Brasil – Governo Federal – Ministério da Educação

Luzerna: Engenharia de Controle e Automação recebe conceito 4

F2O IFC Câmpus Luzerna recebeu, entre os dias 24 e 27 de maio, uma comissão composta por representantes do Ministério da Educação (MEC) para fazer a avaliação de reconhecimento do curso de Engenharia de Controle e Automação. No início do mês de junho, o IFC recebeu oficialmente o resultado: em uma escala de 1 a 5, o conceito foi 4. De acordo com os parâmetros do MEC, “muito bom”.

A avaliação é feita através de diversos meios, como análise da documentação sobre o funcionamento do curso; atividades e dados dos professores; regimento da instituição; Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI); Projeto Pedagógico do Curso (PPC); visita às instalações; reuniões com dirigentes, coordenador de curso e professores; etc.

O MEC faz a avaliação considerando uma série de categorias. Para cada uma, um conceito de 1 a 5. O curso de Engenharia de Controle e Automação do IFC Luzerna recebeu a nota máxima em diversos pontos, como estrutura e conteúdo curricular; tecnologias de informação e comunicação; titulação do corpo docente; entre outros.

No documento divulgado pela comissão, algumas considerações se destacam. De acordo com o relatório, as políticas institucionais de ensino, pesquisa e extensão estão “muito bem implantadas no âmbito do curso”. Em outra parte, lê-se que “os objetivos do curso apresentam muito boa coerência com o perfil profissional do egresso, estrutura curricular e contexto educacional”. Em relação aos laboratórios, o documento afirma ainda que “as instalações são muito boas”, com “bom espaço e equipamentos adequados para as atividades”.

A comissão destacou também a “integralização formal e informal entre os cursos de Ensino Superior, Ensino Médio e Ensino Técnico”, enaltecendo que há uma “troca de conhecimento entre os alunos desses cursos, o que promove de maneira geral uma dinâmica de gestão de conhecimento e integração muito saudáveis ao desenvolvimento dos corpos discente e docente e da instituição de maneira geral”.

O curso de Engenharia de Controle e Automação, implantando no IFC Luzerna em 2011, foi o primeiro bacharelado ofertado pelo câmpus, que oferece também a graduação em Engenharia Mecânica.

Nas palavras do coordenador do curso, professor Antonio Ribas Neto, “como a região possui uma ampla variedade de indústrias nos mais diversos setores, a importância do curso está no sentido de contribuir com as melhorias na automatização e controle dos processos desenvolvidos por elas, deixando-as mais competitivas”.

EXCELÊNCIA

Para o diretor do Departamento de Desenvolvimento Educacional do IFC Luzerna, professor Jessé de Pelegrin, o reconhecimento do curso confirma, mais uma vez, que a instituição está no caminho certo. “Devido à determinação e empenho de cada servidor do IFC, só podíamos esperar um bom resultado. Isto tornou-se possível devido à excelente equipe que temos aqui no Câmpus Luzerna”, comenta.

De acordo com o diretor-geral, professor Eduardo Butzen, o curso de Engenharia de Controle e Automação nasceu em virtude da qualidade dos equipamentos e laboratórios recebidos na época da federalização da Escola Técnica Vale do Rio do Peixe (ETVARPE), da demanda reprimida que a área possui e pela formação dos docentes – todos aprovados em concurso público.

“Este alinhamento permitiu que tomássemos a decisão de abrir, primeiro, o curso de Engenharia de Controle e Automação”, fala Butzen. Para o diretor-geral, um dos principais objetivos do curso é a questão de automação de processos e a otimização de recursos (energia elétrica, vapor, ar comprimido, etc.) que afetam diretamente os custos de produção.

“Com relação ao conceito, ficamos muito satisfeitos, pois foi a primeira avaliação externa que o câmpus sofreu”, comemora. “Já tínhamos passado por processos de auditoria e avaliação institucional, mas nenhuma avaliação externa. Este fato merece destaque, pois demonstra que o trabalho iniciado está no caminho certo e, agora, com o peso da caneta do MEC afirmando isto”, destaca. Ainda nas palavras do diretor-geral, a comunidade pode ficar tranquila e orgulhosa. “Os cursos que trouxemos para o IFC Câmpus Luzerna estão alinhados à necessidade regional e, ao mesmo tempo, temos a certeza de que nossos alunos terão seus diplomas reconhecidos em qualquer local do Brasil”, completa Butzen.

* Texto e foto: CECOM/Luzerna.

Compartilhar Facebook Compartilhar Twitter

Esta notícia foi editada na quarta-feira, 10 de junho de 2015, às 19:05 pela Coordenação-Geral de Comunicação (Cecom).

Últimas notícias: