Brasil – Governo Federal – Ministério da Educação

Resiliência e ecologia como proposta ao futuro agrícola

Grupo de visitação e comunidade do Campus Santa Rosa do Sul.

Grupo de visitação e comunidade do Campus Santa Rosa do Sul.

As línguas se misturaram e os continentes se encontraram no Instituto Federal Catarinense (IFC) – Campus Santa Rosa do Sul no dia 9 de novembro de 2016. Um grupo, formando por brasileiros, quenianos, sueca, filipina, etíopes, ugandenses, moçambicana, indiano e equatorianos, percorreu a unidade do IFC em busca de conhecimento sobre formas sustentáveis de cultivo.

Com os olhos atentos nas paisagens, pastagens e plantações, o grupo visitou o campus como parte da atividade prática do Curso Internacional de Agricultura Ecológica e Resiliência. De 6 a 12 de novembro, os 22 integrantes percorreram a região de Torres (RS), conheceram propriedades ecológicas, a fertilidade do solo na região Sul do país, viram o consumo ecológico de café e a proteção de cultivos, conheceram a certificação participativa e as culturas negligenciadas/alternativas e interagiram com estudantes em busca da promoção do debate em torno de sistemas resilientes de produção agrícola. O curso teve a promoção do Centro Ecológico e da Sociedade Sueca de Conservação da Natureza.

Parceiro neste processo, o IFC abriu as suas portas para que o mundo conheça os projetos de ensino, pesquisa e extensão que estão sendo desenvolvidos por servidores e alunos para a promoção social, ambiental, econômica e cultural.

Estudantes do Campus Santa Rosa do Sul apresentando o projeto Pitaya.

Estudantes do Campus Santa Rosa do Sul apresentando o projeto Pitaya.

Ao explicar os estudos da Pitaya, Eliton Pires mostrou orgulhoso o que os estudantes têm feito no campus. “De uma demanda que surgiu dos produtores rurais, viajamos para São Paulo para compreender o cultivo da Pitaya, estudamos a fruta no campus e ajudamos os produtores na implantação da associação de Produtores de Pitaya do Sul. Ensino, pesquisa e extensão em conjunto no desenvolvimento de uma nova cultura na região” conta ele.

Atentos, os visitantes anotavam as informações que eram traduzidas para o idioma inglês e registravam, em fotos, as etapas e formas de pesquisa. Diante do projeto de Aquaponia, que utiliza o composto orgânico vindo do metabolismo dos peixes para o cultivo de hortaliças, os presentes acompanharam juntamente ao estudante do curso de Engenharia Agronômica, Felipe Marques Lima, todas as etapas do processo. Foi necessário chamar os visitantes para dar continuidade ao passeio, tamanho foi o interesse dos mesmos pelo método de aquaponia.

Servidora Adriana Corrent, do IFRS – Campus Rolante.

Servidora Adriana Corrent, do IFRS – Campus Rolante.

A servidora, do Instituto Federal do Rio Grande do Sul (IFRS) – Campus Rolante, Adriana Corrent participou do curso internacional e realizou a visita ao Campus Santa Rosa do Sul, do IFC. Para ela, trata-se de uma experiência única. “É gratificante conhecer experiências de sucesso e comprovar o que falamos em sala de aula para os alunos: é possível produzir alimentos orgânicos em grande escala. Conhecemos produtores que, há mais de 20 anos, estão ligados ao Centro Ecológico e possuem estratégias para ter uma escala comercial. A ciência é possível e conhecemos experiências e realidades que podemos levar aos estudantes”, diz Adriana, entusiasmada com os novos conhecimentos e possibilidades.

Compartilhando conhecimento

Estudante do IFC Santa Rosa do Sul.

Estudantes do IFC Santa Rosa do Sul.

Se a manhã foi de adquirir conhecimento, a tarde foi de compartilhá-lo. Cerca de 200 estudantes dos cursos técnico em Agropecuária e superior em Engenharia Agronômica tiveram a oportunidade de conhecer a realidade de cada um dos países participantes do curso internacional. Segundo André Luiz Rodrigues Gonçalves, assessor Internacional do IFC e organizador do curso internacional, o objetivo de incluir o IFC no roteiro foi permitir que a comunidade acadêmica tivesse a oportunidade de conhecer novas culturas, outros comportamentos e aprender sobre a produção agrícola daqueles locais.

“Esse um dia no IFC permitiu aos estudantes conhecer outros contextos, além de fomentar o IFC nas práticas ecológicas. Um dos papéis inerentes à instituição é promover o desenvolvimento dos Arranjos Produtivos Locais (APLs), sendo que o tema sustentabilidade e resiliência deve fundamentar ações de ensino, pesquisa e extensão”, relata ele.

Ainda, de acordo com Gonçalves, o patrimônio do IFC sãos os estudantes. Por isso, trazer o curso internacional um dia para dentro do IFC dá a oportunidade aos estudantes de abrirem os seus horizontes e verem o que se faz em outras partes do mundo.

Estudantes do IFC, Gabriela Pereira Daminis e Guiddo Longaretti.

Estudantes do IFC, Gabriela Pereira Daminis e Guiddo Longaretti.

Foi isso que mais chamou a atenção de Gabriela Pereira Daminis (17 anos) e Guiddo Longaretti (16 anos). Ambos estão no curso técnico integrado em agropecuária e não piscaram durante a apresentação de cada um dos países. “É uma oportunidade única. São povos diferentes que nos fizeram olhar melhor para o mundo. Eu não imaginada que em Uganda havia culturas mistas e que a vegetação verde permanecia junto com o cultivo da banana”, fala Guiddo, que estava com os olhos brilhando por ser a primeira vez que participava de uma interação dessa natureza. “Aprendemos muito ouvindo cada um deles”, diz.

Gabriela reforçou a necessidade de o brasileiro estar atento ao consumo alto de venenos. “O cultivo orgânico no Brasil ainda é caro, mas precisamos ampliá-lo. Os animais são importantes no processo de alimentação, mas entendo que nossos esforços devem estar concentrados na agricultura. Precisamos entender o que se come no Brasil e estarmos mais abertos para a agroecologia”, frisa ela.

André ressalta que atividades como essa fomentam, cada vez mais, a abertura do IFC para a internacionalização. “É mais uma ação de fortalecimento e fomento na área internacional, sendo que reforçamos as oportunidades em torno da ecologia a nível internacional, atuando no conjunto de ações de ensino, pesquisa e extensão”, finaliza o assessor.

Sobre o curso

O Curso Internacional de Agricultura Ecológica e Resiliência foi realizado com o objetivo de debater e articular ações de promoção de sistemas resilientes de produção agrícola. Em parceria com o IFC – Campus Santa Rosa do Sul, a ação foi realizada pelo Centro Ecológico, a Sociedade Sueca de Conservação da Natureza (SSNC) e o Centro de Resiliência de Estocolmo (SRC). As atividades aconteceram de 6 a 12 de novembro de 2016, na cidade de Dom Pedro de Alcântara (RS), com uma visita técnica e interação com os estudantes do Campus Santa Rosa do Sul no dia 09/10/2016.

Mais informações, acesse: http://www.centroecologico.org.br/.

*Texto: Cecom/Reitoria – Nicole Trevisol, enviada especial.

**Fotos: Cecoms Reitoria e Santa Rosa do Sul.

Compartilhar Facebook Compartilhar Twitter

Esta notícia foi editada na quarta-feira, 23 de novembro de 2016, às 18:49 por Nicole Trevisol.

Últimas notícias: