Definidas comissões eleitorais locais para Eleições 2019

Na Reitoria, comissão realizou a assembleia para escolha dos representantes dos TAE na sexta, dia 17.

Comissões eleitorais locais dos campi, campi avançados e Reitoria para condução do Processo de Consulta 2019 foram nomeadas nesta terça-feira, dia 21, por meio da Resolução Ad Referendum nº005 do Conselho Superior – Consuper. O documento pode ser consultado na página do Processo de Consulta 2019 no Portal do IFC.

Estas comissões são compostas por representantes dos professores, técnicos administrativos e estudantes. Os nomes foram definidos em assembleias organizadas nas respectivas unidades do IFC.

Em 2019 serão realizadas eleições para escolha dos cargos de reitor(a); de diretores(as)-gerais dos campi em Araquari, Blumenau, Brusque, Camboriú, Concórdia, Fraiburgo, Ibirama, Luzerna, Rio do Sul, Santa Rosa do Sul, São Bento do Sul, São Francisco do Sul e Videira; também dos novos membros do Consuper.

Texto: Cecom/Reitoria/ Rosiane Magalhães
Imagem: Cecom/Reitoria/Carlos Pieri

IFC, IFSC e UFSC debatem bloqueio orçamentário em audiência pública

O Instituto Federal Catarinense (IFC), a Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC) participaram de uma audiência pública, na segunda-feira (20/05), para debater o bloqueio orçamentário de 39% no recurso de custeio das instituições. O evento foi proposto pela Comissão de Educação da Câmara dos Deputados e realizado no Centro de eventos da UFSC. O deputado Pedro Uczai, membro da Comissão, foi o mediador da audiência.

Durante a audiência, os representantes das instituições apresentaram os dados financeiros e, posteriormente, o espaço foi aberto à comunidade para debate. Ao final do evento, as manifestações foram agrupadas e serão entregues ao ministro da Educação, Abraham Weintraub, na quarta-feira (22/05), na reunião da Comissão de Educação.

Representando a reitora do IFC, Sônia Fernandes, o diretor-geral do Campus Camboriú, Rogério Luís Kerber, apresentou o impacto do bloqueio na instituição. “Quando avaliamos o bloqueio no orçamento de custeio do IFC, verificamos que o corte foi extremamente severo. O valor para o ano era de R$ 64.643.47,00 e foram bloqueados R$19.498.383,00. Esse bloqueio de recurso praticamente inviabiliza o funcionamento da instituição até o final do ano”, destacou o diretor. No campus Camboriú, Rogério afirmou que algumas medidas já foram tomadas, como: demissão de 25% do quadro de terceirizados, redução de 40% da verba destinada aos projetos de pesquisa e extensão, cancelamento de visitas técnicas, entre outros cortes na tentativa de chegar ao final do semestre com o orçamento repassado até o momento.

O IFSC e UFSC também seguiram com a mesma apresentação. Do IFSC, de acordo com a reitora Maria Clara, foram bloqueados R$23 milhões dos R$78 milhões para o custeio. “É uma situação drástica. Este bloqueio inviabiliza o funcionamento das instituições na sua constituição mais séria, que é a sala de aula e também em todos os demais projetos de pesquisa e extensão que desenvolvemos”, ressaltou a reitora. Maria Clara também destacou que a redução de orçamento acontece desde 2015, enquanto o número de alunos está crescendo. “Nós já estamos sufocados por causa da redução orçamentária dos últimos anos”, disse.

O reitor da UFSC, Ubaldo Cesar Balthazar, destacou a gravidade da situação frente à desproporção entre orçamento e o crescimento de alunos da universidade.  “Aparentemente há um crescimento positivo, quando olhamos a parte de orçamento pessoal e encargos sociais, por exemplo. No entanto, esse crescimento é desproporcional e o percentual é pouco para o que precisamos”, afirmou. “Hoje temos sete meses para trabalhar com R$ 30 milhões, sendo que deveriam ser R$ 90 milhões”, completou.

Logo após a exposição dos dirigentes, o público se manifestou. Movimentos estudantis, entidades sindicais e representantes da educação básica se posicionaram contra o bloqueio e ressaltaram a importância da continuidade de manifestações a favor da educação.

Para finalizar o evento, o deputado Pedro Uczai apresentou um resumo de todas as falas das instituições e comunidade para composição da “Carta de Florianópolis”, que será apresentada na quarta-feira, 22/05, ao ministro da educação. Entre alguns pontos do documento, foram encaminhados os seguintes: revogação da Emenda Constitucional 95/2019, fortalecimento da autonomia universitária, defesa da educação pública e não ao desmonte,  defesa da política de cotas, auditoria da dívida pública, não condicionamento da reforma previdenciária ao bloqueio orçamentário das instituições públicas de ensino, entre outros assuntos.

Confira aqui o vídeo do evento.

Texto e imagem: Cecom/Camboriú/Marília Massochin

Professores e alunos do IFC Camboriú apresentam 5 trabalhos no ERBD 2019

Os alunos e professores do Instituto Federal Catarinense (IFC) – Campus Camboriú apresentaram cinco trabalhos na XV Escola Regional de Banco de Dados (ERBD), em Chapecó/SC. De um total de 16 artigos selecionados para participar do evento, somente o IFC Camboriú contribuiu com  31%.

Além da representatividade no ERBD, o campus também conquistou duas premiações com os trabalhos desenvolvidos pelo docente Angelo Frozza: melhor artigo na trilha “Pesquisa” – com “Análise de Soluções NewSQL”; e menção honrosa na trilha “Aplicações/Experiências” – com “REx – NoSQL Redis Schema Extraction Module”.

Confira os trabalhos do IFC Camboriú que foram apresentados no evento:

•    Um Data Warehouse baseado no Twitter para análise de Sentimento em Língua Portuguesa: Estudo de Caso das Eleições de 2018. Autores: Jonathan Suter, Tatiana Tozzi, Daniel Anderle, Rafael Speroni, Rodrigo Nogueira (todos do IFC Camboriú);
•    Uma Análise de Soluções NewSQL. Autoes: Ronan Knob (UFSC), Geomar Schreiner (UFSC), Angelo Frozza (IFC – Camboriú), Ronaldo Mello (UFSC)
•    Proposta de uma arquitetura de Data Warehouse para análise de SDN e aplicações de Aprendizado de Máquina. Autores: Fernando Moro, Rodrigo Nogueira, Alexandre Amaral, Ana Amaral (todos do IFC Camboriú)
•    Desenvolvimento de um sistema para a classificação de Fakenews acoplado à etapa de ETL de um Data Warehouse de Textos de Notícias em língua Portuguesa. Autores:Roger Monteiro (UNIASSELVI), Rodrigo Nogueira (IFC – Camboriú), Greisse Moser (UNIASSELVI)
•    REx – NoSQL Redis SchemaExtraction Module. Autores: Angelo Frozza (IFC – Camboriú ), Geomar Schreiner (UFSC), Bruni R. L. Machado (UFSC), Ronaldo Mello (UFSC)

Sobre o ERBD

A ERBD é um evento anual, sem fins lucrativos, promovido pela SBC (Sociedade Brasileira de Computação) e organizado de forma rotativa por uma ou mais Instituições de Ensino Superior da Região Sul do Brasil. Neste ano, o ERBD foi organizado pela Universidade da Fronteira Sul (UFFS) e pela Universidade do Oeste de Santa Catarina (Unoesc).

O objetivo do ERBD é integrar os participantes, oportunizando a divulgação e discussão de trabalhos em um fórum regional sobre bancos de dados e áreas afins.  Neste ano, o tema da ERBD foi Inteligência de Dados devido a sua multidisciplinaridade e relevância atual, além de ser um tema de interesse de empresas de tecnologia da informação. Entre os assuntos discutidos, destacam-se: algoritmos, técnicas e abordagens diversas para coleta, armazenamento, modelagem, indexação, busca e acesso a informações textuais com pouca ou nenhuma estrutura.

Texto Cecom/Camboriú com informações do site ERBD e de Angelo Frozza

PETiscos: Oficina para produção e confecção de biscoitos para cães e gatos



No dia 24 de maio de 2019, sexta-feira, acontecerá a oficina PETiscos — Produção e confecção de biscoitos para cães e gatos. O curso será realizado na Agroindústria, dentro Instituto Federal Catarinense Campus Araquari (BR 280, km 27 – Bairro Colégio Agrícola), com seu início às 13h e terminando por volta das 15h. 



Este projeto é  desenvolvido por estudantes do curso de  Medicina Veterinária do IFC Araquari, com a orientação da professora Eunice Kitamura e do professor André Fachini , e tem por objetivo ensinar os participantes e produzirem petiscos para seus cães e/ou gatos. Toda a comunidade pode participar, não havendo pré-requisitos.

A oficina disponibilizou 20 vagas gratuitas para Araquari e região. Todas já foram preenchidas.

Texto: CECOM/Araquari – Laís Tedesco
Revisão: Raquel Rybandt

Estudantes e professora de licenciatura em Matemática participam de conferência internacional

Felipe Junior Crozetta e Dirlei Salete de Souza, estudantes da sétima fase do curso de Licenciatura em Matemática e bolsistas do Programa Residência Pedagógica em Matemática no IFC Concórdia, participaram da XV Conferencia Interamericana de Educación Matemática – CIAEM, realizado na Universidade de Medellín, Colômbia, entre os dias 5 e 10 de maio de 2019. Eles foram acompanhados pela professora e coordenadora do programa no IFC Concórdia, Andriceli Richit.

Evento compreendeu diversas atividades, tais como: palestras, conferências, sessões paralelas, apresentação de comunicações e pôsteres, talleres, minicursos, grupos de discussão que se dividiam entre 11 temas: Formação inicial de professores; Formação contínua e desenvolvimento profissional; Perspectivas socioculturais: Etnomatemática, Sociologia, Comunicação; Currículo, Competências e Avaliação; Estatísticas e Probabilidade; Geometria; Sistemas Aritméticos e Numéricos; Álgebra e Funções; Educação Matemática no Ensino Superior; História e Epistemologia da Educação Matemática e Matemática; e Resolução de Problemas e Modelagem em Educação Matemática.

Acadêmicos também tiveram a oportunidade de apresentar trabalhos durante a conferência, oriundos de Projetos de Monitoria e de disciplinas cursadas. “Também, participar de um evento que teve suas atividades comunicadas em espanhol ou inglês possibilitou aos estudantes a compreensão da importância do domínio de outros idiomas, para ter acesso às pesquisas em âmbito internacional bem como para poder comunicar o que temos produzido”, enfatiza Richit.

“Participar deste importante evento na área da Educação Matemática abriu minhas perspectivas com relação às pesquisas que se desenvolvem na região de inquérito, bem como, oportunizou-me contatos com pesquisadores com possibilidade para realização de mestrado”, destaca Crozetta.

“Esta oportunidade aproximou-me mais da Estatística que é uma das áreas da Matemática que tenho interesse em continuar os estudos, em nível de pós-graduação”, revela Souza.

Medalhas

Durante o evento, houve a entrega de duas importantes medalhas a pesquisadores internacionais da área da Educação Matemática: A Medalha Luis Santaló foi entregue à Salvador Linares da Universidade de Alicante (Espanha). A medalha é concedida a cada quatro anos a pessoas que tiveram uma trajetória intelectual relevante na Educação Matemática internacional e que tiveram ligações especiais com as Américas.

Já a Medalha Marshall Stone foi concedida a dois pesquisadores: José María Chamoso Sánchez (Universidade de Salamanca, Espanha) e Hugo Barrantes Campos (reforma do Projeto de Educação Matemática Costa Rica, Costa Rica). Esta medalha é concedida a cada quatro anos a pessoas que contribuíram significativamente para a realização de conferências, congressos, seminários, publicações e outras atividades desenvolvidas pelo CIAEM não sendo concedida àqueles que exerceram a presidência ou vice-presidência do CIAEM.

“Prestigar esse momento foi emocionante bem como conhecer a trajetória e a luta destes pesquisadores por um ensino de Matemática melhor”, finaliza a professora.

Texto: Cecom/Reitoria com informações da professora Andriceli Richit
Fotos: Professora Andriceli Richit

Campus Araquari comemorou 60 anos na última sexta-feira, dia 10

Em uma sessão solene, na última sexta-feira, dia 10 de maio, o campus Araquari comemorou seus 60 anos de funcionamento. A cerimônia, realizada no ginásio institucional, contou com representantes de estudantes, ex-alunos, docentes, técnicos administrativo, autoridades regionais e institucionais, além de diversos convidados.

Com aproximadamente duas horas de duração, o evento deu voz a histórias passadas do campus, trazendo para discursar o estudante “número um” em Araquari, o senhor Amauri Correa de Oliveira. Quando seu Amauri efetuou a matrícula, em 1959, a instituição era chamada Escola de Iniciação Agrícola e ofertava apenas o curso de Mestria Agrícola. Tiveram espaço ainda para trazer seus relatos de experiências o ex-aluno Roberto Trimmer, da turma de 1965. E representando a administração do campus, o diretor da gestão 1989 a 1993, senhor Francisco Airton Garcia.

Com a fala do atual diretor-geral, professor Jonas Cunha Espíndola, iniciaram as homenagens para representantes e instituições que fazem parte da história do campus. Em seu discurso, o professor Jonas ainda ressaltou a produção de um livro comemorativo, intitulado “Da Escola de Iniciação Agrícola ao Instituto Federal Catarinense: 60 anos de história em Araquari”.

O almoço foi um momento livre para a integração entre as diferentes gerações institucionais, no qual foi possível presenciar a conversa dos atuais estudantes com os alunos da década de 60. Todos almoçaram no refeitório do campus e ali mesmo as falas sobre diversas experiências tomaram conta das mesas.

Estiveram prestigiando o evento também antigas servidores da instituição, como a Dona Zulma e a Dona Dica, que trabalharam durante muitos anos para esta escola e ainda fazem questão de estar presentes em momentos marcantes da sua história.

Por volta das 15h15, aproveitando o intervalo dos estudantes, um bolo comemorativo ao aniversário do campus foi compartilhado entre todos, na área de convivência do Bloco E. Estiveram servindo o bolo aos estudantes e convidados, o Diretor-Geral e a Diretora de Desenvolvimento Educacional, Cristiane Tagliari.

Para encerrar as festividades relativas ao aniversário dos 60 anos do campus Araquari, o diretor-geral e a Reitoria do IFC, Sônia Regina de Souza Fernandes, descerraram uma placa inaugural do Bloco de Ensino, juntamente com uma placa em homenagem à história do ensino em Araquari.

Para conhecer um pouco mais sobre a história institucional, acesse: http://araquari.ifc.edu.br/historico/

Texto e imagens: CECOM/Araquari
Acesse o site do campus e confira mais fotos

Aula inaugural do Mestrado em Tecnologia e Ambiente aborda os temas inovação e sustentabilidade

Para receber os novos estudantes do Mestrado Profissional em Tecnologia e Ambiente (PPGTA), a professora Dra. Liliana Pena Naval, ministrou a aula inaugural do curso, intitulada “Inovação e Sustentabilidade: desafios das ciências ambientais”. O evento aconteceu no auditório do IFC Araquari, no último dia 10 de maio, a partir das 14h.

Com a entrada gratuita e aberta para toda a comunidade, não foram apenas os estudantes do mestrado que se beneficiaram da fala da professora Liliana, esta que é Docente na Universidade Federal do Tocantins (UFT) e Coordenadora dos Programas Profissionais da Área de Ciências Ambientais / CAPES. Estiveram prestigiando esta palestra, também estudantes dos demais cursos de graduação do IFC, docentes e técnicos administrativos do campus.

Conduzido como um momento de troca de experiências, foram também abordadas questões referentes às particularidades de mestrados profissionais e acadêmicos, orientações sobre os projetos, sua condução pelos estudantes e também a contrapartida necessária da instituição.

A mestranda Tcharlata Françoise Stinghen, reforçando pontos-chave desta pós-graduação, relatou que para ela “O mestrado profissional em Tecnologia e Ambiente é muito importante. Além de ser uma oportunidade excelente, em uma instituição de qualidade e com professores qualificados, é também a oportunidade de executar projetos de interesse da comunidade”.

O PPGTA é um programa de pós-graduação interdisciplinar, que está iniciando com sua primeira turma neste mês de maio de 2019. São ofertadas as linhas de pesquisa em Desenvolvimento Rural e Sustentável e Tecnologias Ambientais. Este curso dá sequência na verticalização do ensino no campus, oportunizando aos estudantes maior permanência e qualificação, desde o Ensino Médio e até a pós-graduação. Este é o caso da aluna Tcharlata, formada no curso de licenciatura em Ciências Agrícolas no campus e que prosseguiu sua vida acadêmica neste mestrado.

A estudante, Tcharlata, com sua experiência dentro do campus Araquari, finaliza ainda lembrando que “Os mestrandos trazem demandas externas, propondo soluções para problemáticas da comunidade, visto que grande parte deles já atuam profissionalmente na sua área de formação. Isso que é praticar ciência, trazer necessidades reais para academia”.

Texto e imagens: CECOM/Araquari

Egresso representa IFC em Conferência Internacional de Jovens Cientistas

Daniel apresenta seu projeto para a Comissão Avaliadora da ICYS

Daniel Verdi do Amarante, egresso do curso técnico de Informática integrado ao Ensino Médio do Campus Rio do Sul, representou o Instituto Federal Catarinense e o Brasil na ICYS – Internacional Conference for Young Scientists (Conferência Internacional de Jovens Cientistas), realizada de 19 a 25 de abril na Malásia. Ele apresentou o trabalho “Horsensor – Obtenção e Análise de Dados Quantitivos na Equoterapia”. Além de conquistar a medalha de prata da classificação geral da Conferência, Daniel recebeu ainda o prêmio de melhor pôster na categoria Engenharia.

Durante sua passagem pelo IFC, de 2016 a 2018, o estudante esteve bastante envolvido com projetos científicos e participou de diversos eventos nacionais – como as Olímpiadas brasileiras de Robótica, Física e Astronomia e Astronáutica, entre outras – e também de intercâmbios internacionais. Embora tenha concluído o curso no ano passado, ele ainda foi chamado para participar da Conferência Internacional como representante do IFC – uma vez que desenvolveu sua pesquisa como aluno do Instituto. “Participei de um processo online de seleção em 2017, que selecionaria os projetos para integrar a delegação brasileira na ICYS 2018. Como os avaliadores gostaram do meu projeto mas ele ainda estava em um estágio inicial, me selecionaram para participar em 2019”, explica.

O jovem cientista explicou ainda como funciona o sistema que apresentou na ICYS, o Horsensor. “Desenvolvi um dispositivo para obter os dados do movimento do cavalo e da pessoa na Equoterapia – um tratamento para pessoas com deficiências e/ou necessidades especiais. Também desenvolvi um website para armazenar os dados e disponibilizá-los a outros pesquisadores. Isso tudo deve possibilitar e facilitar estudos sobre a prática, tornando a Equoterapia ainda melhor e ajudando mais pessoas.”

O trabalho foi apresentado de duas formas na Conferência: como pôster, para os outros participantes e para o público em geral, e individualmente para uma banca avaliadora. “A experiência de participar da ICYS foi incrível”, ressalta Amarante. “Além de ter oportunidade de apresentar o meu projeto para cientistas de vários países, fiz amizade com pessoas do mundo todo e conheci novas culturas”.

Antes de participar da conferência, Daniel participou do evento “Capacitação para Gestão de Projetos e Eventos”, realizado em Brusque nos dias 9 e 10 de abril. Ele ministrou a palestra “Ação Extensionista e Inovação: a pesquisa na Equoterapia do IFC Rio do Sul que gerou o Horsensor”, na qual falou tanto sobre sua trajetória no IFC quanto sobre seu projeto de pesquisa. “Foi uma experiência muito interessante, por ser um público diferente do que geralmente apresento, que são os avaliadores da minha área em feiras de ciências. Isso possibilitou que eu falasse sobre meus planos para o futuro e também a respeito minha vontade de ajudar outros estudantes a terem oportunidades como as que tive. Foi realmente muito bom compartilhar minhas experiências com os professores do IFC.”

O jovem pesquisador salienta que ter cursado o ensino médio técnico em um Instituto Federal foi fundamental para o seu sucesso acadêmico-científico. “Acredito que ter estudado no IFC foi fundamental para tudo isso, já que em qualquer outra escola eu provavelmente não teria o incentivo, o suporte e a infraestrutura necessários para a realização do meu projeto. Além disso, apliquei diversos conhecimentos adquiridos durante o curso técnico na elaboração do sistema.”

Agora que concluiu seu curso no IFC, Daniel decidiu se dedicar a projetos pessoais antes de dar continuidade à carreira acadêmica. “Vou entrar em uma faculdade apenas no ano que vem. Ainda não sei exatamente o que quero cursar, mas pretendo continuar trabalhando com pesquisa científica”, finaliza.

Texto: Cecom/Reitoria/Thomás Müller
Imagens: Acervo Pessoal/Proex

Expoagro Afubra recebeu projeto desenvolvido entre SC e RS

Desenvolvido por instituições de Santa Catarina e Rio Grande do Sul, entre elas o Instituto Federal Catarinense (IFC), o Projeto Phenoglad foi apresentado na última edição da Expoagro Afubra, realizada em Rio Pardo, no Rio Grande do Sul.

Professora Alexandra Goede de Souza, do IFC Rio do Sul, explica que projeto tem por objetivo trazer uma nova opção de renda aos produtores rurais e proporcionar a oferta de flores com menor preço aos consumidores.

“O gladíolo, ou palma-de-santa-rita como também é conhecido, é uma flor de corte, de fácil cultivo e grande beleza que vem ganhando espaço no mercado brasileiro. Devido a sua rusticidade e ciclo curto, adapta-se as características das pequenas propriedades rurais, sendo vista como uma nova oportunidade aos agricultores catarinenses”, destaca Souza.

Nesta edição da Expoagro Afubra, feira voltada à agricultura familiar, o projeto foi representado pela equipe do Rio Grande do Sul que montou uma unidade demonstrativa da cultura do gladíolo no evento, entre os dias 26 e 28 de março.

Em Santa Catarina, os trabalhos com a cultura são desenvolvidos nos campi IFC Rio do Sul, IFC Concórdia e UFSC Curitibanos. No âmbito do IFC, os projetos recebem recursos e apoio por meio de editais de ensino, pesquisa e extensão.

Texto: Cecom/Reitoria/Rosiane Magalhães
Fotos: Divulgação do projeto

Estudantes do IFC Rio do Sul conquistam três prêmios na Febrace

De 18 a 22 de março, a 17ª Feira Brasileira de Ciências e Engenharia – Febrace – reuniu 332 projetos de Ciências e Engenharia, desenvolvidos por 751 estudantes do ensino fundamental, médio e técnico de todo o País, na Cidade Universitária da USP, na capital paulista.

Entre essas centenas de jovens, Daiane Carl e Daniele Borba Voigt, estudantes do curso técnico em Informática integrado ao ensino médio no IFC Rio do Sul, destacaram-se e conquistaram três prêmios com o trabalho “Quadro Vivo automatizado, cultivo em espaços reduzidos”, orientado pelos professores Denise Fernandes e Eduardo Bidese Puhl.

Após a maratona de apresentações, além do 4⁰ lugar geral na área de Ciências Exatas e da Terra, oferecido pela organização da Febrace, as estudantes foram premiadas no “Intel Excellence in Computer Science Award”, com 200 dólares oferecidos pela Intel para ser investido no projeto. Ainda todos os integrantes da equipe receberam kit de desenvolvimento em IoT (Internet of Things), no “Prêmio Internet das Coisas”, concedido pela Samsung.

“Os resultados da Febrace foram extremamente construtivos para a continuidade do nosso trabalho. O feedback recebido dos avaliadores é fundamental para o crescimento da pesquisa. A imersão em um ambiente de desenvolvimento científico é muito inspirador para nós. Sem dúvida, foi uma experiência que nos motivou imensuravelmente a continuar e persistir em nossa ideia, tanto pelo reconhecimento de nosso esforço até agora quanto pelo encorajamento a levar o Quadro Vivo à frente”, destaca Voigt.

Para Carl, o diferencial em participar de uma feira nacional foi conhecer pessoas de vivências muito diferentes e também com ideias e projetos inovadores que as inspiram a irem mais longe. “O ambiente diferenciado deu-nos novas perspectivas sobre o nosso projeto como o potencial, o público-alvo, os rumos que estamos tomando e as decisões que fizemos ao longo do tempo. Foi uma experiência transformadora que indicamos a todos os alunos do IFC, pois pode realmente mudar suas vidas. É uma sensação intensa que difere muito de participar de feiras locais”, define a estudante.

“O trabalho ‘Quadro Vivo automatizado, cultivo em espaços reduzidos’ é resultado da atividade de iniciação científica com integração de duas áreas do campus de Rio do Sul: Biotecnologia Vegetal e Engenharia Mecatrônica. Foi um dos representantes estaduais e, em especial, representou muito bem o Campus Rio do Sul na Febrace”, explica Fernandes.

De acordo com o professor, os resultados do trabalho, que tem como ponto forte a multidisciplinariedade, são consequência da dedicação de toda equipe, especialmente das alunas. “Comentei com elas que estes resultados de expressão nacional e internacional, conquistados por elas aos 17 e 16 anos, são dignos de real orgulho. Sinto-me realizado pela conquista delas. Acredito que motivará outros alunos a trabalharem com dedicação e, com certeza, motiva-me a prosseguir com novas orientações”, ressalta Puhl.

Sobre a Febrace

Promovida anualmente pelo Laboratório de Sistemas Integráveis (LSI) da Poli-USP, a Febrace é a maior feira brasileira pré-universitária de Ciências e Engenharia em abrangência e visibilidade. Seu objetivo é estimular a cultura científica, a inovação e o empreendedorismo na educação básica e técnica, despertando novas vocações nessas áreas e induzindo práticas pedagógicas inovadoras nas escolas. Para saber mais, acesse a página oficial da Feira.

Texto: Cecom/Reitoria/Rosiane Magalhães
Foto: arquivo pessoal