Brasil – Governo Federal – Ministério da Educação

Projeto com plantas gera reflexões sobre conhecimento científico e popular no Campus Luzerna

Gengibre, macela, arruda, boldo e hortelã: esses são alguns dos ingredientes que, se misturados com doses de história e biologia, podem se transformar em um poderoso elixir de ensino, conhecimento e ciência. Prova disso é um projeto que está dando o que falar no Campus Luzerna, o projeto Botica da Natureza, sob coordenação das professoras Letícia Tramontini (biologia) e Isabel Cristina Hentz (história).

Fruto de conversas entre as duas docentes fascinadas pelo conhecimento popular, a ideia surgiu para potencializar o debate sobre plantas medicinais e conteúdos da ciência. “Iniciamos o trabalho em 2015. Ficamos um mês atuando juntas, uma entrando na aula da outra”, conta Letícia. “O Botica da Natureza é um projeto de ensino integrado entre as disciplinas de história e de biologia, realizado com as turmas dos primeiros anos do Ensino Médio Integrado do IFC, e tem por objetivo debater a botânica, ou seja, o estudo das plantas e a sua relação com a saúde, a medicina e a sociedade em diferentes momentos históricos”, diz a professora.

Os trabalhos em sala iniciaram com a reflexão, dos alunos e das professoras, sobre algumas plantas importantes para determinadas culturas. As equipes também estudaram a anatomia de cada vegetal, as diferentes partes que os compõem e como são utilizados para a cura.

“Os poderes curativos das plantas são conhecidos há muito pela humanidade. Ao longo de toda a história, os conhecimentos sobre botânica foram muito importantes para a promoção da saúde”, explica Isabel.

Assim, os alunos do IFC se debruçaram sobre diversos ingredientes como sálvia, guaco, babosa, entre outros. Nas últimas semanas, durante a III Semana Acadêmica da Segurança do Trabalho, as turmas fizeram experimentos nos Laboratórios de Biologia e de Química.

“A ideia foi de que eles compreendessem alguns porquês relacionados ao uso das plantas, como, por exemplo, a diferença entre utilizar as folhas secas ou frescas, as sementes maceradas ou inteiras, ou, ainda, uso da água quente no preparo de um chá em vez de água fria. Essas práticas fazem parte do nosso cotidiano, e, ao realizar os experimentos, conseguimos perceber a ciência que permeia o conhecimento popular”, ressalta Letícia.

A aluna Ana Carolyna Bulla, do curso Técnico Integrado em Segurança do Trabalho, diz que está achando o projeto muito interessante. “No ano passado, já tivemos a oportunidade de aprender, nas apresentações de cada equipe, muitas coisas que não sabíamos, plantas que nem tínhamos noção de toda a utilidade”, conta. “Também gostei muito dos experimentos que fizemos na Semana da Segurança do Trabalho, quando vimos a diferença exata de cada planta. Já conhecia algumas, mas não sabia de todas as propriedades que elas tinham e de como poderiam auxiliar no tratamento de alguns males.”.

O projeto finalizou com a participação dos estudantes na Wikistória, criando um Herbário Virtual com fotos das plantas, nomes científicos e populares, compostos presentes, indicações de uso medicinal, etc. Confira aqui: http://wikistoriaenciclopedia.wikidot.com/wiki:herbario-virtual-botica-da-natureza.

Veja, nas fotos abaixo, os experimentos feitos durante a Semana Acadêmica de Segurança do Trabalho.

Texto e imagens: Cecom/Luzerna.

Compartilhar Facebook Compartilhar Twitter

Esta notícia foi editada na quarta-feira, 18 de maio de 2016, às 11:18 por Nicole Trevisol.

Últimas notícias: