Brasil – Governo Federal – Ministério da Educação

Semana Integrada reúne alunos em diferentes debates

semana-integrada2Aconteceu, entre os dias 22 e 27 de outubro, no Instituto Federal Catarinense (IFC) – Campus Luzerna, a primeira edição da Semana Integrada dos Cursos Técnicos (SICT-LUZ). Palestras, círculos de diálogos e apresentação de trabalhos foram algumas das atividades presentes na programação do evento, que iniciou com uma Caminhada da Saúde, batizada de Pari Passu – expressão latina que significa em igual passo. O trajeto iniciou na comunidade de Barra do Estreito e seguiu até Ibicaré, reunindo tanto alunos quanto servidores.

Na segunda-feira, uma mesa-redonda sobre acessibilidade, cultura, esporte e ergonomia deu sequência à programação. Neste dia houve também uma palestra sobre as relações de trabalho e produção na Revolução Industrial, além do início de um curso sobre a Norma Regulamentadora número 35 (que versa sobre trabalho em altura).

No dia seguinte, foi a vez de uma exposição de cultura hispânica, com cartazes feitos pelos alunos da instituição. Em pinturas e textos, cada item trazia informações sobre personalidades e datas importantes. À noite ocorreu uma palestra sobre segurança operacional de caldeiras, ministrada pelo engenheiro mecânico Lauro Caramori.

Na quarta, a mostra de cultura hispânica seguiu com apresentações musicais e de danças. No corredor da biblioteca, uma exposição sobre ergonomia do objeto, feita por estudantes do curso Técnico Integrado em Segurança do Trabalho, também chamou atenção. O dia teve ainda um minicurso introdutório à língua e cultura japonesa, ministrado pela acadêmica de engenharia Hikari Okatani.

Acadêmico do curso de Agronomia da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste), Alesson Felipe Eckert foi um dos convidados externos para o evento. Ele relatou sua experiência na Nigéria, África, onde ficou cerca de um mês fazendo um estágio. À plateia, mais do que falar sobre os ensinamentos acadêmicos que teve, Alesson também abordou a cultura e os costumes locais daquele continente, desconstruindo esteriótipos.

PROJETOS E DEBATES

semana-integrada1À noite, alguns alunos dos cursos técnicos apresentaram seus projetos integradores no miniauditório. Os assuntos foram os mais diversos. Um grupo de Segurança do Trabalho analisou as condições ergonômicas no trabalho de professores de uma determinada escola de Joaçaba. Outro trabalho, de Automação Industrial, mostrou a automação de uma seladora de plásticos. Participaram desta atividade, ainda, estudantes egressos da instituição e também profissionais técnicos de algumas indústrias, que contaram um pouco sobre a vida pós sala de aula e suas experiências no mercado de trabalho.

A técnica em segurança do trabalho da Specht, Eliziana Gonçalves de Freitas, participou da atividade relatando seu cotidiano. “Gostei muita da experiência. Nunca tinha participado de algo assim, com estudantes que estão se formando agora. Percebi que eles têm muitos receios sobre acidentes, mas demonstram muito preparo técnico. E é este preparo que diferenciará, depois, um profissional intermediário de outro que fez valer a capacitação que teve”, conta.

As atividades seguiram na quinta-feira à tarde. Além da continuação do curso sobre a NR 35, os estudantes da instituição ainda tiveram a oportunidade de participar de duas palestras. A primeira foi com o professor de história Luiz Eduardo Deon, de Cascavel (PR), que abordou o tema “premissas sobre o processo histórico da industrialização brasileira”.

Depois foi a vez dos acadêmicos do curso de Agronomia da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste) – Elio Conradi Junior, Eduardo Ariel Voltz Leisman e Alesson Felipe Eckert  -dialogarem com os estudantes dos cursos técnicos integrados. O tema escolhido foi “a importância do ensino médio para uma trajetória de sucesso na graduação e na vida”.

VISÃO MACRO

De acordo com o professor Luiz Eduardo Deon, a formação técnica é uma formação voltada para o mercado, o que acarreta, naturalmente, em um olhar tecnicista e profissionalizante. “Este é o direcionamento que estes estudantes irão seguir. Debater a indústria como um todo, a parte histórica, e ter essa visão mais macro do processo é importante até para verificar, de uma certa forma, o panorama atual”, afirmou.

Sobre o interesse da geração atual acerca desta temática, Deon afirma que percebe uma preocupação, nesses últimos tempos de Brasil, com muitas coisas sendo debatidas e revistas. “Vários debates estão acontecendo e gerando mobilizações de vários lados. E essas mobilizações destacam não só o processo da indústria, mas também direitos trabalhistas, por exemplo. Há uma participação e uma pró-atividade maior dos estudantes, o que é interessante e muito importante”, disse.

De acordo com a coordenadora do curso técnico em Automação Industrial do IFC Luzerna, professora Katielle de Moraes Bilhan, a ideia inicial da SICT-LUZ foi de proporcionar um intercâmbio de experiências para alunos dos cursos técnicos integrados e subsequentes. “Os alunos não devem se preocupar apenas com as disciplinas do curso, mas também precisam abrir a cabeça para outras vivências que, de alguma forma, trarão resultados positivos em suas vidas”, finalizou a docente.

*Texto e fotos: Cecom/Luzerna.

Compartilhar Facebook Compartilhar Twitter

Esta notícia foi editada na quarta-feira, 16 de novembro de 2016, às 20:19 por Nicole Trevisol.

Últimas notícias: