Membros do Consuper realizaram 4ª reunião ordinária

Membros do Conselho Superior (Consuper) do Instituto Federal Catarinense (IFC) participaram da 4ª Reunião Ordinária do Conselho, biênio 2017/2019, na Reitoria do IFC, em Blumenau, em 2 de agosto, para debater sobre os seguintes processos:

Processo nº 23348.006941/2017-88, referente à Resolução ad referendumnº 002 – Consuper/2018, que dispõe sobre o Regimento Interno do Programa de Pós-Graduação em Educação – Modalidade Acadêmico/Campus Camboriú;
Processo nº 23348.002731/2018-00, referente à Resolução ad referendumnº 003 – Consuper/2018, que dispõe sobre o Plano Diretor de Tecnologia da Informação do IFC 2018-2019;
Processo nº 23348.000270/2018-22, referente à designação do cargo de auditor-chefe do Instituto Federal Catarinense;
Processo nº 23348.001331/2013-64, referente à proposta de alteração do Regimento Interno do Consuper/IFC;
Processo nº 23348.000302/2014-66, referente à proposta de alteração do Regimento Geral do Instituto Federal Catarinense;
Processo nº 23000.071494/2009-59, referente à proposta de alteração do Estatuto do Instituto Federal Catarinense.

Consuper

Presidido pela reitora do IFC, Sônia Regina de Souza Fernandes, o Consuper é o órgão máximo da instituição, o qual possui caráter consultivo e deliberativo. Além da reitora, é composto por representantes de servidores docentes e técnicos administrativos; corpo discente; egressos; sociedade civil; Ministério da Educação e dos diretores-gerais dos campi. Clique aqui para saber mais sobre o Consuper.

Texto e fotos: Cecom/Reitoria/ Rosiane Magalhães

Membros do Codir reuniram-se na Reitoria

O Colégio de Dirigentes (Codir) do Instituto Federal Catarinense (IFC), composto pela reitora Sônia Regina de Souza Fernandes, os pró-reitores e os diretores-gerais dos campi, realizou reunião ordinária nos dias 8 e 9 de agosto na Reitoria, em Blumenau.

A pauta do primeiro dia do encontro incluiu um relatório detalhado da Comissão Própria de Avaliação sobre o processo de Avaliação Institucional do IFC, a apresentação e discussão sobre o regimento interno do Codir e a apresentação do fluxo de procedimentos para criação dos cursos de pós-graduação Lato Sensu e Stricto Sensu, por parte da Propi.

O segundo dia da reunião tratou dos seguintes assuntos: obrigatoriedade de refeições diárias para os alunos com participação da Procuradoria; Recurso para diárias de servidores – Micti e IFCultura ; Capacitação Presencial da Comissão Consultiva Local de Flexibilização e Participação do IX Fórum Nacional de Comissões Internas de Supervisão do Plano de Carreira dos cargos Técnicos Administrativos em Educação/PCCTAE; Projeto do Alojamento Feminino do Campus Santa Rosa do Sul.

Texto e foto: Cecom/Reitoria/Thomás Müller

Semana de Ensino, Pesquisa e Extensão (SEPE 2018) apresentará produção científica e tecnológica gratuitamente

Pelo terceiro ano a Semana de Ensino, Pesquisa e Extensão (SEPE) está abrindo as portas do Instituto Federal Catarinense Campus Araquari, oferecendo atividades gratuitas para todos os níveis de ensino, desde o fundamental até a pós-graduação. Neste ano, o evento acontecerá de 24 a 29 de setembro. Mais informações podem ser acessadas no site oficial do evento: eventos.ifc.edu.br/sepe.

Anualmente são oferecidas gratuitamente cerca de 140 atividades, entre minicursos, palestras, oficinas e apresentações culturais. Com um público médio de 1300 inscritos, o evento se consolida com a participação da comunidade interna e externa ao campus, estudantes, pesquisadores e profissionais interessados em atualização e troca de conhecimentos.

O intuito da SEPE é proporcionar a integração de diferentes públicos para a discussão de atividades científicas e tecnológicas desenvolvidas no campus ou fora dele, pesquisas e ações de ensino ou extensão, além de experiências exitosas em todas as áreas. Para tal, existem momentos específicos para apresentações de trabalhos científicos, que estarão com espaço aberto para submissão de resumos ainda no mês de julho. Àqueles que tem interesse, os modelos para submissão já estão disponíveis no endereço eletrônico: eventos.ifc.edu.br/sepe/normas-para-trabalhos-cientificos.

Um dos destaques da SEPE é a pluralidade de conhecimentos oferecidos, abrangendo, além de assuntos de interesse comum a todas as áreas, com palestrantes de renome nacional e internacional, ainda as Semanas Acadêmicas das áreas de Agrárias, de Informática e das Licenciaturas.

Em breve mais informações estarão disponíveis sobre inscrições para ofertar oficinas, inscrever-se em atividades (palestras, minicursos, mesas redondas, oficinas) e também para apresentações de trabalhos científicos. Nesta edição a Semana de Ensino, Pesquisa e Extensão do IFC Araquari conta com o apoio da FAPESC (Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina) e do próprio Instituto Federal Catarinense, por meio de editais específicos.

Resumo de informações:

O que: III Semana de Ensino, Pesquisa e Extensão (SEPE)
Quando: 24 a 29 de setembro
Onde: IFC Araquari (BR 280, km 27 – Araquari)
Para quem: Estudantes, pesquisadores, profissionais e público interessado
Quanto: Gratuito
Inscrições: eventos.ifc.edu.br/sepe
Dúvidas: (47) 3803-7200 ou sepe.araquari@ifc.edu.br

Fonte: Cecom/Araquari

IFC promove terceira edição dos Jogos Internos (JIFC)

Alunos de todos os campi do IFC participam até sexta-feira (6), da terceira edição dos Jogos Internos do Instituto Federal Catarinense (JIFC). O evento é sediado no Complexo Esportivo Bernardo Werner (SESI), em Blumenau, e reúne cerca de 750 atletas dos seguintes esportes: atletismo (em diversas modalidades), basquete, futsal, vôlei, vôlei de praia, handebol, tênis de mesa, xadrez e badminton.

A abertura dos Jogos foi na quinta-feira (5), às 18h. A solenidade contou com a presença da reitora do Instituto, Sônia Regina Fernandes, da pró-reitora de Ensino, Josefa Surek de Souza, da coordenadora-geral substituta de Políticas e Programas Estudantis da Proen, Giane Maria Bosi e da coordenadora da Comissão de Organização dos Jogos, Angela Maria Crotti da Rosa – além dos diretores-gerais de cada campus. Após a entrada das delegações de atletas dos campi, a reitora abriu oficialmente os Jogos. Em seguida, os competidores realizaram o Juramento do Atleta.

Em sua fala, a pró-reitora de Ensino deu as boas-vindas a todos os presentes e ressaltou a importância do evento como espaço de integração. “Para uma instituição como a nossa, que tem como um de seus pressupostos a formação integral de nossos estudantes, eventos como esse – de esporte, cultura e lazer – são fundamentais. E, por isso, a gente valoriza tanto esse momento”, disse. Josefa agradeceu ainda aos técnicos e professores que trabalham na organização dos JIFC.

Em seguida, a reitora Sônia Regina relembrou que a realização de uma competição esportiva entre todos os campi do IFC atende a uma demanda de toda a comunidade estudantil e destacou a importância da participação dos diretores-gerais para que os JIFC se tornassem realidade. Ela também reiterou a relevância dos Jogos para a formação dos participantes. “Aqui é um lugar de encontro, de confraternização, de troca de conhecimento e de interação. Façam isso com muita responsabilidade e não percam a oportunidade de se conhecer e ampliar o leque de interação dentro do IFC”, concluiu.

Esporte e Interação – As primeiras partidas dos JIFC começaram às 19h, logo após a cerimônia de abertura. O clima é de Olimpíadas; quem não está em quadra fica nas arquibancadas torcendo e vibrando pelas suas equipes. André Luiz Pazin, do campus Fraiburgo, veio aos jogos pela primeira vez e disputa de duas modalidades: futsal e atletismo. “Eu estudo no IFC desde 2016, e sempre tentei participar”, conta. Para ele, o evento não é só esporte. “Tem também a interação com os alunos de outros campi. Além de praticar as modalidades, a gente conhece mais pessoa do nosso campus e dos outros campi também”. Já para Isabelle de Oliveira, atleta do voleibol de Brusque, o foco está na competição. “Nossa equipe treinou por um bom tempo, e agora estamos aqui para mostrar o que aprendemos, o resultado desse trabalho”, diz.

Os atletas ou equipes que obtiverem as primeiras colocações em suas modalidades são classificados para a etapa regional Jogos dos Institutos Federais (JIFs), que reúne atletas de Santa Catarina, Paraná e Rio Grande do Sul. A a competição está prevista para o final de agosto, em Novo Hamburgo-RS, com organização dos Institutos Federais do Rio Grande do Sul (IFRS), Farroupilha (IFFar) e Sul-Rio-grandense (IFSUl). Já a Etapa nacional dos jogos vai ser em Fortaleza, em setembro, promovida pelo Instituto Federal do Ceará (IFCE).

Confira aqui a galeria de fotos dos JIFC 2018.
Confira aqui os resultados de todas as modalidades.

Texto: Cecom/Reitoria/Thomás Müller
Fotos: Cecom/Reitora

Encontro reuniu comunicadores do IFC na Reitoria

Nos dias 3 e 4 de julho, a equipe da coordenação-geral de Comunicação Social do IFC recebeu os comunicadores dos campi, na Reitoria, em Blumenau. Momento foi organizado para troca de experiências e aproximação dos servidores em busca da melhoria do trabalho desenvolvido pela comunicação do Instituto.

Neste encontro, o principal debate girou em torno das instruções normativas para o período eleitoral (7 de julho até final das eleições de 2018). “São muitas restrições e orientações recebidas pelos órgãos de controle nacional. Várias questões ainda são debatidas por comunicadores da Rede Federal, inclusive pelo Conif. Como restam dúvidas, faremos uma consulta ao procurador federal no IFC para elucidar os principais tópicos e orientar nossas ações neste período”, explicou a coordenadora-geral da Cecom, Rafaela Zorzetto de Camargo.

Além dos comunicadores da Reitoria, participaram do encontro os representantes dos campi Araquari, Blumenau, Brusque, Camboriú, Concórdia, Luzerna, Rio do Sul, São Bento do Sul, São Francisco do Sul e Videira.

Na tarde do dia 3, a reunião foi aberta para apresentação das ações em conjunto entre a pró-reitoria de Extensão (Proex) e Cecom. “Buscamos a aproximação entre a Extensão e Comunicação para que a sociedade tenha mais acesso às atividades que são desenvolvidas no IFC. Para atingir esse objetivo, precisamos do apoio de vocês nos campi também”, reforçou o diretor de Extensão, Éliton Pires.

“Faço questão de participar das reuniões, pois são muito válidas como orientação para realizarmos o trabalho da Cecom no campus, principalmente para quem não tem formação específica na área de comunicação”, revelou Lupércia Dalpiaz, chefe de gabinete e membro da Cecom em Concórdia.

Encontro possibilitou a oportunidade para discutir sobre diversas ações que estão sendo desenvolvidas pelas Cecoms: plano de comunicação; campanha de 10 anos dos Institutos Federais; utilização das mídias sociais; utilização da verba de publicidade; cadastro de grupos no SigAdmin para envio de comunicados; clipping; plano de ações das campanhas de ingresso; política de comunicação; orientações sobre o manual de noticiabilidade; entre outros.

Texto: Cecom/Reitoria / Rosiane Magalhães
Foto: Cecom/Reitoria

Reunião Codir contou com representantes das diretorias de Administração e Planejamento e de Ensino

Nos dias 3 e 4 de julho, os membros do Colégio de Dirigentes (Codir) do IFC, a reitora Sônia Regina de Souza Fernandes, os pró-reitores e os diretores-gerais dos campi, participaram da reunião do Colégio ampliada com a participação das diretorias de Administração e Planejamento (DAP) e de Ensino (DDE). Devido ao número de participantes, as atividades foram realizadas no auditório do IFSC Gaspar, cidade vizinha a Blumenau.

Na manhã do dia 4, Dilvo Ristoff apresentou a palestra “A democratização do campus: os desafios da avaliação da educação superior em contexto de expansão e inclusão”. Ristoff é professor titular aposentado da Universidade Federal de Santa Catarina e, atualmente, é diretor de Políticas e Programas de Graduação do MEC.

Além da palestra, a pauta foi composta pelos seguintes assuntos: Gerenciamento de Pessoas (Prodin/DGP); Comunicação da Reitora; Planejamento estratégico: Metas Globais (Prodin); Tratamento e orientação dos procedimentos relativos às denúncias relacionadas ao tema drogas (Procuradoria/Gabinete/Proen). Após o encerramento, os membros do Codir participaram da abertura dos jogos dos estudantes – JIFC, no Sesi de Blumenau.

Texto: Cecom/Reitoria / Rosiane Magalhães
Foto: Gabinete/IFC

Alunos do IFC ministram oficina para escola municipal de Balneário Camboriú

Os alunos do curso de Bacharel em Sistemas de Informação e bolsistas do Programa de Educação Tutorial (PET) do IFC Camboriú, Luiz Anthônio Prohaska Moscatelli e Nicolas Oliveira, ministraram a oficina “Arduino para iniciantes” (prototipagem eletrônica) para os estudantes do ensino fundamental do Centro Educacional Municipal (CEM) Alfredo Domingos, de Balneário Camboriú. A iniciativa em realizar a parceria entre as instituições partiu da gestora educacional Elisângella Vieira Linhares e do professor Oscar, do CEM, que entraram em contato com o campus em busca de conhecimento para desenvolver novas habilidades e comportamentos empreendedores nos alunos.

Com a “mão na massa”, conta o coordenador do PET, Kleber Ersching, os pequenos estudantes entraram no mundo da linguagem de programação e construíram protótipos de semáforos com tempos de abertura e fechamento planejados. De acordo com o coordenador, os alunos demonstraram interesse pela oficina e ficaram motivados a aprender mais sobre o assunto, “vislumbrando a prototipagem eletrônica em suas ideias empreendedoras”.

Kleber ressaltou que o CEM Alfredo Domingos pretende implementar no futuro a aprendizagem em prototipagem eletrônica, através do professor Oscar, que também participou das oficinas.

Fonte: Cecom/Camboriú / Marília Massochin

Junho, um mês cheio de ações para o meio ambiente

O dia 5 de junho é marcado mundialmente por reflexões sobre o Meio Ambiente. Esta data é balizadora de muitas ações em prol de atitudes que estimulem a convivência harmoniosa entre os seres, preservação ecológica e conscientização ambiental de forma geral. Para discutir este assunto e sua relevância global, o Núcleo de Gestão Ambiental (NGA) do Instituto Federal Catarinense Campus Araquari, preparou várias ações durante o mês de junho. As principais ações do NGA aconteceram entre os dias 07 e 14 de junho, com a colaboração de vários membros da equipe, utilizando os mais diversos locais da instituição.

A primeira ação aconteceu na quinta-feira, dia 07, com a Professora Lucélia Destefani, que ofereceu uma oficina de papel reciclado, utilizando o espaço do Laboratório de Química. Uma atividade prática com os estudantes, mostrando a importância da reutilização de materiais e como é possível reciclar. Para este mesmo dia, a partir das 19h, foi promovida uma mesa redonda com o título “Agroecologia, agricultura familiar e produção orgânica: perspectivas e desafios”. A professora Anelise Destefani atuou como mediadora das palestrantes convidadas: Dione Nery Benevenutti, Vera Maria Carvalho Silva Santos e Nilsa Schroeder Gramkow.

Como ação alternativa, a partir das 12h do dia 08 de junho, o Coletivo Maloca, liderado pela professora Alessandra Klug, realizou uma intervenção no espaço da antiga cantina, onde atualmente fica o Laboratório do Olhar.

Já no dia 11 de junho, mais duas ações aconteceram no período da tarde. A primeira foi uma mesa redonda no auditório, com o título “Contextualização Ambiental Riscos e Ameaças na Baía da Babitonga”, desta fizeram parte as professoras Anelise Destefani, Simone Machado Pereira e Artur de Lima Preto. Na sequência ocorreu a palestra “Conhecendo animais peçonhentos, salvando vidas”, com o técnico em agropecuária e graduando em Ciências Agrícolas, Bruno Alcimar Dranka. Nesta segunda atividade o palestrante trouxe imitações de cobras para fazer demonstrações no palco, usando ainda voluntários para exemplificar situações.

Para finalizar as atividades organizadas pelo NGA, na quinta-feira, dia 14, foi criada uma Sala Sensorial, no Laboratório de Biologia. Os estudantes foram levados em diferentes períodos para provar sensações táteis e audíveis em uma sala, com os olhos vendados. Foi uma experiência diferente com a orientação dos servidores, que fez os estudantes perceberem o ambiente ao seu redor de uma forma nova.

Todas estas ações fizeram parte de uma semana organizada pelo NGA para trabalhar os assuntos relativos ao meio ambiente e conscientizar a comunidade interna sobre a importância de falar mais sobre o tema, praticar ações diferentes em seu dia a dia e ser mais solidário quanto ao meio em que todos vivem.

Fonte: Cecom/Araquari

Campus exibe documentário que resgata a história do Integralismo e do Nazismo em Blumenau

Após 107 minutos, terminava a projeção do documentário “Anauê! – O Integralismo e o Nazismo na Região de Blumenau”, exibido pelo Campus Blumenau, na noite de terça-feira (26/06). A salva de palmas, os elogios e as reflexões, por parte do público, demonstraram à equipe do filme a aceitação da obra.

Anauê! foi lançado nacionalmente na abertura do Florianópolis Audiovisual Mercosul (FAM), em junho de 2017. O documentário aborda os tempos do Integralismo e Nazismo na cidade de Blumenau. Esta é a quarta vez que o filme é apresentado na cidade. O cineasta Zeca Pires e a produtora Maria Emília de Azevedo acompanharam a exibição e, ao final, ficaram para um bate-papo com o público, formado quase todo por estudantes e professores.

A narrativa intercala imagens e filmes de arquivo com depoimentos de moradores da região, historiadores, sociólogos e filósofos. Para produzir o documentário, Zeca fez extensa pesquisa nas cidades dos vales do Itajaí-Açu e do Itapocu, na qual resgatou depoimentos e mapeou acervos em foto, vídeo e áudio.

O filme retrata uma Blumenau de 1932, período em que escritor e jornalista Plínio Salgado deu início ao movimento político denominado Integralismo, que defendia valores da prática cristã e da família, pregava o nacionalismo e o princípio da autoridade e via o comunismo como inimigo. Contudo, diferente do nazismo, não impunha o racismo e a supremacia de uma raça sobre outra. Em 1935, Blumenau sediou um congresso integralista, que atraiu militantes e adeptos de todo o Brasil. A expressão “anauê”, que dá nome ao filme, era a saudação usada pelos integralistas.

Zeca Pires é diretor de 11 filmes, que incluem documentários, curtas e longas-metragens. Ele começou a planejar Anauê! na década de 1990. “Claro que não fiquei só centrado nele. O projeto fluiu mesmo com a verba (de R$ 120 mil) do prêmio Edital Cinema da Fundação Catarinense de Cultura”, lembra.

Sobre a aceitação do público, o cineasta vê um retorno positivo. “São inúmeras as solicitações de projeção. O documentário tem conexão com o momento atual no Brasil, pelo racismo, pela intolerância, e, com o filme, queremos estimular a discussão sobre a importância do diálogo”, observa. “No segundo semestre, esperamos disponibilizar a película para o acervo de algumas instituições, como IFC, FURB, UFSC”, adianta.

A Comissão de Cultura do campus foi a responsável pelo evento. Para a coordenadora da comissão, a professora de História Sara Nunes, em tempos de intolerância e violência, a exibição de Anauê é ação fundamental para trazer ao espaço público o exercício da memória coletiva sobre processos históricos violentos que marcam a história no Brasil. “Lembrar é um ato político, uma forma de não repetir os mesmos erros”, acredita ela.

Texto/Fotos: Cecom/Blumenau / Gisele Silveira
Fotos documentais: divulgação do filme

Estudantes lotam sala em dia de Colóquio dos cursos subsequentes

Olhos atentos voltados a um tema atual: Energia Solar: Panorama e Tecnologias. A palestra, que foi ministrada pelo professor Alan Ricardo Sparemberger, integra o 1º Colóquio dos Cursos Técnicos Subsequentes de Mecânica e Eletromecânica do Campus Blumenau. O encontro ocorreu na noite de quarta-feira (20/06), na sala D4 do campus, que ficou pequena para o grande público.

Para o aluno de Eletromecânica Marino Vanzuita, a energia solar é promissora, pois abre novos horizontes em relação ao futuro do planeta. “Esse assunto agrega na formação e também em minha carreira profissional, pois tenho uma empresa que atua na área elétrica, e tenho interesse em trabalhar com energia solar fotovoltaica, e assim ajudar a expandir essa forma de energia renovável e sustentável”, contou Vanzuita.

O tema atraiu também estudantes de outros cursos do campus. Foi o caso do acadêmico de Engenharia Elétrica Igor Henrique Firmino de Deus, que achou a palestra esclarecedora. “Há campos para explorarmos em energias sustentáveis. Temos consciência disso, mas não sabemos de que maneira lidar. Com a palestra, descobri que há muito para se trabalhar, inclusive em projetos. Conhecer os sistemas e os valores reais e atualizados do uso de nossa energia removeu o limite mental, de que energia solar é apenas na telha e inviável”, observou ele.

O Colóquio faz parte de um projeto de ensino. Um dos objetivos é desenvolver o interesse dos estudantes em participar de encontros e debates voltados a temas multidisciplinares. Esta é a segunda palestra do Colóquio. A primeira ocorreu em abril, e debateu a harmonia entre Ciência e Religião. A terceira e a quarta palestra estão programadas para setembro e novembro.

Texto/Fotos: Cecom/Blumenau / Gisele Silveira