o câncer de próstata é, na maioria dos casos, uma enfermidade que só apresenta sintomas quando está em estágio muito avançado. O cuidado se torna mais importante a partir dos 50 anos, faixa etária a partir da qual a incidência da doença aumenta.

Além das visitas regulares a um urologista regularmente (e também os outros especialistas, para tratar de outras doenças), há algumas outras providências que podem ser tomadas para ajudar na prevenção da doença. De acordo com o Inca, uma dieta rica em frutas, verduras, legumes, grãos e cereais integrais, e com menos gordura, principalmente as de origem animal, ajuda a diminuir o risco de câncer (e também de outras doenças crônicas não-transmissíveis). Também é recomendado fazer, no mínimo, 30 minutos de atividade física por dia, manter o peso adequado à altura, diminuir o consumo de álcool e não fumar.

Você encontra abaixo alguns links com informações importantes sobre o câncer de próstata:

“Câncer de Próstata: Vamos falar sobre isso?” – cartilha do Inca sobre a doença

Página da Sociedade Brasileira de Urologia sobre o câncer de próstata

Página do Inca com informações sobre sintomas, prevenção e tratamento do câncer de próstata

A campanha – O Novembro Azul brasileiro é inspirado no “Movember” – movimento internacional dedicado à conscientização e discussão sobre a saúde masculina. O movimento surgiu na Austrália, em 2003, por ocasião do Dia Mundial de Combate ao Câncer de Próstata, celebrado em 17 de novembro. Além de ações de conscientização e arrecadação de fundos, o Movember envolve ainda o cultivo de bigodes por parte dos entusiastas da ideia (o termo “Movember” é uma associação das palavras inglesas “moustache” = bigode e “november” = novembro) como uma das maneiras de chamar a atenção para a causa.

Texto: Cecom/Reitoria/Thomás Müller
Imagem: Cecom/Reitoria/Poliana Souza

Cecom realiza capacitação sobre Mídias Sociais para servidores da Comunicação

A Coordenação-Geral de Comunicação do IFC promoveu, nos dias 30/10 e 01/11, uma capacitação sobre Mídias Sociais para os comunicadores das Cecoms de todos os campi. O workshop foi proferido pela jornalista e relações públicas Nadia Garlet, que é coordenadora de Eventos do IFSC e, atualmente, está cedida para a Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica do Ministério da Educação (Setec/MEC), na qual atua como Assessora Especial do Núcleo Estruturante da Política de Inovação da Rede Federal.

A capacitação tratou de temas como a definição de mídias sociais, as particularidades de cada uma das plataformas, a importância de sua correta utilização (incluindo a definição do público e da linguagem a ser utilizada em cada uma delas), a criação de estratégias e planejamento e as melhores maneiras de se quantificar e analisar o resultado do trabalho realizado nestes meios.

“A atividade é importante não só ponto de vista da capacitação dos nossos profissionais, que aprendem mais sobre uma ferramenta crucial para os processos modernos de comunicação”, explica a coordenadora-geral de comunicação do IFC, Rafaela Zorzetto de Camargo, “mas também por ter sido ministrada por uma servidora de um instituto federal – representando assim uma ação de troca de conhecimento e vivências dentro da própria Rede”.

Texto e Imagem: Cecom IFC/Reitoria

Vivências de alteridade acontecem no IFC Araquari

A “alteridade” é a capacidade de se colocar no lugar do outro na relação interpessoal, é a concepção que parte do pressuposto de que todo o ser humano social interage e interdepende do outro. Foi trabalhando este conceito, bem como aqueles relativos à Ética, Política e aos Direitos Humanos, que, dentro da disciplina de Filosofia, foram promovidas atividades diferenciadas com os estudantes.

Considerando também o Dia Nacional de Luta das Pessoas com Deficiência – em 21 de setembro no Brasil –, aproximadamente 120 estudantes do IFC Campus Araquari vivenciaram atividades relativas à alteridade. Tal ação foi trabalhada com as turmas dos segundos anos dos Cursos Técnicos em Agropecuária e em Informática Integrados ao Ensino Médio.

As atividades vivenciadas pelos estudantes destas turmas foram as seguintes:

  • Assistir a um filme curto sem som e tentar identificar a narrativa e os personagens.
  • Buscar e mostrar documento de identidade, carteira de estudante ou outro, com utilização de apenas uma mão. Para tanto, os destros só puderam utilizar a mão esquerda, e os canhotos só puderam utilizar a mão direita.
  • Colocar a venda nos olhos, sair da sala de aula, descer as escadas e chegar a um ponto determinado do pátio da escola.
  • Utilizar a venda como amarra para imobilizar as próprias pernas e voltar à sala de aula.
  • Escrever mensagem curta em papel e, sem usar da fala ou da escrita, utilizar da mímica para fazer com que os demais colegas identifiquem a mensagem.
  • Acompanhar palestra breve sobre a temática, proferida pela senhora Carolina Beiro da Silveira,  servidora do IFC Araquari.
  • Socializar síntese acerca das percepções e sensibilizações provocadas pelas diferentes vivências.

Os participantes das atividades se mostraram motivados e sensibilizados ao vivenciar situações específicas relativas à audição, à visão, à fala e à mobilidade de membros superiores e inferiores. Ao serem questionados sobre as vivências, os estudantes destacaram percepções diversas e que interagem umas com as outras, por exemplo, acerca do novo, da dificuldade, do estranhamento, do diferente, do normal e do especial.

A atividade foi realizada apenas com materiais simples, como uma Smart TV, um notebook e tiras de TNT preto, e, ainda assim, causou reflexões muito profundas e intensas por parte dos alunos envolvidos na ação, fazendo-os perceber o mundo a sua volta e as relações de uma maneira diferente.

Texto e imagens: Leandro Kingeski Pacheco
Adaptado por: Cecom/Araquari