Representantes do NuBi IFC participaram de congresso internacional em Florianópolis

Fotografia das tradutoras intérpretes de Libras, Samara, Rosana, Mara e Vanessa em frente ao pôster do NuBi, elas sorriem.Representantes do Núcleo Bilíngue (NuBi) do Instituto Federal Catarinense (IFC) participaram entre 27 de junho e 1º de julho, no Centro de Cultura e Eventos da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), em Florianópolis, de três eventos científicos simultâneos. São eles: 7º Congresso Nacional de Pesquisas em Tradução e Interpretação de Libras e Língua Portuguesa, 3º Congresso Nacional de Pesquisas em Linguística de Línguas de Sinais, 4º Seminário Franco-Brasileiro de Estudos Surdos: Línguas de Sinais, Artes, Tradução e Interpretação.

Na ocasião, três artigos científicos sobre os trabalhos desenvolvidos pelo NuBi na instituição foram apresentados na categoria pôster.

Durante a programação do 3º Congresso Nacional de Pesquisas em Linguística de Línguas de Sinais, foram comunicados os seguintes artigos: Experiência acerca do processo de elaboração do teste de Nivelamento em Libras: uma proposta de reconhecimento linguístico, elaborado por Afonso da Luz Loos, Mara Rubian Matteussi Garcia Kortelt, Samara dos Santos e Vanessa da Silva Rocha. Também Núcleo Bilíngue: Libras-Língua Portuguesa: proposta de uma Política Linguística para Educação de Surdos no âmbito do Instituto Federal Catarinense, produzido por Afonso da Luz Loos e Mara Rubian Matteussi Garcia Kortelt.

Já no 4º Seminário Franco-Brasileiro de Estudos Surdos: Línguas de Sinais, Artes, Tradução e Interpretação, foi apresentado o trabalho Projeto Integrador: glossário em Eletromecânica em Libras, organizado por Samara dos Santos e Luana Werner, sendo a última egressa do curso técnico em Eletromecânica integrado ao ensino médio do IFC Blumenau.

Além das comunicações dos artigos científicos, os representantes do IFC tiveram a oportunidade de participar de palestras com convidados da Alemanha, da França, do Reino Unido e de diferentes regiões do Brasil. Ainda conhecer as experiências desenvolvidas por pesquisadores em diversas instituições nacionais.

Os resumos de todos os trabalhos apresentados estão disponíveis no site oficial do evento em https://www.congressotils.com.br/index.php

Texto: Cecom/Reitoria/Rosiane Magalhães
Fotos: acervos pessoais

Plano de Dados Abertos do IFC oferece transparência e acesso facilitado a informações importantes

O Instituto Federal Catarinense (IFC) acaba de renovar, para os próximos dois anos (2022/2024), seu Plano de Dados Abertos (PDA). O documento, construído pela Comissão Permanente de Dados Abertos (CPDA), tem como objetivo organizar o planejamento das ações de implementação e promoção da abertura de dados da instituição — informações estas que são disponibilizadas no Portal de Dados Abertos.

“Todas as instituições têm que ter seu Portal de Dados Abertos; é uma norma do Governo Federal”, explica a diretora de Desenvolvimento Institucional do IFC, Bárbarah Sorgetz. “Nosso PDA inicial havia sido elaborado há cerca de dois anos e, portanto, já havia expirado. Então, havia a necessidade de renovar o documento — trabalho que cabe à CPDA”.

De acordo com Bárbarah, a Comissão é formada por um representante de cada pró-reitoria, sob a coordenação da Diretoria de Desenvolvimento institucional (Dides). “Cabe à equipe, no processo de formulação do PDA, determinar quais são as bases de dados que serão publicadas no nosso site e, posteriormente, manter as informações atualizadas. Já tínhamos uma lista das bases já abertas no plano antigo; a partir daí, nós revisamos este conteúdo, fizemos uma consulta pública sobre a relevância das informações disponibilizadas (voltada não só para estudantes e servidores, mas também para a comunidade externa) e atualizamos o Plano, acrescentando algumas novas bases a partir desse processo”.

As bases de dados adicionadas ao Portal de Dados do IFC são:

  •  Orçamento da Despesa Pública;
  •  Execução da Despesa Pública;
  •  Orçamento da Receita Pública;
  •  Contratos da Área de Gestão de Pessoas
  •  Contratos de Bens Serviços e Obras;
  •  Indicadores de Investimentos em TI e Comunicação;
  •  Empenhos Emitidos na Etapa de Execução da Despesa Pública

A diretora de Desenvolvimento do IFC ressalta que as informações são divididas em cinco grupos, relativos às cinco pró-reitorias: Ensino, Pesquisa, Extensão, Administração e Desenvolvimento Institucional. “Existem dados que são de divulgação obrigatória, como aqueles relativos a diárias e passagens, execução orçamentária e servidores, entre outros; no entanto, também divulgamos dados para além da exigência legal”.

“O Portal de Dados Abertos do IFC, assim como os sites similares de outros órgãos e instituições, funciona não só como uma ferramenta de transparência, mas também como uma fonte importante de dados para pesquisas. Um exemplo bem legal dessa funcionalidade veio na época da pandemia, quando o subcomitê científico do Comitê de Crise utilizou os dados abertos do governo estadual para montar o painel de monitoramento da Covid. A partir dos portais de dados, é possível acessar dados importantes com facilidade”, finaliza Bárbarah.

Texto: Cecom/Reitoria/Thomás Müller
Imagem: Divulgação/Portal de Dados

Pró-reitora de Ensino do IFC participa de missão da Setec/MEC na Alemanha

Entre os dias 15 e 22 de maio, representantes da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica participaram da Missão Setec/MEC Alemanha 2022, na região de Stuttgart, na Alemanha. As atividades foram coordenadas pela Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica do Ministério da Educação (Setec/MEC) e contou com 24 integrantes brasileiros vinculados a instituições de ensino, secretarias de educação, universidades e institutos federais. Na ocasião, o Instituto Federal Catarinense (IFC) foi representado pela pró-reitora de Ensino, Josefa Surek de Souza.

Segundo os organizadores, a missão tinha o objetivo de promover a troca de experiências em Educação Profissional e Tecnológica (EPT) e estabelecimento de parcerias entre gestores de políticas públicas da EPT do Brasil e contrapartes da Alemanha. Além disso, esperava-se a provocação para o planejamento e desenvolvimento de estratégias inovadoras para o sistema educacional brasileiro.

Para promover a cooperação bilateral Alemanha-Brasil, um dos objetivos dos visitantes foi conhecer o sistema de ensino, modelo dual da EPT na Alemanha que é um projeto educacional com características próprias e distintas do modelo de EPT desenvolvido no Brasil, por meio da Rede Federal. Portanto, durante esses dias, os brasileiros visitaram instituições de ensino e empresas alemãs que desenvolvem a formação dos adolescentes e jovens neste modelo de parceria entre as escolas e as empresas.

De acordo com a pró-reitora de Ensino, esse contato entre brasileiros e alemães foi um momento para troca de experiências. “Tivemos oportunidade de ouvir e dialogar com autoridades educacionais do estado de Baden-Württemberg e visitar universidades, escolas e empresas. Um dos destaques foi perceber o quanto as empresas envolvidas no sistema dual são preparadas para contribuírem com o processo formativo, devendo cumprir diversos requisitos. Também foi bem importante conhecer de perto a organização de uma escola pública de nível médio que abarca os três tipos de oferta da Alemanha, observando seus destaques, desafios e contradições”, apresenta Souza.

As atividades desenvolvidas na Alemanha estão relacionadas aos projetos já em andamento no Brasil para promoção da transição digital, ampliação de projetos e inovação e empreendedorismo para aplicação de medidas de melhoria no desempenho energético, inclusive com a oferta de cursos em energias renováveis e eficiência energética, além das frentes voltadas a economia circular e bioeconomia.

“Antes de implantar inovações no IFC, devemos considerar as características específicas de cada localidade. Um projeto com exatamente as mesmas características alemãs, talvez não seja o ideal em determinada região brasileira, mas a troca de experiências é fundamental para nos direcionar às novas possibilidades no momento de pensar e planejar os nossos cursos, projetos e espaços”, pontua a pró-reitora.

Nos próximos meses, os integrantes da missão devem se reunir para debater sobre os possíveis desdobramentos das atividades desenvolvidas nas cidades de Stuttgart, Ulm, Bonn, Esslingen, Backnang e Karlsruhe.

Texto: Cecom/Reitoria/Rosiane Magalhães
Fotos: arquivo pessoal

Seminário da Educação Profissional Técnica Integrada discute caminhos do Ensino Médio Integrado no IFC

A cidade de Sombrio foi a sede, nos últimos dias 24 e 25, do V Seminário da Educação Profissional Técnica Integrada ao Ensino Médio do Instituto Federal Catarinense (IFC). O evento foi um espaço de formação e avaliação das Diretrizes da Educação Profissional e Técnica Integrada ao Ensino Médio, e também da proposta pedagógica dos cursos técnicos integrados. O evento consiste em um espaço de formação e avaliação das Diretrizes da Educação Profissional e Técnica Integrada ao Ensino Médio, e também da proposta pedagógica dos cursos técnicos integrados.

A programação foi dividida em dois dias. O seminário teve início oficialmente no dia 24, às 13h, com o processo de credenciamento dos participantes. A solenidade de abertura começou às 13h30, com a participação do diretores do Campus Avançado Sombrio, Lucas Barchinski, e do Campus Santa Rosa do Sul, Jorge Luis Mota; os diretores de Ensino, Pesquisa e Extensão dos campi, Vitor Martin Souza e Cristiano Kochman (respectivamente); com o professor Cladecir Schenkel, representando a reitora Sônia Regina Fernandes; a diretora de Desenvolvimento Institucional do IFC, Bárbarah Sorgetz, representando a Pró-Reitoria de Desenvolvimento Institucional (Prodin); a diretora de Pesquisa, Pós-Graduação e Inovação do IFC, Marilane Paim, representando a Pró-Reitoria de Pesquisa, Pós-Graduação e Inovação (Propi); a pró-reitora de Ensino, Josefa Surek, e o pró-reitor de Extensão, Fernando Taques.

Em suas falas, além de dar as boas vindas aos participantes do Seminário, os componentes da mesa ressaltaram a importância do evento enquanto espaço de reflexão e acompanhamento sobre as diretrizes de Ensino Médio Integrado do IFC. “Que cada momento que tenhamos aqui, ao longo destes dois dias, tenha este objeto como foco: o que podemos fazer para melhorar a nossa instituição, sabendo que isso é um processo contínuo”, ressaltou a pró-reitora Josefa Surek. 

Continue lendo “Seminário da Educação Profissional Técnica Integrada discute caminhos do Ensino Médio Integrado no IFC”

IFC promove capacitação sobre utilização do Cartão Pesquisador e prestação de contas

O Instituto Federal Catarinense promoveu, na última quarta-feira (18) uma capacitação sobre a utilização do Cartão BB Pesquisador e os procedimentos para prestação de contas em projetos que envolvem recursos de capital e custeio. O encontro foi realizado no prédio da Reitoria, de forma presencial, e também transmitido ao vivo via RNP; a transmissão foi gravada, e pode ser assistida por meio deste link.

A capacitação foi ministrada pela servidora da Pró-Reitoria de Pesquisa, Pós-Graduação e Inovação (Propi), Joseane Evaldt Corrêa Teixeira. De acordo com ela, “O Cartão Pesquisador é um meio de pagamento articulado com uma instituição bancária, com autorização da Secretaria do Tesouro Nacional (STN), que deve ser utilizado na função de crédito e que proporciona ao(à) Pesquisador(a) mais agilidade, controle e modernidade na gestão dos recursos concedidos em editais”.

O evento contou também com a participação de representantes da Pró-Reitorias de Ensino (Proen), de Extensão (Proex) e de Desenvolvimento Institucional (PRODIN ), além de membros da própria Propi e de pesquisadores dos campi contemplados nos editais que envolvem o Cartão Pesquisador.

A diretora de Pesquisa, Pós-Graduação e Inovação da Propi, professora Marilane Wolff Paim, destacou a relevância de iniciativas como a capacitação. “Essa formação é importante para a adequada utilização dos recursos públicos que são empregados nos editais do IFC por meio do Cartão Pesquisador, que proporciona autonomia ao pesquisador para utilizar recursos e realizar a prestação de contas”.

A capacitação sobre o Cartão Pesquisador foi realizada Propi, por meio da Diretoria de Pesquisa, Pós-Graduação e Inovação, em parceria com a Proen, a Proex e a Prodin. Os pesquisadores participantes da capacitação foram contemplados nos editais listados abaixo:

Edital nº 80/2021 – Edital de apoio ao desenvolvimento de projetos voltados para a inovação “O meu primeiro invento”;
Edital nº 82/2021 – Edital de apoio ao desenvolvimento de projetos voltados para a inovação com demanda induzida;
Edital nº 84/2021 – Edital de apoio ao desenvolvimento de projetos voltados para a inovação em parceria com Micro e Pequenas Empresas – MPE’s;
Edital Conjunto nº 88/2021 – Edital de apoio a projetos integrados de ensino, pesquisa e extensão aplicados aos Arranjos Produtivos, Sociais e Culturais Locais nos campi do IFC e às Ações de Terapia com Animais;
Edital nº 90/2021 – Edital de apoio a propostas para prototipagem e transferência de tecnologias desenvolvidas no IFC;
Edital Conjunto complementar nº 14/2022 – Edital de apoio a projetos integrados de ensino, pesquisa e extensão aplicados aos Arranjos Produtivos, Sociais e Culturais Locais nos campi do IFC e às Ações de Terapia com Animais.

Texto: Cecom/Reitoria/Thomás Müller
Imagem: Propi/Divulgação

Consuper realiza cerimônia de posse dos membros do Biênio 2022/2024

 *Matéria atualizada em 23/02/2022

 Conselho Superior (Consuper) do IFC realizou, nesta terça-feira (22), a primeira reunião com os conselheiros eleitos para o Biênio 2022/2024. A abertura do encontro, realizado pela internet,  foi marcada pela cerimônia de posse dos novos membros, seguida de capacitação para os recém-chegados sobre os fluxos e procedimentos do órgão.

Também foram designados os membros de cada uma das Comissões Permanentes do Conselho: “Ensino”, “Desenvolvimento Institucional e Desenvolvimento Humano e Social”, “Administração e Planejamento”, “Pesquisa, Pós Graduação, Extensão e Títulos” e “Legislação, Normas, Regimentos e Recursos”. A reunião foi transmitida ao vivo pelo canal do IFC no YouTube; a gravação pode ser acessada aqui.

O Conselho se reuniu novamente na manhã desta quarta-feira (23), para tratar de novos pontos de pauta, também com transmissão em tempo real (acesse a gravação aqui). Devido a um pedido de vistas de alguns dos tópicos, a reunião terá continuidade na próxima sexta-feira.

Cerimônia de posse e a importância da representatividade

Após a abertura oficial da cerimônia pela reitora do IFC, Sônia Regina Fernandes, e a execução do Hino Nacional, representantes de cada um dos segmentos do Conselho fizeram uso da palavra. 

A reunião foi realizada via internet e transmitida ao vivo pelo YouTube

O primeiro a discursar foi o reitor do IFSC, Maurício Gariba Jr., na qualidade de representante do Ministério da Educação no Conselho. Ele deu uma breve descrição da função do Consuper e destacou a importância de sua atuação no aperfeiçoamento dos processos educativos, pedagógicos e administrativos dos Institutos. “A Educação e a Democracia são, historicamente, indissociáveis; uma só é plena na presença da outra. Nesse contexto, nossas instituições têm o papel fundamental de formar cidadãos verdadeiramente preparados para assumir seu papel em uma sociedade que alcance a democracia em toda a sua plenitude. E um Conselho Superior forte e representativo permite essa construção na medida em que, questionando, desvelando e democratizando  mecanismos de legitimação e exercício do poder, contribui para o desenvolvimento dos diversos grupos em interação. O Consuper é o espaço que reflete os princípios democráticos de nossas instituições, respeitando a sua diversidade”.

Em seguida, Luís Fernando Spanholi, conselheiro discente no Conselho, agradeceu a oportunidade de representar seus colegas estudantes e falou sobre a importância da participação dos alunos. “Reitero nossa missão, como estudantes dentro do Conselho, de nos envolvermos nas decisões deliberativas e prestar nossa colaboração de modo geral. Podem contar conosco para o que for preciso”, disse. 

Márcia de Jesus Xavier, representante dos servidores técnico-administrativos, destacou que a atuação no Consuper exige um processo de aprendizado. “É preciso dizer que participar de um Conselho dessa magnitude é um desafio, e nos colocamos na condição de aprendizes para atingir os objetivos propostos. Somos de uma área do saber, e vamos ter que estudar procurar saber de outras áreas para que possamos nos posicionar”. Márcia ressaltou ainda que, uma vez que a gestão democrática é um dos princípios previstos em vários documentos legais relacionados à educação, principalmente a Lei de Diretrizes Básicas, a observância à documentação é um dos papéis dos conselheiros. “Participar dos órgãos colegiados nos permite agir para defender este modelo de gestão, cujas decisões passam pelo olhar de todos os segmentos e da comunidade externa”. Márcia agradeceu ainda a atuação comprometida e atuante dos representantes que antecederam os novos conselheiros — “especialmente na última gestão, tão complexa, no contexto de pandemia, onde foi preciso atuar e compreender tantas em um cenário nunca antes imaginado. Nós acompanhamos as ações e ficamos muito gratos, uma vez que um dos valores colocados, com muita sensibilidade humana, foi o direito à vida”. 

O próximo a fazer uso da palavra foi o representante docente Rodrigo Martins Monzani, que manifestou a alegria de retornar ao Conselho, do qual participa pela quarta vez. “Conseguimos ter, neste órgão, um relacionamento republicano, centrado e propositivo. Entre tantas opiniões, às vezes contraditórias, mantemos o foco na instituição e naquilo que é mais importante: os processos formativos, o bem estar dos nossos servidores, a nossa missão, a legislação e a nossa Constituição Federal”. Ele ressaltou ainda que o retorno à presencialidade no ano letivo de 2022 significa uma época de oportunidades. “Aprendemos muito durante esse momento [de pandemia], principalmente com as tecnologias, e agora estamos aqui para que todos possam se erguer, seguir em frente e, de forma propositiva, atingir o objetivo de fazer desta Instituição uma referência nacional”. 

Após a fala do professor Monzani, a reitora Sônia Fernandes, agradeceu e reforçou as falas dos conselheiros que a antecederam. Ela destacou a importância dos processos democráticos e participativos nos Institutos Federais enquanto instrumento para preservação do direito constitucional à Educação. “Nesse contexto, gostaria de destacar, no âmbito da LDB, princípios que nos amparam nesta tarefa (e que muitas vezes são mal vistos ou mal interpretados como doutrinação), como a igualdade de condições de acesso, permanência e êxito dos estudantes; a liberdade de cátedra para ensinar, aprender, pesquisar e divulgar a cultura, o pensamento, a arte e o saber e o respeito à liberdade e o apreço à tolerância, dentre outras dimensões. Conceitos que embasam a criação da Rede Federal e que vão ao encontro daquilo que temos como grande missão e meta dos IFs — na perspectiva máxima do direito à Educação: a interiorização; estar em lugares em que a Educação Pública antes não estava”.

Por fim, o pró-reitor de Extensão do IFC, Fernando Taques, que integra o Consuper como representante dos dirigentes, chamou a atenção para o caráter fundamentalmente democrático do Consuper e do processo de compreensão plena, por parte de cada conselheiro, da sua função dentro deste contexto. “Ao longo do tempo, aprendemos muito humildemente qual é o nosso papel neste Conselho. O tempo de mandato passa muito rápido, e o que assegura o que o IFC precisa é justamente a humildade das nossas ações; de entender que estamos aqui representando a comunidade de uma forma muito democrática. E aí, faz parte do processo entender que os dirigentes do IFC integram esse órgão com parte do seu servir cotidiano à Instituição. Em cada reunião, cada um destes dirigentes olha para a Instituição com outros olhos, ampliando sua visão ao máximo e tentando entender de que forma podemos, à frente do Instituto, deixar um legado institucional”. 

Sobre o Consuper

O Conselho Superior (Consuper)  é o órgão máximo do IFC, com caráter consultivo e deliberativo. Cabe aos membros deste conselho debater e dar a aprovação final a todas as iniciativas, decisões e providências educacionais, financeiras e administrativas no âmbito do Instituto — incluindo aquelas deliberadas previamente pelas outras instâncias representativas. Algumas das diversas atribuições do órgão são: aprovar o Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) e o Projeto Pedagógico Institucional (PPI); apreciar a proposta orçamentária anual de cada campus e do Instituto como um todo; aprovar a estrutura administrativa e o regimento geral da Instituição; aprovar as diretrizes para atuação do IFC e zelar pela execução de sua política educacional.

A formação do Biênio 2022/2024 do Consuper é a seguinte: 

Presidente: 

Sônia Regina de Souza Fernandes – Reitora;

Representantes dos servidores docentes: 

Titulares: Rodrigo Martins Monzani, Sara Nunes, Lauri João Marconatto, Antonio Carlos Pedroso, Giovani Felipe; 

Suplentes: Samuel de Medeiros Modolon, Eliana Teresinha Quartieiro.

Representantes dos Servidores Técnicos Administrativos: 

Titulares: Márcia de Jesus Xavier, André Munzlinger.

Representante dos Discentes: 

Titulares: Luiz Fernando Santos Spanholi, Dilson Zibell, Vitor Henrique Küster Moraes Maximiano.

Representante dos Dirigentes: 

Titulares: André Kuhn Raupp, Fernando José Taques, Lucas Spillere Barchinski, Rudinei Kock Exterckoter e Sirlei de Fátima Albino; 

Suplentes: Adalto Aires Parada, Eder Aparecido de Carvalho, Fátima Peres Zago de Oliveira, Jaquiel Salvi Fernandes e Stefano Moraes Demarco.

Representante do MEC: 

Titular: Maurício Gariba Júnior (Reitor do IFSC); 

Suplente: Odacir Antonio Zanatta (Reitor do IFPR).

Os membros da Sociedade Civil, Egressos e Trabalhadores do Sindicato do IFC serão nomeados após término do processo de eleição com data a ser definida. As vagas não ocupadas serão preenchidas via eleição suplementar, conforme deliberação do próprio Conselho Superior.

Texto: Cecom/Reitoria/Thomás Müller
Imagem: YouTube/Reprodução 

Estudante do IFC conquista medalha de bronze na Olimpíada Internacional de Astronomia e Astrofísica

A estudante Gabriela Martins dos Santos, do Instituto Federal Catarinense — Campus Brusque, conquistou medalha de bronze ao defender o Brasil na 14ª edição da Olimpíada Internacional de Astronomia e Astrofísica (IOAA) — competição para estudantes do ensino médio e alto desempenho de todo o mundo. Gabriela, que cursa o curso técnico em Informática integrado ao Ensino Médio, participou de uma equipe de dez estudantes, formada por meio de um extenso processo seletivo organizado pela Olimpíada Brasileira de Astronomia (OBA) e instituições parceiras — entre elas, o Observatório Nacional (ON).

Gabriela é a primeira catarinense a participar da IOAA. Este ano, a competição reuniu estudantes de 48 países, e foi realizada de forma entre 14 e 21 de novembro de 2021, sob coordenação da Colômbia. “A Olimpíada era pra ter acontecido na Colômbia mas, por causa da pandemia, cada país juntou os estudantes em um único local pra realizar as provas durante uma semana; no caso do Brasil, foi em Vassouras-RJ”, conta a medalhista. “Foi uma semana bastante estressante por causa das provas e problemas que surgiram pelo fato de ser em formato híbrido, mas também foi enriquecedor conhecer pessoas de várias partes do país e aprender mais com elas”, diz.

A estudante ressaltou aquele que, para ela, é o ponto mais positivo de toda a experiência. “Eu diria que é o sentimento de quando as coisas começam a fazer sentido na sua cabeça; quando você pega algum conceito e consegue aplicá-lo pra chegar em um resultado que você não esperava. Mas eu também tenho que falar da união entre os alunos durante toda a seleção, que tornou o processo mais ‘humano'”. Ela falou também sobre o processo de seleção para participar da IOAA. “A OBA é uma olimpíada não tão conteudista, focando mais em divulgar a Astronomia, então essa primeira parte foi mais tranquila. Já o processo seletivo após a OBA foi bastante longo e muitas vezes cansativo, mas o conhecimento adquirido e as pessoas que conheci fizeram valer a pena”.

De acordo com Gabriela, o interesse pelas Ciências Exatas teve início ainda no Ensino Fundamental. “No nono ano, eu tive um professor que me fez pensar criticamente e me motivou a aprender coisas novas. Aí acabei me identificando mais com a área de exatas”, explica, acrescentando que estudar no IFC também trouxe uma influência positiva. “O apoio dos professores, principalmente de Física, foi fundamental, além do apoio financeiro que tive para participar da Olimpíada”.

A medalhista da IOAA deixou ainda alguns conselhos para os colegas que pensam em participar dos eventos nos próximos anos. “Atualmente, existem vários projetos de estudantes que participaram dessas Olimpíadas na internet e que são muito úteis na preparação. No geral, você vai ter que estudar sozinho, por isso é importante se divertir com isso”.

O professor Marcos João Correia, responsável pela Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astrofísica (OBA) no Campus Brusque, elogiou a atuação da estudante. “A Gabriela é extremamente dedicada aos estudos e tem grande paixão pela área de Astronomia — e foram estas qualidades que propiciaram lograr êxito nesta missão”. “A dedicação e o desempenho da discente motivam muitos outros estudantes catarinenses”, acrescenta o diretor-geral do campus, Eder Aparecido de Carvalho.

Texto: Cecom/Brusque/Eddy Eltermann e Cecom/Reitoria/Thomás Müller
Imagem: Cecom/Brusque

Estudante do Campus Rio do Sul participa de evento com vencedores do Nobel

Para discutir o impacto da ciência e o papel dos cientistas na sociedade, cinco vencedores do Prêmio Nobel vão se reunir virtualmente com 80 estudantes de cerca de 20 países da América Latina e do Caribe. O evento, organizado pelo Nobel Prize Outreach, pela Academia Brasileira de Ciências (ABC) e pela Rede Interamericana de Academias de Ciências (IANAS), será transmitido para uma audiência global em 16 de novembro.

O Brasil será o país com o maior número de representantes, 16 no total. Entre os selecionados está Heloísa Gabriela Paterno, do curso de Licenciatura em Matemática do Campus Rio do Sul. Ela já está ansiosa com a participação e se diz preparada para conversar com Saul Perlmutter, que é astrofísico e laureado com o Nobel de Física em 2011. “Estou super animada, ainda mais porque sou apaixonada pelo espaço e astronomia, e a pesquisa pela qual ele recebeu o Nobel é justamente sobre a expansão do universo e energia escura,” comentou.

Ela fez a inscrição no edital por incentivo do professor do curso e por ser envolvida com ativismo e projetos sociais na área de educação e divulgação científica, acabou aceitando a oportunidade imediatamente. “Sempre estou pensando no impacto que a ciência tem e pode ter, e como fazer uma ponte entre a população e as contribuições científicas, e é exatamente isso que o evento propõe discutir. Tenho certeza que será uma ótima oportunidade integrar essa restrita comitiva virtual”.

De acordo com o professor Bruno Henrique Labriola Missé, o curso de Licenciatura em Matemática do Campus Rio do Sul sempre teve o compromisso de manter a unicidade entre o Ensino, Pesquisa e Inovação e a Extensão, por esse motivo, desde o primeiro semestre, os alunos são orientados a desenvolver pesquisas autorais e se envolver no universo da Ciência.

Para Bruno, o Edital conjunto PROPI, PROEX e PROEN 78/2021 foi uma possibilidade de os acadêmicos participarem de um encontro com os laureados com o prêmio Nobel, uma experiência única para o acadêmico que tem o perfil de educador e pesquisador. “Neste sentido, ficamos muito orgulhosos de nossa Heloísa Gabriela Paterno que foi escolhida para esse momento tão importante”, completou o professor, que coordena o curso de Licenciatura em Matemática.

Participantes

Diálogo Prêmio Nobel América Latina e Caribe terá a presença de nomes de peso como a microbióloga francesa Emmanuelle Charpentier, vencedora do Nobel de Química em 2020 por criar, junto com a norte-americana Jennifer Doudna, uma ferramenta revolucionária capaz de editar a estrutura do DNA humano, que ficou conhecida pelo acrônimo CRISPR. Além de Charpentier, participarão do encontro a australiana Elizabeth Blackburn e a norueguesa May-Britt Moser, vencedoras do Nobel de Medicina em 2009 e 2014, respectivamente; o norte-americano Saul Perlmutter, Nobel de Física em 2011; e o holandês Bernard Feringa, Nobel de Química em 2016.

No encontro, os laureados estarão reunidos com 80 estudantes de graduação e pós-graduação de quase todos os países da América Latina e do Caribe. Divididos em cinco salas virtuais, eles debaterão questões como a responsabilidade dos cientistas e a construção de diálogos entre a ciência, os atores políticos e a sociedade. Os cinco Prêmio Nobel também vão propor desafios científicos aos jovens e responderão a questões propostas pelos estudantes.

Este é o segundo encontro da parceria entre o Nobel Prize Outreach e a ABC, desta vez com estudantes da América Latina e do Caribe no evento, trazendo mais pluralidade para as discussões. A região enfrenta desafios como mudanças climáticas, instabilidade política e desigualdades sociais, além de ter sido uma das que mais sofreram as consequências da pandemia da COVID-19 no mundo.

O programa será moderado pelo diretor científico da Nobel Prize Outreach, Adam Smith, e o professor de psicologia clínica integrativa e membro do comitê do Prêmio Nobel Juleen Zierath. O evento é organizado pelo Nobel Prize Outreach, pela Academia Brasileira de Ciências e pela Rede Interamericana de Academias de Ciências com o apoio dos parceiros internacionais do Nobel: 3M, ABB, Capgemini, Ericsson e Scania.

Congratulações

A Pró-Reitoria de Extensão do IFC, por meio da Assessoria Internacional,  emitiu uma nota de congratulações a Heloísa pela participação no evento. O texto integral é o que segue:

“É com grande satisfação que parabenizamos a Aluna Heloísa Gabriela Paterno, estudante do Curso de Licenciatura em Matemática do Campus Rio do Sul, que foi selecionada para participar do evento “Unidos pela Ciência – Diálogo Nobel América Latina e Caribe”, organizado pela Academia Brasileira de Ciências (ABC).

Heloísa Foi selecionada pelo edital Interno 78/2021 PROEX – Assessoria Internacional e participou do processo seletivo que reuniu mais de 150 candidatos, de 86 universidade publicas, confessionais e privadas de 23 Estados, além do Distrito Federal. O Diálogo Nobel reunirá cinco laureados com o Prêmio Nobel e 80 estudantes da América Latina e do Caribe para uma discussão sobre a importância da Ciência e da sua contribuição para a formulação de políticas públicas.

Os ganhadores do Prêmio Nobel que participarão do evento são: Elizabeth Blackburn (Fisiologia ou Medicina, 2009), Emmanuelle Charpentier (Química, 2020), Bernard Feringa (Química, 2016), May-Britt Moser (Fisiologia ou Medicina, 2014) e Saul Perlmutter (Física, 2011).

A nossa aluna, Heloísa, participará da mesa redonda com Saul Perlmutter, Prêmio Nobel de Física em 2011, no dia 16 de novembro de 2021 das 13h às 16h (horário de Brasília), no Evento online.”

Serviço

Unidos pela Ciência – Diálogo Prêmio Nobel América Latina e Caribe

Data: 16 de novembro

Horário: 13h – 16h (horário de Brasília)

Transmissão: https://www.youtube.com/channel/UC-V6odR7HzLCuqjYeowPjLA

Texto: Cecom/Rio do Sul/André Munzlinger, com informações de Corcovado Comunicação/Cecília Manzoni
Imagem: Arquivo Pessoal/Heloísa Paterno

Reditec 2021: Chamadas para experiências exitosas, lançamento de livros e atrações musicais

A comissão organizadora da 45ª Reunião dos Dirigentes das Instituições de Educação Profissional e Tecnológica – REDITEC – divulga, nesta quinta-feira, dia 16/09/2021, três chamadas públicas para apresentação virtual durante a 45ª REDITEC, a ser realizada de 29 de novembro a 02 de dezembro de 2021, em Brasília.

A Chamada Pública 06/2021 tem o objetivo de selecionar obras para o lançamento ou relançamento durante a programação do evento, desde que publicadas pelas editoras que compõem a Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica.

A Chamada Pública 07/2021 selecionará vídeos com relatos de experiências exitosas vivenciadas na Rede, nas temáticas: ações de combate à pandemia, ações de combate ao racismo, ações de inclusão e de gênero.

A Chamada Pública 08/2021 selecionará vídeos de atrações musicais, podendo ser no formato de concerto, coral, orquestra, banda, showperformance vocal, performance instrumental, dentre outros.

As inscrições são destinadas apenas aos servidores que compõem a Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica e estarão abertas até o dia 17/10/2021. 

Outras informações poderão ser obtidas por meio da comissão organizadora: e-mail  reditec@ifb.edu.br. No assunto, inserir o número da Chamada a que se refere.

Acesse os documentos:

Seleção de Obras publicadas pelas Editoras – Chamada Pública nº 06/2021 e Anexo/6

Seleção de Relatos de Experiências Exitosas – Chamada Pública nº 07/2021 Anexo/7

Seleção de Atrações Musicais – Chamada Pública nº 08/2021 e Anexo/8

Fonte: Matéria originalmente publicada no site do Instituto Federal de Brasília (IFB)

Comissão local da Reitoria discute revisão do Plano de Desenvolvimento Institucional

A comissão responsável por conduzir o processo de revisão do Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) do Instituto Federal Catarinense (IFC) no âmbito da Reitoria realizou, na última quinta-feira (19), reunião para dar andamento aos trabalhos. O encontro contou com a participação da reitora da Instituição, Sônia Fernandes, de todos os pró-reitores e dos demais servidores que compõem o grupo. Reuniões semelhantes também ocorrem em todos os campi da Instituição; após este período de deliberação local, uma comissão central irá unificar os dados e efetuar as devidas alterações no Plano. 

O PDI identifica o IFC no que diz respeito a sua missão, filosofia de trabalho, estrutura organizacional, diretrizes pedagógicas e atividades acadêmicas. Suas informações subsidiam o desenvolvimento do planejamento institucional do Instituto.  O Plano é elaborado para um período de cinco anos (atualmente, 2019-2023); no entanto, para que cumpra devidamente sua função enquanto referência, é importante que o documento seja constantemente revisado e atualizado.  Este processo, encabeçado pela Pró-Reitoria de Desenvolvimento Institucional (Prodin), inclui vários aspectos do IFC representados no PDI – como Perfil Institucional, Infraestrutura física e instalações acadêmicas, aspectos financeiros e orçamentários, Projeto Político-Pedagógico Institucional (PPI), organização administrativa, Gestão de Risco e perfil do corpo docente e de técnicos-administrativos, entre outros. 

Captura de tela da reunião da Comissão Local de Revisão da Reitoria, realizada em modalidade online

A reunião da comissão local da Reitoria foi conduzida pela diretora de Desenvolvimento Institucional do IFC e coordenadora do grupo, Bárbarah Sorgetz. O encontro foi aberto com uma breve fala da reitora, que agradeceu a equipe e ressaltou a importância do processo. “A revisão, às vezes, é tão ou mais importante do que a elaboração do PDI, pois já houve um tempo de maturação do que foi planejado, e é possível observar de forma mais adequada o que já se conseguiu e os desafios que ainda precisam ser encarados, à luz de um processo de análise e reflexão da conjuntura em que estamos”. Sônia lembrou ainda que a revisão transcende a atual gestão, requerendo portanto atenção especial e assertividade para que possa auxiliar também os procedimentos de transição e continuidade quando da posse de novos gestores. 

Em seguida, a pró-reitora de Desenvolvimento Institucional, Jamile Delagnelo da Silva, ressaltou o caráter comunitário da revisão do PDI. “A articulação  é coordenada pela Prodin, mas o processo é feito por muitas mãos; este mesmo movimento, de se debruçar sobre a realidade local e as perspectivas a médio e longo prazo, está ocorrendo também nos campi“. 

A coordenadora da comissão local, Bárbarah Sorgetz, explicou então como seria o andamento da reunião e quais os temas que seriam abordados. Ela ressaltou a discussão do PPI durante os trabalhos. “Muitas vezes, aqui no âmbito da Reitoria, acabamos dando foco para questões de expansão de servidores ou infraestrutura; nos campi, a atenção se volta para abertura de cursos, por exemplo… mas o PPI tem igual importância nessas discussões”. 

Alguns dos destaques apontados durante a apresentação foram o Perfil Institucional, a previsão de abertura de novos cursos e turmas e os cronogramas de ampliação do quadro de servidores (docentes e técnico-administrativos) e de expansão da infraestrutura para o período de vigência do PDI. 

Outro ponto relevante do processo de revisão é o Farol IFC – projeto institucional mantido pela Prodin que reúne dados socioeconômicos de cada campus e da Reitoria (tanto internos quanto das localidade nos quais estão inseridos) para embasar as discussões sobre desenvolvimento institucional. 

Uma questão que teve atenção especial durante a reunião foi o orçamento da Instituição. Os repasses anuais do Governo Federal vêm diminuindo gradativamente ao longo dos anos; conforme apontou a professora Sônia, de 2015 para 2021, a redução de recursos para Educação no país foi de cerca de R$ 30 bilhões — sendo a Rede Federal a instância com os cortes mais profundos. 

O pró-reitor de Administração do IFC, Stefano Demarco, apresentou os dados orçamentários do Instituto. A exposição teve início com uma contextualização do orçamento institucional unificado, estabelecido em 2016, que modernizou o processo administrativo-financeiro do Instituto. “Somos uma única unidade orçamentária. E, cada vez mais, tentamos desconstruir a ideia de um ‘orçamento do meu campus‘ ou de ‘orçamento da Reitoria’, que pode ter sido necessária quando da criação do IFC e da Rede como um todo, mas não atende mais as necessidades atuais”. 

Em seguida, Demarco passou para detalhes do orçamento anual — incluindo uma projeção para o próximo ano, que prevê um pequeno aumento em relação a 2021. O pró-reitor explicou que esta recomposição (que ainda não foi homologada) é menos animadora do que parece. “Voltamos ao patamar em que estávamos no exercício 2018, e de lá pra cá, além da ampliação da oferta de cursos e matrículas no IFC, infelizmente, a inflação retornou com força — e, havendo inflação, há mais dificuldade manter a instituição e alocar o orçamento nas atividades finalísticas”. 

Ao longo de sua participação, Stefano detalhou questões como a implantação dos centros de custos no trato orçamentário do IFC (que delimitam setores e montantes específicos no orçamento, como Ensino, Pesquisa, Extensão, Programa e Projetos e Inovação, entre outros), o trabalho com a Matriz Conif e temas ligados à infraestrutura. 

A reunião prosseguiu com uma exposição da diretora de Gestão de Pessoas do IFC, Eliza de Pinho, sobre a distribuição de vagas no IFC e na Reitoria, explicando a origem das posições (que não são novas, e sim provenientes de aposentadorias e redistribuições), os procedimentos utilizados para seu provimento, e as vagas destinadas à Reitoria e sua possível localização. 

A próxima parte da reunião abordou o Projeto Político-Pedagógico Institucional do IFC (PPI). A pró-reitora de Ensino, Josefa Surek, contextualizou o papel do PPI dentro do Plano e no arcabouço teórico da educação brasileira para a gestão democrática. “Ele traz os elementos de conceito e concepção do ensino, da pesquisa e da extensão, que são as áreas finalísticas da instituição. A partir de 2017, ele passa a fazer parte do PDI — e pode-se dizer que ele é o coração do documento,  já que traz os princípios filosóficos e a concepção da instituição. Todos os demais elementos do Plano deve estar alinhados com os conceitos que o PPI traz”, explicou. 

A apresentação dos elementos do PPI ficou a cargo da pró-reitora de Pesquisa, Pós-Graduação e Inovação — incluindo concepções e princípios, as políticas de Ensino, de Extensão, de Pesquisa e de Inovação, e questões como a Editora do IFC e a política de Atendimento aos Estudantes. A seguir, o pró-reitor de Extensão, Fernando Taques, falou sobre o trabalho integrado entre as pró-reitorias e do seu efeito benéfico na construção de políticas e planejamento institucionais. Após esta introdução, Taques destacou algumas atualizações em regramentos externos ao IFC — como as diretrizes do Conselho Nacional de Educação (CNE) para licenciaturas e marcos legais de inovação — e seus reflexos para a construção do PPI e do PDI. O pró-reitor apontou ainda a evolução do IFC no período de validade do Plano, em setores como a Editora, os cursos de pós-graduação Stricto Sensu, a constituição dos Núcleos Inclusivos, ações de empreendedorismo e relacionamento com egressos, entre outros. 

Para encerrar esta parte da reunião, a pró-reitora Josefa destacou também as atualizações a respeito da organização e oferta de Educação a Distância (EaD) no IFC, incluindo a organização (com a criação dos CEaDs e NEaDs nos campi), a especificação de sedes e polos, a discussão de metodologias e  a evolução da oferta, e o amadurecimento da compreensão das infraestruturas física, tecnológica e de pessoal necessárias. 

O próximo momento do encontro foi a abertura para comentários, dúvidas e observações dos participantes da reunião. Finalizando a reunião, a coordenadora da comissão local da Reitoria reforçou a importância da revisão do PDI e deu detalhes sobre o cronograma do processo. Márcia Xavier, integrante da comissão, ressaltou que toda a comunidade acadêmica terá oportunidade de opinar sobre a revisão em uma consulta pública, que ocorre de 13/09 a 01/10.  

A apresentação criada para orientar a reunião pode ser acessada aqui.

Texto: Cecom/Reitoria/Thomás Müller, com informações de Rosiane Magalhães e Carlos Pieri
Imagem: Captura de tela