Estudantes da Licenciatura em Química participam do 38º EDEQ

Ensino, pesquisa e extensão; aulas diferenciadas; incentivo à produção científica e participação em eventos acadêmicos. Tudo isso está presente no dia a dia dos estudantes dos cursos do Instituto Federal Catarinense Campus Araquari, como na recente participação dos estudantes da Licenciatura em Química (LIQUI) no Encontro de Debates sobre o Ensino de Química (EDEQ). Em sua 38ª edição, o evento foi realizado nos dias 18 e 19 de outubro de 2018, na cidade de Canoas (RS), organizado pela Universidade Luterana do Brasil (Ulbra), com a temática “Os saberes docentes na contemporaneidade: perspectivas e desafios na/pela profissão”.

Foram atividades diversas realizadas pelos estudantes, como a participação no Seminário “O impacto da reforma do ensino Médio e da BNCC na profissão do professor de Química”, palestras gerais com estudiosos da área, visita ao museu de Ciência e Tecnologia da PUCRS (Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul). Além destas experiências que fazem parte da vida acadêmica destes alunos, eles ainda tiveram a oportunidade de entrar em contato e conversar com grandes nomes da área de educação em química.

Além da participação como ouvintes, os estudantes do IFC foram também apresentadores de trabalhos durante o evento. Os trabalhos apresentados foram:

1. “Baía da Babitonga: possibilidades para educação ambiental em uma oficina didática”;
2. “Síntese de Wöhler e o início da química orgânica: divergências da História da Ciência nos livros didáticos”;
3. “Invenção da pilha: análise do episódio histórico nos livros didáticos de química do ensino médio – PNLD 2018”;
4. “A inclusão da ‘alquimia’ nos livros do PNLD de química: uma análise documental”;
5. “Teoria do Flogisto: uma sequência didática desenvolvida no estágio supervisionado”.

Para o estudante, da Licenciatura em Química, Gabriel Cristiano Walz, “A participação em um evento como o EDEQ é um momento ímpar para a formação de nós, futuros professores, pois promove um contato com professores, pensadores e pesquisadores renomados, nos ajudando na construção de nossos saberes docentes”, comenta. Gabriel esteve presente no evento, acompanhado da professora e coordenadora do curso, Anelise Grünfeld de Luca, e mais sete estudantes do IFC Araquari: Natacha Morais Piuco; Zamara Léon; Mylena Larissa de Araujo; Nayara Stanski Tkaczyk; Franciele Dias Dordet e Jaqueline Maria da Silveira.

Conheça o EDEQ

No início dos anos 80 iniciou-se no Brasil, mais especificamente no Rio Grande do Sul, um dos eventos mais importantes na área de Educação Química/Ciências o: Encontro de Debates sobre o Ensino de Química (Edeq). O primeiro Edeq, com o apoio da Secretaria Regional da Sociedade Brasileira de Química (SBQ), foi realizado em dezembro no Instituto de Química da PUCRS. Apesar de ser um evento local, pois as suas 37 edições ocorreram no Rio Grande do Sul, como tabela abaixo, o Edeq é um evento que conta com a participação da comunidade da Educação Química de todo o Brasil, a fim de planejar, avaliar e desenvolver ações (mesa-redonda, apresentação de trabalho, temas em debate, palestras) durante o encontro para haver trocas de saberes, experiências e conhecimentos entre esta comunidade.

O Edeq tem contribuído de forma significativa para a formação inicial e continuada de professores de química, pois a cada edição é apreciado com maior número de participantes que buscam os mesmos objetivos: encontrar-se em constante formação, realizar parcerias, constituir-se a partir da relação afetiva estabelecida com o outro, trocar certezas e incertezas, divulgar trabalhos e, dentre outros, conhecer novas ações, experiências, estratégias e metodologias que qualificam o processo de ensinagem.

Texto: Cecom/Araquari – Raquel Rybandt
Informações: 38edeq.edeq.com.br/index.html
Imagem: Anelise Grünfeld de Luca

Painel de Integração tem 125 trabalhos apresentados em dois dias

O Painel de Integração (PI) foi a atividade que finalizou a Semana de Ensino, Pesquisa e Extensão do IFC Araquari. O Painel aconteceu nos dias 28 e 29 de setembro de 2018, com apresentações entre 9h e 13h, no ginásio de esportes da instituição. Cada um dos dias contou com, pelo menos, 700 pessoas envolvidas apenas nesta área do evento, entre apresentadores, visitantes e organizadores.

Para facilitar a participação externa no Painel, neste ano foi implementada a novidade de separação, em dois dias diferentes, das apresentações, com a alternância de trabalhos expostos. Dentre os 125 trabalhos presentes na sexta-feira e no sábado, pode-se dizer que todas as disciplinas do currículo escolar foram englobadas, assim como foram contemplados os conteúdos práticos relacionados à parte técnica dos cursos de Agropecuária, Informática e Química.

E é justamente esta a ideia do PI, uma proposta voltada para os estudantes do ensino médio, incentivando a interdisciplinaridade, a integração de conhecimentos e novas tecnologias de informação e comunicação aos processos de ensino e aprendizagem. Nele estão envolvidos professores (para orientação), servidores técnicos administrativos (como colaboradores), os próprios estudantes para a execução dos projetos e a comunidade como um todo para a participação e troca de informações nos dias do evento.

Diferentes de uma apresentação de trabalho comum, os trabalhos do Painel de Integração contam com um estande que é totalmente customizado pelos estudantes, a fim de expor e demonstrar as experiências e as atividades práticas que estão sendo realizadas. Ano a ano, são aperfeiçoados os materiais e as apresentações. Neste ano, por exemplo, houve um desafio extra: montar um estande “sustentável”.

Estande sustentável

Desafio lançado, desafio aceito! Essa foi a conclusão do Núcleo de Gestão Ambiental e da Comissão Organizadora do Painel de Integração. Os alunos do ensino médio demonstraram que é possível, sim, utilizar materiais menos agressivos ao meio ambiente.

Os TNTs e EVAs, utilizados em anos anteriores, deram espaço para jornais, papelão, papel kraft e tecido, que são materiais de maior degradabilidade. A criatividade foi muito além do imaginado e criou-se uma esperança que podemos produzir conhecimento respeitando nosso planeta.

Dos 125 estandes no Painel de Integração, 92 foram considerados sustentáveis, o que representa 74% do total! Cada estande produziu cerca de 0,557kg de resíduos recicláveis, totalizando 69,610kg nos dois dias de apresentações. Porém, um dado a ser destacado foi que no dia 29 foram gerados 46% mais resíduos do que no dia 28, ou seja, isso indica que é possível reduzir muito mais!

Por ser um evento anual, o desafio da conscientização para a próxima edição já começa neste ano. Pensando que cada estande pode fazer a sua parte, a meta para os próximos anos é ter um evento totalmente sustentável.

Os detalhes

Para compor o ambiente do Painel de Integração e tornar o espaço mais agradável, foi montado um espaço de convivência para os estudantes. Dentro do ginásio houve a ambientação com pallets, plantas, tecidos, almofadas e itens de decoração, que traziam não só o conforto, mas também a reflexão para quem passasse por lá.

Este ambiente de convivência foi utilizado também na abertura do primeiro dia de Painel de Integração, para uma homenagem póstuma a três estudantes da instituição que, durante o mês de setembro, vieram a falecer por diferentes razões. Todos reuniram-se e, com algumas palavras do diretor-geral do campus, lembraram com carinho das colegas.

A Semana de Ensino, Pesquisa e Extensão 2018 teve seu último dia no sábado (29), trazendo consigo uma semana de grandes experiências, muitos aprendizado, diversidade e cultura, além de novas oportunidades para os estudantes. Dentro da gama de atividades oferecidas para os participantes do evento, ficou marcado mais um passo para aprimorar e integrar ensino, pesquisa e extensão dentro de uma instituição que tem como seu objetivo ofertar ensino público, gratuito e de qualidade.

Para acessar um álbum completo com imagens de todo o evento, clique aqui.

Texto e imagens: Cecom/Araquari

Sepe 2018 contou com seis dias de atividades

A Semana de Ensino, Pesquisa e Extensão (Sepe) ofertou 133 atividades ao longo dos dias 24 a 29 de setembro de 2018, todas dentro das dependências do Instituto Federal Catarinense – Campus Araquari. Foram mais de 1400 participantes, ao total, que tiveram a oportunidade de assistir a cerca de 90 diferentes palestrantes.

As atividades começaram na segunda-feira pela manhã, com uma ação promovida pelo Grêmio Estudantil, que trouxe a arte urbana para dentro da instituição. Para a tarde, a partir das 13h30, foi reservado um espaço para a abertura oficial do evento, contando com a participação de autoridades institucionais e a apresentação artística da Banda de Metais do Corpo de Bombeiros Voluntários de Joinville.

Para a palestra inicial, após as 14h, foi convidado o professor Dr. Airton Spies, que tratou das “Perspectivas, desafios e oportunidades para o agronegócio brasileiro”. Na sequência foi passada a palavra ao professor Dr. Marcus Eduardo Maciel Ribeiro, que abordou, em sua fala, “A importância da valorização da pergunta do aluno na sala de aula”.

A abertura do período noturno contou com a apresentação artística dos estudantes dos cursos técnicos integrados ao ensino médio, Amon Reis e Abigail Maia, que performaram um repertório variado de músicas brasileiras. Posteriormente, o professor Marcus retomou a palavra e abordou “A pesquisa em sala de aula como proposta curricular”, fala que foi direcionada, nesse momento, a um público composto majoritariamente por alunos das licenciaturas.

Atividades na Sepe

Nos dias 25 e 26 de setembro, terça e quarta-feira, a Sepe transformou-se em um evento com múltiplas atividades acontecendo concomitantemente. Apenas nestes dois dias, quase 90 atividades foram realizadas das 8h às 22h, dentre elas: palestras, minicursos, oficinas, workshops e afins.

Estes dias são diferenciados por coincidirem com o início das semanas acadêmicas, que, no IFC Araquari, são todas condensadas dentro da Sepe. Desse modo, aconteceram as atividades das semanas de Agrimensura, Agronomia (SemaAgro), Informática (SemaInfo), Licenciaturas (SemaLic) e Medicina Veterinária (SemaVet).

Além dos momentos específicos para cada curso superior, foram também oferecidas atividades gerais para os cursos de nível médio, preparação para o Painel de Integração de Conhecimento, e, ainda, atividades culturais, como o AlmoSOM, que aconteceu de terça a sexta-feira, na área de convivência do Bloco E.

Trabalhos científicos

Já passando da metade do evento, a quinta-feira (27) foi reservada para a troca de experiências e informações científicas por meio da apresentação de trabalhos realizados dentro e fora da instituição, por estudantes, docentes ou outros profissionais.

Os trabalhos foram submetidos às modalidades de pôster científico ou comunicação oral, sendo pré-selecionados por uma comissão científica e, posteriormente, assistidos por uma banca no dia do evento.

A manhã do dia 27 contou com as apresentações de 71 pôsteres científicos, expostos no ginásio do campus e abertos para a visitação do público. Nos períodos da tarde e da noite, as salas do Bloco E receberam 88 apresentações de comunicações orais, que também eram abertas para a participação da comunidade.

A partir da tarde de quinta-feira, ao mesmo tempo em que ocorriam as apresentações em sala de aula, iniciaram-se os preparativos para o Painel de Integração do Ensino Médio, que aconteceu, no Ginásio da instituição, na sexta-feira e sábado, dias 28 e 29 de setembro.

Para acessar um álbum completo com imagens de todo o evento, clique aqui.

Texto e imagens: Cecom/Araquari

Semana Acadêmica do TADS trouxe palestras ministradas pelos acadêmicos do curso

No IFC, o aprendizado é uma via de mão dupla: aquele que ensina aprende, e aquele que aprende também ensina, criando possibilidades para a transformação do conhecimento em saber. Foi assim na III Semana Acadêmica do curso de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas (TADS) do Campus Blumenau, em que os acadêmicos foram os palestrantes do evento – que trouxe ainda oficinas, palestras com convidados e uma competição.

Enfrentar o medo de falar em público, pesquisar mais sobre o assunto a ser apresentado e descobrir coisas que não sabia – assim foi a experiência para os acadêmicos Anibal Giovani Manetta, Zeus Schmitz, Priscilla de Castro Romeiro Martins e Felipe Milary Dias em suas primeiras palestras em um evento. “Para alguém que não gosta muito de falar em público, a experiência foi gratificante. Foi uma boa apresentação, mostrei algo que considero um hobby, que é Placa ESP 8266, então, estava motivado”, contou Zeus Schmitz.

O acadêmico Felipe Milary Dias admite que, no começo, estava muito nervoso, mas que depois foi fluindo. “Acho que só o começo é difícil”, observou ele, que abordou o tema Arduíno. “Transferir conhecimento é maravilhoso, ainda mais quando se tem domínio do assunto. Gostei de estar na frente passando conhecimento. Espero poder trabalhar assim, ensinando o que sei e instruindo pessoas”, adiantou.

Para Priscilla de Castro Romeiro Martins, que ministrou o tema ASP.NET MVC, essa experiência permitiu a ela adquirir conhecimento do que seria apresentar uma palestra. “Pude aprender mais sobre o conteúdo que ministrei, falei sobre um assunto que gosto e adquiri um pouco mais de confiança para falar em público”, resumiu.

Durante o evento, os estudantes ainda puderam participar da oficina Python e de palestras ministradas por profissionais convidados. A competição TreasureHunt – um jogo de Segurança Computacional, por meio do qual os jogadores recebem um conjunto de problemas que podem ser solucionados a partir de ferramentas de segurança – marcou o encerramento do evento.

Texto/Fotos: Gisele Silveira | Jornalista | Cecom/Campus Blumenau

Mepec reforça caráter transformador do tripé ensino, pesquisa e extensão

Com uma programação diversificada, a Mostra de Ensino, Pesquisa, Extensão e Cidadania (Mepec) do Campus Blumenau cumpriu seu papel enquanto espaço de compartilhamento de atividades extensionistas, de ensino e de pesquisa desenvolvidas por estudantes de cursos de ensino médio/técnico e superior e por servidores. Foram 41 projetos, dos quais 30 apresentados em formato de pôster; 11 comunicações orais, e 14 oficinas; além de diversas apresentações culturais.

Enquanto nas salas de aula e na quadra de esportes os inscritos nas oficinas partiam para a prática, no hall, o lado artístico dos estudantes era exibido em apresentações de música, teatro e dança. Já nos corredores, reverberavam as vozes daqueles que apresentavam trabalhos em banners científicos, com temas que iam da sustentabilidade à robótica. Esse conjunto de ações multidisciplinares revela o caráter transformador do ensino, da pesquisa e da extensão.

Muitos dos projetos apresentados na Mepec fazem parte da disciplina Projeto Integrador, que tem a função de unir os conhecimentos técnicos já ministrados e aplicá-los à prática. Um desses projetos é o Girassol Tecnológico, desenvolvido pelos estudantes do técnico de Eletromecânica integrado ao ensino médio Ana Tozatti, Otto Gramkow, Gabriel Ternes, Sérgio Filho e Joyce Moser. Sob orientação do professor Damian Larsen Bog, eles desenvolveram um protótipo de painel fotovoltaico, que gera energia elétrica por meio da luz solar.

A equipe utilizou placa de metal, sensores, fonte externa, motor, bateria e o Arduino – uma plataforma de prototipagem eletrônica, que faz com que a placa fotovoltaica se mova durante o dia, seguindo o movimento do sol, como faz um girassol. “Três sensores de luminosidade foram posicionados no aparelho para que a luz pudesse ser seguida, fazendo com que a placa fotovoltaica receba uma maior incidência de luz solar para transformar em energia”, descrevem os estudantes, que têm entre 16 e 17 anos.

O coordenador de pesquisa, pós-graduação e inovação do campus, Ríad Mattos Nassiffe, lembra que um dos objetivos da Mepec é justamente o de contribuir para a formação de cidadãos críticos, comprometidos com a ciência e tecnologia, oportunizando a integração entre a comunidade e o meio acadêmico, tecnológico e cultural. “É durante a mostra que os estudantes têm oportunidade de apresentarem os trabalhos desenvolvidos no campus, mostrando para a sociedade o resultado do investimento na educação pública”, salientou.

Abertura

A solenidade de abertura do evento ocorreu no dia 27 de setembro, às 9h, e contou com a presença da diretora-geral, Marilane Paim, do diretor de administração e planejamento, Patric Griseli, do pró-reitor de pesquisa, pós-graduação e inovação do IFC, Cladecir Schenkel, do pró-reitor de extensão, Fernando José Garbuio; e dos coordenadores de pesquisa e extensão do campus, Ríad Nassiffe e Péricles Rocha, respectivamente.

Texto e fotos: Gisele Silveira | Jornalista JP 4506/SC

Aluna e professor do IFC Ibirama apresentam trabalho em evento internacional no Chile

Crislaine Camila Stüepp, estudante do 3º ano do Curso Técnico em Administração Integrado ao Ensino Médio do Campus Ibirama, e o professor André Luiz Kopelke apresentaram os resultados da pesquisa desenvolvida ao longo do ano de 2017 num evento internacional de Administração realizado na Universidade de Santiago de Chile. O evento, intitulado “V Congreso de la Red de Posgrados de Investigación Latinos en Administración y Estudios de la Organización” ocorreu de 26 a 29 de setembro de 2018.

A Red Pilares (Red de Posgrados de Investigación Latinos en Administración y Estudios de la Organización) é uma rede de universidades e institutos de tecnologia latino-americanos que tem por objetivo promover atividades conjuntas de ensino e pesquisa, facilitar a cooperação acadêmica e agilizar a publicação e a divulgação de resultados de pesquisas e reflexões acadêmicas sobre a Administração e organizações na América Latina.

A edição de 2018 do Congresso teve a participação de pesquisadores e estudantes da Argentina, do Brasil, do Chile, da Colômbia, do Equador, da Espanha, do México, do Reino Unido e do Uruguai.

O Congresso contou com 20 mesas temáticas. Crislaine e André participaram da Mesa Temática 10 que concentrou os estudos sobre mudanças no trabalho e na organização da educação e da cultura na América Latina. O trabalho apresentado por eles, intitulado “Administração: formação para a reprodução ou para a transformação social?”, trata dos desafios da implementação da proposta pedagógica dos Institutos Federais nos Cursos Técnicos em Administração Integrados ao Ensino Médio.

Texto e fotos: Cecom/Ibirama

Estudantes lotam sala em dia de Colóquio dos cursos subsequentes

Olhos atentos voltados a um tema atual: Energia Solar: Panorama e Tecnologias. A palestra, que foi ministrada pelo professor Alan Ricardo Sparemberger, integra o 1º Colóquio dos Cursos Técnicos Subsequentes de Mecânica e Eletromecânica do Campus Blumenau. O encontro ocorreu na noite de quarta-feira (20/06), na sala D4 do campus, que ficou pequena para o grande público.

Para o aluno de Eletromecânica Marino Vanzuita, a energia solar é promissora, pois abre novos horizontes em relação ao futuro do planeta. “Esse assunto agrega na formação e também em minha carreira profissional, pois tenho uma empresa que atua na área elétrica, e tenho interesse em trabalhar com energia solar fotovoltaica, e assim ajudar a expandir essa forma de energia renovável e sustentável”, contou Vanzuita.

O tema atraiu também estudantes de outros cursos do campus. Foi o caso do acadêmico de Engenharia Elétrica Igor Henrique Firmino de Deus, que achou a palestra esclarecedora. “Há campos para explorarmos em energias sustentáveis. Temos consciência disso, mas não sabemos de que maneira lidar. Com a palestra, descobri que há muito para se trabalhar, inclusive em projetos. Conhecer os sistemas e os valores reais e atualizados do uso de nossa energia removeu o limite mental, de que energia solar é apenas na telha e inviável”, observou ele.

O Colóquio faz parte de um projeto de ensino. Um dos objetivos é desenvolver o interesse dos estudantes em participar de encontros e debates voltados a temas multidisciplinares. Esta é a segunda palestra do Colóquio. A primeira ocorreu em abril, e debateu a harmonia entre Ciência e Religião. A terceira e a quarta palestra estão programadas para setembro e novembro.

Texto/Fotos: Cecom/Blumenau / Gisele Silveira

Blog sobre Língua e Literatura é ferramenta de apoio e incentivo à leitura

Há seis anos os professores de Língua Portuguesa e Língua Estrangeira do Instituto Federal Catarinense (IFC) Campus Videira alimentam o Blog chamado “Língua e Literatura na Rede”. Trata-se de uma ferramenta que serve como aliada à dinâmica de sala de aula e cujo objetivo é criar mecanismos que favoreçam o desenvolvimento das habilidades linguísticas dos estudantes.

Inicialmente o Blog chamava-se apenas “Literatura na Rede”, mas, a partir deste ano, os professores decidiram ampliar a temática abordada. “Agora, além das questões de Literatura, ele serve a toda a área de Linguagens, ou seja, tratamos também de temas relacionados à Gramática e Língua Estrangeira. Através do Blog, divulgamos trabalhos dos alunos, dando uma finalidade muito maior às produções que antes eram destinadas apenas ao professor. O Blog também funciona como ponte entre a comunidade externa e as atividades desenvolvidas pelos alunos”, explica a professora de Língua Portuguesa do IFC Videira, Adriana Hoffmann.

Além disso, o Blog contém material didático atualizado complementar às aulas com foco no êxito do estudante. A professora explica que o meio virtual amplia a capacidade de atualização, intercâmbio e aprendizado. “Como o espaço da aula muitas vezes é curto, principalmente para a disciplina de Língua Estrangeira (apenas uma aula por semana), o Blog vem proporcionar suporte às atividades de ensino do horário regular, por meio da divulgação de textos, atividades resolvidas e material didático alternativo”, comenta.

O Blog vai além do suporte às atividades escolares e se constitui em um importante repositório de materiais, textos e compartilhamento de experiências literárias. O espaço também é destinado para que alunos, professores e técnicos administrativos possam comentar as publicações e indicar leituras uns para os outros, condensando em um único espaço a diversidade de possibilidades que a área de Linguagens promove.

Gostou? Acesse aqui, leia e participe.

Texto e arte: Cecom/Videira / Juliana B. Motta Peretti

Aliança entre aprendizado e diversão marcaram a realização da 5ª SCI

Foram três dias de muitas atividades que envolveram estudantes, professores e palestrantes externos que vieram ao Instituto Federal Catarinense – IFC Campus Videira compartilhar sua expertise no ramo. A Semana Acadêmica da Computação e Informática (SCI) foi realizada de 12 a 14 de junho e teve como ponto central a aproximação entre jogos, brincadeiras e exposição de muito conteúdo, técnicas, conhecimento e intercâmbio de experiências. Foram 24h de atividades distribuídas em três dias, 10 oficinas, seis palestras e 20 jogos.

A estudante Talhia Rathje do 1º ano do curso de Informática Integrado ao Ensino Médio gostou muito de todas as atividades, principalmente do concurso de Cosplay, realizado na quinta-feira (14), último dia do evento. “Os professores falaram sobre o evento e nos passaram sobre as atividades que poderíamos participar. A semana teve não apenas jogos como RPG, Xbox e Playstation, mas também jogos de tabuleiro e o concurso de Cosplay, em que os alunos tinham que se vestir de um personagem de desenho ou um jogo que eles gostassem e isso foi muito divertido”, elogiou a estudante.

O professor Kennedy Araújo, organizador do evento, que leciona nos cursos de Informática e Ciência da Computação, conta que um dos diferenciais desta edição foi integrar os discentes com a própria organização do evento. “Criamos atividades, nas quais os alunos do técnico e do superior pudessem partilhar da mesma experiência. Outro ponto foi que nesta edição a semana foi materializada como um campeonato entre as turmas do curso técnico em informática, contando com atividades próximas da área mas que também tivessem um carácter espirituoso”, comentou.

O professor destaca ainda que durante o evento os alunos tiveram a oportunidade de conhecer assuntos que não são vistos dentro do curso. “Os estudantes podem ter contato com a ótica de pessoas de fora da instituição sobre a área da Computação. Ademais, para além de toda parte tecnológica, a interação com os outros alunos propicia momentos em que eles podem interagir com colegas de diferentes fases, fomentando um ambiente no qual se estabeleçam parcerias”, complementa Kennedy Araújo.

O técnico em TI do Campus Videira, Tiago Heinek, que foi jurado no concurso de Cosplay, destacou a alegria dos alunos no evento. “Quero agradecer ao professor Kennedy Araújo pelo convite e parabenizar pela organização, pois do que pude acompanhar vi que as pessoas estavam muito felizes e curtindo a escola de uma maneira diferente, porque escola também é lugar de diversão”, defende.

Vencedores do concurso – O concurso de Cosplay teve como objetivo escolher a “melhor turma” e a “melhor perfomance”, incluindo a fantasia, semelhança ao personagem e a criatividade envolvida. Houve empate entre duas turmas: o 3º e o 1ºB ficaram com 22 pontos. No quesito individual, a melhor pontuação foi do aluno do 1º B Victor Hugo Lopes Gonçalves, que apresentou seu Cosplay baseado na série de jogos Assassin’s Creed.

As fotos do evento (feitas por diversas pessoas) foram reunidas, separadas por dia, e estão disponíveis para acesso de todos neste link.

Texto: Cecom/Videira / Juliana B. Motta Peretti
Fotos: Cecom, professores e alunos do curso

Bibliotecária do IFC Rio do Sul ministra palestra no IFPR

Presidente da Comissão Brasileira das Bibliotecas da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica, a bibliotecária Caroline da Rosa Ferreira Becker, do IFC Campus Rio do Sul – Unidade Urbana, ministrou, no dia 12 de junho, a palestra “Panorama das bibliotecas da Rede Federal de Educação PCT e o protagonismo do bibliotecário”, durante o VII Encontro de Equipes das Bibliotecas do Instituto Federal do Paraná (IFPR), realizado no Campus Irati.

Participaram da palestra aproximadamente 40 bibliotecários e auxiliares de biblioteca do IFPR, além da professora Ana Cláudia Radis, diretora do Campus Irati, e do professor Paulo Cesar Medeiros, diretor de Ensino Superior da Pró-Reitoria de Ensino do IFPR.

Becker abordou a crescente criação de Sistemas de Bibliotecas (SIBIs) nas instituições que compõem a Rede Federal de Educação PCT (atualmente são 13 SIBIs oficialmente instituídos e nove em processo de institucionalização) e o quanto esta institucionalização vem fortalecendo e desenvolvendo as bibliotecas da Rede, com ações e projetos brilhantes sendo realizados e compartilhados pelos bibliotecários.

Conversou também sobre as habilidades/competências que o bibliotecário deve ter ou buscar desenvolver/aprender: criatividade, autoconfiança, perseverança, determinação, atitude e amor pelo ser e fazer da profissão. Em tempos de grandes mudanças, transformações e recessão, a biblioteca precisa se reinventar e ser um local de aprendizagem, de compartilhamento, de pesquisas/projetos/experiências/saberes. Foram também dados aos participantes exemplares do livro Panorama das Bibliotecas da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica: um olhar sobre a gestão.

Fonte: Nauria Fontana