Estudantes conquistam ouro, prata e bronze na Olimpíada Brasileira de Matemática

Uma medalha de ouro, uma de prata, duas de bronze e 13 menções honrosas na Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (Obmep 2019). Esse é o resultado da dedicação dos estudantes, somada à educação de qualidade ofertada no Instituto Federal Catarinense (IFC) Campus Blumenau.

Em um universo de 18 milhões de alunos que passaram para a segunda fase da Obmep, o campus classificou 31 estudantes. A segunda fase consistia em uma prova discursiva, composta de seis questões valendo até 20 pontos cada. A edição deste ano registrou um recorde de escolas participantes, foram 54.831, entre instituições públicas e privadas (desde 2017, a prova foi aberta para escolas particulares).

Além da Obmep, o campus classificou ainda 13 estudantes para a Olimpíada Regional de Matemática (ORM), que trouxe resultados também: duas menções honrosas. Os alunos que participam de ambas as Olimpíadas são dos cursos de ensino médio técnico integrado em Informática e Eletromecânica.

A aluna Tatiana Pasold, que levou o ouro, conta que sempre teve afinidade com Matemática, mas passou a gostar mesmo depois que participou da primeira olimpíada, em 2015. “Achei as questões interessantes, aplicáveis ao dia a dia, isso me aguçou a curiosidade”. Sobre a preparação, ela diz que treina muito a partir de provas anteriores, além de contar com um adicional: “o incentivo dos professores é essencial”.

Para o professor de Matemática Jeovani Schmitt, as possibilidades vão além do reconhecimento e da premiação com medalhas. “Os alunos premiados tornam-se referências positivas nas escolas, são preparados para participar de competições internacionais e podem receber bolsas para Programas de Iniciação Científica. A experiência é enriquecedora para a vida, para o currículo, e pode apontar direcionamentos para uma profissão do aluno”, observa ele.

Texto: Cecom/Blumenau| Gisele Silveira
Foto: Divulgação Obmep

Estudantes levam nove medalhas em Olimpíadas Nacional e Catarinense de Ciências e Química

Alunos dos cursos técnicos integrados ao ensino médio do Campus Blumenau foram premiados na Olimpíada Nacional de Ciências (ONC) e na Olimpíada Catarinense de Química (OCQ). Ao todo, foram três medalhas de ouro, quatro de prata e duas de bronze, além de seis menções honrosas.

A premiação oficial da ONC ocorreu em 28 de novembro, na Universidade de São Paulo (USP). Já a cerimônia de premiação da OCQ ocorreu em 4 de dezembro, no salão nobre da Universidade do Sul de Santa Catarina (Unisul). Os alunos com medalhas de ouro, prata e bronze receberam certificados e medalhas. Os alunos com menção honrosa receberam certificados.

O estudante Victor Henrique D’avila, do terceirão do curso técnico de Eletromecânica integrado ao ensino médio, conquistou duas medalhas de bronze, uma na ONC e outra na OCQ. Victor já havia ficado entre os 40 melhores classificados na Olimpíada Catarinense de Química (OCQ), em 2018, o que o levou à Olimpíada Brasileira em 2019. “Eventos como esse nos incentivam a estudar e fomentam a busca por novas descobertas. Fiquei ainda mais feliz quando soube que seria premiado”, comemorou.

Para o professor de Química Hélvio Silvester Andrade de Sousa, a Olimpíada estimula e promove o gosto pela Matemática. “E é importante para os alunos testarem seus conhecimentos e para adquirirem mais experiência em avaliações externas, como Enem e vestibulares”, considerou.

Confira os premiados:

Olimpíada Nacional de Ciências (ONC) 2019

Pedro Romero Rodrigues (1º ano) – Medalhista de Ouro

Roger Henrique Maldaner (1º ano) – Medalhista de Ouro

Pedro Henrique Fontoura de Souza (3º ano) – Medalhista de Ouro

Kaio Haruta (1º ano) – Medalhista de Prata

Melissa Radatz (1º ano) – Medalhista de Prata

Lucas Henrique Falk (2º Ano) – Medalhista de Prata

Victor Henrique Davila (3º ano) – Medalhista de Bronze

Vinicius Leite Bortolon (2º Ano) – Menção Honrosa

Bruno Gabriel Ronchi (3º Ano) – Menção Honrosa

Cássio Antônio Filippi (3º Ano) – Menção Honrosa

Olimpíada Catarinense de Química (OCQ) 2019

Pedro Romero Rodrigues (1º ano) – Medalhista de Prata

Victor Henrique Davila (3º ano) – Medalhista de Bronze

Roger Henrique Maldaner (1º ano) – Menção Honrosa

Fernanda Borges (1º ano) – Menção Honrosa

Guilherme Lettmann Penha (1º ano) – Menção Honrosa

Texto: Cecom/Blumenau| Gisele Silveira
Foto: Divulgação

Trabalho de estudantes do IFC Sombrio foi premiado em fórum científico

Estudantes do 3º ano do curso Técnico em Hospedagem do IFC Campus Avançado Sombrio participaram do VII Fórum Científico de Gastronomia, Turismo e Hotelaria (FCGTurH), promovido pelo programa de Pós-graduação em Turismo e Hotelaria e pelos cursos de graduação em Turismo e Hotelaria e Gastronomia da Universidade do Vale do Itajaí (Univali), Campus de Balneário Camboriú, nos dias 13 e 14 de novembro. Esta edição teve como tema central “Patrimônio e Cultura na Perspectiva da Gastronomia e do Turismo”.

Entre os representantes do IFC, foi premiado, na categoria “Resumo Expandido Destaque”, o trabalho “Experiências memoráveis dos hóspedes de um camping glamoroso: o caso do Glamping Mangarito de Iporanga – SP”, dos estudantes Júlia Castanho Maciel e Thômaz Paródia Gonçalves Rodrigues, orientados pela professora Kênia Zanella.

Neste evento, foram aceitos trabalhos na forma de resumo expandido para alunos da graduação, pesquisadores e profissionais da gastronomia, do turismo, da hotelaria e de áreas correlatas. “Estudantes do curso técnico do IFC participam deste a 5ª edição, neste ano, foram aprovados pela comissão científica e apresentados no evento, sete resumos expandidos, resultantes dos trabalhos de conclusão de curso”, conta Zanella.

Trabalhos apresentados pelos estudantes do IFC Campus Avançado Sombrio foram:

Ana Carolina da Silva Pereira e Eduarda Pires da Silva, orientadas pela profa. Kênia Zanella: Determinantes da satisfação do hóspede em relação à qualidade dos serviços hoteleiros nos eco hotéis de Praia Grande/SC e Cambará do Sul/RS

Ana Carolina Martins Cardoso e Letícia Rafaela Dias Ferreto, orientadas pela profa. Ana Paula dos Santos Porto: Cooperação e associativismo entre os Meios de hospedagem e as agências de turismo receptivo de Praia Grande (SC)

Atauan Gomes e Lays Roxo Camilo, orientados pela profa. Ana Paula dos Santos Porto: Influência cultural açoriana nas estratégias de comunicação de marketing: análise dos MH’s da região central de Laguna (SC)

Camila da Rosa Antônio e Maria Gabriela de Andrade de Souza, orientadas pela profa. Kênia Zanella: Habilidades e competências nos setores de reserva e recepção: um estudo de caso em um hotel de rede em Criciúma-SC

Érica Dias Borges e Tainá Ferreira Generoso, orientadas pela profa. Glindia Victor: Análise da competência comunicativa em língua espanhola nos meios de hospedagem de Bombinhas/SC

Fernanda Pereira Bitencourt e Lisiane Varela Vefago, orientadas pela profa. Kênia Zanella: Eventos e Turismo: a contribuição do 31° Festival Internacional de Balonismo na hotelaria de Torres (RS)

Júlia Castanho Maciel e Thômaz Paródia Gonçalves Rodrigues, orientados pela profa. Kênia Zanella: Experiências memoráveis dos hóspedes de um camping glamoroso: o caso do Glamping Mangarito de Iporanga – SP

 Texto: Cecom/Reitoria/Rosiane Magalhães
com informações e fotos enviadas pela professora Kênia Zanella

Estudantes de Gestão de Turismo organizaram seminário iniciação científica

Estudantes da 4ª fase de Gestão de Turismo, do IFC Campus Avançado Sombrio, organizaram o Seminário de Iniciação Científica em Turismo e Hospitalidade – SIFCTUR, realizado entre 5 e 7 de novembro, em Sombrio, com objetivo de promover um espaço de divulgação e discussão a fim de proporcionar a troca de experiências entre alunos, egressos, docentes e comunidade em geral, a partir da apresentação dos resultados de pesquisas científicas relacionadas à área de turismo, hospitalidade e lazer. 

Organizado como prática da disciplina Planejamento e Organização de Eventos, ministrada pela professora Kênia Zanella, o seminário contou com apresentações orais dos trabalhos produzidos pelos estudantes nos eixos temáticos “Meio Ambiente e Sustentabilidade em Turismo e Hospitalidade” e “Gestão em Turismo e Hospitalidade”. Na palestra de encerramento, os participantes receberam a professora Carolina Braghirolli Stoll que falou sobre “Políticas Públicas no Turismo”.

Além da programação científica, o SIFCTUR contou com a apresentação cultural do Coral do IFC-CAS, sob a regência da professora Tereza Cristina Benevenutti Lautério; coquetel e sorteio de itens de materiais de divulgação dos apoiadores.  

Segundo Zanella, a apresentação de pesquisas científicas relacionadas a área de turismo, hospitalidade e lazer que proporcionou a troca de experiências entre alunos, egressos, docentes e comunidade em geral. “Agradeço aos participantes que compartilharam seus trabalhos e experiências, aos apoiadores, e às equipes da comissão organizadora que com muito empenho e dedicação fizeram esse evento”, finaliza a professora.

Acesse aqui o site do evento para saber mais sobre o trabalho desenvolvido. 

Texto: Cecom/Reitoria/Rosiane Magalhães
Fotos: Comissão organizadora do SIFCTUR

Atividade pedagógica estimula a criatividade e a pesquisa em trabalho interdisciplinar de História e Geografia para os 1º Anos

Trata-se da atividade “RPG Civilizações”. A atividade utiliza de elementos dos denominados “Role-Playing Game (RPG)” nos quais os participantes interagem entre si para encontrar a melhor civilização. O objetivo pedagógico principal é aplicar na área da geografia saberes e conhecimentos adquiridos no campo da cartografia básica, de conceitos de clima, relevo e biomas. Na área da História o objetivo está relacionado a compreensão do desenvolvimento de civilizações, sua organização política, social e cultural, pautando-se a construção de novos modelos de sociedades em experiências históricas concretas. Os temas se correlacionam no desenvolvimento social e equilíbrio ambiental.

As atividades iniciaram ainda no final do mês de Setembro de 2019. Todas as turmas do 1º ano do ensino médio integrado foram dividas em 6 equipes por turma. Cada equipe precisou elaborar um mapa baseado em seus conhecimentos de cartografia adquiridos na disciplina de Geografia. O mapa precisava contemplar 6 regiões (com explicações sobre clima, relevo, flora, fauna, etc. ) que serviriam de tabuleiro base para a fase seguinte da atividade. Em cada turma foram apresentados 6 modelos de mapas e as turmas escolheram mediante votação qual o mapa a ser usado nas fases seguintes do RPG. Abaixo alguns mapas que foram elaborados pelos alunos.

Em seguida foram distribuídas as equipes em cada uma das regiões do mapa escolhido pelas turmas. As equipes criaram uma civilização com nome, mitos, deuses, estrutura social, instituições, moedas, línguas, dentre outras tantas variáveis. Esse trabalho foi baseado nos conteúdos ministrados durante o ano na disciplina de História. Ao apresentarem suas civilizações os colegas da turma também votaram na melhor das equipes da sala. Além de apresentarem as civilizações, as atividades incluíam apresentar bandeiras e objetos que representassem a civilização de cada equipe.  Após essa etapa as equipes estão se enfrentando para descobrir qual é a melhor civilização de cada turma.

Mas não acaba por aqui. No dia 27 de Novembro, quarta-feira, das 14h30 às 16h30, as equipes vencedoras de cada turma irão se enfrentar para descobrir qual é a civilização campeã de 2019. Para tanto será realizado um grande debate no auditório do campus. Todos os presentes poderão votar, sendo especialmente importante a participação dos alunos do primeiro ano. Para tanto já solicitamos aos responsáveis que autorizem a participação de seus filhos nesse dia. Professores e alunos do segundo e terceiro ano poderão assistir caso exista espaço no auditório para comportá-los. E todos nós ficamos no aguardo para ver civilizações das mais diversas inspirações. Quem sabe nesse dia aparecem alguns vikings, egípcios, espartanos, cavaleiros medievais e outros personagens pelo campus?

Texto e imagens: Ivan Furmann

IFC Camboriú conquista 4º lugar na Mostratec

Os alunos Yohanam Igor Spagnol Rech, Yasmin Maisa Wachholz e Amanda Geraldo Andrighi, do curso Técnico em Controle Ambiental do IFC Camboriú, conquistaram o 4º lugar na categoria “Ciências ambientais”, na premiação da Mostra Internacional de Ciências e Tecnologia (Mostratec), realizada em Novo Hamburgo/RS. Sob orientação dos servidores Letícia Flohr e Joeci Ricardo Godói, o trabalho “Diagnóstico da qualidade do ar atmosférico do município de Camboriú/SC” ainda recebeu o primeiro lugar geral na X Feira de Iniciação Científica e Extensão (FICE).

A colocação na Mostratec foi uma surpresa para os alunos. “Ainda não caiu a ficha, não esperávamos”, ressaltou Yohanam. “Foi surpreendente recebermos a premiação. A participação na Mostratec trouxe o sentimento de pertencimento à comunidade científica”, destacou Yasmin.

Competindo com 17 países e 21 estados, os estudantes do campus Camboriú trouxeram na bagagem a experiência de conhecer projetos desenvolvidos pelo mundo e ter contato com outras culturas. “Tivemos a oportunidade de conhecer vários projetos, que também podem ser aplicados no nosso campus”, destacaram Joeci e Amanda. Entre os assuntos abordados na Mostratec, os alunos perceberam a forte presença de trabalhos relacionados à questão ambiental, saúde e bem-estar.

O incentivo à iniciação científica presente no IFC Camboriú colaborou com a conquista no evento. “É um diferencial dos Institutos Federais (IFs), a iniciação científica faz parte da rotina da nossa rede. A gente está acostumado a ser curioso, fazer perguntas, investigar…O incentivo que temos aqui é muito grande”, finalizaram os alunos.

Confira aqui o trabalho na íntegra.

Sobre a Mostratec:

A Mostratec é uma feira de ciência e tecnologia realizada anualmente pela Fundação Liberato, na cidade de Novo Hamburgo, Rio Grande do Sul, Brasil. Destina-se a apresentação de projetos de pesquisa em diversas áreas do conhecimento humano, realizados por jovens cientistas do ensino médio e da educação profissional técnica de nível médio.

O evento conta com a participação de 752 projetos de pesquisa: 420 do Ensino Médio e da Educação Profissional Técnica de Nível Médio, 260 do Ensino Fundamental e 72 projetos da Educação Infantil, do Brasil e de vários países, além de eventos integrados como: SIET- Seminário Internacional de Educação Tecnológica,  Robótica Educacional e atividades esportivas e culturais.

A Feira promove integração entre as instituições de ensino, a pesquisa e o meio empresarial, possibilitando o desenvolvimento, a aplicação e a divulgação de novas tecnologias.

A cada ano, vem aumentando o número de visitantes e participantes, dentre eles empresários, autoridades nacionais e internacionais, profissionais de diversas áreas, educadores, estudantes, imprensa e comunidade em geral, tornando a Mostratec um dos principais eventos educacionais do país.

* Informações do site do evento

Confira as imagens da participação dos estudantes:

Texto: Cecom/Camboriú
*Crédito das imagens: Yasmin Wachholz

Trabalhos desenvolvidos no IFC Rio do Sul foram premiados em congresso nacional

Estudante de Agronomia Eduardo Affonso Jung e a professora Alexandra Goede de Souza, ambos do Instituto Federal Catarinense – IFC Campus Rio do Sul, apresentaram trabalhos no 22º Congresso Brasileiro de Floricultura e Plantas Ornamentais (CBFPO) e 9º Congresso Brasileiro de Cultura de Tecidos de Plantas (CBCTP). Os congressos foram realizados conjuntamente nas cidades de Petrolina (PE) e Juazeiro (BA), entre os dias 7 e 11 de outubro de 2019.

Trabalho “Durabilidade pós-colheita das hastes florais de gladíolo tratadas com diferentes soluções conservantes”, apresentado por Jung, conquistou o 1º lugar do Prêmio Melhor Trabalho Técnico-Científico na área de Floricultura e Plantas Ornamentais, na categoria graduação. “Efeito do sistema de cultivo na produção de gladíolos na região do Alto Vale do Itajaí, SC”, apresentado por Souza, ficou em 3º lugar na categoria pós-graduação.

“Os trabalhos de pesquisa e extensão com a cultura do gladíolo vêm sendo realizados no IFC Campus Rio do Sul, desde 2017, com objetivo de se estudar a adaptação da cultura na região do Alto Vale do Itajaí, bem como melhorar a durabilidade pós-colheita das hastes florais. Desta forma, são oferecidas alternativas de diversificação e renda às pequenas propriedades rurais da região, fortalecendo os arranjos produtivos locais”, explica Souza.

Durante os congressos, a professora também contribuiu em um minicurso e uma mesa-redonda sobre a cultura do gladíolo, com informações dos trabalhos realizados sobre a cultura em Santa Catarina, em especial no IFC Campus Rio do Sul. 

Sobre os congressos

Congresso Brasileiro de Floricultura e Plantas Ornamentais (CBFPO) e o Congresso Brasileiro de Cultura de Tecidos de Plantas (CBCTP) são realizados conjuntamente. O evento é uma promoção da Sociedade Brasileira de Floricultura e Plantas Ornamentais (SBFPO) e da Associação Brasileira de Cultura de Tecidos de Plantas (ABCTP). 

Tema central do evento em 2019 foi “Propagando Inovações para o Florescimento de Novos Mercados”, buscando contribuir não apenas com a cadeia produtiva, principalmente de flores e plantas ornamentais, mas também de outras espécies de interesse econômico e ambiental, como frutíferas, hortaliças, florestais e grandes culturas, pelo uso de tecnologias inovadoras de produção, em que a cultura de tecidos de plantas tem sido fundamental. 

Para saber mais, acesse aqui o site do congresso.

 Texto: Cecom/Reitoria/Rosiane Magalhães
Fotos: professora Alexandra Goede de Souza

Alunas do IFC desenvolvem glossário audiovisual de Eletromecânica em Libras

Luana tem 15 anos. Ela está no primeiro ano do curso de Eletromecânica integrado ao ensino médio do Instituto Federal Catarinense Campus Blumenau. Luana possui uma perda de audição mista bilateral, ela é oralizada, e também usa a Língua Brasileira de Sinais (Libras), e conta com o apoio da intérprete Samara dos Santos, que a acompanha em sala de aula.

Durante as aulas no curso de Eletromecânica, Luana percebeu que alguns termos seriam melhor compreendidos se fossem utilizados sinais icônicos em vez de datilologia (alfabeto manual). “Os equipamentos têm uma forma de funcionamento, então os sinais precisam ser icônicos, representando o movimento do equipamento”, explica Luana.

Para além de sua própria experiência, a aluna relatou para o grupo do projeto integrador que muitos surdos usuários da Libras trabalham na indústria metalmecânica e sentem dificuldades no trabalho, devido à falta de sinais específicos na área. Para isso, Luana trouxe o exemplo do cunhado, que é surdo. “Ele trabalha em uma empresa metalúrgica e quando o questionei como fazia para pedir uma peça a um colega, ele disse que não sabia o sinal da peça, então imitava o movimento do equipamento”, relata.

Foi aí que ela e as colegas de grupo, Samira e Laura, resolveram pesquisar o assunto e trabalhá-lo no Projeto Integrador do curso. Elas contam que já existem glossários disponíveis, voltados a equipamentos, mas perceberam que muitos desses sinais não eram práticos. “Então, desenvolvemos glossários de Libras em formato audiovisual. Pegamos configuração de mãos, movimento e a área do corpo para criar novos sinais e adaptá-los para maior praticidade dentro da Eletromecânica”.

Glossário já tem 64 sinais

O glossário audiovisual desenvolvido pelas estudantes possui 64 sinais, todos voltados a equipamentos. Elas gravaram em dois dias e editaram o vídeo em um dia. A ideia, contudo, é ampliar o material. “A gente não encontrou glossários para outras áreas da eletro, como materiais de construção mecânica. Para o termo ‘ductibilidade’, por exemplo, não existe sinal. Por isso, o objetivo é ampliar o glossário, para tratar de outras disciplinas da Eletromecânica.” Como a pesquisa ainda está em desenvolvimento, e o vídeo será apresentado em eventos, elas não pretendem divulgá-lo na íntegra ainda. No futuro, a ideia é disponibilizar o material para todo o IFC e também para empresas.

Para Samira, estudante e colega de classe de Luana, Libras é uma língua, e não deve ser adaptada a partir do Português. “A Libras tem sua própria gramática. Muitos surdos não têm conhecimento do Português escrito e só usam Libras, por isso, é essencial projetos como este que desenvolvemos”.

A intérprete Samara explica que a Libras foi reconhecida pela Lei 10.436, em 2002. “É uma conquista muito recente, que vem possibilitando diversos avanços para a comunidade surda brasileira. Um exemplo do avanço está na garantia de acessibilidade por meio da Libras aos mais variados contextos sociais, contudo, alguns desses espaços não haviam sido explorados pela comunidade surda, ocasionando uma carência de sinais para representar inúmeras terminologias”.

O projeto Glossário de Eletromecânica em Libras foi apresentado durante a Mostra de Ensino, Pesquisa, Extensão e Cidadania (Mepec) do Campus Blumenau, durante os dias 10 e 11 de outubro. Quem passou pela mostra pôde ver um pouco do que é desenvolvido no campus.

Texto/Foto: Cecom/Blumenau | Gisele Silveira

IFC oferece 585 vagas em cursos técnicos gratuitos pra quem já fez o ensino médio

De 23 de setembro até 10 de dezembro, serão aceitas as inscrições para o Processo de Seleção 2020 do Instituto Federal Catarinense (IFC). São oferecidas 585* vagas em cursos técnicos subsequentes (pra quem já terminou o ensino médio). Os interessados devem se inscrever pela internet, no Portal de Ingresso do IFC. Todos os cursos são totalmente gratuitos e isentos da taxa de inscrição.

Neste processo são oferecidos cursos* de Administração, Agrimensura, Agropecuária, Automação Industrial, Cervejaria, Eletrônica, Eletrotécnica, Mecânica e Segurança do Trabalho. As vagas são distribuídas entre os campi do IFC em Araquari, Blumenau, Brusque, Camboriú, Fraiburgo, Luzerna, Rio do Sul, Santa Rosa do Sul, São Francisco do Sul e Videira.

Seleção será feita por meio de sorteio público programado para 10 de janeiro, às 15h30, na Reitoria do IFC, em Blumenau. O sorteio será realizado para os cursos nos quais o número de inscritos seja maior do que o número de vagas disponíveis. Caso o número de inscritos seja menor ou igual ao número de vagas, todos estarão automaticamente aprovados. Não é obrigatória a presença do candidato no sorteio, pois ele será gravado e disponibilizado no Portal de Ingresso.

Divulgação do resultado final do sorteio está prevista para 24 de janeiro de 2020. As matrículas dos aprovados em primeira chamada serão de 27 a 30 de janeiro.

Conforme estabelecido em legislação, algumas vagas são reservadas para o sistema de Ações Afirmativas (cotas). Alguns dos cursos também têm reserva para candidatos oriundos da agricultura familiar. Os detalhes sobre as ações afirmativas estão no Edital 051/2019 do Processo Seletivo.

Todas as informações sobre o andamento do Processo de Seleção são publicadas no Portal de Ingresso.

Serviço
Processo de Seleção IFC 2020
Vagas para cursos técnicos subsequentes (para quem já concluiu o ensino médio)
Inscrições: até 10 de dezembro de 2019
Seleção por sorteio público: dia 10 de janeiro, às 15h30.
Taxa de inscrição: não há
Edital e demais informações no Portal de Ingresso

*Texto editado conforme retificação do edital: retirada das vagas para o curso de Eletromecânica no Campus Blumenau.

Texto: Cecom/Reitoria/Rosiane Magalhães
Arte: Divulgação

IFC disponibiliza módulo online para responsáveis acompanharem a vida acadêmica dos adolescentes

Pais e responsáveis pelos estudantes menores de idade, dos cursos técnicos integrados ao ensino médio do Instituto Federal Catarinense (IFC), podem acompanhar a vida acadêmica dos adolescentes pelo Portal Familiar. O módulo pode ser acessado a qualquer momento pela Internet, pois está inserido no Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas (Sigaa), que é o sistema acadêmico usado na instituição.

Portal permite o cadastro de dois usuários por cada adolescente, que devem ser os mesmos identificados como responsáveis na matrícula. A partir do cadastro, será possível acessar notas detalhadas, boletim de frequência, comunicados, informações sobre o conteúdo explicado pelo professor em sala de aula, entre outros dados do estudante.

“O Portal foi criado para facilitar a participação das famílias na vida acadêmica dos estudantes e promover a aproximação com a instituição. Com acesso às informações em tempo real, os responsáveis podem acompanhar a evolução dos adolescentes durante o período letivo e, em caso de dúvidas, procurar o Núcleo Pedagógico do campus”, destaca Giovana von Mecheln, coordenadora-geral de Avaliação e Regulação do Ensino no Instituto.

No IFC Fraiburgo, os servidores perceberam a baixa procura pela ferramenta, por isso gravaram um vídeo explicativo para orientar as famílias. “Criamos o vídeo para ajudar e incentivar a utilização do Portal. Por enquanto, estamos divulgando por e-mail e em grupos no WhatsApp. Mas a proposta é ampliar a divulgação a todos os pais e responsáveis no ato da matrícula a partir do próximo ano”, explica Dheime Romanatto Trevisol, coordenadora de Registro Acadêmico e Cadastro Institucional no Campus Fraiburgo. 

Acesse aqui o vídeo gravado com Joana Constantino, e editado por Jeferson Santos Moraes de Souza, ambos estudantes do 3º ano do técnico em Informática integrado ao ensino médio do IFC Fraiburgo. Também estão disponíveis no site do IFC os manuais de orientação sobre como fazer o cadastro. 

Texto: Cecom/Reitoria/Rosiane Magalhães
Imagem: Manual da DTI