IFC Concórdia recebe visita técnica do APL Vale do Taquari

Servidores do IFC Concórdia receberam a visita técnica do Arranjo Produtivo Local (APL) de Agroindústrias Familiares do Vale do Taquari, do Rio Grande do Sul, no dia 23 de outubro. O objetivo da visita consistiu  na troca de experiências e vivências em projetos entre as duas equipes.

A visita foi significativa para o compartilhamento de conhecimentos, pois, no IFC Concórdia, os professores dos cursos de Agronomia e Engenharia de Alimentos trabalham com temas de relevância para os membros do APL, com destaque para as disciplinas relativas a agrofloresta, hidroponia, fruticultura, agroindústria de leite, e uso  de cereais e vegetais.

A equipe do APL foi representada por Eliane Kolchinski, coordenadora do APL e vice-reitora da UERGS; Gilberto Zanatta, presidente da Faterco, que é a entidade gestora do APL; Thaís Benincá, auxiliar técnica do APL; e Damiani Gabiatti, coordenadora do Projeto Erva-Mate na Mesa, Saúde para a Vida, vinculado à Faterco, para acompanhamento das tratativas de 28 produtores que possuem agroindústria no Vale do Taquari.

Texto: Cecom/Reitoria
com informações de Cristiane Aparecida Lissak
Coordenação Geral de Extensão do Campus

Painel de Integração tem 125 trabalhos apresentados em dois dias

O Painel de Integração (PI) foi a atividade que finalizou a Semana de Ensino, Pesquisa e Extensão do IFC Araquari. O Painel aconteceu nos dias 28 e 29 de setembro de 2018, com apresentações entre 9h e 13h, no ginásio de esportes da instituição. Cada um dos dias contou com, pelo menos, 700 pessoas envolvidas apenas nesta área do evento, entre apresentadores, visitantes e organizadores.

Para facilitar a participação externa no Painel, neste ano foi implementada a novidade de separação, em dois dias diferentes, das apresentações, com a alternância de trabalhos expostos. Dentre os 125 trabalhos presentes na sexta-feira e no sábado, pode-se dizer que todas as disciplinas do currículo escolar foram englobadas, assim como foram contemplados os conteúdos práticos relacionados à parte técnica dos cursos de Agropecuária, Informática e Química.

E é justamente esta a ideia do PI, uma proposta voltada para os estudantes do ensino médio, incentivando a interdisciplinaridade, a integração de conhecimentos e novas tecnologias de informação e comunicação aos processos de ensino e aprendizagem. Nele estão envolvidos professores (para orientação), servidores técnicos administrativos (como colaboradores), os próprios estudantes para a execução dos projetos e a comunidade como um todo para a participação e troca de informações nos dias do evento.

Diferentes de uma apresentação de trabalho comum, os trabalhos do Painel de Integração contam com um estande que é totalmente customizado pelos estudantes, a fim de expor e demonstrar as experiências e as atividades práticas que estão sendo realizadas. Ano a ano, são aperfeiçoados os materiais e as apresentações. Neste ano, por exemplo, houve um desafio extra: montar um estande “sustentável”.

Estande sustentável

Desafio lançado, desafio aceito! Essa foi a conclusão do Núcleo de Gestão Ambiental e da Comissão Organizadora do Painel de Integração. Os alunos do ensino médio demonstraram que é possível, sim, utilizar materiais menos agressivos ao meio ambiente.

Os TNTs e EVAs, utilizados em anos anteriores, deram espaço para jornais, papelão, papel kraft e tecido, que são materiais de maior degradabilidade. A criatividade foi muito além do imaginado e criou-se uma esperança que podemos produzir conhecimento respeitando nosso planeta.

Dos 125 estandes no Painel de Integração, 92 foram considerados sustentáveis, o que representa 74% do total! Cada estande produziu cerca de 0,557kg de resíduos recicláveis, totalizando 69,610kg nos dois dias de apresentações. Porém, um dado a ser destacado foi que no dia 29 foram gerados 46% mais resíduos do que no dia 28, ou seja, isso indica que é possível reduzir muito mais!

Por ser um evento anual, o desafio da conscientização para a próxima edição já começa neste ano. Pensando que cada estande pode fazer a sua parte, a meta para os próximos anos é ter um evento totalmente sustentável.

Os detalhes

Para compor o ambiente do Painel de Integração e tornar o espaço mais agradável, foi montado um espaço de convivência para os estudantes. Dentro do ginásio houve a ambientação com pallets, plantas, tecidos, almofadas e itens de decoração, que traziam não só o conforto, mas também a reflexão para quem passasse por lá.

Este ambiente de convivência foi utilizado também na abertura do primeiro dia de Painel de Integração, para uma homenagem póstuma a três estudantes da instituição que, durante o mês de setembro, vieram a falecer por diferentes razões. Todos reuniram-se e, com algumas palavras do diretor-geral do campus, lembraram com carinho das colegas.

A Semana de Ensino, Pesquisa e Extensão 2018 teve seu último dia no sábado (29), trazendo consigo uma semana de grandes experiências, muitos aprendizado, diversidade e cultura, além de novas oportunidades para os estudantes. Dentro da gama de atividades oferecidas para os participantes do evento, ficou marcado mais um passo para aprimorar e integrar ensino, pesquisa e extensão dentro de uma instituição que tem como seu objetivo ofertar ensino público, gratuito e de qualidade.

Para acessar um álbum completo com imagens de todo o evento, clique aqui.

Texto e imagens: Cecom/Araquari

Sepe 2018 contou com seis dias de atividades

A Semana de Ensino, Pesquisa e Extensão (Sepe) ofertou 133 atividades ao longo dos dias 24 a 29 de setembro de 2018, todas dentro das dependências do Instituto Federal Catarinense – Campus Araquari. Foram mais de 1400 participantes, ao total, que tiveram a oportunidade de assistir a cerca de 90 diferentes palestrantes.

As atividades começaram na segunda-feira pela manhã, com uma ação promovida pelo Grêmio Estudantil, que trouxe a arte urbana para dentro da instituição. Para a tarde, a partir das 13h30, foi reservado um espaço para a abertura oficial do evento, contando com a participação de autoridades institucionais e a apresentação artística da Banda de Metais do Corpo de Bombeiros Voluntários de Joinville.

Para a palestra inicial, após as 14h, foi convidado o professor Dr. Airton Spies, que tratou das “Perspectivas, desafios e oportunidades para o agronegócio brasileiro”. Na sequência foi passada a palavra ao professor Dr. Marcus Eduardo Maciel Ribeiro, que abordou, em sua fala, “A importância da valorização da pergunta do aluno na sala de aula”.

A abertura do período noturno contou com a apresentação artística dos estudantes dos cursos técnicos integrados ao ensino médio, Amon Reis e Abigail Maia, que performaram um repertório variado de músicas brasileiras. Posteriormente, o professor Marcus retomou a palavra e abordou “A pesquisa em sala de aula como proposta curricular”, fala que foi direcionada, nesse momento, a um público composto majoritariamente por alunos das licenciaturas.

Atividades na Sepe

Nos dias 25 e 26 de setembro, terça e quarta-feira, a Sepe transformou-se em um evento com múltiplas atividades acontecendo concomitantemente. Apenas nestes dois dias, quase 90 atividades foram realizadas das 8h às 22h, dentre elas: palestras, minicursos, oficinas, workshops e afins.

Estes dias são diferenciados por coincidirem com o início das semanas acadêmicas, que, no IFC Araquari, são todas condensadas dentro da Sepe. Desse modo, aconteceram as atividades das semanas de Agrimensura, Agronomia (SemaAgro), Informática (SemaInfo), Licenciaturas (SemaLic) e Medicina Veterinária (SemaVet).

Além dos momentos específicos para cada curso superior, foram também oferecidas atividades gerais para os cursos de nível médio, preparação para o Painel de Integração de Conhecimento, e, ainda, atividades culturais, como o AlmoSOM, que aconteceu de terça a sexta-feira, na área de convivência do Bloco E.

Trabalhos científicos

Já passando da metade do evento, a quinta-feira (27) foi reservada para a troca de experiências e informações científicas por meio da apresentação de trabalhos realizados dentro e fora da instituição, por estudantes, docentes ou outros profissionais.

Os trabalhos foram submetidos às modalidades de pôster científico ou comunicação oral, sendo pré-selecionados por uma comissão científica e, posteriormente, assistidos por uma banca no dia do evento.

A manhã do dia 27 contou com as apresentações de 71 pôsteres científicos, expostos no ginásio do campus e abertos para a visitação do público. Nos períodos da tarde e da noite, as salas do Bloco E receberam 88 apresentações de comunicações orais, que também eram abertas para a participação da comunidade.

A partir da tarde de quinta-feira, ao mesmo tempo em que ocorriam as apresentações em sala de aula, iniciaram-se os preparativos para o Painel de Integração do Ensino Médio, que aconteceu, no Ginásio da instituição, na sexta-feira e sábado, dias 28 e 29 de setembro.

Para acessar um álbum completo com imagens de todo o evento, clique aqui.

Texto e imagens: Cecom/Araquari

Mepec reforça caráter transformador do tripé ensino, pesquisa e extensão

Com uma programação diversificada, a Mostra de Ensino, Pesquisa, Extensão e Cidadania (Mepec) do Campus Blumenau cumpriu seu papel enquanto espaço de compartilhamento de atividades extensionistas, de ensino e de pesquisa desenvolvidas por estudantes de cursos de ensino médio/técnico e superior e por servidores. Foram 41 projetos, dos quais 30 apresentados em formato de pôster; 11 comunicações orais, e 14 oficinas; além de diversas apresentações culturais.

Enquanto nas salas de aula e na quadra de esportes os inscritos nas oficinas partiam para a prática, no hall, o lado artístico dos estudantes era exibido em apresentações de música, teatro e dança. Já nos corredores, reverberavam as vozes daqueles que apresentavam trabalhos em banners científicos, com temas que iam da sustentabilidade à robótica. Esse conjunto de ações multidisciplinares revela o caráter transformador do ensino, da pesquisa e da extensão.

Muitos dos projetos apresentados na Mepec fazem parte da disciplina Projeto Integrador, que tem a função de unir os conhecimentos técnicos já ministrados e aplicá-los à prática. Um desses projetos é o Girassol Tecnológico, desenvolvido pelos estudantes do técnico de Eletromecânica integrado ao ensino médio Ana Tozatti, Otto Gramkow, Gabriel Ternes, Sérgio Filho e Joyce Moser. Sob orientação do professor Damian Larsen Bog, eles desenvolveram um protótipo de painel fotovoltaico, que gera energia elétrica por meio da luz solar.

A equipe utilizou placa de metal, sensores, fonte externa, motor, bateria e o Arduino – uma plataforma de prototipagem eletrônica, que faz com que a placa fotovoltaica se mova durante o dia, seguindo o movimento do sol, como faz um girassol. “Três sensores de luminosidade foram posicionados no aparelho para que a luz pudesse ser seguida, fazendo com que a placa fotovoltaica receba uma maior incidência de luz solar para transformar em energia”, descrevem os estudantes, que têm entre 16 e 17 anos.

O coordenador de pesquisa, pós-graduação e inovação do campus, Ríad Mattos Nassiffe, lembra que um dos objetivos da Mepec é justamente o de contribuir para a formação de cidadãos críticos, comprometidos com a ciência e tecnologia, oportunizando a integração entre a comunidade e o meio acadêmico, tecnológico e cultural. “É durante a mostra que os estudantes têm oportunidade de apresentarem os trabalhos desenvolvidos no campus, mostrando para a sociedade o resultado do investimento na educação pública”, salientou.

Abertura

A solenidade de abertura do evento ocorreu no dia 27 de setembro, às 9h, e contou com a presença da diretora-geral, Marilane Paim, do diretor de administração e planejamento, Patric Griseli, do pró-reitor de pesquisa, pós-graduação e inovação do IFC, Cladecir Schenkel, do pró-reitor de extensão, Fernando José Garbuio; e dos coordenadores de pesquisa e extensão do campus, Ríad Nassiffe e Péricles Rocha, respectivamente.

Texto e fotos: Gisele Silveira | Jornalista JP 4506/SC

Projeto de extensão IFC Debate promoveu atividade no Campus Fraiburgo

Em 28 de junho, foi realizada no IFC Campus Fraiburgo a 2ª sessão do projeto de extensão IFC Debate com tema “Impeachments na breve história do Brasil República”. Participaram da atividade cerca de 70 pessoas entre estuadantes, professores e comunidade externa. A mesa-redonda, composta pelos professores Cristiane Aparecida Fontana Grumm, Vanderlei Cristiano Juraski e Rafael Vinícius Martins, debateu o impeachment como um instrumento jurídico e político amplamente difundido nos estados democráticos.

Foram analisados, a partir das conjunturas sócio-históricas das décadas de 1990 e 2010, os processos de impeachments de Fernando Collor de Mello e Dilma Rousseff. “O processo de impeachment está previsto nos ordenamentos jurídicos de muitos países democráticos. Servindo para preservar as democracias contra as arbitrariedades cometidas pelos governantes no exercício do poder. Contudo, em países com uma matriz cultural autoritária, este instrumento pode ser utilizado não para assegurar o Estado democrático de direito, mas para atingir os objetivos políticos de determinados setores da sociedade”, apontou Juraski, coordenador do projeto.

Segundo o coordenador, o projeto de extensão IFC Debate foi concebido para possibilitar a reflexão sobre temas que impactam a sociedade brasileira e que merecem ser aprofundados no ambiente acadêmico. “Os impeachments, por exemplo, não podem ser vistos como tabus dentro da escola. Esses processos precisam ser sistematicamente discutidos, a fim de possibilitarem um amadurecimento político dos estudantes e da comunidade externa”, concluiu.

Texto: Cecom/Reitoria / Rosiane Magalhães
com informações e foto do professor Juraski

Servidores participaram de capacitação telepresencial


Nos dias 13 e 14 de junho, aconteceu a capacitação telepresencial com o tema “Elaboração de projetos e redação de artigos científicos”. O curso foi disponibilizado para servidores dos campi e da Reitoria do IFC com o diferencial de permitir a interação por perguntas feitas aos palestrantes.

Transmitida diretamente do IFC Campus Camboriú, a capacitação foi organizada pela equipe da Pró-Reitoria de Extensão (Proex), em parceria com Pró-Reitoria de Ensino (Proen), Pró-Reitoria de Pesquisa, Pós-Graduação e Inovação (Propi) e todos os campi, com o objetivo de aperfeiçoar a produção científica e tecnológica do IFC.

O evento teve início na tarde do dia 12, de forma presencial, com uma capacitação para os coordenadores de Extensão, na qual as principais funcionalidades do SIGAA – Módulo Extensão foram apresentadas por membros da equipe da Proex, Natacha Coura Fernandes e Éliton Pires, e pelo coordenador-geral de Extensão do IFC Campus Santa Rosa do Sul, Maurício Duarte Anastácio. Na oportunidade, a coordenadora de Estágios e Convênios, Franciscarla Makiko apresentou o fluxo do processo para realização de convênios e cooperação técnica. Na mesma tarde, a equipe da Propi organizou e realizou uma reunião com os coordenadores de Pesquisa dos campi.

No dia seguinte, o curso telepresencial iniciou com a presença do engenheiro agronômo Luis Reynaldo Ferracciú Alleoni, docente no Departamento de Ciência do Solo da ESALQ/USP e editor-chefe da revista Scientia Agricola. Durante o dia, o palestrante apresentou dicas referentes à elaboração de projetos e artigos científicos com enfoque na escrita e na montagem de seus elementos e características gerais. O professor também reforçou a importância de escrever bem os trabalhos para uma melhor avaliação. Já no período da tarde, Alleoni ressaltou a relevância da boa aparência dos slides e da postura na apresentação de seminários para a valorização do projeto elaborado.

Na última manhã do evento, dia 14, foi feita a exposição de como os projetos, programas e ações no IFC devem ser apresentados. O coordenador Maurício iniciou demonstrando como fazer a submissão dos projetos, por meio do Módulo de Extensão do SIGAA, pela visão do servidor (docente ou técnico administrativo). O diretor de Pesquisa, Eduardo Werneck, esclareceu como fazer a inserção do currículo Lattes no sistema. Já a diretora de Ensino, Íris Weiduschat, apresentou o fluxo para submissão de projetos de ensino. A servidora da Propi Joseane Evaldt Corrêa Teixeira destacou a funcionalidade do cartão pesquisador e detalhou a forma correta da utilização e prestação de contas. Também esteve presente a professora Fátima Peres de Oliveira, que contou um pouco da experiência exitosa da organização de Feiras de Matemática e da publicação de livros sobre estes eventos.

A manhã foi finalizada com a abordagem da indissociabilidade Ensino-Pesquisa-Extensão com os representantes das três pró-reitorias: Íris Weiduschat (Proen), Cladecir Shenkel (Propi) e Fernando José Garbuio (Proex).

A capacitação superou as expectativas de público, com mais de 80 participantes presenciais e 160 na etapa a distância. A ação possibilitou aos participantes a ampliação dos conhecimentos quanto às técnicas de elaboração de projetos e artigos, bem como aos trâmites institucionais para submissão, execução, aprovação dos programas, projetos e ações, de modo a estarem integrados ao ensino, à pesquisa e à extensão-comunidade. Devido à boa aceitação pela comunidade, serão organizados e ofertados mais cursos para servidores e alunos da instituição. A organização agradece a participação dos servidores e tutores que colaboraram com o sucesso dessa capacitação.

Texto: Estagiária/Proex / Paôla Fernanda Dahlke

 

Campus Camboriú realiza o “Enem com IFC”

Arrecadação foi doada às famílias do município.

Realizado no IFC Campus Camboriú, o 1º Aulão Enem com IFC reuniu 120 estudantes e arrecadou 110 kg de alimentos não perecíveis para doação às famílias carentes do município, no dia 18 de maio. O aulão é parte do projeto de Extensão, idealizado e organizado pelo professor de Geografia, Marcelo da Silva.

“Muitos alunos não conseguem ingressar no Instituto Federal. Sabemos que somos reconhecidos pela qualidade de nosso corpo docente e temos inúmeros professores com expertises diferentes. Nossa função, como servidores públicos, é levar o IFC à comunidade. E vejo na Extensão a oportunidade de fazermos o bem, cada um com suas características e potencialidades”, aponta Silva.

Outras informações sobre o projeto podem ser obtidas diretamente com o professor pelo e-mail marcelo.silva@ifc.edu.br.

Confira as próximas datas já confirmadas para Aulão Enem com IFC:
15/06 – Jaraguá do Sul
04/07 – Balneário Camboriú
10/08 – Camboriú
24/08 – Itajaí
14/09 – Imaruí
05/10 – Camboriú

Texto: Cecom/Reitoria / Rosiane Magalhães

Educação Profissional com Ética e Responsabilidade foi o tema central do Congresso Nacional de Ensino Agrícola

Aconteceu na quinta-feira, dia 23, e na sexta-feira, dia 24, o III Congresso Nacional do Ensino Agrícola (Conea), o VI Congresso Estadual dos Técnicos Agrícolas de Santa Catarina (Cetasc) e o XI Encontro Estadual do Ensino Agrícola de Santa Catarina (Eneasc). Os eventos tiveram mais de 300 congressistas e foram realizados no auditório do Instituto Federal Catarinense, Campus Concórdia. O tema central dos debates foi “Educação Profissional com Ética e Responsabilidade”. O objetivo do evento foi mobilizar os professores das escolas sobre a responsabilidade na formação técnica de excelência, com responsabilidade e ética, colocando profissionais no mercado de trabalho que tenham condições de desempenhar suas funções e atribuições profissionais conforme prevê a lei.

O presidente do Conea, Gerson Batistella, explica que o déficit de aprendizagem dos alunos que chegam ao Ensino Médio é um dos obstáculos enfrentados pelas escolas e institutos que trabalham com Ensino Técnico Agrícola no país. “Uma das dificuldades que a gente percebe é que o aluno vem com muita defasagem ao Ensino Médio. A nossa missão é bastante complexa. Muitas vezes, recebemos alunos que mal sabem ler e escrever. Neste contexto, fica evidenciada a grande falha da educação em nosso país. Não precisamos nem dos indicadores que apontam que a nossa educação é ruim, ela está com problemas e a gente percebe isso em sala de aula. Temos um grande desafio, uma vez que não preparamos mão de obra, nosso objetivo e responsabilidade é preparar profissionais com formação integral, para serem empreendedores rurais, comerciais e agroindustriais. Formar e motivar para a sucessão familiar”, assinala.

Conforme Batistella, é preciso que as escolas deem ênfase às atividades práticas com os alunos. “Para que os alunos estejam preparados para o mundo do trabalho, precisamos oferecer a eles atividades práticas. Um curso profissionalizante jamais vai ter eficácia, se os estudantes ficarem somente na teoria. Nós precisamos desenvolver as habilidades desses alunos. Estamos trabalhando muito nesta ideia de que as práticas agropecuárias sejam um ponto fortíssimo na formação desses jovens e, para complementar, o estágio curricular obrigatório. O estágio garante a percepção clara da realidade desse nosso mundo do trabalho. Com isso acreditamos que é possível formar um profissional com excelência”, sublinha.

“Precisamos entender que nossos salários de gestores escolares e professores, são pagos com os tributos do trabalho produtivo dos profissionais que formamos para o mundo do trabalho. Isso representa a responsabilidade que temos em formar profissionais éticos e responsáveis para a continuidade desse importante ciclo econômico”.

O técnico em agropecuária Antonio Marcos Cecconello, um dos organizadores da programação realizada no Instituto Federal Catarinense, campus Concórdia, enaltece a qualidade das palestras e reforça a necessidade de que sejam buscadas ferramentas para melhorar o Ensino Técnico Agrícola no Brasil. “Foi um debate muito rico para refletir sobre a qualidade do ensino, a profissão do técnico em agropecuária e a ética ligada à atividade técnica. Há uma intensa discussão no país sobre uma proposta de reforma no ensino. Nós queremos formar técnicos com qualidade. Nós não podemos mais pensar em formar profissionais mais ou menos. A intenção do evento é retirar uma proposta e entregar à reitoria, sugerindo ações para o aprimoramento do ensino”, observa Cecconello.

Lançamento do livro do Conea

Na quinta-feira à noite no Salão Social do Clube 29 de Julho foi lançado o livro intitulado “A proposta Catarinense para o ensino Técnico Agrícola no Brasil”. A obra foi organizada pelo Conea e foi construída a partir da realização de cinco fóruns de ensino realizados no estado de Santa Catarina, com a participação de gestores escolares, coordenadores professores, técnicos agrícolas e representantes da iniciativa pública e privada ligados ao mercado de trabalho, nos quais os debates e discussões foram norteados pela promulgação da Lei 5.524/68 que reconheceu a profissão de Técnico Agrícola e Industrial, sendo regulamentada pelo Decreto 90.922/85 e atualizada pelo Decreto 4.560/2002.

Assim, entende-se que a legislação é clara sobre as atribuições do Técnico Agrícola e também sobre a responsabilidade das Instituições de Ensino formadoras desses profissionais, em trabalhar as competências, habilidades e conhecimentos necessários para que eles possam adquirir seus registros profissionais e exercer sua profissão conforme prevê a lei.

É um livro de extrema importância, pois não estamos propondo uma matriz curricular, mas sim as competências e habilidades que precisam ser trabalhadas nas escolas, para que os profissionais possam exercer sua profissão em plenitude. O nosso objetivo é que esse trabalho chegue às escolas de todo o Brasil”, acrescenta o presidente do Conea, Gerson Batistella.

Palestrantes

Os palestrantes dos dias de eventos foram: Alessandro Eziquiel da Paixão, que abordou o tema: “Organização do Ensino Médio articulado aos Cursos Técnicos”, Anibal Thiele, Humberto Aloisio de Oliveira e Reginaldo Plácido participaram de uma Mesa Redonda com o tema: “A Realidade dos Cursos Técnicos em Agropecuária no Estado de Santa Catarina”, Antonio Waldimir Leopoldino da Silva falou sobre “Sustentabilidade no Agronegócio e Sucessão Familiar, Silvio Walter discorreu sobre “O mercado de trabalho para o Técnico em Agropecuária e o Exercício da Profissão”, José de Paz Cury abordou a temática: “Cooperativismo e a 4ª Revolução Industrial” e Hugo Matias Biehl traçou um panorama sobre: “Perspectivas e tendências do agronegócio brasileiro e inserção dos técnicos em agropecuária nesse mercado”.

Realizadores dos eventos

A realização do III Congresso Nacional do Ensino Agrícola (Conea), o VI Congresso Estadual dos Técnicos Agrícolas de Santa Catarina (Cetasc) e o XI Encontro Estadual do Ensino Agrícola de Santa Catarina (Eneasc) foi da Associação dos Técnicos Agrícolas de Santa Catarina (Atasc), Conselho Estadual de Ensino Agrícola de Santa Catarina (Conea), Federação Nacional do Ensino Agrícola (Fenea), Núcleo dos Técnicos Agrícolas do Alto Uruguai Catarinense (Nutac), IFC Campus Concórdia e Sindicato dos Técnicos Agrícolas de Nível Médio de Santa Catarina (Sintagri).

Texto e fotos: Cecom/Concórdia

Haitianos participam de curso de Português para estrangeiros oferecido pelo IFC Ibirama

Até julho, um grupo de haitianos residentes em Presidente Getúlio, em Santa Catarina, participam do curso de Português para estrangeiros – Ano II, coordenado pelo professor Adriano Mafra, com a colaboração das professoras Chris Schardosim, Raquel Yee e da bolsista Giúlia Vitória Henschel, do curso Técnico em Administração do IFC Campus Ibirama.

As aulas decorrem de um projeto de extensão desenvolvido desde 2017 com esse grupo de haitianos residentes em Presidente Getúlio. “O propósito do projeto é oferecer aulas de Língua Portuguesa na modalidade língua estrangeira para falantes não-nativos. Os participantes do curso são adultos, com idades entre 21 e 34 anos, trabalhadores nas empresas da cidade. Esse grupo já participou da primeira turma do curso em 2017 e agora frequenta o segundo módulo do curso. As aulas foram iniciadas no dia 7 de maio”, apresenta Schardosim.

Para o segundo semestre de 2018 está prevista uma nova turma para iniciantes, com aulas também em Presidente Getúlio.

Texto: Cecom/Reitoria / Rosiane Magalhães

Equipe da Proex realizará capacitação telepresencial sobre elaboração de projetos

Nos dias 13 e 14 de junho, equipe da Pró-reitoria de Extensão do IFC promoverá capacitação telepresencial sobre elaboração de projetos, redação de artigos científicos e sobre a indissociabilidade do ensino, pesquisa e extensão. Capacitação será aberta aos servidores de todos os campi e reitoria.

Segundo os organizadores, em cada campi onde houver inscritos, a capacitação será transmitida ao vivo em um auditório com lista de presença para fins de certificação.

Interessados devem se inscrever, entre 17 de maio e 4 de junho, pelo SIGRH – Menu Servidor – Capacitação – Inscrições – Realizar Inscrição.

Texto: Cecom/Reitoria / Rosiane Magalhães
com informações da Proex