Brasil – Governo Federal – Ministério da Educação

Projeto Super Ação age na proteção dos direitos da criança e do adolescente

Informar e prevenir são os eixos do Projeto de Extensão Super Ação, que surgiu em 2015 por meio de ação de ensino no Instituto Federal Catarinense (IFC) – Campus Araquari e, em outubro de 2016, retornou com o objetivo de atuar no campo da defesa e proteção dos direitos da criança e do adolescente, com ações informativas e recreativas em ambientes escolares e comunitários. Envolvendo 19 estudantes que atuam como bolsistas voluntários e profissionais, tais como arte-educador, conselheiro tutelar, enfermeira, professor, biólogo, assistente social, comunicadora, pedagogo/psicanalista, o projeto permite que os envolvidos tenham a oportunidade de agir em um campo sensível que afeta milhares de jovens. “Os jovens precisam de orientação sobre esse problema, mas muitas vezes se sentem inibidos em discutir o assunto com adultos. Assim, a abordagem de jovens falando para jovens é uma estratégia de enfrentamento aos problemas de uso de drogas nesse grupo etário”, diz a estudante Jayneffer Elisa.

A proposta do coordenador do projeto Super Ação, professor Roberto Dombroski de Souza, é justamente esta: permitir que jovens falem com jovens e, por meio da sua criatividade e desenvoltura, construam mecanismos de superação dos dilemas sociais. “Aos estudantes do IFC está a responsabilidade de desenvolver ações de informação, prevenção e proteção dos direitos da criança e do adolescente, como forma de envolver a sociedade local e regional sobre os meios de enfrentamento das violências e abusos de crianças e adolescentes”, explica ele.

A criatividade, a capacidade de inovação, a energia latente e a percepção de problemas sociais entre os estudantes participantes do projeto são externalizadas à comunidade por meio de jogos temáticos, histórias em quadrinhos, cartazes, desenhos, músicas, paródias, palestras em formato de teatro e contação de história com fantoches. Essas atividades compõem o eixo 1 do Super Ação (ação informativa) e têm como público crianças, adolescentes e adultos de eventos nas escolas CEIs e espaços públicos. “As palestras têm por objetivo informar a criança e o adolescente sobre seus direitos, sobre as violências e sobre os mecanismos de denúncias”, reforça o coordenador.

Já no eixo 2 do projeto (ação preventiva), são desenvolvidas atividades recreativas para crianças e adolescentes, com o objetivo de criar momentos de brincadeiras. “A estratégia é colocar a criança em movimentos corporais por meio de brinquedos e brincadeiras diversas. Assim os profissionais poderão observar o desenvolvimento e a interação das crianças e, com isso, perceber eventuais suspeitas de crianças vítimas de violências”, relata Roberto.

O projeto Super Ação segue em atividade até outubro de 2017 e, para o seu desenvolvimento, foram realizadas parcerias com diversas instituições, como o Conselho Tutelar e Conselho Municipal de Direitos da Criança e do Adolescente de Araquari, o Ministério Público de Santa Catarina, a Associação de Municípios do Noroeste de Santa Catarina (Amunesc) e a OAB-Subseção Joinville.

Internamente, o projeto conta com o apoio de projetos do IFC – Campus Araquari, como a Fábrica de Software, que está desenvolvendo o sistema unificado Banco de Registros de Indicadores e Notificações de Crianças e Adolescentes da Região da Amunesc (Brincar Amunesc) a ser utilizado pelos municípios da região; além da parceria com o Nupe e a CGAE para a elaboração de curso FIC Ecapacitação.

Assim, o projeto Super Ação do IFC surge como uma mecanismo de ações conjuntas que buscam fortalecer as redes de proteção à criança e ao adolescente, principalmente no enfrentamento à violência e ao abuso sexual de crianças e adolescentes. Ainda, ao disseminar informação, colabora para que a comunidade tenha conhecimento sobre os direitos da criança e do adolescente, fazendo cumprir o seu estatuto (ECA), para que estes não sejam violados.

Os objetivos específicos do Projeto de Extensão Super Ação são:

  • Capacitar jovens estudantes, do ensino médio integrado do Campus Araquari, para participação direta em ações comunitárias de defesa dos direitos da criança e do adolescente;
  • Elaborar, com os serviços e equipamentos do município de Araquari e região, estratégias de enfrentamento às violações de direitos da criança e do adolescente, em destaque, aquelas relacionadas ao abuso e às violências sexual, física e psicológica;
  • Realizar atividades recreativas e lúdicas em escolas e espaços públicos inerentes aos direitos da criança e do adolescente;
  • Promover e defender os direitos da criança e do adolescente por meio de material informativo destinado a toda a sociedade local;
  • Estimular, nas pessoas, o convívio social saudável, afetivo, criativo, produtivo e participativo no ambiente escolar e familiar, de forma que a criança e o adolescente tenham seu bom desenvolvimento;
  • Produzir e divulgar os conhecimentos adquiridos durante a execução do projeto em eventos acadêmicos e de interesse social por meio de apresentação de trabalhos, oficinas e palestras.

*Texto: Cecom/Reitoria, por Nicole Trevisol | Jornalista MTE 02499 JP-SC.

**Imagens: Divulgação/Projeto Super Ação.

Compartilhar Facebook Compartilhar Twitter

Esta notícia foi editada na quarta-feira, 23 de agosto de 2017, às 14:13 pela Coordenação-Geral de Comunicação (Cecom).

Últimas notícias: