Aula inaugural dá início às atividades da segunda turma do Mestrado ProfEPT

A segunda turma do Mestrado Profissional em Educação Profissional e Tecnológica em Rede Nacional (ProfEPT), do Instituto Federal Catarinense (IFC), com polo no Campus Blumenau, participou da aula inaugural em 15 de agosto, com a palestra Situação Atual e Perspectivas da Educação Superior no Brasil, ministrada pelo professor e pesquisador Gabriel Grabowski.

O palestrante iniciou a apresentação abordando a educação superior, perpassando o cenário da educação nos últimos anos. “Ele demonstrou que vem ocorrendo a desconstrução do futuro da juventude brasileira ao se diminuírem as condições de oferta de uma educação pública de qualidade e, com isso, acabou abrangendo todos os níveis de ensino”, observou a coordenadora do curso, professora Inge Suhr.

Para o mestrando Bruno Tomio, Grabowski trouxe questões pertinentes de serem estudadas e aprofundadas, que irão refletir tanto na formação dos mestrandos quanto na formação profissional brasileira. “Ele trouxe um histórico da formação de algumas políticas públicas de incentivo à educação profissional e tecnológica nas últimas duas décadas, e abordou a falta de perspectiva de continuidade desses programas, e até de retrocessos em relação ao que se avançou, como a redução de bolsas de estudos em programas científicos. Trouxe também a realidade que afeta diretamente os jovens, em um país que está cada vez menos oferecendo possibilidades de estudo e, principalmente, condições materiais de emprego”, refletiu Tomio.

Além da coordenadora do curso e do palestrante, fizeram parte da mesa de honra durante a solenidade de abertura, a diretora-geral, Marilane Wolff Paim, a diretora de ensino, Rita de Cássia da Silveira Cordeiro, e o pró-reitor de pesquisa, pós-graduação e inovação, Cladecir Schenkel.

Sobre o ProfEPT

O ProfEPT é um programa de Mestrado Profissional em Educação Profissional e Tecnológica em rede nacional, da área de Ensino, reconhecido pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), do Ministério da Educação. O curso tem como objetivo proporcionar formação para os profissionais da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica e também para os demais profissionais que atuam e/ou pesquisam a Educação Profissional e Tecnológica. O ProfEPT visa a produção de conhecimento e o desenvolvimento de produtos, por meio da realização de pesquisas que integrem os saberes inerentes ao mundo do trabalho e ao conhecimento sistematizado.

Texto: Cecom/Campus Blumenau/Gisele Silveira
Fotos: divulgação Mestrado

Representante do IFC no Parlamento Juvenil do Mercosul participa de formação em Brasília

O estudante do curso técnico em Informática integrado ao ensino médio do Campus Blumenau Vinicius Franke da Silva é um dos 27 estudantes que representará o Brasil durante dois anos no Mercosul – sediado em Montevidéu, no Uruguai – por meio do programa Parlamento Juvenil do Mercosul (PJM). De 15 a 19 de julho, ele esteve em Brasília, onde participou de uma formação na Escola Nacional de Administração Pública (Enap), com o tema O Ensino Médio que Queremos. Como este foi o primeiro encontro após a eleição dos representantes, a ocasião também marcou a cerimônia de posse do grupo.

A experiência foi engrandecedora. Participamos de debates e diálogos sobre temas que envolvem a educação pública, como direitos humanos, integração regional e jovens e trabalho”, contou Vinicius. Ao final do evento, eles redigiram uma declaração nacional, que será enviada ao Ministério da Educação e Cultura (MEC).

O PJM é promovido pela Assessoria Internacional do Ministério da Educação, em parceria com o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) e o Instituto Internacional para o Desenvolvimento da Cidadania (IIDAC).

Projeto Um Portal de Oportunidades

Para conquistar a vaga, os estudantes participaram de um processo seletivo estadual, em 2018, e apresentaram propostas de ações para despertar a participação dos jovens no ambiente escolar, priorizando o desenvolvimento de um trabalho coletivo e cooperativo. Orientado pelo professor Cloves Alexandre de Castro, Vinicius propôs o projeto Portal de Oportunidades: uma janela de solidariedade, voltado a jovens estudantes em busca do primeiro emprego, no qual possibilitará ao empregador acessar os perfis desses jovens, ao mesmo tempo em que divulga vagas de trabalho.

IFC à frente do protagonismo juvenil

Esta é a segunda vez consecutiva que um estudante do IFC assume a vaga estadual no parlamento. Em 2016, a estudante do ensino médio integrado do IFC Campus Ibirama Aymee Agnes de Andrade Sinn foi eleita com o projeto Imigração Haitiana no Brasil, inclusão e diversidade de raça, para o mandato 2016-2018.

Texto: Cecom/Blumenau/Gisele Silveira
Fotos: Paulo Palhares

IFC e Furb promovem 1º Seminário Integrado de Educação Profissional e Tecnológica

Nos dias 3 e 4 de outubro, o Mestrado em Educação Profissional e Tecnológica (ProfEFT), do IFC Campus Blumenau, e o grupo de pesquisa Educogitans, do PPGEFURB, promovem o 1º Seminário Integrado de Educação Profissional e Tecnológica – Desafios e Perspectivas. Para o evento estão programadas mesas redondas e sessões simultâneas de apresentação de comunicações orais de pôsteres.

As inscrições de trabalhos estão abertas até 20 de agosto. Para participantes ouvintes, a inscrição pode ser feita até o dia de início do evento. A inscrição deve ser feita somente pelo site do evento, disponível em bit.ly/SeminárioIFCFURB.

Dentre os objetivos do encontro, estão ampliar a integração de grupos de pesquisa, pesquisadores, estudantes e demais interessados no tema da Educação Profissional e Tecnológica; disseminar o conhecimento resultante das pesquisas e estudos realizados sobre a Educação Profissional e Tecnológica; e favorecer o debate e o avanço do conhecimento relacionado à Educação Profissional e Tecnológica.

A coordenadora do mestrado, Inge Suhr, destaca que o evento permitirá a troca de conhecimentos com outros pesquisadores, além das contribuições de palestrantes de renome nacional. “O evento é voltado aos mestrandos e a todas as pessoas interessadas na promoção da educação profissional com qualidade, dirigida aos trabalhadores”, observou ela.

Confira a programação:


Texto: Cecom/Blumenau/Gisele Silveira
Arte: Cecom/Reitoria

Campus Blumenau é destaque em desempenho no Enem

O Instituto Federal Catarinense Campus Blumenau obteve o quarto melhor desempenho entre as escolas públicas de Santa Catarina no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2018. Os dados foram divulgados pelo Ministério da Educação (MEC) em junho, mas as informações foram tabuladas, organizadas em listas e publicadas pelo jornal Folha de S. Paulo.

No Enem 2018, os estudantes do Campus Blumenau obtiveram média de 616.19 nas provas objetivas e 594.06 na redação. Considerando as escolas públicas e privadas de Blumenau, o campus também fica com o quarto melhor desempenho. Observando todas as escolas públicas e privadas de Santa Catarina, ocupa as posições 49ª, na média das provas objetivas, e 170ª na redação. Dentre os campi do IFC, o campus Blumenau fica em primeiro lugar.

A Diretora de Desenvolvimento de Ensino, Rita de Cássia da Silveira Cordeiro, ressalta que os estudantes das redes federais de ensino sempre se destacaram nos exames de ingresso ao ensino superior no país, e, em Blumenau, não poderia ser diferente. “Com apenas sete anos de existência na região, o campus Blumenau já ocupa posição de destaque. Temos muito a celebrar e parabenizamos nossos estudantes e nosso quadro de servidores por essa conquista. Também agradecemos a confiança depositada pelas famílias que nos escolheram para auxiliá-las na formação de seus filhos. Sigamos em frente, certos de que estamos cumprindo nosso compromisso com a sociedade”, acrescenta.

Texto: Cecom/Campus Blumenau/Gisele Silveira

Estudante do Campus Blumenau conquista medalhas de ouro no Jogos Escolares de Santa Catarina

A estudante do curso técnico de Informática integrado ao ensino médio do Campus Blumenau Yasmin Jandre Piske é a atual campeã no lançamento de disco e no arremesso de peso dos Jogos Escolares de Santa Catarina (Jesc), voltados a estudantes de 15 a 17 anos, que ocorreram em junho, em São Miguel do Oeste. Com o resultado, Yasmin segue para a fase nacional do Atletismo, que ocorrerá em Timbó, em novembro.

Ela leva as medalhas de ouro com orgulho e fala que ser campeã de duas provas é uma sensação muito boa. “Além de fazer o que gosto, ainda vejo que minha dedicação ao esporte gera resultados positivos, e representar o IFC e Santa Catarina em um campeonato nacional, é um frio na barriga ainda maior”. Ela explica que seu foco é o arremesso de peso, e, para o nacional, tem boas expectativas. “Baseando-me no ranking sub18 da CBAT (Confederação Brasileira de Atletismo), atualmente, encontro-me na segunda posição, mas pretendo me preparar ainda mais para melhorar a marca e quem sabe conseguir o título de campeã da prova”, adianta.

Além de Yasmim, o Campus Blumenau foi representado pelos estudantes do médio técnico integrado Gabriel Juswaski Ternes, que ficou em 9° lugar no salto em altura, e Matheus Juliano Teixeira Guaitanelle, que alcançou o 8° lugar no lançamento de dardo.
Sob orientação técnica do professor de Educação Física Deivis Frainer, os três alunos foram campeões nas fases municipal e microrregional dos Jesc, ambas realizadas em Blumenau, o que os levou à fase estadual. Cerca de 1.500 atletas participaram da etapa das modalidades coletivas desta 11ª edição dos Jesc. Os jogos são uma promoção do Governo de Santa Catarina, por intermédio da Fesporte, em parceria com a prefeitura de São Miguel do Oeste.

Texto: Cecom/Campus Blumenau/Gisele Silveira
Foto: Antonio Prado/Fesporte

Projeto de Informática Básica muda vida de adultos e idosos em Blumenau

Mandar e receber e-mails, digitar textos e fazer planilhas parecem ações simples para quem ou nasceu inserido nas novas tecnologias ou tem facilidade com elas. Mas para Elésia Schefer Constante, 37 anos, são um desafio. Depois de oito anos trabalhando como talhadeira em uma fábrica de tecidos, ela foi promovida a encarregada. Motivo para comemoração, não fosse o fato de ela não saber usar o computador e da necessidade de muitas das funções do novo cargo passar pelo sistema digitalizado.

Elésia é uma dos 27 participantes do projeto de extensão Informática Básica com internet e o uso das Mídias para adultos e idosos, promovido pelo Instituto Federal Catarinense (IFC) Campus Blumenau. Além das noções básicas, os alunos, que têm entre 24 e 82 anos, aprendem a utilizar redes sociais e a acessar outras ferramentas, como Word e Excel.

Afastada do trabalho por causa de um acidente de trânsito, Elésia aproveita para se capacitar. “Este projeto está sendo importante para minha vida, não só pelo conhecimento adquirido, mas recuperar a minha autoestima. Agora, posso dizer que sei fazer. Porque ver todo mundo sabendo usar, menos você, é excludente. Eu me sentia mal dentro da empresa, sabendo que aquele serviço dependia de mim e que eu dependia de outra pessoa para acessar o computador, era muito frustrante”, relata.

Segundo dados de uma pesquisa feita com o grupo no início do projeto – que na época contava com 33 participantes – cerca de 61% afirmaram conhecer, mas não usar o computador. Quanto à ferramenta de editor de texto, cerca de 64% alegaram que não conheciam. Já na pesquisa com mídias sociais, chamou a atenção o acesso ao YouTube, cerca de 70% alegaram conhecer e acessar a maior plataforma de vídeos do mundo.

Com 82 anos, dona Dulcemar Telles Pereira Gomes é fã de canais do YouTube. “Gosto de assistir meus cantores favoritos. Também já usei para procurar como fazer crochê”. Ela também faz pesquisas no Google e usa o e-mail para conversar com os filhos. Ela conta que comprou um notebook e resolveu que era hora de voltar a acessar a internet. “Eu tinha um computador, mas há dois anos ele parou de funcionar, então, fiquei sem usar o equipamento todo este tempo. Decidi que hora de voltar, mas já não sabia mais como mexer, anda mais porque é uma tecnologia diferente da que eu estava acostumada”, diz ela, que antes tinha um computador de mesa.

Projeto é coordenado por pedagoga e psicóloga – O projeto é coordenado pela pedagoga Rosângela Amorim e pela psicóloga Mariélli Oliveira. Para Rosângela, os relatos mostram que medo, insegurança, sentimento de incapacidade e dependência de outras pessoas para desenvolver atividades aparentemente simples foram alguns dos motivos que os instigaram a procurar um curso na área tecnológica. “A partir da oferta do curso, eles perceberam a oportunidade de romper com o desconhecimento e com as dificuldades na utilização de recursos tecnológicos, e viram um caminho de superação em seus receios relacionados ao mundo digital. Eles buscam conhecimento das tecnologias digitais, inclusão digital e também autonomia para fazerem as tarefas sem necessidade de ajuda de outros”, avalia ela.

O curso iniciou em março e tem previsão de término em outubro. O grupo se reúne todas as terças e quintas-feiras à tarde, em um dos  Laboratórios de Informática do campus. O projeto de extensão conta ainda com a parceria de 18 servidores – entre técnicos administrativos e professores – e um bolsista.

Texto e Imagem: Cecom/Blumenau/Gisele Silveira

Visitas técnicas complementam formação de estudantes do Campus Blumenau

As visitas técnicas proporcionam ao estudante o acesso a atividades que contribuem para a formação geral, ética, cultural e para o desenvolvimento do senso crítico, da responsabilidade social e da cidadania. No Campus Blumenau, as visitas técnicas fazem parte da formação do estudante do ensino médio técnico à pós-graduação. Do segundo semestre de 2018 a abril de 2019, foram cerca de 10 visitas.

Uma aula prática de Segurança do Trabalho no Corpo de Bombeiros de Blumenau. Foi assim para os calouros dos cursos técnicos integrados ao ensino médio. Na teoria, eles estudaram “classes de incêndios” e “tipos de agentes de extintores para cada incêndio”. Na prática, participaram de técnicas de combate, conheceram a dinâmica do batalhão no uso de equipamentos de proteção individual e coletiva. Para a professora Fernanda Zendron, a visita técnica permite ao aluno mais proximidade com o tema estudado. “Além de ser instrumento de motivação para os estudantes, é uma forma dinâmica de vivenciar o conteúdo pedagógico”.

O acadêmico de Engenharia Elétrica Igor Henrique Firmino de Deus, que foi com a turma para a Usina Hidrelétrica Salto Pilão, em Apiúna, diz que já tinha estudado sobre o fornecimento de energia elétrica, mas nada foi tão grandioso quanto ver na prática uma unidade geradora de energia. “É impactante e certamente mudou nossa visão enquanto engenheiros”. Ele diz que foi possível desenvolver trabalhos a partir de conhecimentos adquiridos na visita. “Recentemente, tivemos que elaborar para uma disciplina o orçamento de uma Central Geradora Hidrelétrica, e o conhecimento complementar à teoria foi o que guiou a equipe no desenvolvimento do trabalho”, conta.

A visita técnica permite observar a realidade de uma empresa em pleno funcionamento, ver como é a dinâmica dos setores e a tecnologia aplicada pela organização em seus produtos e processos. Na visita à empresa Karsten, de Blumenau, a aluna do terceirão do curso técnico de Eletromecânica Ana Carolina Tozatti pôde ver toda a base teórica sobre máquinas elétricas, instalações elétricas e peças. “Tive a oportunidade de ver o funcionamento dos equipamentos que nós estudamos durante esses três anos. Cada etapa, com uma máquina diferente, com diferentes tipos de aços para que se tenha o melhor resultado nos produtos. Ver o trabalho sincronizado das inúmeras máquinas durante o processo de tecelagem, é fascinante”, relata.

Para o professor de Empreendedorismo Eduardo Villar, as visitas técnicas servem como instrumento para o professor ligar aos conteúdos que trabalhou em sala. “A importância está em dar vida ao conteúdo, mostrar a aplicabilidade do conhecimento e também quebrar a rotina da sala de aula. No caso do ensino médio integrado ao técnico, recebo relatos de estudantes que, por meio de visitas técnicas, motivaram-se para estudar algumas matérias percebidas como mais difíceis e que também se identificaram com a profissão ou atividade técnica que estão estudando”, observa ele.

Além das visitas ao Corpo de Bombeiros, à Karsten e à Usina Hidrelétrica Salto Pilão, houve ainda visitas técnicas à Rota das Cachoeiras de Corupá, à Termoelétrica Jorge Lacerda, à UFSC de Florianópolis, à empresa de Tecnologia AMcom.

Visitas técnicas no IFC – As visitas técnicas no IFC são regulamentas pela Resolução nº 21/2017. Dentre os objetivos estão promover integração teoria e prática, contextualizando saberes; proporcionar a interação dos discentes do IFC com o mundo do trabalho, processos e serviços in loco; propiciar o aprimoramento da formação profissional e pessoal; promover a ampliação do conhecimento de mundo e oportunizar o contato dos discentes com outros espaços de aprendizagem. A viabilidade financeira para as saídas é analisada pela Direção-geral do campus, de acordo com a dotação orçamentária.

Texto e Imagens: Cecom/Blumenau/Gisele Silveira

Definidas comissões eleitorais locais para Eleições 2019

Na Reitoria, comissão realizou a assembleia para escolha dos representantes dos TAE na sexta, dia 17.

Comissões eleitorais locais dos campi, campi avançados e Reitoria, para condução do Processo de Consulta 2019, foram nomeadas nesta terça-feira, dia 21, por meio da Resolução ad referendum nº 005 do Conselho Superior – Consuper. O documento pode ser consultado na página do Processo de Consulta 2019, no Portal do IFC.

Estas comissões são compostas por representantes dos professores, técnicos administrativos e estudantes. Os nomes foram definidos em assembleias organizadas nas respectivas unidades do IFC.

Em 2019 serão realizadas eleições para escolha dos cargos de reitor(a); de diretores(as)-gerais dos campi em Araquari, Blumenau, Brusque, Camboriú, Concórdia, Fraiburgo, Ibirama, Luzerna, Rio do Sul, Santa Rosa do Sul, São Bento do Sul, São Francisco do Sul e Videira; e também dos novos membros do Consuper.

Texto: Cecom/Reitoria/ Rosiane Magalhães
Imagem: Cecom/Reitoria/Carlos Pieri

IFC forma primeira turma de Pedagogia do Campus Blumenau

O Instituto Federal Catarinense (IFC) Campus Blumenau formou, no dia 28 de fevereiro, a primeira turma de Licenciatura em Pedagogia. A cerimônia de outorga de grau dos nove formandos ocorreu no Auditório da GERED Blumenau, em noite marcada por emoção, agradecimento e homenagens a pais e professores.

“Nestes quatro anos, aprendemos a fazer planejamentos, a transformar e a nos transformar em nossa prática enquanto professores. Almejamos e sonhamos com esta conquista, e, hoje, podemos expressar a nossa gratidão às pessoas que viveram este sonho conosco”, agradeceram as oradoras da turma, Raquel Amorim Machado e Bruna Caroline Ferreira.

A coordenadora do curso, professora Inge Renate Frose Suhr, destacou que sonhar com um mundo mais justo, fraterno e ético, e assumir a responsabilidade em participar da formação do outro, é o que move o profissional da educação. “Tenho certeza de que hoje entregamos para Blumenau um grupo de educadores que assume esse desafio. Vocês estão prontos para enfrentar a docência, pois receberam uma boa formação. Desejo que vocês se sintam sempre inacabados, sempre em movimento, conscientes de que aprender é atividade que acompanha o educador”.

A diretora-geral pro tempore, Marilane Wolff Paim, abordou princípios da ética e da prática social a partir da perspectiva de Paulo Freire e adiantou o maior desafio da profissão: “Durante todo o curso, vocês estudaram, trabalharam e aprenderam o conceito da palavra transformação. Creio ser este o maior desafio desta caminhada que hoje inicia. Não chegamos ao fim. Pelo contrário, apenas estamos dando um passo entre tantos outros, pois sabemos que o conhecimento é um processo em construção, e nós, como seres inacabados e inconclusos, somos continuamente desafiados a saber mais”.

A reitora, Sônia Regina de Souza Fernandes, ressaltou o contexto dos institutos federais, sua história e a importância dos IFs para uma formação cidadã. Sônia finalizou fazendo uma paráfrase do pensamento de Paulo Freire com a música escolhida pelos formandos para relembrar os quatro anos de faculdade: “Como a música dizia que daqui para frente há muito a se caminhar, desejo que este caminhar seja na condição do inacabado, na condição do homem e da mulher que não está acabado nunca, e que se refaz a todo momento. Que este ato simbólico, o recebimento de uma outorga de grau, torne-os seres humanos melhores na construção de um mundo melhor”.

Pedagogia nota máxima no MEC – Além da formatura, os acadêmicos comemoram a recente nota 5 conquistada na avaliação de reconhecimento de curso, realizada pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), órgão vinculado ao Ministério da Educação (MEC). O resultado foi divulgado após a visita de avaliadores do Inep ao Campus Blumenau, que ocorreu em dezembro. A nota (conceito de curso) varia em uma escala de um a cinco, sendo cinco considerado “excelente”.
O curso de Pedagogia do Campus Blumenau iniciou em março de 2015 e, atualmente, conta com cerca de 140 acadêmicos. É o primeiro e único curso de Pedagogia 100% presencial e gratuito em Blumenau.

 

Texto e Fotos: Cecom/Campus Blumenau/Jornalista Gisele Silveira.

Ano letivo no IFC iniciou-se nesta semana

Na segunda-feira, dia 11, iniciou-se o ano letivo nos 15 campi do Instituto Federal Catarinense (IFC) para servidores e estudantes dos cursos técnicos, integrados e subsequentes ao ensino médio, e veteranos dos cursos superiores. Para os ingressantes nos cursos superiores, as aulas iniciarão no dia 25 de fevereiro.

Em nome da gestão do IFC, a reitora Sônia Regina de Souza Fernandes dá as boas-vindas aos estudantes e servidores. “Esperamos que 2019 seja um ano muito proveitoso no sentindo da apropriação do conhecimento. Que o Instituto Federal Catarinense represente um espaço onde caibam todos, no qual o conhecimento, a ciência, a cultura, o esporte e a formação integral, com que nós nos comprometemos enquanto missão de uma instituição pública, realmente aconteçam na direção de nos tornamos cada vez seres humanos melhores. Estaremos com toda força e energia garantindo, por meio das condições concretas de trabalho, esta formação tão necessária no contexto que estamos vivendo, para, dessa forma, fazer valer o que a Constituição Federal e a própria Lei de Diretrizes e Bases da Educação Brasileira (LDB) dizem a respeito da educação pública, quando atribuem ao Estado a responsabilidade pela educação. Assim, a gestão do IFC acolhe todos e trabalha para que se materialize o que afirma a Constituição, segundo a qual, a educação, independentemente do nível, é um direito de todos e dever do Estado”, destaca a reitora.

Em cada campus foram organizados momentos de recepção aos servidores e estudantes. Veja abaixo como foram alguns dos momentos com os estudantes nos campi de Araquari, Blumenau, Brusque e São Bento do Sul.

Texto: Cecom/Reitoria/Rosiane Magalhães
Fotos: Cecoms dos campi Araquari, Blumenau, Brusque e São Bento do Sul