Brasil – Governo Federal – Ministério da Educação

Projeto Cães-guia do IFC é apresentado no Fórum de Educação Inclusiva

evento-IFB (3)-webA presença de quatro cachorros no II Fórum Distrital de Educação Profissional e Tecnológica Inclusiva desperta a atenção e curiosidade dos participantes do encontro. Os animais – da raça labrador e golden retriever –, que estão sendo treinados para tornarem-se cães-guia no futuro, viajaram de Camboriú- SC para Brasília, especialmente para o evento.

Na manhã de quarta-feira (28/08), a experiência do Instituto Federal Catarinense com o treinamento de cães-guia foi um dos assuntos apresentados no painel “Os centros de referência em atendimento aos estudantes com necessidades específicas da Rede Federal”. O Câmpus Camboriú – que foi a unidade pioneira da Rede Federal em formar treinadores para cães-guia – esteve representado no debate por Márcia Souza, coordenadora do projeto.

“O objetivo não é só treinar os animais, mas sim treinar o profissional, para que o projeto nunca acabe”, explica Márcia. Segundo a coordenadora, o interessado em se tornar um treinador de cães deve ter formação superior em qualquer área, querer ser um treinador e ter disponibilidade, já que o curso tem duração de dois anos, em tempo integral.

Márcia explica que as pessoas com deficiência visual também passam por um processo de seleção, para avaliar suas características e condições, a fim de receber um cão-guia adequado ao seu perfil. O cão é entregue à pessoa com deficiência visual selecionada, sem nenhum custo.

“O objetivo maior é dar ao cego mais liberdade, dignidade, respeito e autonomia, para que ele possa, de alguma forma, ganhar mais espaço na sociedade, assim como nós queremos ter o nosso espaço também”, finaliza Márcia.

 

O Projeto

O projeto no Câmpus Camboriú do IFC teve inicio em 2008, como uma ação do Núcleo de Atendimento às Pessoas com Necessidades Específicas (NAPNE), e contou com o apoio da Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica (SETEC/MEC) e da Secretaria Nacional de Promoção dos Direitos da Pessoa com Deficiência (SNPD/SDH). Posteriormente, o projeto foi incorporado como uma das ações do Plano Nacional para as Pessoas com Deficiência, o “Viver sem limites”, lançado no ano de 2011 pelo Governo Federal.

O projeto visa ao aumento do número de cães-guia, já que dados do Censo Brasileiro de 2010 apontam que o número de pessoas com deficiência visual severa somam cerca de 6,5 milhões e, destas, 526 mil são cegas. Já o número de cães -guia atuando no país não chega a 100.

Na Rede Federal, o projeto está sendo ampliado para outros seis Institutos Federais, que estão se preparando para também oferecer um centro de formação de treinadores e instrutores de cão-guia. Os novos espaços serão criados no Câmpus São Cristóvão do IF Sergipe, Câmpus Manaus do IF Amazonas, Câmpus Limoeiro do Norte do IF Ceará, Câmpus Alegre do IF Espírito Santo e Câmpus Urutaí do IFGoiano.

evento-IFB (2)-web evento-IFB (1)web

*Texto e fotos: Instituto Federal de Brasília.

Compartilhar Facebook Compartilhar Twitter

Esta notícia foi editada na terça-feira, 3 de setembro de 2013, às 15:18 pela Coordenação-Geral de Comunicação (Cecom).

Últimas notícias: