Reitora do IFC participa de Conferência Internacional de Educação

Reitora do IFC, Sônia Regina de Souza Fernandes, está no Rio de Janeiro, onde participa da Faubai 2018 Conference – Internationalization and Research: Challenges and Strategies (Internacionalização e Pesquisa: Desafios e Estratégias). Realizada pela Associação Brasileira de Educação Internacional, a conferência é considerada o evento mais importante sobre a internacionalização do ensino superior na América do Sul.

Segundo os organizadores, a proposta da Faubai é concentrar, na relação entre internacionalização e pesquisa, os desafios e as estratégias para implementar políticas abrangentes de internacionalização e a atratividade da pesquisa brasileira. Para isso, oportunizou o encontro de parceiros e especialistas para melhorar o conhecimento de políticas e programas internacionais.

Atividades foram iniciadas dia 14 de abril e encerram hoje, 18, na SulAmérica Convention Center, na capital carioca.

Texto: Cecom/Reitoria
Rosiane Magalhães / Jornalista

#Especial de Aniversário: Campus Blumenau completa cinco anos

No ano em que se comemoram os 10 anos dos Institutos Federais, o Instituto Federal Catarinense (IFC) Campus Blumenau completa cinco anos. Apesar de jovem, apresenta perfil de instituição madura, com expressivo potencial de crescimento. Desde sua criação, o campus saltou de um para nove cursos, que vão do ensino médio técnico à pós-graduação.

Ainda que o primeiro curso tenha sido ofertado em 2012, o campus foi oficialmente instituído por meio de Portaria no dia 23 de abril de 2013, com posterior publicação no Diário Oficial da União; data, portanto, em que se comemora seu aniversário. Mas essa história começou em 2010, quando uma comissão da Reitoria do IFC iniciou as visitas a terrenos com capacidade para abrigar o único instituto federal de Blumenau. Em novembro do mesmo ano, iniciou-se o processo de compra do imóvel da então empresa Bernauer, localizada às margens da BR-470, no bairro Badenfurt, com área de terreno de 55.174,31 m². Após visitas técnicas, engenheiros do IFC elaboraram o projeto arquitetônico, considerando a estrutura já existente.

Os primeiros servidores começaram a chegar em 2010. O assistente em administração Jardel Silvio Duarte chegou logo depois, em 2011. “Na época, éramos cerca de 20 servidores, em um espaço exíguo, trabalhando em meio a poeira e barulho, por causa da reforma do prédio”, relembra. Segundo ele, naquela época, o que se via era uma empresa desativada. “Hoje vivemos uma realidade diferente, com estrutura condizente com uma instituição de ensino”, observa.

De lá pra cá, o campus cresceu, formou e qualificou centenas de estudantes. O Programa Mulheres Mil, a Mostra de Ensino, Pesquisa e Extensão (Mepec), os seminários, as oficinas e vários outros projetos movimentaram o instituto e trouxeram a comunidade para um espaço gratuito, que oportunizou a troca de conhecimento e o compartilhamento dos espaços pedagógicos e dos laboratórios.

Das aulas na paróquia ao avanço na estrutura no campus

O primeiro curso oferecido foi o técnico em Informática Integrado ao Ensino Médio. Como o prédio ainda estava em reforma quando as aulas iniciaram, em fevereiro de 2012, foi preciso que alunos e servidores usassem, por cerca de quatro meses, três salas da Paróquia São João Batista, que fica a 800 metros do instituto.

A egressa Ana Paula Dahlke faz parte dessa história. Ela integrou a primeira turma formada pelo campus, em 2014. “A família da primeira turma continua viva. Temos um vínculo de carinho entre alunos e professores. Dedicávamo-nos integralmente aos estudos, por isso, somos muito ligados”. Hoje, Ana Paula cursa o último ano de Jornalismo na Universidade Regional de Blumenau (FURB). Ela acredita que a formação técnica elevou seu nível de capacidade para integrar o aprendizado anterior à profissão atual. “O ensino integral e de qualidade que o IFC oferece forma pessoas que mudam aos poucos e, constantemente, a realidade no âmbito local, regional e nacional”, avalia.

Passados seis anos da oferta do primeiro curso na região, o campus chega a 2018 com cursos técnicos integrados ao ensino médio, cursos técnicos pós-médio, cursos de graduação e de pós-graduação, além dos cursos de Formação Inicial e Continuada (FIC) – que visam a capacitação, o aperfeiçoamento, a especialização e a atualização de profissionais em todos os níveis de escolaridade, nas áreas da educação profissional e tecnológica.

Atualmente, são 98 servidores (41 técnicos administrativos e 57 professores) e 806 estudantes. Para atender ao número cada vez maior de alunos e servidores, a estrutura física do campus também vem se ampliando. Já são 6.679,85 m² de área construída, que abrigam salas dos professores e administrativas, 13 salas de aulas, 13 laboratórios – cinco de informática; um de pedagogia; um de física; um de multiciências; dois de eletromecânica; dois de mecânica e um de desenho –, além da quadra poliesportiva e do refeitório, que está em fase final de construção.

Cátia Wuerges pôde ver de perto os avanços do campus, ao mesmo tempo em que acompanhou o crescimento dos dois filhos mais velhos, que levam para a vida a passagem pelo IFC. A filha Natália Stasaitis se formou no técnico em Informática Integrado ao Ensino Médio, em 2015, e, hoje, o filho Tiago segue os passos da irmã. “Ótimas instalações, alunos tratados com respeito, conhecendo novas responsabilidades e, principalmente, uma das coisas que chamou atenção, e foi critério dessa escolha, foi a qualidade na formação dos professores. Logo, despertou no Tiago a mesma vontade de estudar no campus”, destaca.

Sobre a percepção dela em relação ao avanço do campus nos últimos anos, ressalta: “Sempre estão ocorrendo reformas e ampliações. Também houve instalação de novos armários para os alunos, salas e espaços novos terminados nesses últimos três anos. Melhoras acontecendo aos poucos. É gratificante”.

A diretora-geral pro tempore, Marilane Maria Wolff Paim, frisa a importância da instituição para o fomento da educação e, principalmente, para a formação cidadã. “O campus vem se consolidando como espaço de inclusão, cidadania e na oferta de oportunidade de qualificação profissional para jovens e adultos, que saem daqui preparados para o mundo do trabalho”.

Festa de aniversário está programada para segunda-feira

Para comemorar a data, estão sendo preparadas algumas atividades. Para que os estudantes de todos os períodos possam participar da festa, a programação está prevista para tarde e noite.

Confira a programação (23/04):

15h15: Solenidade de abertura do evento
15h15 às 22h: Exposição de cartazes com história do campus
16h: Inauguração da galeria de fotos de ex-diretores
16h30 e 19h30: Apresentações culturais
16h30 e 19h30: Parabéns e bolo de aniversário

Fonte: Cecom/Blumenau – Gisele Silveira / Jornalista

IFC participou da 1ª Expo Educação & Cultura em Blumenau

No último final de semana, 14 e 15 de abril, o IFC participou da 1ª Expo Educação & Cultura, na Vila Germânica, em Blumenau. Com entrada gratuita, a feira foi realizada com objetivo de apresentar as possibilidades educacionais e profissionalizantes oferecidas na cidade.

Para apresentar o IFC aos visitantes, foi montado um estande para informações e distribuição de material sobre os cursos oferecidos em todas as cidades, além de material específico sobre o Campus Blumenau.


No domingo, o público também teve oportunidade de assistir à palestra “IFC: 10 anos de educação pública, gratuita e de qualidade social referenciada”, ministrada pela reitora do Instituto, Sônia Regina de Souza Fernandes, e pela diretora-geral pro tempore do IFC Campus Blumenau, Marilane Maria Wolff Paim.

Texto: Cecom/Reitoria
Rosiane Magalhães | Jornalista

Aluna do Campus Camboriú é premiada na 16ª Febrace

E o Instituto Federal Catarinense (IFC) – Campus Camboriú é só orgulho com os estudantes! Dessa vez, o motivo foi a premiação do trabalho apresentado pela aluna do curso Técnico em Controle Ambiental, Beatriz Faga, na 16ª Feira Brasileira de Ciências e Engenharia (Febrace), realizada na segunda quinzena de março, em São Paulo (SP). Orientada pela professora Letícia Flohr e coorientada pelo técnico em laboratório Joeci Ricardo Godoi, Beatriz teve o trabalho “Avaliação da influência de material particulado inalável sobre internações por doenças respiratórias em Camboriú e Balneário Camboriú, SC” premiado com o 4º lugar na área de Engenharias.

Para Beatriz, participar da Febrace foi uma experiência maravilhosa, que trouxe um grande crescimento profissional, a possibilidade de dialogar com avaliadores e ouvir as suas sugestões e críticas construtivas. “Eu aprendi muito estando na Febrace e em todas as outras feiras de que participei. Todos esses eventos são experiências pessoais e acadêmicas, que eu recomendo a todos os outros jovens estudantes que conheço”, destacou.

A docente e orientadora Letícia Flohr ressaltou a qualidade e a busca de solução para problemas sociais e ambientais presentes nos projetos que estavam na Feira. “Foi uma experiência gratificante visualizar o melhor da iniciação científica em nível médio no Brasil. A troca de experiência e o contato com outros alunos e professores abre caminhos e instiga novos questionamentos. Com investimento e reconhecimento, a pesquisa científica tem grande potencial de crescimento no país”, finalizou.

Sobre a Febrace

A Feira Brasileira de Ciências e Engenharia é um movimento nacional de estímulo ao jovem cientista, realizada anualmente pela Universidade de São Paulo (USP). É reconhecida como a maior feira de Ciências e Engenharia do Brasil em abrangência e visibilidade.

A Febrace possui um importante papel social, incentivando a criatividade e a reflexão em estudantes da educação básica, por meio do desenvolvimento de projetos com fundamento científico, nas diferentes áreas das Ciências (Exatas e da Terra, Biológicas, da Saúde, Agrárias, Sociais e Humanas) e Engenharia e suas aplicações.

A 16ª edição envolveu 27 estados do Brasil e contou com a exposição de 346 projetos, apresentados por 732 estudantes finalistas, acompanhados por 485 professores orientadores/coorientadores.

Fonte: Cecom/Camboriú / Marília Massochin / Jornalista
* Com informações: Febrace

Abertas inscrições para Mostra de Experiências Exitosas da Reditec 2018

Estão abertas as inscrições de propostas para a Mostra de Experiências Exitosas da 42ª Reunião Anual dos Dirigentes das Instituições Federais de Educação Profissional e Tecnológica (Reditec), que será sediada pelo Instituto Federal Fluminense (IFF), de 10 a 14 de setembro de 2018, em Búzios-RJ.

A Mostra tem o objetivo de compartilhar e socializar os projetos de sucesso da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica, com foco em soluções que integrem os diferentes temas e as diversas ações do ensino, da pesquisa e da extensão, com a sua gestão.

Poderão submeter resumos os servidores da Rede Federal e os alunos do Mestrado Profissional em Educação Profissional e Tecnológica (ProEPT), ofertado em rede nos Institutos Federais.

As inscrições de trabalhos deverão ser realizadas no período de 16 de abril a 01 de julho de 2018. O link para inscrição e todas as orientações estão disponíveis no site da Reditec 2018.

Os trabalhos serão organizados em oito salas temáticas, para apresentação oral e em forma de pôster. As comissões de avaliação específicas de cada tema farão a seleção conforme os critérios de alinhamento com o eixo temático principal do evento: “O Trabalho no Século XXI – Globalização, Inovação, Educação Profissional e Tecnológica: Caminhos e Desafios para Inclusão”.

Serão priorizados na seleção trabalhos que integrem as diferentes dimensões do ensino, da pesquisa, da extensão e da gestão e os que tratem da articulação das instituições com os diversos setores da sociedade, em suas múltiplas dimensões.

Anais do evento – uma novidade na 42ª Reditec é que os resumos selecionados para apresentação na Mostra de Experiências Exitosas constarão nos anais do evento, que ficarão disponíveis no site. Os melhores trabalhos serão premiados e convidados para publicação no formato de artigo completo.

O pró-reitor de Pesquisa, Extensão e Inovação do IFF e membro da Comissão Científica da Reditec 2018, Vicente de Oliveira, destaca que a preocupação é dar publicidade às ações do evento. “A ideia é que pós-evento, toda a Rede Federal possa consultar as boas práticas e os casos de sucesso apresentados na Mostra”.

Datas importantes:

Submissão de resumos – 16/04/2018 a 01/07/2018;
Avaliação dos resumos pelas comissões – 02/07 a 29/07/2018;
Resultados das experiências exitosas – a partir de 30/07/2018;
Apresentações orais e de pôsteres – 12 e 13/09/2018.

Fonte: Comissão organizadora da Reditec 2018

Inscrições para Encceja 2018 acontecem em abril

Até 27 de abril, estarão abertas as inscrições para participação no Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja). Os interessados devem se inscrever pelo site do Encceja.

O Exame Nacional Para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja ) é uma prova do Instituto Nacional de Ensino e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP) para obtenção dos certificados do ensino fundamental e médio.

A participação no Encceja Nacional 2018 é voluntária e gratuita, destinada aos jovens e adultos com no mínimo 15 (quinze) anos completos, na data de realização do Exame, para o ensino fundamental, e jovens e adultos com no mínimo 18 (dezoito) anos completos, na data de realização do Exame, para o ensino médio, que não tiveram oportunidade de concluir seus estudos na idade considerada apropriada para cada nível de ensino.

“O papel do IFC é, exclusivamente, atuar como instituição certificadora para conclusão do ensino médio; cabe ao INEP a elaboração, aplicação, correção das provas e divulgação dos resultados do Encceja. Para ser certificado pelo IFC, o interessado deve indicar, no ato da inscrição, um de nossos campi e atingir nota mínima exigida para certificação ou obtenção de Declaração Parcial de Proficiência”, explica a pró-reitora de Ensino, Josefa Surek de Souza.

Sobre os locais de prova

Provas serão aplicadas no dia 5 de agosto. Para conferir o local de prova, o participante deverá imprimir o cartão de confirmação da inscrição pelo site do Encceja. As instituições, inclusive os campi dos Institutos Federais, não terão acesso à lista com nomes dos participantes, pois o exame será executado por empresa contratada pelo Inep.

Texto: Cecom/Reitoria
Rosiane Magalhães | Jornalista

Produtores de pitaya realizaram colheita no Sul de Santa Catarina

Produtores da Associação dos Produtores de Pitaya do Sul (Pitayasul) realizaram a segunda maior colheita da safra 2017/2018, que no total deve produzir cerca de 160 mil quilos de pitaya em aproximadamente 15 hectares. A colheita foi feita entre dias 12 e 16 de abril nos municípios de Santa Rosa do Sul, São João do Sul, Jacinto Machado, Sombrio, Balneário Gaivota, Ermo, Turvo, Timbé do Sul, Forquilha, Araranguá, Meleiro, entre outros do Sul catarinense.

Esta colheita é parte do resultado das ações realizadas pelo Instituto Federal Catarinense (IFC), mais especificamente pelo Campus Santa Rosa do Sul, em conjunto com os agricultores familiares, as entidades, os extensionistas (ATERs) do antigo Ministério do Desenvolvimento Agrário – MDA – e a Cooperativa de Agricultura Familiar e Artesanato (Coopervalesul), em prol do desenvolvimento da pitaya como alternativa de saúde para os consumidores e de renda para os agricultores familiares do Sul catarinense e, consequentemente, para Santa Catarina e Brasil.

“A perspectiva, caso a região continue organizada, é de aumento no consumo e consequentemente de oportunidades para produtores aumentarem sua renda no campo. Por meio de ações de pesquisa e de extensão, o IFC realiza investimentos para estar junto dos agricultores e das entidades, a fim de desenvolver e aprimorar as técnicas de cultivo e comercialização da fruta. Muitos desses produtores participaram de curso de capacitação oferecido no IFC”, explica Éliton Pires, diretor de Extensão no IFC e agricultor autorizado de pitaya.

Além da assessoria técnica agrícola para plantio e produção da fruta, os projetos do IFC contemplam também estudos para o conhecimento e o aperfeiçoamento da gestão financeira da atividade agrícola (custos e investimentos). Atualmente, o Campus Santa Rosa do Sul possui dois projetos aprovados pelo no Edital nº 267/2017, de apoio a projetos de pesquisa e extensão aplicados aos arranjos produtivos, sociais e culturais locais. São eles: “Atmosfera controlada e determinação de causas de ocorrência do ‘Cascão’ em pitaya” – Bruno Pansera Espindola; e “Análise econômica da produção de pitaya na agricultura familiar do Sul de Santa Catarina” – Carlos Antonio Krause.

Texto: Cecom/Reitoria / Rosiane Magalhães | Jornalista
Fotos: Cecom/Reitoria / Edwin Müller

Reitora do IFC participa de reunião do Conif

Sônia Regina de Souza Fernandes, reitora do IFC, está em Brasília, onde participa da 83ª reunião ordinária do Conselho Nacional das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (Conif). A reunião iniciada ontem, dia 10, seguirá até amanhã, dia 12.

Na pauta, o Conif está tratando das propostas de reordenamento dos campi dos Institutos Federais e também dos seguintes temas: UNAMEC (papel das auditorias internas); Mestrados em Rede (atual ProfEPT); Ensino Médio Integrado e Ingresso; Metodologia de Pesos da Matriz Conif e Plataforma Nilo Peçanha; Edital UAB e PPC – PROEJA – REDE – Especialização; Curso de formação Guarda Civil – Ministério da Justiça; REDITEC 2018; Sessão Solene em Comemoração aos 10 anos dos Institutos Federais na Câmara dos Deputados, entre outros.

Na ocasião, reitores tiveram oportunidade ainda de participar de uma palestra sobre “Relacionamento com a imprensa”, com Jorge Duarte, consultor em Comunicação.

Texto: Cecom/Reitoria / Rosiane Magalhães | Jornalista

Propostas de reordenamento dos campi dos Institutos Federais foram apresentadas aos reitores

Nesta segunda-feira, dia 9, as reitoras dos Institutos Federais em Santa Catarina, Sônia Regina de Souza Fernandes (IFC) e Maria Clara Kaschny Schneider (IFSC), assim como reitores de outros IFs, participaram de reuniões, na Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica do Ministério da Educação (Setec/MEC), para apresentação de propostas relativas ao reordenamento dos campi nos estados brasileiros.

Durante a reunião, foram apresentados, pela equipe da Setec, estudos iniciais de configuração demográfica. Trata-se de abordagens preliminares e exploratórias, que não serão implementadas sem amplo debate e que demandam, além de aprofundamento técnico, mobilização da comunidade, recursos financeiros e tratativas legais que não estão em curso no momento.

Diante da proposta, a reitora do IFC reitera a nota já publicada em conjunto com o IFSC e esclarece ainda que o assunto está sendo abordado no âmbito do Conif, na reunião iniciada ontem, dia 10. “Como já tratado na última reunião do Codir em Santa Rosa do Sul, nenhuma decisão será tomada sem o envolvimento da comunidade do IFC, bem como do IFSC”, ressalta Fernandes.

A reitora, reafirma o compromisso com os princípios, os objetivos e as finalidades dos Institutos Federias – na forma da Lei n° 11.892/2008.

Texto: Cecom/Reitoria / Rosiane Magalhães | Jornalista

IFC participa da 1ª Expo Educação & Cultura em Blumenau

No próximo final de semana, 14 e 15 de abril, o IFC participará da 1ª Expo Educação & Cultura, na Vila Germânica, em Blumenau. Com entrada gratuita, a feira será realizada com objetivo de apresentar as possibilidades educacionais e profissionalizantes oferecidas na cidade. A expectativa dos organizadores é receber 6 mil visitantes.

Além de contar com um estande para divulgar os seus serviços, o IFC também terá espaço para promover a instituição no cronograma de palestras do evento. No domingo, às 16h45, a reitora da instituição, Sônia Regina de Souza Fernandes, apresentará a palestra “IFC: 10 anos de educação pública, gratuita e de qualidade social referenciada”. Com vagas limitadas, as inscrições para a palestra são gratuitas e devem ser feitas pelo e-mail guiaespaconoiva@gmail.com.

Texto: Cecom/Reitoria / Rosiane Magalhães | Jornalista