IFC abre processo seletivo para Mestrado acadêmico em Educação

Está aberto o edital para o processo seletivo do Mestrado Acadêmico em Educação do Instituto Federal Catarinense (IFC). As inscrições iniciam no dia 29 de julho e terminam em 19 de agosto de 2019. O curso é totalmente gratuito e presencial. As aulas são ministradas semanalmente, nas segundas e terças-feiras, no período diurno, no Instituto Federal Catarinense (IFC) – Campus Camboriú. O ingresso será realizado em março de 2020.

Ao todo são ofertadas 20 (vinte) vagas, sendo divididas em duas linhas de pesquisa: 1) Processos Formativos e Políticas Educacionais (12 vagas) e 2) Processos educativos e inclusão (08 vagas).

Confira mais informações sobre as linhas de pesquisa:

1) Processos formativos e políticas educacionais: A Linha estuda os processos formativos e as políticas educacionais, tendo por base os fundamentos epistemológicos do campo educacional, nos diferentes períodos, contextos sócio-históricos e práticas sociais. Discute as políticas educacionais, consideradas como forças sociais em disputa, bem como suas interfaces com os processos formativos e com a gestão educacional. Problematiza a educação em e para os direitos humanos, envolvendo questões, temas e problemas contemporâneos em contextos formais e não formais. Investiga os processos de formação de professores e demais profissionais da educação, considerando as especificidades desses processos, seus níveis e modalidades de ensino, em espaços formais e não formais.

2) Processos educativos e inclusão: A linha Processos Educativos e Inclusão tem como objetos de estudo os processos educativos e as políticas de inclusão relacionados com os campos de interrogação epistemológica que problematizam a diferença, a diversidade, a desigualdade sociocultural e as formas históricas de manifestação do poder e dos contra-poderes. A educação, nesta perspectiva, é entendida como prática social comprometida com uma sociedade mais justa. Problematiza os processos que engendram a opressão e a exclusão compreendendo a sociedade como espaço de disputas de poder que geram as desigualdades. Atua na perspectiva teórico-metodológica com diferentes temas do campo educacional, tais como: direitos humanos, movimentos sociais, inclusão digital e recursos tecnológicos na aprendizagem, educação especial, educação profissional e tecnológica, educação do campo, capital social e cultural, conceitos de classe, raça, etnia, povos indígenas e populações tradicionais no contexto brasileiro e latino-americano.

O processo seletivo é composto por três etapas: 1) análise do projeto, 2) prova escrita e 3) arguição e análise do currículo lattes. Todas as etapas são de caráter eliminatório e classificatório, com valor de 100 (cem) pontos cada, com nota mínima de aprovação de 70 (setenta) pontos para cada uma delas.  Podem participar do processo os candidatos com diploma de graduação emitido por instituições de ensino brasileiras reconhecidas pelo Ministério da Educação, ou por instituições estrangeiras, desde que reconhecidas no Brasil, conforme legislação vigente.

As inscrições são realizadas unicamente por via eletrônica, de 29/07 a 19/08, pelo site:

 https://sig.ifc.edu.br/sigaa/public/processo_seletivo/lista.jsf?aba=p-processo&nivel=S.

Os candidatos que não tiverem acesso à internet podem utilizar os computadores do Instituto Federal Catarinense – Campus Camboriú durante o período de inscrição. Serão disponibilizados equipamentos com acesso à internet na Secretaria do Programa, no Bloco F, sala F-104, nos seguintes dias e horários: de segunda a sexta-feira, das 9h às 11h30 e das 13h30 às 15h30.

Mais informações e inscrições em: http://ppge.ifc.edu.br/editais/

Fonte: Cecom/Camboriú/Marília Massochin

Inclusão: IFC realiza entrega do 30º cão-guia

Cezar Agustinho Rodrigues Oliveira agora passará a conviver com o Eddie, seu novo cão-guia e companheiro de vida. A dupla foi oficialmente constituída na quinta-feira, 11/07, no Centro de Formação de Treinadores e Instrutores de Cães-Guia do Instituto Federal Catarinense (IFC). A entrega marca a reposição do cão-guia Duster, que também foi formado no Centro, e faleceu em decorrência de problemas de saúde.

Durante a entrega do cão, o diretor-geral do IFC Camboriú, Rogério Luís Kerber, agradeceu o trabalho das famílias socializadoras e do Instituto. Na oportunidade, o diretor explicou a questão da prioridade do recebimento do cão, como no caso do Cezar, que já era usuário da tecnologia. O diretor também pediu o apoio dele na defesa do Programa Cão-Guia junto às associações de pessoas com deficiência visual.

Durante a cerimônia, a diretora de desenvolvimento educacional, Sirlei de Fátima Albino, também destacou o papel dos Institutos Federais na inclusão e no atendimento das demandas da comunidade onde estão inseridos.

Além de todo o trabalho desenvolvido pelos alunos e professores do Centro, a coordenação do curso, Márcio Pereira Soares e Carlos Eduardo Rebello, destacou a importância das famílias socializadoras para o sucesso de todo o processo. “A dedicação das pessoas conta muito para que esse trabalho se concretize”, disse Márcio. “Agradecemos o empenho do professor do IFC Camboriú, Daniel Varela, e família pela socialização, e a professora Marinês Kerber pelo treinamento. Eddie é um cão-guia excelente”, completou Carlos.

Emocionado ao receber o cão-guia, Cezar agradeceu toda equipe do IFC e a família socializadora envolvida. “Vou dar toda dedicação ao Eddie, cuidarei dele como se fosse um filho. Ele será o meu olhar”, disse. Durante a entrega, o socializador Daniel afirmou estar orgulhoso com o “filho formado” e com a contribuição na melhoria da qualidade de vida que Eddie irá proporcionar ao Cezar.

Fonte: Cecom/Camboriú/Marília Massochin

IFC recebe dez novos professores

Na sexta-feira, 5 de julho, dez novos servidores tomaram posse no IFC. A reitora Sônia Regina de Souza Fernandes conduziu a cerimônia, realizada pela manhã na Reitoria, em Blumenau, juntamente ao diretor de Gestão de Pessoas, Bruno Dutra Vieira, e à coordenadora-geral de Admissão, Movimentação, Saúde e Desenvolvimento de Pessoal, Luciane Hiebert.

Todos os empossados atuarão como professores em diferentes áreas e campi. São eles: Caciane Peinhopf Mega (Concórdia); Carlos Alberto Rizzi (Ibirama); Daiani Lodete Pirola (Fraiburgo); Diego das Neves de Souza (Camboriú); Ellenise Elsa Emídio Bicalho (Rio do Sul); Gabriela Jordão Lyra (Videira); Lindomar Duarte de Souza (Concórdia); Lucas Dominguez Cordeiro (São Bento do Sul); Márcio Oliveira de Souza (Araquari) e Patricia Castellen (Santa Rosa do Sul).

Na ocasião, os novos servidores foram orientados sobre seus deveres e direitos enquanto servidores públicos federais. Receberam também orientações repassadas pelos membros da Comissão de Ética do IFC.

Confira todos os registros fotográficos da cerimônia aqui.

Texto: Cecom/Reitoria / Rosiane Magalhães
Fotos: Cecom/Reitoria / Amanda Cadore

Mestrado em Educação promove aula inaugural sobre relação teoria-prática na formação de profissionais

Com o auditório formado por professores da região e alunos do Campus Camboriú, a coordenadora do mestrado acadêmico em Educação, Filomena Lucia Gosller Rodrigues da Silva, participou da abertura da aula inaugural da pós-graduação e contou o percurso institucional para a conquista do primeiro curso nesse formato e área, presente em um Instituto Federal (IF). A docente destacou também a importância da pós-graduação lato sensu em Educação, ofertada pelo campus, na contribuição do processo de verticalização até a chegada do mestrado.

Na oportunidade, a diretora de desenvolvimento educacional, Sirlei Albino, ressaltou o papel dos Institutos Federais no atendimento aos arranjos produtivos locais. “É um compromisso muito grande formar profissionais da educação. Esse é um daqueles momentos em que percebemos que valeu a pena toda a nossa dedicação. Tenho certeza que é somente um início de um stricto sensu no campus. Vocês vão ajudar a construir a história da educação aqui”, disse.

A reitora do IFC, Sônia Fernandes, também destacou o papel dos IFs na verticalização do ensino e a importância da interiorização do ensino para ampliação do acesso à população. “Os IFs trouxeram a oportunidade para aqueles que estavam longe da oferta pública de educação presente somente nas universidades”, falou. A reitora ressaltou a relevância da pós-graduação lato sensu para a aprovação do mestrado. “Temos muita responsabilidade social por meio deste stricto sensu. Vamos produzir conhecimento e contribuir com o desenvolvimento do país. Temos que valorizar esse espaço de educação pública, gratuita e de qualidade referenciada. Os IFs valem a pena: educação é investimento”, disse.

Sobre a palestra – Para aula inaugural do mestrado acadêmico em Educação do IFC, a instituição recebeu a professora Maria Isabel Cunha, da Universidade Federal de Pelotas (UFPel), para palestrar sobre “A relação teoria-prática na formação de profissionais: implicações para a pedagogia universitária”.

Para iniciar o debate, Maria Isabel questionou os participantes sobre a escolha da profissão docente. Os motivos que induziram a essa profissão, a construção e inserção do “lugar como professor(a)”, pedagogia, entre outros pontos nortearam a conversa. “Hoje o professor é muito mais um organizador dos processos de aprendizagem do que um transmissor do conhecimento. E para organizar é muito complexo, exige compreender a estrutura cognitiva dos estudantes, da cultura onde estamos e muito mais. Envolve múltiplos saberes”, ressaltou a docente.

A palestrante destacou também os estudos do canadense Maurice Tardif a respeito da formação dos professores. “A formação docente vai além do currículo acadêmico, ela também é pautada nas experiências do percurso enquanto estudante e durante toda prática pedagógica, história de vida, cultura, entre outros fatores”, destacou.

Texto e imagens: Cecom/Camboriú/Marília Massochin

Estudante do Campus Camboriú apresenta trabalho no 13º Fórum internacional de Turismo

A estudante Larissa Carolina Rosário Medeiros, do curso Técnico em Hospedagem do Instituto Federal Catarinense (IFC) – Campus Camboriú, apresentou o estudo sobre “A influência da gastronomia no turismo: Festa da tainha de Itajaí”, durante o 13º Fórum internacional de Turismo do Iguassu, realizado em junho em Foz do Iguaçu/PR. O trabalho foi desenvolvido na disciplina de pesquisa aplicada à hospedagem por Larissa e pela estudante Gabrieli Mendes, sob orientação da professora Andréa Cristina Gomes Monteiro.

O Fórum é considerado o principal evento técnico-científico do turismo nacional e movimenta diversos setores da economia, como a hotelaria e a gastronomia local. O evento é promovido pela De Angeli Feiras, em parceria com o Programa de Mestrado e Doutorado em Turismo e Hotelaria da Universidade do Vale do Itajaí (Univali), com apoio da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste) e diversas universidades e institutos brasileiros.

Texto: Cecom/Camboriú
Imagem: arquivo pessoal

Professor do Campus Camboriú conta experiência sobre palestra em Guiné-Bissau

Depois de ter palestrado em várias escolas de Guiné-Bissau, o professor Marcelo da Silva conta como foi a experiência de seis dias no continente africano. “Vivi intensamente a educação”, disse. Durante a jornada, o docente do Campus Camboriú realizou debates sobre a educação na atualidade para professores universitários do país, na Universidade Lusófona da Guiné, e também para docentes de escolas de educação básica. “Palestrei sobre o tema “Gestão de sala de aula, aprendizagem e como potencializar o ensino”, na Embaixada brasileira em Guiné”, contou.

Além das palestras para professores, Marcelo também circulou pelas cidades do interior para conversar com alunos e ministrar aulas de Geografia. “A experiência foi incrível, além de partilhar experiências aprendi muito com o povo de Guiné-Bissau. Recebemos a homenagem máxima do país, “a roupa de Pente”, feita artesanalmente e de grande valor patrimonial dos guineenses”, disse. O traje, segundo o docente, é utilizado apenas em ocasiões especiais, como homenagens a chefes de Estado, casamentos tradicionais e homenagens para quem eles demonstram grande respeito e admiração.

No Brasil, o professor já desenvolve algumas ações assim – ligadas aos projetos de extensão -ministrando palestras em escolas públicas e aulões especiais para o exame do ENEM. “Buscarei realizar todos os anos ações deste tipo. Irei recrutar mais professores para que juntos possamos ir realmente onde mais precisam. Como no sertão nordestino, na região amazônica, entre outros locais”, finalizou.

Confira o vídeo do professor sobre as “Dez lições que aprendi em Guiné-Bissau”:

Texto: Cecom/Camboriú/Marília Massochin
Imagem: Arquivo Pessoal/Marcelo da Silva

Aulas do mestrado acadêmico em Educação têm início no Campus Camboriú

O Instituto Federal Catarinense (IFC) – Campus Camboriú recepcionou os alunos do Mestrado acadêmico em Educação na segunda-feira, 27/05. No primeiro dia de aula, a reitora do IFC, Sônia Fernandes, deu as boas-vindas aos estudantes e falou sobre todo o trabalho para chegar ao funcionamento do primeiro mestrado acadêmico em Educação da instituição. “Vocês têm ideia do percentual que representam no Brasil (de pessoas que tem acesso a uma pós-graduação stricto sensu, pública e gratuita)? Valorizem cada vaga, não desistam diante das dificuldades. Elas vão acontecer, mas fazem parte do processo”, destacou a reitora.

O diretor-geral do campus, Rogério Luís Kerber, destacou todo o trabalho realizado pela equipe de professores para chegar à aprovação do mestrado. “Desde o início pude acompanhar a “gestação” do mestrado, todas as dificuldades passadas pelo grupo para chegarmos até este momento”, ressaltou. Sirlei de Fátima Albino, diretora de desenvolvimento educacional, falou sobre o papel dos Institutos Federais na verticalização do ensino. “Vocês estão construindo a história da área da educação no campus. A presença de todos irá contribuir para um futuro doutorado no IFC”, considerou. A diretora contou aos estudantes sobre o início das licenciaturas no campus e, posteriormente, a conquista de uma pós-graduação lato sensu. “Todo esse processo contribuiu com a verticalização do ensino nessa área. Hoje, 11 anos depois, estamos aqui no primeiro mestrado em educação do IFC”, destacou.

De acordo com uma das coordenadoras do curso, Filomena Lucia Gossler Rodrigues da Silva, a conquista traz para a região a oferta pública de um mestrado em Educação, já esperada e requisitada pela população, tendo em vista que apenas Florianópolis e Chapecó contavam com um mestrado público nessa área. “Para o IFC, a conquista também representa o nosso compromisso com a verticalização do ensino, fomenta as pesquisas e oportuniza a qualificação dos profissionais que atuam na educação”, finalizou.

Sobre o mestrado:

O Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Educação do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Catarinense (PPGE-IFC) oferece anualmente vagas gratuitas para o curso de Mestrado Acadêmico em Educação.

O PPGE está situado no campus Camboriú, região do vale do Itajaí, no litoral norte de Santa Catarina.

Periodicidade de oferta: Ingresso anual.

Duração: 24 meses

Mais informações sobre o curso, clique aqui.

Texto e Imagem: Cecom/Camboriú/Marília Massochin

Definidas comissões eleitorais locais para Eleições 2019

Na Reitoria, comissão realizou a assembleia para escolha dos representantes dos TAE na sexta, dia 17.

Comissões eleitorais locais dos campi, campi avançados e Reitoria, para condução do Processo de Consulta 2019, foram nomeadas nesta terça-feira, dia 21, por meio da Resolução ad referendum nº 005 do Conselho Superior – Consuper. O documento pode ser consultado na página do Processo de Consulta 2019, no Portal do IFC.

Estas comissões são compostas por representantes dos professores, técnicos administrativos e estudantes. Os nomes foram definidos em assembleias organizadas nas respectivas unidades do IFC.

Em 2019 serão realizadas eleições para escolha dos cargos de reitor(a); de diretores(as)-gerais dos campi em Araquari, Blumenau, Brusque, Camboriú, Concórdia, Fraiburgo, Ibirama, Luzerna, Rio do Sul, Santa Rosa do Sul, São Bento do Sul, São Francisco do Sul e Videira; e também dos novos membros do Consuper.

Texto: Cecom/Reitoria/ Rosiane Magalhães
Imagem: Cecom/Reitoria/Carlos Pieri

IFC, IFSC e UFSC debatem bloqueio orçamentário em audiência pública

O Instituto Federal Catarinense (IFC), a Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e o Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC) participaram de uma audiência pública, na segunda-feira (20/05), para debater o bloqueio orçamentário de 39% nos recursos de custeio das instituições. O evento foi proposto pela Comissão de Educação da Câmara dos Deputados e realizado no Centro de Eventos da UFSC. O deputado Pedro Uczai, membro da Comissão, foi o mediador da audiência.

Durante a ocasião, os representantes das instituições apresentaram os dados financeiros e, posteriormente, o espaço foi aberto à comunidade para debate. Ao final do evento, as manifestações foram agrupadas e serão entregues ao ministro da Educação, Abraham Weintraub, na quarta-feira (22/05), na reunião da Comissão de Educação.

Representando a reitora do IFC, Sônia Fernandes, o diretor-geral do Campus Camboriú, Rogério Luís Kerber, apresentou o impacto do bloqueio na instituição. “Quando avaliamos o bloqueio no orçamento de custeio do IFC, verificamos que o corte foi extremamente severo. O valor para o ano era de R$ 64.643.47,00, e foram bloqueados R$19.498.383,00. Esse bloqueio de recurso praticamente inviabiliza o funcionamento da instituição até o final do ano”, destacou o diretor. No Campus Camboriú, Rogério afirmou que algumas medidas já foram tomadas, como: demissão de 25% do quadro de terceirizados, redução de 40% da verba destinada aos projetos de pesquisa e extensão, cancelamento de visitas técnicas, entre outros cortes, na tentativa de se chegar ao final do semestre com o orçamento repassado até o momento.

O IFSC e a UFSC também seguiram com a mesma apresentação. Do IFSC, de acordo com a reitora Maria Clara, foram bloqueados R$23 milhões dos R$78 milhões para o custeio. “É uma situação drástica. Este bloqueio inviabiliza o funcionamento das instituições na sua constituição mais séria, que é a sala de aula, e também em todos os demais projetos de pesquisa e extensão que desenvolvemos”, ressaltou a reitora. Maria Clara também destacou que a redução de orçamento acontece desde 2015, enquanto o número de alunos está crescendo. “Nós já estamos sufocados por causa da redução orçamentária dos últimos anos”, disse.

O reitor da UFSC, Ubaldo Cesar Balthazar, destacou a gravidade da situação também frente à desproporção entre o orçamento e o crescimento de alunos da universidade.  “Aparentemente há um crescimento positivo, quando olhamos a parte de orçamento pessoal e encargos sociais, por exemplo. No entanto, esse crescimento é desproporcional, e o percentual é pouco para o que precisamos”, afirmou. “Hoje temos sete meses para trabalhar com R$ 30 milhões, sendo que deveriam ser R$ 90 milhões”, completou.

Logo após a exposição dos dirigentes, o público se manifestou. Movimentos estudantis, entidades sindicais e representantes da educação básica se posicionaram contra o bloqueio e ressaltaram a importância da continuidade de manifestações a favor da educação.

Para finalizar o evento, o deputado Pedro Uczai apresentou um resumo de todas as falas das instituições e comunidade para composição da “Carta de Florianópolis”, que será apresentada na quarta-feira, 22/05, ao ministro da Educação. Entre alguns pontos do documento, foram encaminhados os seguintes: revogação da Emenda Constitucional 95/2019, fortalecimento da autonomia universitária, defesa da educação pública e não ao desmonte,  defesa da política de cotas, auditoria da dívida pública, não condicionamento da reforma previdenciária ao bloqueio orçamentário das instituições públicas de ensino, entre outros assuntos.

Confira aqui o vídeo do evento.

Texto e imagem: Cecom/Camboriú/Marília Massochin

IFC Camboriú participa de consulta pública para aprovação de Dia do Cão-guia em Itajaí

Os integrantes, usuários e voluntários do Programa Cães-guia do IFC – Camboriú participaram da Consulta Pública para criação do Dia Municipal do Cão-guia (25 de abril), no município de Itajaí/SC. O projeto, segundo o coordenador do Centro de Treinamento de Cães-guia do IFC, Luiz Alberto Ferreira, é de iniciativa da Câmara de Vereadores (vereador Marcelo Werner) e tem também o apoio do Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa com Deficiência do Município de Itajaí.

De acordo com Ferreira, o Projeto de Lei nº 117/2018 foi aprovado na consulta pública e agora segue para aprovação dos vereadores. “A intenção do projeto é, acima de tudo, educativa e busca esclarecer os direitos assegurados ao usuário do cão-guia, treinadores e famílias socializadoras. Contribui também para enfatizar a importância da política pública no Brasil, na qual o IFC Campus Camboriú é protagonista quando se trata de formação de profissionais para atuação na área”, finalizou o coordenador.

Fonte: Cecom/Camboriú
Fotos: Márcia Santos de Souza