Estudante do Campus Rio do Sul representa o IFC em Workshop de Invariância de Escala em Sistemas Dinâmicos da Unesp

O estudante Jaderson Polli, do curso de Licenciatura em Física do Campus Rio do Sul, apresentou o trabalho Power Laws and Algebraic Investigations at Bifurcation Points in Logistic and Cubic Maps (Leis de Potência e Investigações Algébricas em Pontos de Bifucarção nos Mapas Logístico e Cúbico) no I Workshop em Invariância de Escala em Sistemas Dinâmicos da Universidade Estadual Paulista Júlio Mesquita Filho (Unesp). O evento, realizado nos dias 29 e 30 de agosto, contou com seminários, palestras, lançamento de livro, comunicações orais e apresentação de pôsteres sobre pesquisas realizadas sobre a tema.

“Invariância de Escala trata de comportamentos universais em diferentes ordens de grandeza dos fenômenos analisados”, explica o orientador de Jaderson, professor Antônio Fidélis. “Podem ser observados em modelos que descrevem dinâmica populacional, fenômenos eletromagnéticos, comunicação entre neurônios ou modelos puramente matemáticos ou físicos, sem interesse em aplicações imediatas. Mas, mesmo estes últimos, podem mostrar-se como ferramentas úteis em aplicações práticas em momentos futuros, em outras áreas, como é comum na área de Sistemas Dinâmicos.”

De acordo com Fidélis, os Sistemas Dinâmicos são estudados há mais de 200 anos. No entanto, a área do conhecimento foi popularizada apenas na segunda metade do século XX, com o advento da facilidade de acesso aos computadores e tecnologias computacionais – devido à elevada quantidade de operações matemáticas necessárias para que se obtenha informações úteis. Hoje, o estudo é baseado em modelos de simulação computacional.

O modelo estudado pelo acadêmico do IFC é o Mapa Logístico, que descreve a dinâmica de populações e é usado como um paradigma para toda a área de sistemas dinâmicos. “É um modelo muito simples matematicamente, mas que apresenta comportamentos muito robustos e que aparecem em modelos muito mais complicados e aplicáveis nas mais diversas áreas”, conta Jaderson.

Este modelo também apresenta invariância de escala para alguns de seus comportamentos. Baseado em um estudo sobre invariância de escala em uma variação do Mapa Logístico, Jaderson, orientado pelo professor Fidélis, estuda a dinâmica de pontos de bifurcação através de um formalismo não usual para replicar resultados e estender os conhecimentos desta dinâmica.

O orientador ressalta a importância da participação em eventos sobre o assunto. “Como não temos com quem conversar sobre o trabalho que desenvolvemos aqui no campus, a interação com pesquisadores da mesma área é essencial para que tenhamos uma melhor percepção do nosso estudo e conheçamos trabalhos correlatos. Não podemos fazer ciência sozinhos, precisamos conversar e compartilhar o que fazemos com outros grupos de pesquisa, a fim de melhorar a qualidade de nossa produção intelectual”, diz Fidélis. “Foi uma experiência muito proveitosa poder participar de um evento sobre o estudo específico que venho fazendo na Iniciação Científica. O Workshop contribuiu muito para minha formação”, completa Jaderson.

Texto: Cecom/Reitoria/Thomás Müller
Imagem: Arquivo pessoal/Antônio Fidélis

Inscrições abertas para III Fórum de Formação de Professores e I Seminário Institucional Integrado PIBID e RP

Estão abertas as inscrições para o III Fórum de Formação de Professores e o Seminário Institucional Integrado PIBID e RP do IFC. Os eventos integram o “I Seminário IFC-FURB de Educação Profissional e Tecnológica: Desafios e Perspectivas” realizado em conjunto pelo Mestrado em Educação Profissional e Tecnológica (IFC) e o grupo de pesquisa Educação e Emancipação da Ciência e da Tecnologia (Furb), e estão marcadas para os dias 3 e 4 de outubro.

As inscrições são feitas na página do evento: http://inscricao.eventos.ifc.edu.br/index.php/ffp2019/ffp2019

A chamada para submissão de trabalhos está aberta até o dia 25 de setembro, e será feita de duas formas:

  • Para os trabalhos dos participantes do Pibid e Residência Pedagógica, há um template disponível no link do evento com orientação para o tipo de trabalho, número de páginas etc. É necessário, antes, que o estudante ou professor estejam inscritos no evento.

  • Relatos de experiência/rodas de conversa de socialização de trabalhos desenvolvidos nos cursos de Licenciaturas como os estágios, prática como componente curricular, pesquisa e processo educativos devem ter seus resumos enviados para e-mail: den@ifc.edu.br, conforme modelo enviado às coordenações dos cursos de licenciaturas do IFC.

Sobre os eventos – O Fórum de Formação de Professores tem como objetivos promover a discussão sobre a formação de professores para a Educação Básica e socializar os trabalhos desenvolvidos nos cursos de Licenciaturas PIBID, Residência Pedagógica, estágios, prática como componente curricular e pesquisa e processo educativos.

Já o Seminário Institucional Integrado visa promover a troca de experiências entre estudantes e docentes do IFC e das redes de ensino envolvidos e também avaliar e reavaliar o desenvolvimento das atividades, por meio da participação coletiva, objetivando a qualificação das ações quanto a formação inicial e inserção profissional.

Texto: Cecom/Reitoria/Thomás Müller

Campanha nacional celebrará os 110 anos da Rede Federal

No dia 23 de setembro de 2019 a Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica completará 110 anos. A partir desta semana, a data será comemorada com uma campanha idealizada pelo Conselho Nacional das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (Conif) em parceria com comunicadores das instituições.

O objetivo da iniciativa é relembrar um pouco da história iniciada com a publicação do Decreto nº 7.566, de 23 de setembro de 1909, que criou as 19 escolas de aprendizes artífices, abordar as transformações pelas quais passaram essas unidades até os dias atuais, falar sobre o presente e o futuro de um modelo de ensino que oferta educação profissional pública, gratuita e de qualidade para centenas de milhares de estudantes em todo o Brasil.

“São 110 anos da educação profissional no Brasil que precisam ser comemorados. E a Rede Federal, neste momento, em função da sua capilaridade, é a grande responsável pela formação de milhares de cidadãos qualificados para mundo do trabalho, proporcionando o desenvolvimento de todas as regiões do País. Para mim é um prazer fazer parte de um terço dessa história”, afirmou o presidente do Conif, Jerônimo Rodrigues da Silva.

Selo comemorativo – A peça que será utilizada no decorrer da campanha foi criada pelo profissional multimídia João Augusto Tavares Rodrigues, atual assessor de Comunicação Social do Instituto Federal do Pará (IFPA). “Eu me inspirei nas cores da bandeira nacional, em formas que remetem às florestas, no efeito glitch (relativo à inovação tecnológica) e no formato da engrenagem. Sintetizo a marca em cinco palavras: projeto, velocidade, dinamismo, habilidade e inovação”, disse.

A campanha também incluirá um site comemorativo, que será lançado durante a 43ª Reunião Anual dos Dirigentes das Instituições Federais de Educação Profissional e Tecnológica (Reditec), e o uso das mídias sociais para compartilhar a trajetória da Rede Federal, resultados, tecnologias, pesquisas aplicadas e casos de sucesso incentivados pelas instituições como o da estudante Juliana Estradioto, egressa do Instituto Federal do Rio Grande do Sul (IFRS) e que está entre as grandes promessas da ciência mundial na atualidade.

A mais recente conquista da jovem, de 19 anos, foi ter sido uma das vencedoras, na categoria Ciências Materiais, durante a International Science and Engineering Fair (Intel Isef) em 2019 – uma das maiores feiras de ciências do mundo, realizada em Phoenix, nos Estados Unidos.

Juliana também figurou entre os finalistas do Prêmio Jovem Cientista de 2018, na categoria Ensino Médio, e foi destaque na Feira Brasileira de Ciências e Engenharia (Febrace) de 2019. Ainda neste ano, a gaúcha vai representar o Brasil no Seminário Internacional de Ciências Juvenis de Estocolmo (SIYSS, na sigla em inglês).

Rede Federal – A Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica é formada por 38 institutos federais de educação, ciência e tecnologia; dois centros federais de educação tecnológica (Cefets); 22 escolas técnicas vinculadas às universidades federais; e pelo Colégio Pedro II.

As instituições são referências nacional e mundial em suas áreas de atuação, com desempenho comprovado pelos resultados dos estudantes no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e no Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (PISA).

Números da Rede – Atualmente a Rede Federal contabiliza quase um milhão de estudantes que frequentam um dos 11.766 cursos ofertados desde o nível básico até a pós-graduação. Para isso, a estrutura nacional conta com mais de 75 mil servidores nas 661 unidades espalhadas em 578 municípios do País.

Além do ensino verticalizado, outro diferencial é o alinhamento dos projetos de ensino, pesquisa e extensão aos arranjos produtivos locais e às demandas do mundo do trabalho, potencializando o desenvolvimento regional e gerando empregabilidade dos egressos, além de promover a inclusão.

Dados sobre a Rede Federal podem ser obtidos na Plataforma Nilo Peçanha do Ministério da Educação (MEC).

Acesse o manual de aplicação da marca

Texto e fotos: Assessoria de Comunicação do Conif/Bárbara Bomfim

Aula inaugural dá início às atividades da segunda turma do Mestrado ProfEPT

A segunda turma do Mestrado Profissional em Educação Profissional e Tecnológica em Rede Nacional (ProfEPT), do Instituto Federal Catarinense (IFC), com polo no Campus Blumenau, participou da aula inaugural em 15 de agosto, com a palestra Situação Atual e Perspectivas da Educação Superior no Brasil, ministrada pelo professor e pesquisador Gabriel Grabowski.

O palestrante iniciou a apresentação abordando a educação superior, perpassando o cenário da educação nos últimos anos. “Ele demonstrou que vem ocorrendo a desconstrução do futuro da juventude brasileira ao se diminuírem as condições de oferta de uma educação pública de qualidade e, com isso, acabou abrangendo todos os níveis de ensino”, observou a coordenadora do curso, professora Inge Suhr.

Para o mestrando Bruno Tomio, Grabowski trouxe questões pertinentes de serem estudadas e aprofundadas, que irão refletir tanto na formação dos mestrandos quanto na formação profissional brasileira. “Ele trouxe um histórico da formação de algumas políticas públicas de incentivo à educação profissional e tecnológica nas últimas duas décadas, e abordou a falta de perspectiva de continuidade desses programas, e até de retrocessos em relação ao que se avançou, como a redução de bolsas de estudos em programas científicos. Trouxe também a realidade que afeta diretamente os jovens, em um país que está cada vez menos oferecendo possibilidades de estudo e, principalmente, condições materiais de emprego”, refletiu Tomio.

Além da coordenadora do curso e do palestrante, fizeram parte da mesa de honra durante a solenidade de abertura, a diretora-geral, Marilane Wolff Paim, a diretora de ensino, Rita de Cássia da Silveira Cordeiro, e o pró-reitor de pesquisa, pós-graduação e inovação, Cladecir Schenkel.

Sobre o ProfEPT

O ProfEPT é um programa de Mestrado Profissional em Educação Profissional e Tecnológica em rede nacional, da área de Ensino, reconhecido pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), do Ministério da Educação. O curso tem como objetivo proporcionar formação para os profissionais da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica e também para os demais profissionais que atuam e/ou pesquisam a Educação Profissional e Tecnológica. O ProfEPT visa a produção de conhecimento e o desenvolvimento de produtos, por meio da realização de pesquisas que integrem os saberes inerentes ao mundo do trabalho e ao conhecimento sistematizado.

Texto: Cecom/Campus Blumenau/Gisele Silveira
Fotos: divulgação Mestrado

Sem revogação de bloqueio orçamentário, situação financeira do IFC segue preocupante

O Instituto Federal Catarinense foi acometido por um bloqueio orçamentário infligido pelo Governo Federal no dia 30 de abril, assim como os demais Institutos e Universidades Federais do país. No IFC, foram bloqueados 30% do orçamento de capacitação (total de R$ 138.288,00), 30% dos recursos para investimento (R$ 1.197.816,00) e 39% da verba de custeio (R$ 18.027.046,00).

Hoje, quatro meses após os cortes, a situação segue preocupante. Apesar dos esforços dos gestores das instituições de ensino, por meio de entidades como o Conif e a Andifes, e a despeito das manifestações contra a medida realizadas por todo o Brasil, os cortes orçamentários foram mantidos. Diante disso, foram implementadas medidas de contingenciamento; no caso do IFC, as decisões sobre quais providências seriam necessárias foram tomadas pelas direções-gerais de cada campus e da Reitoria, de acordo com as realidades locais.

Além de dificultar a continuidade de todos os serviços terceirizados, o bloqueio prejudicou sobretudo as atividades-fim do Instituto. Auxílios para participação em eventos e visitas técnicas foram comprometidos – bem como a compra de insumos e equipamentos para laboratórios. Ações importantes para a formação integral dos estudantes, como a Mostra Nacional de Iniciação Científica e Tecnológica Interdisciplinar (Micti) e a participação do IFC na edição nacional dos Jogos dos Institutos Federais (JIFs) tiveram que ser redimensionadas. Para os servidores, o Programa de Capacitação, que era ofertado continuamente ano após ano, sofreu impactos severos, sendo que cursos in company que eram costumeiramente contratados não serão realizados neste exercício.

No entanto, o que deixa a situação da Instituição mais complexa é que nem mesmo os 61% das verbas de custeio restantes após o bloqueio foram integralmente liberados pelo Governo Federal. É o que conta o pró-reitor de Administração do IFC, Stefano Demarco. “O cenário a que está submetido o Instituto é mais complexo, já que a disponibilidade de limites orçamentários para a emissão de notas de empenho, que são a primeira fase das despesas públicas, é de apenas 58% para custeio e 20% para investimento do que está previsto na Lei Orçamentária Anual. Os bloqueios orçamentários de abril trouxeram diversas dificuldades – e, com o comprometimento dos limites de empenhos, esse quadro se torna mais grave”.

O pró-reitor explica que, embora o descontingenciamento da verba por etapas seja um procedimento efetuado em anos anteriores, em 2019 o processo está muito mais preocupante. “Nessa mesma época, ano passado, nós já tínhamos 80% disponíveis. Além disso, existem indicativos de que o orçamento de custeio, utilizado para pagar materiais, serviços terceirizados e contas como energia e telefone, não será liberado em sua totalidade”.

Diante desse quadro, a maior preocupação, segundo Demarco, é o Programa de Auxílios Estudantis (PAE) – que tem por objetivo criar condições de acesso e aproveitamento pleno da formação acadêmica aos estudantes em situação de vulnerabilidade socioeconômica. “No momento, temos apenas 58% do que estava previsto para dar continuidade a essas ações. As bolsas de Pesquisa e Extensão ainda não foram descontinuadas; porém, se não houver novas liberações de limites orçamentários, tanto a continuidade do pagamento das bolsas como a publicação de novos editais – que inclusive já não estão sendo feitas – serão prejudicadas”.

O pró-reitor de Administração ressalta que o IFC ainda corre risco de interromper suas atividades. “Assim sendo, esperamos que com a chegada do mês de setembro tenhamos novidades em relação ao bloqueio de recursos e essa situação se reverta”.

Texto: Cecom/Reitoria/Thomás Müller

Últimos dias de inscrições para V IFCultura

Sexta-feira, 30 de agosto, é o último dia de inscrições para o V IFCultura. Podem participar somente estudantes regularmente matriculados do IFC; os interessados devem procurar o servidor responsável pelo procedimento de inscrição em seus campi

Serão aceitas inscrições nas seguintes modalidades: dança; música; teatro; poesia e artes visuais (fotografia, pintura, escultura, desenho, gravura ou instalação, arte gráfica, happening).

Detalhes sobre o formato das apresentações, o cronograma de envio de originais e outras informações importantes estão disponíveis no regulamento.

Apresentações serão realizadas nos dias 13 e 14 de novembro, durante a XII edição da Mostra Nacional de Iniciação Científica e Tecnológica Interdisciplinar (Micti), em Brusque – com atividades no campus do IFC na cidade e no Pavilhão de Eventos Maria Celina Vidotto Imhof.

IFCultura é evento cultural exclusivo para estudantes regularmente matriculados no IFC, que visa incentivar a cultura, o crescimento profissional, científico e tecnológico, nas diversas modalidades e linguagens artísticas, com reflexão sobre humanidade e educação, bem como enriquecer os espaços educacionais.

Texto: Cecom/Reitoria / Rosiane Magalhães
Foto: Apresentação no IFCultura em 2018

IFC disponibiliza módulo online para responsáveis acompanharem a vida acadêmica dos adolescentes

Pais e responsáveis pelos estudantes menores de idade, dos cursos técnicos integrados ao ensino médio do Instituto Federal Catarinense (IFC), podem acompanhar a vida acadêmica dos adolescentes pelo Portal Familiar. O módulo pode ser acessado a qualquer momento pela Internet, pois está inserido no Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas (Sigaa), que é o sistema acadêmico usado na instituição.

Portal permite o cadastro de dois usuários por cada adolescente, que devem ser os mesmos identificados como responsáveis na matrícula. A partir do cadastro, será possível acessar notas detalhadas, boletim de frequência, comunicados, informações sobre o conteúdo explicado pelo professor em sala de aula, entre outros dados do estudante.

“O Portal foi criado para facilitar a participação das famílias na vida acadêmica dos estudantes e promover a aproximação com a instituição. Com acesso às informações em tempo real, os responsáveis podem acompanhar a evolução dos adolescentes durante o período letivo e, em caso de dúvidas, procurar o Núcleo Pedagógico do campus”, destaca Giovana von Mecheln, coordenadora-geral de Avaliação e Regulação do Ensino no Instituto.

No IFC Fraiburgo, os servidores perceberam a baixa procura pela ferramenta, por isso gravaram um vídeo explicativo para orientar as famílias. “Criamos o vídeo para ajudar e incentivar a utilização do Portal. Por enquanto, estamos divulgando por e-mail e em grupos no WhatsApp. Mas a proposta é ampliar a divulgação a todos os pais e responsáveis no ato da matrícula a partir do próximo ano”, explica Dheime Romanatto Trevisol, coordenadora de Registro Acadêmico e Cadastro Institucional no Campus Fraiburgo. 

Acesse aqui o vídeo gravado com Joana Constantino, e editado por Jeferson Santos Moraes de Souza, ambos estudantes do 3º ano do técnico em Informática integrado ao ensino médio do IFC Fraiburgo. Também estão disponíveis no site do IFC os manuais de orientação sobre como fazer o cadastro. 

Texto: Cecom/Reitoria/Rosiane Magalhães
Imagem: Manual da DTI

Estudantes do IFC Rio do Sul constroem jardim sensorial no campus

Jardim Sensorial é um espaço não convencional de aprendizagem que se dá por meio da integração de terapias alternativas, com objetivo estimular os sentidos: visão, tato, olfato, audição e gustação.

A partir deste mês, o IFC Rio do Sul passa a contar com seu próprio jardim sensorial, desenvolvido por estudantes da Turma 1C do curso técnico em Agropecuária integrado ao ensino médio, na disciplina de Floricultura, Jardinagem e Paisagismo, sob coordenação da professora Alexandra Goede de Souza.

De acordo com a professora, a proposta do espaço é auxiliar no desenvolvimento das crianças, de forma lúdica e interativa, utilizando diferentes texturas, cheiros e cores das plantas e materiais como ferramentas no desenvolvimento do tato, da audição, do olfato e da visão.

Neste primeiro momento, receberemos os estudantes do próprio Instituto e as crianças atendidas pela Apae de Rio do Sul, participantes dos projetos Equoterapia e Zooterapia. No entanto, o objetivo é ampliar o acolhimento, especialmente para crianças com necessidades específicas, e torná-lo multidisciplinar”, apresenta Souza.

Inauguração do jardim, no dia 14 de agosto, teve a participação das crianças atendidas pela Apae. Na ocasião, elas tiveram a oportunidade de utilizar o piso podotátil com diferentes texturas, observar e tocar as plantas de cores, texturas e cheiros variados. Também participaram da “Zooterapia”, em um local destinado à atividade, na qual estimularam seus sentidos ao segurar, tocar e brincar com os coelhinhos.

Ainda são necessários ajustes no jardim sensorial, mas em breve será possível contemplar inclusive demais membros da comunidade, com um projeto integrador, levando o IF a atender, uma de suas funções, que é a inclusão social”, esclarece a professora.

Texto: Cecom/Reitoria/ Rosiane Magalhães
Fotos: Alexandra G. de Souza, Vera Paniz e Silvana Quinteiro

Napne do IFC Concórdia realizou III Encontro de Educação e Diversidade

Núcleo de Atendimento às Pessoas com Necessidades Específicas (Napne) do IFC Concórdia realizou o III Encontro de Educação e Diversidade do IFC, no dia 16 de agosto, com objetivo de discutir a inclusão dos alunos da educação especial e inclusiva na escola. Neste ano, as palestras tematizaram a igualdade racial e de gênero, o atendimento educacional especializado e a deficiência visual.

Encontro foi aberto para servidores e estudantes do IFC, professores da rede pública, familiares e pessoas com deficiência. Estiveram presentes encontristas surdos, com deficiência auditiva e deficiência visual. Por este motivo, a equipe de acessibilidade contou com tradutores/intérpretes da Língua Brasileira de Sinais (Libras), uso do sistema FM, audiodescrição e guia.

“A realização deste evento mostrou o quanto é importante os momentos discussão entre os profissionais da escola, a troca de experiência com os familiares e com os próprios alunos”, justifica Elisama Rode Boeira, coordenadora do Napne no campus.

Texto: Cecom/Reitoria/ Rosiane Magalhães
Fotos: Napne IFC Concórdia

Conif e Andifes divulgam nota pública conjunta sobre a nomeação de dirigentes eleitos

Em convergência com as comunidades acadêmicas, o Conselho Nacional das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (Conif) e a Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes) vêm a público manifestar apoio à nomeação dos gestores eleitos em processos democráticos. Tal defesa objetiva preservar o equilíbrio e o integral cumprimento de uma das finalidades institucionais: para além da qualificação profissional, produção de ciência, tecnologia e inovação, a formação de cidadãos.

Por respeitar as escolhas das comunidades acadêmicas, cujos pleitos são realizados com transparência e de acordo com os ritos legais, o Conif e a Andifes sustentam a nomeação dos candidatos escolhidos em conformidade com a maioria de votos dos docentes, estudantes e servidores técnico-administrativos da Rede Federal – institutos federais, centros federais de educação tecnológica (Cefets), o Colégio Pedro II e as universidades federais, de modo a mitigar prejuízos e instabilidades e aprimorar governança e governabilidade no funcionamento das instituições.

Em diversas agendas com o Ministério da Educação (MEC), o Conif e a Andifes pleiteiam, reiteradamente, que a nomeação dos primeiros colocados em processos eleitorais seja realizada dentro da menor brevidade possível, respeitando a autonomia institucional e aplicando os valores democráticos historicamente implementados no País. Temos a convicção de que as políticas públicas de interesse da sociedade brasileira são viabilizadas pela legitimidade dos gestores públicos.

O Conif e a Andifes se manifestam contrários à nomeação de gestores externos às instituições, mesmo que de forma pro tempore, como ocorre no Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca (Cefet/RJ), e defendem que seja respeitada a vontade apresentada nas eleições.

Assim sendo, expõem solidariedade à comunidade acadêmica do Cefet/RJ e reforçam a atuação conjunta para que a conclusão do processo em questão ocorra com a celeridade que o caso requer.

Brasília, 19 de agosto de 2019.

Conselho Nacional das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (Conif)

Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes)