IFC Camboriú participa de consulta pública para aprovação de Dia do Cão-guia em Itajaí

Os integrantes, usuários e voluntários do Programa Cães-guia do IFC – Camboriú participaram da Consulta Pública para criação do Dia Municipal do Cão-guia (25 de abril), no município de Itajaí/SC. O projeto, segundo o coordenador do Centro de Treinamento de Cães-guia do IFC, Luiz Alberto Ferreira, é de iniciativa da Câmara de Vereadores (vereador Marcelo Werner) e tem também o apoio do Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa com Deficiência do Município de Itajaí.

De acordo com Ferreira, o Projeto de Lei nº 117/2018 foi aprovado na consulta pública e agora segue para aprovação dos vereadores. “A intenção do projeto é, acima de tudo, educativa e busca esclarecer os direitos assegurados ao usuário do cão-guia, treinadores e famílias socializadoras. Contribui também para enfatizar a importância da política pública no Brasil, na qual o IFC Campus Camboriú é protagonista quando se trata de formação de profissionais para atuação na área”, finalizou o coordenador.

Fonte: Cecom/Camboriú
Fotos: Márcia Santos de Souza

Alunos do IFC Camboriú conquistam 1º e 3º lugares no Global Legal Hackathon BC 2019

Os alunos do curso de Bacharelado em Sistemas de Informação (BSI), do IFC Camboriú, Pedro Luiz Fernandes e Rafael Silva Neukirchen, conquistaram o primeiro lugar no Global Legal Hackathon (GLH) BC 2019. Além do primeiro lugar, o pódio do evento ficou quase completo com o IFC Camboriú. Das três colocações, o campus faturou também a terceira, com a equipe formada pelos estudantes Daniel Becker Bortoluzzi, Gabriel Mauro Lemos Lisbôa dos Santos e Renan Fernandes de Souza.

O GLH é o maior evento jurídico do mundo com foco na criação de soluções práticas para o mundo jurídico, seja para negócios ou acesso à justiça. Nesta edição participaram, aproximadamente, 5.000 pessoas, em 71 cidades espalhadas por diferentes países. Balneário Camboriú, cidade na qual o IFC Camboriú marcou presença, foi um dos municípios que sediou a primeira fase do evento, com mais de 150 pessoas, entre maratonistas e mentores.

De acordo com o coordenador do BSI e também mentor representante do IFC na área de tecnologia, Alexandre de Aguiar Amaral, o evento contou com participantes de diversas regiões de Santa Catarina e de outros estados. “Após 54 horas interruptas de maratona, as equipes apresentaram e convencerem uma banca avaliadora, compostas por membros da área jurídica, de negócio e de tecnologia”, destacou Alexandre.

Agora, os estudantes do IFC Camboriú vão encarar uma preparação para a próxima etapa do evento, que será online, no dia 15 de março. Os vencedores da primeira rodada apresentarão suas soluções como uma demonstração em vídeo para o painel de jurados internacional do segundo turno. Após essa etapa virtual, no dia 4 de maio, ocorre a final em Nova Iorque, nos Estados Unidos, com a demonstração das soluções tecnológicas para um painel ao vivo de juízes.

Confira a classificação do Global Legal Hackathon BC 2019:

•    1º lugar: Easy Legal – facilita o entendimento do “Juridiquês” (alunos do BSI – IFC Camboriú)
•    2º lugar: 2BRAVE (@twobrave) – fornece acesso jurídico a mulheres que sofreram algum tipo de violência.
•    3º lugar: Jus Check – uma plataforma que facilita a consulta penal (alunos do BSI – IFC Camboriú)

Segundo Amaral, as premiações foram de R$ 2,5 mil reais para a primeira equipe vencedora, R$1,5 mil para a segunda e R$ 500 para a terceira equipe. “Muito além das premiações, o evento proporcionou aos alunos a possibilidade de aplicar os conhecimentos adquiridos no curso de Sistemas de Informação em uma área e em problemáticas comumente não abordadas nos cursos de tecnologia, a área jurídica, bem como realizar networking com os demais participantes e empresários”, finalizou o professor.

Para mais informações sobre o evento, acesse: https://globallegalhackathon.com/

Texto: Cecom Camboriú / Marília Massochin 
Fotos: Alexandre Amaral

IFC lança vídeos institucionais dos campi

A partir de agora, todos os 15 campi do Instituto Federal Catarinense (IFC) contam com um vídeo institucional próprio. A ação de comunicação foi definida pelas equipes de Comunicação da Reitoria e dos campi em consonância com os objetivos do Plano Bianual de Comunicação do IFC 2018/2019, que versam sobre o fortalecimento e a consolidação da identidade e imagem institucional.

Produzidos pela Foco Propaganda, agência de publicidade, os vídeos são compostos por imagens das regiões em que estão inseridos os campi e de estudantes e servidores da instituição. A seleção das cenas também busca retratar os espaços físicos e as vivências realizadas cotidianamente nas unidades do IFC. Os roteiros foram elaborados em conjunto pelas equipes da produtora e da Cecom Reitoria, mediante consulta realizada aos comunicadores nos campi.

“Os materiais audiovisuais em questão são uma importante forma de divulgação, pois tratam especificamente da realidade de cada campus, situando o público com relação à região onde a unidade está inserida; às estruturas e aos ambientes que a compõem; e à oferta do serviço à população em geral, a partir da apresentação da atividade fim do IFC, como um todo, qual seja, a educação pública e gratuita de qualidade, em diversos níveis e modalidades. O objetivo dessas produções resume-se, portanto, a proporcionar ao público o conhecimento tanto das singularidades de cada campus do IFC quanto dos aspectos que conferem identidade à instituição”, explica Rafaela Zorzetto de Camargo, coordenadora-geral de Comunicação (Cecom) no IFC.

Em apenas dois dias, a playlist com os vídeos, no canal do IFC no YouTube, atingiu 1.649 visualizações. Clique aqui para assistir.

Texto: Cecom/Reitoria / Rosiane Magalhães
Arte: Cecom/Reitoria / Poliana Souza

IFC e IF Goiano promovem reunião para discutir Programa Cães-guia

Nesta semana, integrantes do Instituto Federal Catarinense (IFC) – Camboriú e o IF Goiano – Campus Urutaí realizaram uma reunião para discutir pautas do Programa Cães-guia. Durante o encontro, foram tratados os temas: organização do I Fórum Internacional para o Desenvolvimento de Programas Cães-guia, previsto para acontecer de 2 a 5 de abril, em Urutaí/GO; situação da política pública do Programa no Brasil e implementação de melhoramento genético de cães-guia.

De acordo com Leonardo Goulart Nunes, coordenador do Centro de Formação de Treinadores e Instrutores de Cães-guia do IF Goiano, as parcerias para melhoramento genético envolvem os IFs, a Federação Internacional de Cães-guia, a Universidade Federal de Goiás e as escolas de cães-guia filiadas à federação.

A reunião contou com a participação da reitora do IFC, Sônia Fernandes, dos diretores-gerais dos campi, Rogério Luís Kerber (IFC) e Gilson Dourado da Silva (IF Goiano), e integrantes dos Centros de Formação de Treinadores e Instrutores de Cães-guia.

Texto e foto: Cecom/Camboriú/Marília Massochin

Servidores do IFC participam da reunião do Codir em Camboriú

Membros do Colégio de Dirigentes (Codir), diretores de Administração e Planejamento (DAPs) e de Ensino (DDEs), juntamente a outros servidores convocados, participaram da reunião do Codir Ampliado, no IFC Camboriú, nos dias 29 e 30 de outubro.

O primeiro dia da reunião foi marcado pelas apresentações de dois convidados: Gustavo Moraes, do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), e Marco Antônio Maciel Pereira, do Instituto Federal do Triângulo Mineiro (IFTM).

Gustavo explicou sobre a Plataforma Nilo Peçanha (PNP), construída colaborativamente entre servidores dos Institutos Federais. Atualmente lotado na Setec, Moraes coordena o projeto da plataforma. “A Plataforma Nilo Peçanha foi criada para retratar a realidade da Rede Federal. Os indicadores dos censos usados até então não contemplam as especificidades dos Institutos Federais, uma vez que eles abrangem desde a educação básica até as pós-graduações. Na ausência de um padrão, cada Instituto construía os indicadores de acordo com a própria percepção”, destacou.

Marco apresentou as novas funcionalidades da Matriz Conif, que é a metodologia utilizada para distribuição dos recursos destinados aos Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia por parte da Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica (Setec). “A matriz cruza os dados com PNP para gerar o orçamento do campus. Para 2019, criamos novas abas para facilitar a construção e visualização no momento de construir o orçamento”, esclareceu.

No segundo dia, servidores do IFC apresentaram trabalhos sobre Comissão Própria de Avaliação (CPA), Sistema de Bibliotecas, Farol IFC e Projeto Pedagógico Institucional (PPI), e situações dos códigos de vaga para novos servidores. Além disso, outros comunicados acerca das atividades desenvolvidas pela equipe da Pró-Reitoria de Desenvolvimento Institucional (Prodin) foram enunciados na ocasião. Na sequência, os representantes de todos campi apresentaram seus planejamentos para abertura de novos cursos propostos para compor o Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI), que está em construção.

Codir

No dia 31, os membros do Codir permaneceram no IFC Camboriú para a 8ª reunião ordinária do Codir. Na pauta, foram discutidos a priorização institucional na abertura de cursos no IFC – PDI, o andamento dos trabalhos em relação à Portaria nº 2066/2018 e a solenidade de 10 anos do IFC. Além disso, foram explanados informes da Proen e comunicações da Reitoria.

Texto e fotos: Cecom/Reitoria / Rosiane Magalhães

Alunos do IFC ministram oficina para escola municipal de Balneário Camboriú

Os alunos do curso de Bacharel em Sistemas de Informação e bolsistas do Programa de Educação Tutorial (PET) do IFC Camboriú, Luiz Anthônio Prohaska Moscatelli e Nicolas Oliveira, ministraram a oficina “Arduino para iniciantes” (prototipagem eletrônica) para os estudantes do ensino fundamental do Centro Educacional Municipal (CEM) Alfredo Domingos, de Balneário Camboriú. A iniciativa em realizar a parceria entre as instituições partiu da gestora educacional Elisângella Vieira Linhares e do professor Oscar, do CEM, que entraram em contato com o campus em busca de conhecimento para desenvolver novas habilidades e comportamentos empreendedores nos alunos.

Com a “mão na massa”, conta o coordenador do PET, Kleber Ersching, os pequenos estudantes entraram no mundo da linguagem de programação e construíram protótipos de semáforos com tempos de abertura e fechamento planejados. De acordo com o coordenador, os alunos demonstraram interesse pela oficina e ficaram motivados a aprender mais sobre o assunto, “vislumbrando a prototipagem eletrônica em suas ideias empreendedoras”.

Kleber ressaltou que o CEM Alfredo Domingos pretende implementar no futuro a aprendizagem em prototipagem eletrônica, através do professor Oscar, que também participou das oficinas.

Fonte: Cecom/Camboriú / Marília Massochin

Professoras do IFC receberam homenagem pela participação nas Feiras de Matemática

No dia 21 de junho, foi realizado, na Universidade Regional de Blumenau (Furb), um evento em homenagem aos 34 anos de realização das Feiras de Matemática, organizado pelo professor Vilmar José Zermiani (Furb), idealizador do movimento.

Foi uma noite de homenagens e agradecimentos aos gestores das Feiras, dentre os quais foram mencionadas as professoras Fátima Peres Zago de Oliveira (Campus Rio do Sul), representante do IFC, e Araceli Gonçalves (Campus Camboriú), na ocasião representando a Sociedade Brasileira de Educação Matemática de Santa Catarina (SBEM-SC).

Evento contou ainda com a presença de Fernando José Garbuio, pró-reitor de Extensão e reitor substituto do IFC, da professora Paula Andrea Grawieski Civiero e dos estudantes Lariça Frena, Maria Luiza Dellajustina Dalcanale e Ronaldo Tambosi do IFC Rio do Sul.

“O IFC atua de forma ativa na formação de professores que participam das Feiras de Matemática, na organização, na coordenação da avaliação e do comitê científico e na realização das Feiras de Matemática regionais, catarinenses e nacional. A instituição é responsável também pelo Acordo de Cooperação Técnico-Centífica 135/2015, entre SBEM, Furb e Uneb, que tem como objeto a expansão das Feiras de Matemática em outros estados brasileiros e que tem um papel relevante em consolidar os princípios que regem o evento desde a origem”, explica Oliveira.

Texto: Cecom/Reitoria / Rosiane Magalhães, 
com informações da Proex.
Imagem: Internet

Seminário Interinstitucional das CPAs debate histórico das Comissões e expansão do ensino superior

Integração, troca de experiências e muito debate: esses foram os objetivos que reuniram instituições públicas no 1º Seminário Interinstitucional das Comissões Próprias de Avaliação (CPA) das Instituições de Ensino Superior (IES) de Santa Catarina. Durante um dia inteiro, o Campus Camboriú recebeu os representantes do Instituto Federal Catarinense (IFC), da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), do Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC), da Universidade Federal Fronteira Sul (UFFS) e do Universitário Municipal de São José (USJ) para assistir a palestras e à mesa-redonda a respeito da temática.

Para a abertura do evento, o reitor em exercício, José Luiz Ungericht Júnior, destacou a importância das CPAs para o aprimoramento das instituições. A reitora do IFSC, Maria Clara Kaschny Schneider, e o representante da UFSC Sérgio Luiz Ferreira também abordaram a relevância do Seminário para estabelecer uma rede de aprendizado e compartilhamento de informações a respeito das CPAs.

Após a abertura, Dilvo Ristoff, da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), ministrou a palestra: “Avaliação institucional do tabu ao totem”.

Da resistência à evolução das CPAs

De acordo com Dilvo, a aceitação das CPAs dentro das universidades não foi imediata quando as Comissões iniciaram os seus trabalhos. “Antigamente havia muita resistência ao ‘ser avaliado’. A avaliação era percebida como inoportuna e intrusa dentro das universidades”, frisou.

O panorama mudou duas décadas depois do surgimento, segundo Ristoff. “Hoje é muito fácil falar em defesa da avaliação e alinharmos as CPAs com a expansão do ensino superior no Brasil”, destacou. Com a nova visão, Dilvo apontou seis estratégias que contribuíram, em 2001, com a perspectiva: 1) expansão; 2) inclusão; 3) garantia de qualidade, credenciamento e acreditação; 4) uso de novas tecnologias; 5) formação de professores; e 6) internacionalização. Para o palestrante, ainda vale acrescentar a questão da sustentabilidade.

A visão de 2001, segundo Ristoff, foi basicamente transferida para os Programas de Democratização: Programa Universidade para Todos (ProUni), Reestruturação e Expansão das Universidades Federais (Reuni), novas universidades, Financiamento Estudantil (FIES), Sistema de Seleção Unificada (Sisu) e Institutos Federais (IFs).

De acordo com Dilvo, os Programas contribuíram com a expansão das IES no Brasil e com a inclusão. “Tudo isso mudou drasticamente o perfil dos estudantes no país : renda, origem, trabalho, cor etc.”, finalizou.

À tarde, o Seminário apresentou um panorama sobre as avaliações institucionais no Brasil e finalizou com uma mesa-redonda com a participação dos integrantes das CPAs das Universidades e dos Institutos do estado.

Texto e fotos: Cecom/Camboriú / Marília Massochin

Estudantes e professores do IFC participaram da VI Feira Nacional de Matemática

Pesquisadores, docentes e estudantes de mais de dez estados brasileiros participaram da VI Feira Nacional de Matemática (FNMAT), realizada em Rio Branco, capital do Acre, pela parceria entre o Instituto Federal do Acre (Ifac), o Instituto Federal Catarinense (IFC), a Universidade Federal do Acre (Ufac) e a Fundação Universidade Regional de Blumenau (Furb).

Na ocasião, o IFC foi representado por estudantes e professores, dentre estes as professoras* Fátima Peres Zago de Oliveira (IFC Campus Rio do Sul) e Araceli Gonçalves (IFC Campus Camboriú), responsáveis por um dos cursos de formação continuada ofertado na Feira.

“A formação contou com um público de aproximadamente 70 pessoas, dentre as quais estavam professores e acadêmicos do curso de Matemática de Rio Branco e de cidades vizinhas. Visava consolidar, junto ao grupo, os pressupostos epistemológicos e princípios que guiam o movimento das Feiras desde sua origem. Por isso, o foco foi contextualizar o processo histórico reflexivo das Feiras de Matemáticas e o princípio colaborativo que é eixo condutor na gestão no processo de avaliação e orientação dos trabalhos”, explicou Oliveira.

Durante a VI FNMat, Paula Andrea Grawieski Civiero, também professora do IFC Campus Rio do Sul, trabalhou a formação com os coordenadores de grupo de avaliação por meio do acompanhamento processual das reuniões, em conjunto à comissão coordenadora da avaliação da Feira.

Segundo os organizadores, nesta edição, foram expostos 89 trabalhos, com a participação de 82 orientadores, 68 avaliadores e 136 expositores, oriundos de 47 municípios de 11 estados da Federação: Santa Catarina (34 trabalhos), Acre (20 trabalhos), Bahia (9 trabalhos), Rio Grande do Sul (8 trabalhos), Amapá (7 trabalhos), Tocantins (3 trabalhos), Pará (4 trabalhos), Minas Gerais (2 trabalhos), Espírito Santo (1 trabalho) e Pernambuco (1 trabalho). Entre os projetos expostos, participaram 22 trabalhos de Institutos Federais de várias regiões do Brasil: IFC, Ifac, Ifap, IFTO, Ifes, IFMG e IFFarroupilha.

“Os projetos apresentados abordam temas relacionados à matemática aplicada e/ou inter-relação com outras disciplinas, materiais e/ou jogos didáticos e matemática pura, desde a educação infantil até a categoria professor, incluindo também a educação especial. Importante destacar o número expressivo de visitantes oriundos de escolas da região, da Ufac, Ifac, demais universidades, bem como da comunidade em geral. A comissão organizadora do evento estima um público de mais de 4.000 pessoas no evento”, revelou a professora do IFC Camboriú.

Realizado entre 23 e 25 de maio, o evento contou ainda com o apoio do Governo do Estado do Acre, da Prefeitura Municipal de Rio Branco, da União Educacional do Norte (Uninorte), da Gráfica Estrela, da Center Publicidade, da Universidade do Estado da Bahia (Uneb) e da Sociedade Brasileira de Educação Matemática (SBEM).

*As professoras representaram o coletivo de professores que compõe a Equipe de Trabalho do IFC, de acordo com a Portaria nº 3249, de 10 de dezembro de 2015.

 

Texto: Cecom/Reitoria / Rosiane Magalhães,
com informações das professoras

Campus Camboriú realiza o “Enem com IFC”

Arrecadação foi doada às famílias do município.

Realizado no IFC Campus Camboriú, o 1º Aulão Enem com IFC reuniu 120 estudantes e arrecadou 110 kg de alimentos não perecíveis para doação às famílias carentes do município, no dia 18 de maio. O aulão é parte do projeto de Extensão, idealizado e organizado pelo professor de Geografia, Marcelo da Silva.

“Muitos alunos não conseguem ingressar no Instituto Federal. Sabemos que somos reconhecidos pela qualidade de nosso corpo docente e temos inúmeros professores com expertises diferentes. Nossa função, como servidores públicos, é levar o IFC à comunidade. E vejo na Extensão a oportunidade de fazermos o bem, cada um com suas características e potencialidades”, aponta Silva.

Outras informações sobre o projeto podem ser obtidas diretamente com o professor pelo e-mail marcelo.silva@ifc.edu.br.

Confira as próximas datas já confirmadas para Aulão Enem com IFC:
15/06 – Jaraguá do Sul
04/07 – Balneário Camboriú
10/08 – Camboriú
24/08 – Itajaí
14/09 – Imaruí
05/10 – Camboriú

Texto: Cecom/Reitoria / Rosiane Magalhães