Edição 12 da Revista de Extensão está disponível para leitura

Lançada em janeiro, em versão online, a edição 12 da Revista Extensão Tecnológica do IFC traz artigos e relatos de experiência desenvolvidos em seis áreas temáticas: Educação, Saúde, Tecnologia e Produção, Comunicação, Cultura, Trabalho. Os arquivos estão disponíveis para leitura na página de publicações do Instituto. 

Extensão  Tecnológica: Revista de Extensão do IFC é  uma publicação da pró-reitoria de Extensão e tem como objetivo servir de espaço para a publicação de relatos de experiências e reflexões teóricas acerca da  Extensão realizada no âmbito da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica, principalmente nos campi do IFC.

Acesse aqui a revista completa e saiba também como publicar nas próximas edições. 

Confira a relação de trabalhos apresentados nesta edição:

O conteúdo luta no currículo da educação física escolar: possibilidades através do projeto Judô Escolar

A formação do professor de Matemática: reflexões compartilhadas e contribuições para repensar a prática da educação básica

Histórico do projeto Re_inventar: desenvolvendo habilidades em Engenharia

Robôs como ferramenta extensionista: a experiência do projeto de Robótica Pedagógica com a tecnologia de robôs Lego Mindstorms® do IFC Campus Luzerna

Estado da arte sobre o YouTube na educação

O estágio curricular como fenômeno extensionista: eficiência numa indústria de autopeças em Santa Catarina através da redução do tempo de setup numa máquina fresadora marca Lorenz®

A coordenadoria pedagógica como articuladora da relação escola-família no curso técnico em Química na modalidade integrado ao Ensino Médio no IFSC Câmpus Jaraguá do Sul

Vivências do programa de educação pelo trabalho para a saúde – Pet-Saúde Graduasus: uma experiência de capacitação com agentes comunitários de saúde como protagonistas

Formação de um centro de esporte, cultura e lazer como forma de integração entre o IFC Campus Videira e a comunidade videirense

Texto: Cecom/Reitoria/Rosiane Magalhães
Arte: IFC Videira/Maria José de Castro Bomfim

3ª Agrotec reuniu cerca de 700 participantes no IFC Santa Rosa do Sul

Instituto Federal Catarinense (IFC) Campus Santa Rosa do Sul promoveu a 3ª Exposição Tecnológica da Agricultura Familiar (Agrotec), no dia 23 de novembro, com a presença de aproximadamente 700 pessoas, que tiveram a oportunidade de conhecer melhor os trabalhos desenvolvidos no IFC, bem como os produtos das 20 organizações e empresas que apresentaram suas novas tecnologias, máquinas e produtos voltados ao desenvolvimento da agricultura familiar. As apresentações dos projetos deram-se em 33 pontos de visitação, distribuídos em todo o campus na forma de estandes, e em 17 minicursos ministrados pelos acadêmicos, egressos, servidores e empresas parceiras.

Segundo os organizadores, um ponto importante do evento é a exposição dos estudantes para a comunidade sobre os trabalhos e projetos de ensino, extensão, pesquisa e inovação desenvolvidos durante todo o ano, sob orientação dos servidores e em parceria com as organizações e empresas.

“A Agrotec diferencia-se dos outros eventos institucionais por estar inteiramente voltada para o desenvolvimento da agricultura familiar, visando abrir as portas do IFC para toda a comunidade. É um dia de visitação, de aprendizado, de troca de experiências, partilha de conhecimento e fortalecimento das parcerias com associações, cooperativas, produtores, organizações e empresas que recebem nossos estudantes para realização de estágio, que podem vir a ser seus próximos colaboradores. Momento importante também para os próprios produtores que visam melhores resultados com a aplicação das tecnologias apresentadas no IFC”, destaca Mauricio Duarte Anastácio, coordenador-geral de Extensão no Campus Santa Rosa do Sul.

Participantes tiveram a oportunidade de conhecer a produção de Kokedamas (técnica japonesa de jardinagem com plantas e musgos), cultivo de shiitake em toras de eucalipto, cultura da pitaya, produção e perspectivas e produção de embutidos, projeto de coleta, produção e doação de mudas de frutíferas, realizado com apoio do Sicoob Credija, que visa diversificar o cultivo de frutas e, ao mesmo tempo, recuperar nascentes e áreas de preservação permanentes. Também a Feira da Agrobiodiversidade, realizada por produtores que puderam expor seus produtos como os doces, geleias, queijos, cogumelos, pães, artesanato, dentre outros itens que valorizam o produtor rural e a geração de renda em toda a cadeia socioeconômica da região.

Organizadores do evento buscaram junto ao mercado oportunidades tecnológicas que promovam geração de renda nas pequenas propriedades rurais características do sul catarinense, agregando em qualidade para a vida do campo, além de tornar a instituição uma referência nas atividades que desenvolve, sendo uma vitrine aos participantes e expositores do evento, para adquirir novos conhecimentos e melhorar a produção.

“O evento chegou a esta edição mais fortalecido. Agradecemos aos que se fizeram presentes e colaboraram para a realização da 3ª Agrotec, tendo o IFC Campus Santa Rosa do Sul como instituição mediadora e executante de propostas que oportunizam o desenvolvimento e fomento da Agricultura Familiar”, finaliza Anastácio.

Texto: Cecom/Reitoria/Rosiane Magalhães
com informações da Extensão
Fotos: Divulgação/organizadores

Professor do IFC Camboriú fica entre os dez selecionados para participar da “Rede conectando saberes”

O projeto de extensão intitulado “Simulações das Relações Internacionais do Instituto Federal (SIIF), desenvolvido pelo professor do IFC – Campus Camboriú, Marcelo Silva, foi um dos dez selecionados em Santa Catarina (SC) para participar do “Seminário de boas práticas”, realizado em Joinville. O evento, organizado pela Rede Conectando Saberes e com apoio da Fundação Lemann, está marcado para o dia 23/11, no Centro de Educação Profissional (CEDUP) da cidade.

A rede “Conectando saberes” reúne professores de todo país comprometidos com a educação pública de qualidade. Apoiado pela Fundação Lemann, o grupo já conta com mais de 200 educadores no Brasil. A ideia da rede é reunir projetos interessantes, desenvolvidos em diversos pontos do país, para que sejam expandidos em outras instituições.

Clique aqui para conhecer mais sobre a rede “Conectando saberes”.

Sobre o projeto SIIF

O SIIF foi idealizado em 2015 pelo professor Marcelo, quando pertencia ao quadro do campus Fraiburgo. Em 2016, iniciou o processo de expansão do projeto, buscando a implantação em outros campi. Hoje, o SIIF também acontece em Fraiburgo, Camboriú, Videira e Araquari.

Texto: Cecom/Camboriú/Marília Massochin

IFC Araquari realizará Semana da Consciência Negra

O Dia da Consciência Negra é oficialmente comemorado por todo o território brasileiro no dia 20 de novembro. A data foi escolhida em alusão a Zumbi dos Palmares, líder que lutou para preservar o modo de vida dos africanos que conseguiram fugir da escravidão. A data será celebrada com uma semana inteira de atividades no Instituto Federal Catarinense Campus Araquari.

A Semana da Consciência Negra acontecerá na instituição de 18 a 23 de novembro de 2019 e contará com diferentes atividades, todas gratuitas e abertas ao público. Assuntos como discriminação, preconceito, construção de identidade e cultura afro-brasileira serão abordados durante o evento.

Veja abaixo a programação completa de atividades:

PROGRAMAÇÃO

Segunda-feira (18) – 19h15 – Abertura do evento e Cine debate “Do outro Lado do Atlântico”. Mediação de João Henrique de Oliveira, representante do Movimento Negro Maria Laura, de Joinville. Local: Auditório

Terça-feira (19) – 12h – Almosom especial: Almosoul
19h15 – Exibição do documentário “Itapocu” e Roda de Conversa com Alessandra Bernardino sobre o processo de reconhecimento das comunidades quilombolas de Araquari. Local: Auditório

Quarta-feira (20) – DUAS SESSÕES – 08h45 e 09h45 – Apresentação Cultural organizada pelos estudantes e pelo coreógrafo Leonardo Manoel, com o Grupo D Dance Roots da Escola de Educação Básica Dr. Tufi Dippe, de Joinville. Local: Auditório

Quinta-feira (21) – 14h – 1ª Reunião do NEABI – Núcleo de Estudos Afrobrasileiros e Indígenas. Local: Bloco D – sala 102b

Sexta-feira (22) – Almoço Afro – Apresentação de um prato da culinária brasileira que teve influência africana. Local: Refeitório

Sábado (23) – 08h – Apresentação do projeto “Como nasce um jardim?”
Cine Debate: curtas que discutem a questão do preconceito e construção da identidade Diálogo com o professor Sagaz e apresentação cultural (Centro Cultural Aruandê Capoeira). Local: Auditório

Texto: Cecom/Araquari

Trabalhos desenvolvidos no IFC Rio do Sul foram premiados em congresso nacional

Estudante de Agronomia Eduardo Affonso Jung e a professora Alexandra Goede de Souza, ambos do Instituto Federal Catarinense – IFC Campus Rio do Sul, apresentaram trabalhos no 22º Congresso Brasileiro de Floricultura e Plantas Ornamentais (CBFPO) e 9º Congresso Brasileiro de Cultura de Tecidos de Plantas (CBCTP). Os congressos foram realizados conjuntamente nas cidades de Petrolina (PE) e Juazeiro (BA), entre os dias 7 e 11 de outubro de 2019.

Trabalho “Durabilidade pós-colheita das hastes florais de gladíolo tratadas com diferentes soluções conservantes”, apresentado por Jung, conquistou o 1º lugar do Prêmio Melhor Trabalho Técnico-Científico na área de Floricultura e Plantas Ornamentais, na categoria graduação. “Efeito do sistema de cultivo na produção de gladíolos na região do Alto Vale do Itajaí, SC”, apresentado por Souza, ficou em 3º lugar na categoria pós-graduação.

“Os trabalhos de pesquisa e extensão com a cultura do gladíolo vêm sendo realizados no IFC Campus Rio do Sul, desde 2017, com objetivo de se estudar a adaptação da cultura na região do Alto Vale do Itajaí, bem como melhorar a durabilidade pós-colheita das hastes florais. Desta forma, são oferecidas alternativas de diversificação e renda às pequenas propriedades rurais da região, fortalecendo os arranjos produtivos locais”, explica Souza.

Durante os congressos, a professora também contribuiu em um minicurso e uma mesa-redonda sobre a cultura do gladíolo, com informações dos trabalhos realizados sobre a cultura em Santa Catarina, em especial no IFC Campus Rio do Sul. 

Sobre os congressos

Congresso Brasileiro de Floricultura e Plantas Ornamentais (CBFPO) e o Congresso Brasileiro de Cultura de Tecidos de Plantas (CBCTP) são realizados conjuntamente. O evento é uma promoção da Sociedade Brasileira de Floricultura e Plantas Ornamentais (SBFPO) e da Associação Brasileira de Cultura de Tecidos de Plantas (ABCTP). 

Tema central do evento em 2019 foi “Propagando Inovações para o Florescimento de Novos Mercados”, buscando contribuir não apenas com a cadeia produtiva, principalmente de flores e plantas ornamentais, mas também de outras espécies de interesse econômico e ambiental, como frutíferas, hortaliças, florestais e grandes culturas, pelo uso de tecnologias inovadoras de produção, em que a cultura de tecidos de plantas tem sido fundamental. 

Para saber mais, acesse aqui o site do congresso.

 Texto: Cecom/Reitoria/Rosiane Magalhães
Fotos: professora Alexandra Goede de Souza

“Dia da comunidade” reúne oficinas de prevenção de desastres e homenagens aos que contribuíram para realização do trabalho pelo IFC

O “Dia da comunidade”, promovido pelos profissionais do eixo tecnológico de segurança do Instituto Federal Catarinense (IFC) – Campus Camboriú, contou com uma programação repleta de atividades com o objetivo de promover a sensibilização para a redução e preparação para desastres, capacitação de recursos humanos e reconhecimento do trabalho voluntário e do esforço comunitário.

Com a participação de quase 200 pessoas, o evento iniciou ainda durante o dia, com oficinas de primeiros socorros, prevenção e controle de incêndios, autoproteção familiar e exercícios de evacuação de ambientes escolares.

Já no período noturno, foram entregues certificados de qualificação profissional e homenagens às pessoas que contribuíram para a realização de todo o trabalho de prevenção, promovido pelo IFC Camboriú.

O evento foi realizado no dia 11 de outubro, no auditório nobre do campus.

Confira as imagens do evento:

Texto: Cecom/Camboriú/Marília Massochin
Fotos: Marcos Alexandre Heinig

Aulão “Corrente do Enem” lota auditório do IFC Camboriú

Muita energia, cantoria e animação moveram o aulão “Corrente do Enem”, realizado no auditório do Instituto Federal Catarinense (IFC) Campus Camboriú. Com a presença de professores youtubers de todo o país, o auditório do campus ficou lotado de estudantes de escolas públicas e privadas da região para conferir as dicas e conteúdos para o Exame. “Fiquei muito feliz com a realização do evento, principalmente pelo carinho dos professores participantes, que vieram de longe, sem cobrar nada e deram realmente um show”, destacou o professor do IFC Camboriú e organizador do aulão, Marcelo da Silva.

Em troca do ingresso para participar do evento, os alunos doaram 2kg de alimentos não perecíveis. Com essa ação, o IFC Camboriú e apoiadores arrecadaram 832kg de mantimentos, que serão doados às famílias quilombolas e indígenas da região.

Apoiadores

Para viabilizar a vinda dos professores de outros Estados, o aulão contou com o apoio e colaboração na organização da Universidade Estadual de Santa Catarina (Udesc – pró-reitor de extensão, Fábio Napoleão, e diretor de extensão do campus Balneário Camboriú, Danilo Melo). Além do apoio do Centro de Educação Camboriú (Cecam) e do Instituto Educacional Jangada (Jaraguá do Sul/SC).

Texto: Cecom/Camboriú/Marília Massochin
Crédito das imagens: Marcelo da Silva

Rock’n’roll é inspiração para Projeto que discute a sociedade e envolve disciplinas de Humanas

Muito mais do que apenas um estilo musical, o Rock and Roll foi a marca de uma geração que revolucionou estilos de vida e modos de ver a sociedade. Resistência, crítica e rebeldia compunham os elementos presentes nas letras das canções que embalaram a juventude dos anos de 1970 e 1980 no Brasil e no mundo.

Com o objetivo de difundir a história do Rock e permitir aos estudantes analisarem como este movimento influenciou a organização da sociedade, da cultura e da política é que surgiu o Projeto “Escola do Rock: um olhar sociológico sobre a história do Rock’n’Roll. O Projeto de Extensão do Campus Videira iniciou no 1º semestre deste ano com encontros semanais e, a partir de setembro, foi levado para a Escola Adelina Régis em parceria entre professores das áreas de Ciências Humanas.

Coordenado pelo professor Marcos Roberto Mesquita, docente de Sociologia no IFC, o Projeto envolve ainda os professores Gabriel Schmitt (Sociologia) e Edneide Santanta (Artes), além dos alunos Karen Sabrina Matos de Oliveira e Jean Chaves. O público-alvo do Projeto são estudantes do IFC e moradores de Videira que gostem de Rock e se interessem em estudar o tema sob a perspectiva sociológica.

Mesquita explica que o Projeto traz uma conexão entre Rock e Ciências Humanas, em especial a Sociologia. “Dentro da disciplina, buscamos compreender e analisar como a sociedade se estrutura, quais são suas bases e seus elementos de mudança. O Rock foi um destes elementos que impactou a forma de ver o mundo das pessoas e a maneira como os jovens se expressavam em relação aos problemas do Brasil”, explica.

O Projeto consiste em análises expositivas, debates entre os participantes e apreciação de obras musicais que foram referência neste estilo, abrangendo os gêneros Punk, Heavy Metal, Hard Rock e Pop Rock.

Na Escola de Educação Básica Adelina Régis, o primeiro encontro do Projeto ocorreu no dia 04 de setembro com estudantes do segundo ano do ensino médio. A professora Valéria Guedes, que ministra Sociologia no Adelina Régis, comenta que a ideia é integrar professores de várias disciplinas, em especial os de Filosofia e Língua Portuguesa, pois ela vê a música como uma oportunidade de trabalhar diversos temas ligados a estas áreas.

Sentados na primeira fila e atentos às discussões do Projeto, os estudantes Pablo da Silva Carneiro e Vitor Batistela May gostaram da atividade e se programaram para tocar seus instrumentos favoritos no próximo encontro. Pablo toca violão e guitarra, e Vitor toca violão, gaita e teclado. “Achamos muito interessante e acreditamos que nos próximos encontros a tendência é ter mais discussões e até ‘polêmicas’, pois a nossa turma é bastante participativa”, comentam.

Até o final de 2019, estão programados mais quatro encontros, dois em outubro e dois em novembro. Para 2020, há expectativa de dar continuidade ao Projeto, por isso, futuros alunos e demais interessados também terão oportunidade de participar da iniciativa.

Texto e fotos: Cecom/Videira/Juliana Motta

Trote Solidário do Campus São Bento do Sul promove visita a Lar de Idosos

O projeto de Extensão Trote Solidário, do Campus São Bento do Sul, organizou uma visita ao Lar de Idosos São Luís, na cidade de Campo Alegre, no último dia 20. A ação contou com a participação dos calouros do curso de Engenharia da Computação e também de servidores da unidade e moradores da comunidade, que levaram flores (doadas por floriculturas da cidade), interagiram e conversaram com os moradores do local. O Coral do Campus também fez uma apresentação especial para os idosos do lar.

“Essa foi a quarta visita ao Lar de Idosos, mas a primeira vez com a participação do Coral”, conta a coordenadora do projeto, professora Ranúzy Neves. “A troca entre o grupo, os estudantes e os idosos foi muito rica. A empatia sempre gera bons aprendizados”. O estudante Felipe Veidz, bolsista do projeto, reforça esse sentimento. “Foi uma experiência incrível para todos; era nítido notar a alegria no olhar de cada um”.

O Trote Solidário é um projeto de extensão que promover ações sociais com o objetivo de sustentar a prática da cidadania e promover a integração dos calouros dos cursos de Engenharia de Controle e Automação e Engenharia de Computação com os demais colegas e servidores do ​Campus São Bento do Sul. Além da visita ao Lar de Idosos, o projeto promoveu este ano campanhas de doação de sangue e arrecadação de roupas de inverno.

Na próxima semana, os calouros visitam o Hospital Infantil de Joinville. “Os estudantes irão conhecer as crianças que estão fazendo quimioterapia. Vamos propor uma atividade lúdica, que envolve a empatia, na qual as crianças irão brincar de cabeleireiro, raspando o cabelo dos estudantes que se voluntariaram para isso”, explica a coordenadora do projeto. “A raspagem da cabeça é uma prática ainda comum nos trotes aos calouros das instituições de ensino superior; porém, essa terá um significado maior, pois vai envolver a realidade pela qual as crianças que têm câncer lidam durante o tratamento”.

Texto: Cecom/Reitoria/Thomás Müller
Imagem: Divulgação/Projeto Trote Solidário

IFC e IFSC trabalharão em parceria no desenvolvimento de plataforma para egressos

Estudantes e servidores dos Institutos Federais Catarinense (IFC) e de Santa Catarina (IFSC) trabalharão em conjunto no desenvolvimento de uma plataforma de relacionamento de egressos das instituições. A parceria firmou-se durante a realização do Seminário de Ensino, Pesquisa, Extensão e Inovação do IFSC (8º Sepei), realizado em Chapecó de 30 de julho a 1º de agosto.

Entre os eventos do Sepei, ocorreu o 1° Hackathon do IFSC, com objetivo de levar à comunidade acadêmica um desafio de programação para o desenvolvimento de uma plataforma de egressos. Esta atividade partiu da disponibilização de uma versão em desenvolvimento pela Fábrica de Software no IFC Campus Araquari, como resultado do projeto apoiado pela Pró-Reitoria de Extensão do IFC (Proex).

Composta pelos estudantes bolsistas da Fábrica de Software, Christopher Steffens Theilacher e Henrique Luiz Hartmann; pelo coordenador do projeto, professor Ivo Marcos Riegel; pelo coordenador de Sistemas da DTI na Reitoria, Emerson Batista Saldanha; e pelo pró-reitor de Extensão, professor Fernando José Garbuio, a equipe do IFC participou como júri do desafio em conjunto com a equipe do IFSC.

De acordo com Garbuio, a participação neste evento demonstrou a importância da integração das duas instituições no desenvolvimento de soluções em conjunto a partir de uma demanda existente na Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica. “Desde as primeiras turmas que estudaram nas então Escolas de Aprendizes e Artífices, criadas em 1909, até as atuais gerações que participam da rede dos Institutos Federais, existe uma agenda que merece atenção. Os alunos que se formam, ano a ano, vão perdendo vínculo com a instituição, e esse afastamento entre escola e egresso traz prejuízos tanto para o profissional formado quanto para nossos currículos. Sem o acompanhamento e o relacionamento com eles, perdemos informações valiosas que podem, a médio e longo prazo, qualificar ainda mais nosso serviço público”, justifica o pró-reitor do IFC.

A partir do resultado do desafio, que teve como vencedora a equipe XapSoft do IFSC Campus Chapecó, será elaborado um cronograma de atividades para o desenvolvimento da plataforma em conjunto entre as duas instituições. A previsão é de que ela seja concluída ainda no segundo semestre de 2019.

Texto: Cecom/Reitoria/Rosiane Magalhães
Fotos: arquivo pessoal