Brasil – Governo Federal – Ministério da Educação

Luzerna debate ações regressivas no Dia do Profissional Técnico em Segurança do Trabalho

seguranca6O Instituto Federal Catarinense (IFC) – Campus Luzerna realizou, no dia 27/11, o II Evento Comemorativo ao Dia do Profissional Técnico em Segurança do Trabalho. O encontro, que aconteceu no auditório do Centro de Eventos São João Batista, reuniu alunos do IFC e de outras instituições, além de docentes, técnico-administrativos e demais profissionais do ramo. Neste ano, o evento teve a presença do advogado Etiberê Soares Zanella, que ministrou uma palestra com o tema “Impacto das ações regressivas”. Foram abordados tópicos referentes à Lei Orgânica da Seguridade Social e os benefícios da previdência. O advogado trouxe para discussão o questionamento das empresas sobre a constitucionalidade das ações regressivas, assim como o aumento dos casos deste tipo, crescente a cada ano.

O técnico em Segurança do Trabalho Alan Cássio de Oliveira foi um dos espectadores. Ele elogiou a iniciativa do IFC em promover uma discussão sobre o tema. “Já havia ouvido a respeito das ações regressivas e dos casos em que as empresas poderiam ser penalizadas. Porém, eu não tinha um embasamento em normas ou artigos que me servissem de argumentos para orientar os empregadores sobre situações que possam vir a acontecer. Com certeza a palestra foi muito válida”, disse.

Para o diretor-geral do IFC Luzerna, professor Eduardo Butzen, a atuação do técnico em segurança do trabalho é cada vez mais importante para o mercado. “Um trabalhador que não é orientado é como um analfabeto. Ele vai enfrentar situações em que, se a empresa não lhe oferecer as informações para buscar seus direitos, causará prejuízos à sua saúde em muito pouco tempo”, destacou.

Butzen também ratificou a necessidade da formação proporcionada pela instituição, que, desde 2014, oferece o curso Técnico em Segurança do Trabalho integrado ao Ensino Médio. “Nós temos a consciência de que essa modalidade é diferenciada porque ela permite um tempo maior de experimentação científica e um olhar mais pesquisador de todo esse universo”, completou o diretor do IFC.

* Texto: CECOM/Luzerna.

** FOTOS: CECOM/Luzerna e Gabriela Fávero.

Compartilhar Facebook Compartilhar Twitter

Esta notícia foi editada na quarta-feira, 2 de dezembro de 2015, às 20:11 por Nicole Trevisol.

Últimas notícias: