Brasil – Governo Federal – Ministério da Educação

Projeto Café com Segurança recebe cadeirantes para debater acessibilidade

Todos os meses, o projeto Café com Segurança traz um tema diferente para ampliar o olhar dos futuros técnicos em Segurança do Trabalho que estão sendo formados pelo Instituto Federal Catarinense (IFC) – Campus Videira. Na última edição do evento, realizada em 26 de outubro, o curso recebeu dois convidados cadeirantes que compartilharam suas experiências sobre acessibilidade e mobilidade.

Angelo Manenti, da cidade de Arroio Trinta, compartilhou sua história de perseverança na luta pelo direito de ir e vir com dignidade. Angelo nasceu com uma doença rara que afetou seu crescimento e impossibilitou-o de andar. Apoiado por sua família, ele conta que sempre estudou, frequentou a escola, fez curso superior e trabalhou normalmente. No entanto, relata que as dificuldades sempre foram presentes, porque os espaços físicos normalmente não estão preparados para inclusão.

Rafael Prigol também compartilhou sua história com os presentes. Atualmente vereador na cidade de Videira, Rafael era caminhoneiro quando, há 9 anos, ficou paraplégico após um mergulho em que bateu a cabeça. De lá para cá, ele e toda a família precisaram se adaptar para conviver com a nova realidade. Rafael conta que sua casa não era adaptada para cadeirantes, pois ele, assim como a maioria das pessoas, nunca se imaginou nesta situação.

Em comum, no relato dos dois convidados, está o fato de ambos lidarem com o desconhecimento das pessoas sobre o tema. Os locais não estão preparados e, muitas vezes, há apenas uma “falsa ideia de acessibilidade”. Rampas com inclinação errada, portas estreitas, pias e balcões muito altos, e até vagas de estacionamento em locais inapropriados são apenas alguns exemplos.

Para os cadeirantes, é certo que falta sensibilização da sociedade quanto ao tema, pois as pessoas estão alheias às dificuldades enfrentadas por eles e só conseguem compreender, de fato, quando um amigo ou familiar adquire essa condição. Por isso, ações que colaborem para dar visibilidade ao assunto são essenciais para a transformação deste cenário.

Fonte: Cecom/Videira.

 

Compartilhar Facebook Compartilhar Twitter

Esta notícia foi editada na sexta-feira, 10 de novembro de 2017, às 20:50 pela Coordenação-Geral de Comunicação (Cecom).

Últimas notícias: