Brasil – Governo Federal – Ministério da Educação

Sobral fala de “crise e esperança” ao ministrar aula magna de Pedagogia

videira-sobral3Dilemas, crises e desafios da sociedade contemporânea constituíram o pano de fundo da aula magna ministrada pelo reitor e professor Francisco Sobral, na última quarta-feira (26). Na concepção apresentada por Sobral, a atuação docente está intrinsecamente atrelada às problemáticas sociais que formam o caldo cultural onde o professor exerce sua atividade.

Com uma explanação permeada de metáforas, exemplos e referências aos clássicos da literatura, o reitor buscou demonstrar como as crises da sociedade são construções eminentemente humanas. “Memória, inteligência e raciocínio são coisas diferentes. Memória todos nós temos, os cães têm, as vacas têm, os animais de um modo geral têm memória. Alguns animais, como os golfinhos, também têm inteligência. Já o raciocínio envolve projeção de futuro e tem a ver com solução de problemas utilizando a memória e a inteligência. Apenas os seres humanos são racionais e apenas nós produzimos cultura”, destacou.

Ao produzir cultura, promover o avanço e o desenvolvimento de determinadas áreas, o ser humano produz, também, suas próprias crises. “Qual é a crise que afeta nossos jovens hoje? É a crise da falta da previsibilidade. Até um tempo atrás as coisas duravam, os valores duravam. A condição de você ter esperança na vida era uma condição de previsão. Hoje nada é garantido. Você pode fazer um curso técnico que não é garantia de emprego. Você pode fazer um curso superior que não é garantia de emprego. Nós vivemos uma era complicada, uma era ‘líquida’, como dizia Eric Hobsbawm”, teoriza.

Apesar da crise instaurada na sociedade, onde o capital e o consumo são o centro das relações sociais, a saída para driblar os problemas seria o reconhecimento, por parte do professor, de seu potencial transformador. “Da mesma forma que o ser humano racional cria os seus problemas, cria suas crises, esse ser humano também tem condições, inteligência e raciocínio para resolver os problemas. Se você não se concebe como um ser humano racional, responsável por dezenas de vidas na tua sala de aula, e se você não compreende que pode, sim, promover uma transformação na vida dessas pessoas para o bem, para a esperança, para acreditar que o mundo pode ser melhor, não há porque você ser professor”.

Sobral cita uma pesquisa que aponta o professor como sendo o profissional em que os brasileiros mais confiam. “Em uma lista enorme cheia de profissões, a população apontou em 1º lugar o professor. Então se nós tivermos a cultura da esperança, de que é possível enfrentar as crises com muito diálogo e muita compreensão, a gente tem condições de ver um mundo melhor, um país melhor, uma Videira melhor”, finaliza.

Participante da aula magna, o professor Mario Ferreira Resende, do curso de Pedagogia, acrescentou ao debate, comentando a importância do tema. “Trouxemos o reitor não tanto pelo seu cargo administrativo, mas pelo seu compromisso com o campo da Educação e com o lugar dessa área de intenso debate. Eu queria sublinhar o que eu acho de mais interessante na sua fala que é o resgate da posição do professor e do educador. Muito bem colocada a característica humana por excelência de sujeitos culturais. Isso já atesta que nós, diferente de qualquer animal, nos constituímos diante de um mundo que nos precede de alguma maneira”.

Abertura

Ao fazer a abertura da aula magna e dar as boas-vindas para calouros e veteranos da Licenciatura em Pedagogia, a diretora-geral do Câmpus, professora Rosangela Aguiar Adam, afirmou que o evento marca o início de uma nova etapa. “É comum escutarmos que temos que lutar pela Educação que a gente quer. Mas o certo é que temos que lutar pela educação que a gente precisa para mundo que a gente quer. Vocês serão, como pedagogos e pedagogas, parte fundamental para que através do ensino possamos tornar o nosso país melhor e mais justo”.

Já a coordenadora do curso de Pedagogia, professora Francini Carla Grzeca, ressaltou que o curso inaugura um projeto de democratização e acesso ao ensino superior público em nosso país. “Ingressar em um curso de formação de professores representa a possibilidade de ampliar os horizontes, de transgredir o pensamento, de transgredir a si mesmo pela descoberta de múltiplas perspectivas para nossas histórias individuais e sociais”. A coordenadora ainda destacou a importância da presença de Sobral para a aula magna. “A presença e, sobretudo a fala do professor Sobral nos é significativa para refletir sobre os desafios da docência, especialmente para pensarmos o processo formativo enquanto nos constituímos como professores”.

Reivindicações Estudantis

Na oportunidade, o reitor Francisco Sobral atendeu um grupo de estudantes do Ensino Médio/técnico, representados pelo grêmio estudantil, que apresentaram uma pauta de reivindicações, entre elas a construção de um refeitório para o Câmpus Videira.

videira-sobral1 videira-sobral2

*Texto e fotos: CECOM/Videira.

Compartilhar Facebook Compartilhar Twitter

Esta notícia foi editada na quarta-feira, 12 de março de 2014, às 18:46 por Nicole Trevisol.

Últimas notícias: